Alterações Climáticas: UE pode vir a ter Estratégia Conjunta

Tópico em 'Media' iniciado por Mário Barros 23 Jun 2008 às 17:53.

  1. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,479
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Alterações Climáticas: UE pode vir a ter Estratégia Conjunta

    A União Europeia pode vir a ter uma estratégia conjunta de adaptação às alterações climáticas em vez de um Livro Branco, disse hoje em Lisboa um elemento da Direcção-Geral de Ambiente da Comissão Europeia.

    "Estamos a preparar um livro branco [um documento oficial elaborado pela Comissão com um conjunto de propostas], para estar pronto em Outubro deste ano, mas ainda não sabemos se vai ser um Livro Branco ou uma Estratégia Europeia", afirmou Rosário Bento, daquela Direcção-Geral, na Conferência "Portugal Um Clima Em Mudança", que decorre hoje no Estoril (Cascais).

    O Livro Verde da União Europeia sobre Adaptação Climática (uma espécie de consulta pública) ficou concluído em finais do ano passado, estando agora a ser preparado um Livro Branco que deverá ser entregue ao Conselho Europeu em Outubro próximo.

    Um Livro Verde é um documento de discussão destinado a estimular o debate e lançar o processo de consulta, ao nível europeu, sobre um tema específico.

    Geralmente apresenta um leque de ideias e visa que pessoas ou organizações interessadas no tema contribuam com ideias ou informação. Ao Livro Verde pode seguir-se um Livro Branco, um conjunto de propostas oficiais da Comissão que é usado como veículo para que estas medidas possam passar a lei.

    Rosário Bento salientou que uma das preocupações da Direcção-Geral de Ambiente da Comissão Europeia é que as medidas de adaptação tomadas num país não tenham reflexos negativos noutros estados.

    Esta responsável lembrou que a adaptação às alterações climáticas pode "criar novas oportunidades económicas, novos mercados e novos serviços".

    O governo espanhol, que tem uma Secretaria de Estado dedicada às alterações climáticas, esteve também presente no encontro para dar a conhecer as mediadas de adaptação que têm sido tomadas, que começaram a ser delineadas em 2005 e foram aprovadas em Conselho de Ministros em Outubro 2006 com a forma de uma Estratégia Nacional de Adaptação.

    "Ao mesmo tempo desta estratégia, desenvolvemos um programa de trabalhos que ainda não está concluído", afirmou Conchita Martinez da Oficina Espanhola de Cambio Climático, que está integrada no Ministério do Ambiente espanhol.

    Desse programa de trabalho fazem parte "várias gerações" de cenários climáticos regionais, uma avaliação do impacto das alterações climáticas nos recursos hídricos (estudo que custou 800 mil euros), uma avaliação do impacto na biodiversidade (300 mil euros), uma avaliação nas zonas costeiras e um programa de investigação.

    "Entre os próximos passos contamos planear estudos pormenorizados para os sectores prioritários, que são o turismo, a agricultura, as florestas e a saúde", adiantou Conchita Martinez.

    O Governo espanhol pretende ainda fazer relatórios de avaliação sectoriais e identificar novas medidas de adaptação para alguns sectores: "não podemos esperar que tudo esteja adaptado para fazer avaliações. os resultados dos estudos vão sendo integrados nas políticas sectoriais".

    O embaixador britânico em Lisboa, Alexander Ellis, também deu a conhecer as principais medidas de adaptação do seu país.

    "500 milhões de libras (cerca de 633 mil euros) são aplicadas por ano nas cheias, na defesa costeira e em outras medidas ligadas às alterações climáticas", disse.

    O embaixador, tal como outros participantes na conferência, defendeu a necessidade de envolver os privados e à sociedade civil na luta contra o aquecimento do planeta.

    "O Estado não chega. É preciso a comunidade empresarial e a sociedade. Os governos não podem e não devem fazer tudo", concluiu.

    In:Lusa

    De facto temos de nos unir, embora eu ache que isto vai acabar tudo á chapada, mas é uma mera opnião minha ás tantas os nevões nem vão dar tempo para haver chatices entre os países :lmao::lmao:
     

Partilhar esta Página