100 horas de Astronomia - http://www.100hoursofastronomy.org/

Tópico em 'Astronomia' iniciado por rbsmr 2 Abr 2009 às 11:21.

  1. rbsmr

    rbsmr
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    6 Ago 2007
    Mensagens:
    555
    Local:
    Cabeça Gorda, Torres Vedras (140m)
    Sair de casa, olhar através de um telescópio e sentir que fazemos parte de um planeta é o que se espera que as “100 Horas de Astronomia” consigam fazer. A partir de amanhã, dia 2 de Abril, e até domingo, 137 países, 80 observatórios mundiais e a Internet vão estar ligados nesta iniciativa para aproximar as pessoas da ciência que estuda o Universo.

    A ideia é “levar a Astronomia a todo o mundo, em diversos eventos, para que as pessoas tenham oportunidade de vivê-la em várias vertentes, de uma forma concentrada”, disse por telefone ao PÚBLICO a co-coordenadora nacional do projecto, Nelma Alas Silva.

    A iniciativa está integrada no Ano Internacional da Astronomia (AIA2009). Se as actividades ao longo do ano perfazem uma maratona para a divulgação e experimentação da Astronomia, os próximos quatro dias vão ser os “100 metros de velocidade”, revela Nelma Silva. Segundo Pedro Russo, português e coordenador internacional do AIA2009, o site internacional já reuniu mais de 2000 registos que anunciam iniciativas a decorrer em vários países.

    Por cá, a oferta atinge todo o continente e os Açores. “Temos observações [com telescópios] que vão desde Trás-os-Montes, Algarve, aos Açores. Localidades que não são centrais”, explicou a coordenadora.

    Fotografar o espaço a partir de casa

    “O nosso objectivo principal é pôr o máximo de pessoas possível a olhar para os telescópios”, sublinhou Pedro Russo ao PÚBLICO, por telefone. No site português do “100 Horas de Astronomia” estão descritas todas as iniciativas de observações telescópicas associadas a várias localidades do país. A observação do Sol, que é feita de dia, também vai ser uma aposta recorrente em vários locais. Mas quem preferir pode ir a palestras como a que decorre no sábado, no Porto, sobre a Astronomia nos Andes ou levar os filhos a passar a noite no planetário de Espinho.

    Para os que ficarem em casa, o serão não tem de ser menos activo. Estão reservados nove observatórios em todo o mundo exclusivamente para quem quiser tirar fotografias ao espaço. Basta fazer um registo e pode-se comandar os telescópios através da Internet. “Percebe-se o conceito de recolher imagens na Astronomia”, diz Pedro Russo, acrescentando que se tiver tempo, gostaria de fotografar uma galáxia, porque “são sempre objectos que escondem muitos segredos”. Mas a objectiva pode ficar apontada para bem mais perto e fotografar a Lua, Saturno ou o Sol.

    Sexta-feira arranca a iniciativa "Volta ao Mundo em 80 Telescópios" que vai durar 24 horas sem parar. “A ideia principal é mostrar o que é trabalhar num telescópio, o que é o dia-a-dia dos astrónomos”, disse Pedro Russo. De 20 em 20 minutos, um destes 80 observatórios fica disponível na Internet, e mostra o que está a acontecer lá dentro, quem são os astrónomos, o que se observa, quais os instrumentos que se utilizam e que perguntas estão a tentar responder.

    João Alves, director do Observatório de Calar Alto (que fica a 2150 metros de altitude, em Almeria, na Andaluzia, em Espanha) revelou que, durante a emissão, o observatório vai estar cheio de alunos. “Vamos ter um grupo de estudantes [dos últimos anos do ensino secundário na área de Ciências] que estão a fazer o trabalho de iniciação à investigação”, disse por telefone ao PÚBLICO, acrescentando que a ligação entre o observatório e o ensino é uma iniciativa recente que está a ter imensa adesão das escolas.

    Durante os 15 minutos de emissão (em inglês), que se inicia às 23h00 (de Lisboa) de sexta-feira, os astrónomos vão responder a várias questões. “No fundo, é aproximar o observatório das pessoas. Como é o seu dia-a-dia, o que move as pessoas para passar uma semana no cimo da montanha”, reflectiu o português, que está surpreso com o envolvimento que o público tem tido durante o AIA2009.

    O astrónomo revelou que vai estar “completamente ligado à Internet” durante a experiência. Segundo João Alves, ninguém se apercebe da poluição luminosa que vai aumentando e que está a “isolar-nos do Universo”. Estas iniciativas são importantes para “a nossa experiência humana, para as pessoas sentirem que fazem parte de um planeta”, assegurou.

    in http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1372143&idCanal=13

    Site oficial:
    http://www.100hoursofastronomy.org/
     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. AnDré

    AnDré
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    22 Nov 2007
    Mensagens:
    10,245
    Local:
    Arroja, Odivelas (142m)
    Aqui onde moro em Odivelas (neste lugar onde os prédios parecem cogumelos), há tanta luz que se olhar para o céu quase consigo contar as estrelas que vejo pelos dedos das mãos.

    Mas vou aproveitar a estadia que me aguarda no norte, para matar saudades do céu! :D
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página