Aldeias Históricas de Portugal, Abril de 2011

Tópico em 'Natureza e Viagens' iniciado por AnDré 25 Abr 2011 às 04:22.

  1. AnDré

    AnDré
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    22 Nov 2007
    Mensagens:
    10,248
    Local:
    Arroja, Odivelas (142m)
    Era uma viagem que há muito desejava concretizar.
    Porque há pormenores de Portugal que me têm escapado e tanta história que me tem passado à margem.
    Assim, e face ao desconhecido, lá fui eu, o ac_cernax e o João Soares em busca da aventura. E que aventura...

    A partir de Cernache do Bonjardim, quisemos começar pelo Piódão, por ser a aldeia que ficava fora de mão de todas as outras.
    Mas olhando para o mapa e até chegar ao Piódão, tínhamos a barragem de Cabril pelo meio e a EMA de Fajão que mereceu uma visita obrigatória. O relato dessa visita, aqui.

    EMA vista e seguimos pelo cume da serra, em direcção a Fajão.

    [​IMG]

    Fajão, uma aldeia pequena, mas que fizemos questão de conhecer ao pormenor cada ruela. :D
    [​IMG]

    Seguimos depois para a primeira aldeia histórica.
    Já a conhecia de outras voltas, mas não fazia ideia que por lá se fazia licor de castanha tão bom. :p

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]


    E agora, qual o caminho a tomar? Ora, vamos para este, em direcção à serra.

    Serra do Piódão

    [​IMG]

    Parque eólico das Pedras Lavadas.

    [​IMG]

    À medida que a tarde ia avançando, o céu ia prometendo a instabilidade prevista.
    Mas enquanto da grande Lisboa já nos chegavam noticias de fortes trovoadas, em Unhais da Serra, a tranquilidade reinava.

    [​IMG]

    No caminho para Castelo Novo, apanhámos o nosso primeiro aguaceiro.
    Uma vez lá, a chuva deu tréguas, e permitiu-nos ver a aldeia sem guarda-chuva.

    [​IMG]

    [​IMG]

    A noite começou a instalar-se. No horizonte eram visíveis vários aguaceiros, mas mais nenhum nos afectou. Rumamos para Idanha-a-Nova onde nos esperava um belo jantar e um agradável serão na companhia do *Dave*.
    Ainda antes de findar o dia, quisemos subir ao castelo. Tínhamos esperança de ver alguns flashes no horizonte, mas há falta deles, criámos uns quantos artificiais. :cool:

    -------------------------------------

    O segundo dia começou cinzento e chuvoso em Idanha-a-Nova.
    Durante a madrugada ainda demos conta de um aguaceiro forte que ainda assim não nos fez levantar da cama.
    Pequeno almoço tomado, e eis que pára de chover. Foi altura de ver Idanha à luz do sol.

    Depois disso, seguimos para este, rumo à Senhora do Almortão, da qual nunca tinha ouvido falar.

    Rio Pônsul, Idanha-a-Nova
    [​IMG]

    Senhora do Almortão
    [​IMG]

    Depois da capela visitada, rumamos para norte em direcção a Idanha-a-Velha.
    Ao longo da viagem, céu cada vez mais encoberto, e alguma chuva em Idanha-a-Velha.

    Alcafozes
    [​IMG]

    Idanha-a-Velha
    [​IMG]

    Idanha-a-Velha obrigou-nos mesmo a usar o guarda-chuva. E o chão molhado pregou-nos algumas rasteiras durante a visita da mesma. :lol:

    Seguimos depois para Monsanto, que se encontrava envolto em nevoeiro.

    Uma vez lá, tínhamos 2 percursos pedestres possíveis. Um turístico e outro para caminheiros (com sinais de escuteiros). Apesar do calçado nada adequado, não foi difícil decidir qual o caminho a seguir.

    Monsanto, numa perspectiva diferente.

    [​IMG]

    Aldeia lá em baixo:

    [​IMG]

    Agora no caminho dos turistas e no meio da civilização:

    [​IMG]

    O dia ia avançando a passos largos e ainda havia muito que andar nesse dia.
    Seguimos para Penamancor, onde ainda fomos ao castelo.
    Depois, Meimoa, onde fizemos umas quantas caches.
    E por fim, Sortelha. Uma aldeia que me surpreendeu muito pela positiva.
    Muito cuidada e organizada.

    [​IMG]

    [​IMG]

    Infelizmente, enquanto visitávamos a aldeia, a chuva voltou a aparecer e desta vez com alguma intensidade, obrigando-nos a ir para o carro já de pés molhados.

    Seguimos para Caria e depois para Belmonte. Sempre debaixo de muita chuva.
    Em Belmonte praticamente nem saímos do carro. A visita foi feita dentro do carro, pelas ruelas da aldeia.
    E não é que descobrimos ali uma bomba de gasolina bem em conta? :p

    Já noite, foi hora de ir até à Guarda secar os pés, encher a barriga e fumar um cachimbo. Relax, enquanto lá fora a chuva caía e o nevoeiro cobria os pontos mais altos da cidade.

    ---------------------------

    O terceiro dia amanhece com nevoeiro e pouca vontade de sair da cama.
    Os 8ºC que se faziam sentir no exterior não colaboravam.
    Mas enquanto tomávamos o pequeno-almoço, o nevoeiro lá despregou.
    Era altura de ver a cidade com a luz do dia.

    [​IMG]

    [​IMG]

    Seguiu-se depois Linhares.
    Aí, vimos crescer, de forma exponencial, a primeira célula que nos trouxe trovoada.
    Mas mais uma vez, a chuva e o nevoeiro apareceram, pondo fim às fotografias.

    [​IMG]

    [​IMG]

    Seguimos para norte, em direcção a Trancoso.
    Pelo caminho, em Celorico da Beira, ainda vimos e ouvimos 2 trovões e apanhámos uma grande carga de água.

    Acompanhámos a célula até Trancoso, onde ainda tivemos que esperar um bom bocado até que a chuva acalmasse.
    Depois disso, a merecida volta pelo castelo e pela cidade.

    [​IMG]

    Serra da Estrela ao fundo:

    [​IMG]


    Visto Trancoso, seguimos para norte, em direcção a uma pequena aldeia chamada Marialva.
    Pequena mas bonita. :)

    [​IMG]


    Depois, e como ficava a caminho, quisemos ir até Foz Côa, em busca dos vales mais secos do país, na esperança que lá não chovesse.
    Não sei se foi azar ou sorte, mas mesmo lá, a chuva apesar de fraca, não nos largou.

    [​IMG]

    O Côa de um lado, o Douro do outro.
    O gps geocaching dava conta de uma cache mesma na foz do Côa, numa estação de caminhos de ferro desactivada há mais de 20 anos. Não ficámos indiferentes e fomos até lá.
    Num caminho brutal cheio de curvas e contra-curvas onde o carro ocupava a faixa toda. Isto sempre com o Douro a espreitar a cada curva mais apertada.

    Lá em baixo, a paisagem era majestosa. As ruínas da estação, a ponte que a pé atravessámos, uma cascata... Enfim, brutal!

    [​IMG]

    [​IMG]

    Muitas fotos tiradas, cache encontrada e era hora de seguir para mais uma aldeia.
    Desta vez Castelo Rodrigo que guardava lá de cima a vila de Figueira Castelo Rodrigo.

    [​IMG]


    Já de noite, mas ainda com energia, fomos até às grandiosas muralhas de Almeida. Fiquei impressionado com a espessura e a arquitectura das mesmas, e merecerá um nova visita, mas à luz do dia.

    Com relâmpagos a chamarem-nos do lado espanhol, fomos até à fronteira dar de beber à viatura, e ver partir o Sud Express em mais uma viagem até Hendaye.

    [​IMG]

    E por fim, seguimos ainda para Várzea da Serra, Tarouca, onde nos esperava uma lareira e uma ceia deliciosa para repormos energias. :lol:
    Mas antes, paragem ainda em Castelo Mendo, a última aldeia histórica.
    Dado o avançado da hora, deparámo-nos com uma aldeia fantasma. É outro local que havemos de visitar à luz do dia.

    Aquecidos ao lume e de barriga cheia, findámos o terceiro dia.

    -------------------------------


    O quarto dia foi para dormir até mais tarde e fazer calmamente a viagem até sul.

    Mas à partida, ainda tivemos alguns minutos para irmos até à serra tirar algumas fotografias. :D

    Serra de Santa Helena, Tarouca:

    [​IMG]

    [​IMG]


    Em suma, um mapa resumo da viagem feita, neste Portugal profundo e que aconselho a toda a gente!

    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. Veterano

    Veterano
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Fev 2009
    Mensagens:
    4,017
    Local:
    Porto-Aviz-2,5 km do mar (46 m)/Matosinhos
    Grande passeata histórica, André & Cia., estas aldeias são maravilhosas, conheço algumas e vale bem a pena:thumbsup:.

    A reportagem está digna de figurar no reputado Guia Turístico Michelin:D.
     
  3. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,479
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Muito bom :thumbsup:

    Excelente passeio. Também ando a pensar fazer um percurso idêntico :D
     
  4. SpiderVV

    SpiderVV
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2010
    Mensagens:
    4,859
    Local:
    Portalegre / Lisboa
    Nada para dizer, excelente reportagem muito bem! :palmas:
     
    Collapse Signature Expand Signature
  5. joseoliveira

    joseoliveira
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    18 Abr 2009
    Mensagens:
    2,889
    Local:
    Loures (Moninhos) 128m
    O percurso é tentador!
    Já estive em alguns destes locais, uns durante mais tempo em relação a outros e por isso muito do que gostaríamos de ver fica pelo caminho com a promessa de mais tarde voltar, mas a cada regresso é inevitável a triste partida.
    Isto é muito mais do que a busca de tranquilidade, é história conjugada com a aventura de ir ao seu encontro tendo como pano de fundo paisagens e gentes únicas... ;)

    Obrigado por partilharem, as imagens estão fantásticas e fazem-nos parecer que estamos lá...:p
     
    Collapse Signature Expand Signature
  6. Dan

    Dan
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2005
    Mensagens:
    8,529
    Local:
    Bragança (675m)
    Excelente reportagem :thumbsup:

    Tenho uma ligação muito especial a essa região, gosto muito e recomendo. Ainda estes dias andei por alguns desses locais também :)
     
    Collapse Signature Expand Signature
  7. Z13

    Z13
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    20 Set 2006
    Mensagens:
    2,870
    Local:
    Bragança - 690m
    Que grande passeio e que belas imagens!

    Foi uma reportagem 5 estrelas!;)

    Quanto à Sra do Almortão, desconhecia a sua localização, mas já tinha ouvido falar dela através do Zeca Afonso, a quem rendo homenagem hoje 25 de Abril, que na década de 70 cantava:

    Sra do Almortão,
    Ó minha linda raiana,
    Virai costas a Castela,
    Não queirais ser castelhana...
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página