Aneís das árvores NÃO mostram aquecimento global

Tópico em 'Climatologia' iniciado por irpsit 28 Mar 2010 às 19:29.

  1. irpsit

    irpsit
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    2,057
    Local:
    Entre Mortágua e Tondela
    Costumo ir passear às montanhas frequentemente. Como é costume no início da Primavera, as autoridades costumam cortar algumas árvores, e como tinham acabado de cortar algumas, pude fotografar os anéis das árvores, e ver como a temperatura variou nas últimas décadas.

    Os anéis apresentam mais espaçamento se o crescimento das árvores é mais rápido (devido ao clima mais quente), e menos espaçados se o crescimento for lento (devido a clima frio ou seco).

    Assim dei-me ao trabalho de contar e marcar os aneis, e contar o espaçamento em cada década.

    O que observei?

    - Os anéis mostram um crescimento lento entre 1900 e 1910 (clima frio)
    - Seguido de um período de elevado crescimento entre 1910 e 1940 (clima mais quente)
    - Depois, crescimento bastante lento entre 1940 e 1960 (clima mais frio)
    - E depois uma subida gradual no crescimento a partir da década de 1970, mas somente mais notória na década de 1990 (clima mais quente).

    O que achei curioso, é que o crescimento foi superior entre 1910 e 1940, relativamente ao período entre 1970 e 2000! Podem ver facilmente a diferença dos espaçamentos dos aneis na fotografia que tirei.

    Reparem no clima quente das décadas de 20 e 30, aparentemente superior ao clima das últimas décadas.Reparem também no clima frio do pós-guerra, das década de 40 e 50.

    [​IMG]

    E o gráfico mostrando o espaçamento dos aneis, entre as décadas:

    [​IMG]

    Será que o clima foi mesmo mais quente entre 1910-1940 do que entre 1970-2000?
    Dito de outra forma, está onde o efeito "hockey stick"?

    Surgem óbvias questões:
    - Será que o clima esteve MENOS quente nestas últimas décadas do que nos anos 20 e 30?
    - Ou será que as árvores cresceram menos devido a um clima mais quente mas também mais seco?

    A literatura científica identifica claramente esta anomalia, conhecida por "divergência". Está inclusivé citada nos relatórios do IPCC. Se seguirmos o clima nos últimos séculos, existe uma correlação estreita entre os outros dados e os dados dos aneis, mas a partir dos anos 60, a correlação falha!!! Parte da polémica dos emails do climategate era relacionada com esta omissão.

    Será que os dados estão manipulados???
    Ou será que a crescente influência urbana falsifica os dados actuais?

    Será que é a poluição que está a causar as árvores crescerem menos?
    Ou será que o clima está a ficar mais seco?

    Não deixo de achar extremamente curioso.
    Qual é a vossa opinião?
     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. Pedro

    Pedro
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    15 Abr 2009
    Mensagens:
    4,574
    Local:
    Vila Chã de Sá - Viseu(441m)//Coimbra
    Parabéns irpsit.

    Acho que vou fazer o mesmo com um rolo de uma árvore com uns 40anos que cortamos no Inverno e levar às minhas stôras de Ciências Naturais e de Físico-Química, e provar-lhes o que estou sempre, sempre, sempre a dizer.
     
  3. irpsit

    irpsit
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    2,057
    Local:
    Entre Mortágua e Tondela
    Estive a pesquisar na Internet e o assunto é bem discutido na comunidade científica. Aparentemente o fenómeno desta discrepância (divergência) é recente. Daí que nos relatórios do IPCC, os tree-rings sejam omitidos.

    A divergência poderá dever-se a "global dimming" causado pela poluição, clima quente mas menos luz. Ou então não existe o aquecimento "hockey stick", sendo que os dados actuais estão adulterados pelo crescimento urbano.

    Como o recuo dos glaciares acelerou dramaticamente desde 1970, em locais remotos longe da civilização, então sou forçado a concluir que a divergência se deve a "global dimming".

    Por outras palavras, existe aquecimento global, e o crescimento das árvores reduz-se devido à poluição.

    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. Zapiao

    Zapiao
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    20 Set 2006
    Mensagens:
    882
    Local:
    Coimbra - 135m alt.
    A mim preocupa-me mais é saber q cortaram uma arvore centenária:shocking:
     
    Collapse Signature Expand Signature
  5. Hazores

    Hazores
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    11 Out 2008
    Mensagens:
    1,358
    Local:
    AGH,terceira,açores
    boa noite,

    a espécie de arvore abatida não terá influencia tembém?
    outras condiconantes ambientais como por exmplo o CO2 disponivel será que também influencia?
    os nutrientes e a àgua disponiveis em cada ano não varia, influenciando dessa forma o floema e xilema?
    será apenas a temperatura a provocar um crescimento mais rápido ou mais lento das plantas??
     
  6. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,843
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Excelente trabalho de campo e de pesquisa, parabéns!
    De facto as árvores crescem mais com clima ameno, humido e com muitas horas de exposição solar.

    Porém, e sublinhado a importância do estudo aqui apresentado que merece os nossos parabéns pela iniciativa e trabalho, há que chamar a atenção para 2 aspectos, até para os nossos leitores que queiram investigar a mesma experiência:
    1 - O estudo da espessura dos anéis, é válido para espécies de árvore, que tenham apenas um crescimento anual, por forma a que um anel equivale a 1 ano.
    2 - Existem espécies que normalmente, em Portugal, apresentam apenas 1 crescimento anual, ex: laranjeira. Mas curiosamente, no ano passado, as minhas laranjeiras floriram não 2, mas 3 vezes, iniciaram crescimento 3 vezes. Não deixa de ser um dado curioso, que reflete também um clima anual diferente do normal. Poderia neste caso, a análise dos anéis desta laranjeira induzir em erro, pois seriam anéis com menor espessura levando a pensar que tenham sido 3 anos frios, quando foi apenas um ano ameno com demasiadas horas de sol!
     
    Collapse Signature Expand Signature
  7. irpsit

    irpsit
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    2,057
    Local:
    Entre Mortágua e Tondela
    A árvore era uma faia. A floresta (bastante densa) está a 400 metros de altitude e a 5km dos limites de Viena. A zona é voltada a sul. Certamente que outros factores podem afectar o crescimento. Não sei se as faias têm mais que um período de crescimento. Elas costumam crescer apenas na Primavera. Pode ser que exibam mais que um anel de crescimento por ano. Talvez devido á subida do CO2?
    Eu também sou contra o abate de árvores! Mas neste caso, a zona é protegida e altamente florestada. Creio que este corte era para manutenção e limpeza da floresta. Aliás o país é altamente florestado. Em Portugal é que acho que é um crime a desflorestação que têm provocado. As florestas deviam ser as nativas de folhosas. São muito agradáveis de se passear! E costumam ver-se bastante animais.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  8. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,843
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    A faia é uma árvore de folha caduca, parece-me uma excelente opção para análise dos anéis! Os pinheiros também são boa opção, embora sejam todos de folha perene (à excepção de uma espécie de conífera única de folha caduca).

    É tudo um pouco relativo, por ex: uma cerejeira em Portugal seria também boa opção, mas uma cerejeira no brasil (num clima tipicamente tropical), seria má opção, dado que não páram de crescer todo o ano, em virtude do clima ameno e de maior exposição solar (embora em Portugal sejam de folha caduca). Sei isto, porque perguntei a um tio que vive no brasil, que me respondeu que de facto as cerejeiras não param de crescer, e como não têm periodo de descanso frio, nunca dão cereja.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  9. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,843
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Na minha opinião, a maior ou menor espessura dos anéis das árvores, é um bom aferidor da evolução clima local! Mas por outro lado, penso que não será completamente seguro dizer que sejam um bom aferidor para a evolução do clima global do planeta.

    O estudo dos fósseis, nomeadamente falando de paleoclimatologia, também se debruça sobre o estudo dos anéis em árvores fossilizadas.
    Actualmente, embora com opiniões contra e a favor, podemos afirmar que há uma tendência climática generalizada, mas decerto que, localmente haverá lugares que estão arrefecendo e outros que estão aquecendo devido às alterações climáticas. O global, é apenas macroscopico, não se verifica obrigatoriamente em todos os locais do planeta.

    Decerto houve eras em que tal se verificou globalmente e localmente, de forma generalizada, pelo que teria havido um denominador comum que influenciasse o crescimento dos anéis das árvores, por toda a parte, e ao mesmo tempo: ex: periodos com maior actividade vulcânica, menor actividade solar, maior ou menor concentração de CO2, maior ou menor concentração de partículas sólidas na atmosfera, um cataclismo global meteorítico.´

    Mas localmente, considero ser um estudo muito válido!

    Ainda sobre a questão da escolha das árvores: como referi à pouco, um pinheiro seria à partida uma boa escolha, mas pensando melhor, devo relembrar que a actividade de recolha de resina acabou um pouco por todo o país nos anos 80, pelo que os pinheiros crescem mais rápido. Por outro lado, devido aos incendios e à desertificação/envelhecimento das aldeias, após os incendios não há manutenção das florestas (desbaste), pelo que as árvores nascidas de dezenas de sementes num m2, lutam pelo alcance da luz solar, ficam bastas, esguias, altas, fracas enquanto não vencem as árvores vizinhas numa competição desenfreada (com os matos também), ou seja: por um lado sem colher a resina, crescem mais rápido; mas por outro, sem o necessário desbaste bem como do desbaste dos matos, a formação de uma floresta forte e ordenada é bem mais lenta, nos dias de hoje. E isso também influencia decerto no crescimento dos anéis.

    Para uma árvore, a insolação não é apenas clima local, mas também um característica do próprio meio competitivo em que se insere.

    Penso que referi alguns factores importantes a ter em conta.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  10. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,843
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Outros factores que podem também inibir o crescimento das árvores:
    Doenças, pragas, variações da fauna e da flora local (ex: uma floresta de eucaliptos inibe o crescimento de outras árvores, não apenas devido ao seu porte e rápido crescimento, mas também porque liberta certas substancias (ex: eucaliptol) que inibem o desenvolvimento de outras árvores de espécies diferentes, são estratégias de sobrevivência da natureza). A existência destes factores pode esconder a verdade, e levar-nos a pensar que a análise de crescimento dos anéis esteja em conflito com o aquecimento global.
    Ps: Esqueci ainda de mencionar outros factores condicionantes do crescimento: a poluição e as chuvas acidas! :)
     
    Collapse Signature Expand Signature
  11. joseoliveira

    joseoliveira
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    18 Abr 2009
    Mensagens:
    2,889
    Local:
    Loures (Moninhos) 128m
    Desde o início do tema que verifico um desenrolar de factores que para além de importantes a ter em conta, a meu ver são bastante curiosos e interessantes.

    Apesar de desde há muito achar a leitura do tempo aparentemente gravada nos anéis das árvores algo intrigante, consegue-se perceber que a interpretação que fazemos dessa leitura, tem nas suas entre linhas pormenores que à luz de registos alternativos, contudo fiáveis, pelo menos os mais recentes, pode alterar de forma variável dados antes considerados conclusivos!

    Mais uma vez parabéns a quem deu início ao tópico não esquecendo os restantes que o tornaram ainda mais completo e também estimulante, no sentido de tentar esmiuçar elementos que complementam o historial de várias espécies com vivências distintas. :thumbsup:
     
    Collapse Signature Expand Signature
  12. irpsit

    irpsit
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    2,057
    Local:
    Entre Mortágua e Tondela
    Olá Paulo, obrigado pelo teu input!
    Gostei de saber esse pormenor da cerejeira.
    Não sabia da sua não-floração no Brazil :)

     
    Collapse Signature Expand Signature
  13. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,843
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Não tens de agradecer, é realmente um tema apaixonante que ainda ninguém tinha tido a feliz idéia de trazer este tema a debate no fórum. Na realidade não estou tomando qualquer posição no sentido de desvalorizar o estudo climático com base nos anéis das árvores, estou sim enumerando factores que expliquem alguns desvios/anomalias no crescimento quando o clima local até era bastante favorável! :) A verdade, essa só mesmo conhecendo localmente a história da árvore e os factores que a condicionaram. O estudo ficaria ainda mais rico e conclusivo, com mais amostras de árvores idênticas e de outras espécies naquela região, não necessariamente no mesmo local.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  14. Cacá Smith

    Cacá Smith
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    1 Mai 2010
    Mensagens:
    4
    Local:
    Brasil
    Olá.

    Sou nova aqui. Estou iniciando meus estudos sobre a influencia do clima no crescimento dos anéis de árvores. Gostei muito do tópico e das fotos.;)

    Achei estranho qdo citaram que as cerejeiras ñ florescem no Brasil. Pelo que sei existem belas cerejeiras na Serra Paulista que florescem no outono (primavera no HN), até mesmo a colonia japonesa desta cidade festeja a floração dessas árvores.
     
  15. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,843
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Benvinda ao fórum, Cacá Smith!
    As cerejeiras de facto, florescem no brasil, mas darão fruto? Consultei alguns sites brasileiros, onde referem que esta pode florescer um pouco por todo o brasil, cresce pouco, floresce mas não resulta fruto (este "peca e cai"), corrija-me se estiver errado! :) Estamos habituados a definir o brasil como um país de clima tropical, mas a verdade é que, sendo um país enorme que é, tem também clima temperado nas zonas de alta montanha no interior Sul, chuvoso e frio, mesmo com neve e geada. Nestes locais é bem provável que as cerejeiras para além de florescer dêem fruto que resulte em cereja madura, pois nesses locais elas deverão ter período de repouso resultante do frio (não sei se a insolacão nestes locais é bem menor para que influêncie também no período de repouso). Um exemplo onde poderá resultar a cultura de cerejeira é São Joaquim, entre outras localidades.
    Ps: Dos sites que consultei não encontrei referência à frutificacão da cereja, sendo que, embora não seja de fiar, encontrei mesmo no fórum da yahoo uma resposta relatando que não dá fruto. Encontrei também referência à "cereja do brasil" mas não se trata de cereja mas sim ao que chamamos em Portugal de "tomate cereja". A minha afirmação no post anterior vem do testemunho de um tio meu que vive no estado de Mato Grosso do Sul a 150km de (paraguai ou uruguai)! :)
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página