A descoberta (fracassada) da mítica Atlântida a Oeste da Madeira

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por Vince 2 Mar 2009 às 17:13.

  1. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Há 2 semanas atrás começou a espalhar-se na Net o rumor de que a mítica Atlântida tinha sido descoberta a Oeste da Madeira/Sul dos Açores :D

    [​IMG]


    Tal como com o GE (Google Earth) se começaram a fazer descobertas arqueológicas, com o lançamento do Google Oceans na última versão do GE, muita gente desatou a procurar coisas interessantes.

    O que levou a isto tudo foram estes padrões geométricos na planície abissal da Madeira:


    [​IMG]


    Alguns jornais chegaram mesmo a escrever sobre o assunto, como o Tablóide britânico «The Sun». Só podia :lmao:





    Infelizmente a realidade é bem menos fascinante. A explicação para os padrões:


     
  2. granizus

    granizus
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    8 Jan 2009
    Mensagens:
    180
    Local:
    São Domingos de Rana / Lapa (Lisboa)
    Embora a explicação faça sentido, o que não faz é o facto de essas linhas estarem quase integralmente delimitadas por um quadrado exterior. Como se os navios não deixassem rasto até chegar a esse local e de repente os deixassem perfeitamente impressos...

    Quer marecer-me que a "descoberta" é tão tonta quanto a "explicação científica" :)
     
  3. AnDré

    AnDré
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    22 Nov 2007
    Mensagens:
    10,252
    Local:
    Arroja, Odivelas (142m)
    Mais um pouco, e a Atlântida era nossa! :D

    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga

    Como o artigo refere, a cartografia do fundo dos Oceanos é feito de duas formas. Com Satélite ou com recurso a navios que rebocam um sonar especial chamado de Sonar de Banda Lateral (Side-scan sonar).

    A cartografia de satélite tem pouca resolução/precisão. As de sonar são muito mais detalhadas. Mas obviamente só uma ínfima parte dos Oceanos está detalhada com recurso a sondagens destas. O Google Ocean recorre aos mapas batimétricos de ambas, tal como no Google Earth temos partes do território com fotografias de satélite de diferentes resoluções ou ainda zonas com fotografia aérea (a partir de avião) com muito mais detalhe do que a de satélite.

    A questão que levantas é fácil de explicar. A maior parte do mapeamento feito com sonar foi feito em expedições cientificas e o modo como elas são feitas é precisamente assim, definem uma qualquer grelha dividida em mosaicos e percorrem toda a área para criarem um mapa batimétrico, daí a forma destes padrões. Pelo que os tais rastos só estão onde eles começaram a sondar.
     
  5. granizus

    granizus
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    8 Jan 2009
    Mensagens:
    180
    Local:
    São Domingos de Rana / Lapa (Lisboa)
    Obrigado Vince ;)

    Assim claro é mais fácil de entender porque é que existe uma grelha tão bem delineada. Pode ser que ainda queiram fazer uma campanha e que recorram a voluntários para mergulhar no local e colocar uns "spits" :D
     

Partilhar esta Página