Astronautas «salvaram-se por milagre» ao regressar à Terra

Tópico em 'Astronomia' iniciado por Rog 23 Abr 2008 às 14:25.

  1. Rog

    Rog
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    6 Set 2006
    Mensagens:
    4,515
    Local:
    Norte Madeira (500m)
    Os astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS) que regressaram domingo à Terra numa Soyuz russa "salvaram-se por milagre", informou ontem uma fonte da indústria espacial russa, que relatou as enormes dificuldades surgidas durante a aterragem.

    "O facto de os astronautas chegarem sãos e salvos é um milagre. Tudo podia ter acabado muito mal. Podemos dizer que tudo se passou no fio da navalha", disse a fonte à Agência Interfax.

    A Soyuz TMA-11 em que regressaram o cosmonauta russo Yuri Malenchenko, o seu colega da NASA Peggy Whitson e a primeira astronauta sul-coreana, Yi So-yeon, aterrou a 420 quilómetros do lugar previsto depois de fazer uma trajectória balística - queda livre - durante a descida.

    Antes e segundo dados do Centro de Controlo de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia, o módulo russo só se tinha desviado em duas ocasiões do seu trajecto: em 2003 e em 2007. "Em resultado do sobreaquecimento, queimou-se a escotilha de saída, fundiu-se a antena do transmissor, tendo-se perdido a comunicação. E também se queimou a parte exterior da válvula que equilibra a pressão no interior da nave", assinalou a fonte.

    Isso podia ter provocado a despressurização do aparelho a grande altitude, causando seguramente a morte dos seus três ocupantes. "Além disso, se o calor tivesse passado a escotilha ou os contentores com os pára-quedas se tivessem queimado, a tripulação não teria sobrevivido", acrescentou.
    [​IMG]
    O facto de esta ser a terceira queda livre de uma Soyuz reflecte problemas com a manutenção técnica das naves espaciais russas. "Não há garantias de que tal experiência não se repita com a próxima tripulação da Soyuz que aterrará dentro de meio ano", asseverou.

    As Soyuz russas foram o único elo entre a Terra e a plataforma orbital desde a catástrofe do vaivém norte-americano Columbia em 2003 e até a NASA retomar esses voos o ano passado.

    Fonte: CiênciaHoje
     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. Rog

    Rog
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    6 Set 2006
    Mensagens:
    4,515
    Local:
    Norte Madeira (500m)
    Nasa diz que Soyuz é segura apesar de pouso acidentado

    CABO CANAVERAL - A agência espacial dos Estados Unidos disse na terça-feira acreditar que as cápsulas russas Soyuz continuam seguras para o uso, embora os investigadores ainda apurem as causas de um acidentado pouso no fim de semana.

    A cápsula que transportava um norte-americano, um russo e um sul-coreano pousou a quase 500 quilômetros do alvo, que era perto de Arkalyk (Cazaquistão), despistando as equipes de resgate.

    A agência russa de notícias Interfax citou uma fonte oficial não-identificada segundo a qual houve risco aos astronautas durante o pouso, já que eles foram submetidos a uma força cerca de dez vezes superior à da gravidade habitual -- ou seja, quase o triplo do normal nessa operação.

    "Não vejo isso como um grande problema, mas claramente não deveria ter ocorrido", disse o chefe de vôos espaciais da Nasa, Bill Gerstenmaier.

    A norte-americana Peggy Whitson, que foi comandante da Estação Espacial Internacional, e o cosmonauta Yuri Malenchenko, voltavam de uma missão de seis meses no espaço.

    Junto com eles viajava o primeiro astronauta da história da Coréia do Sul, que havia embarcado uma semana antes em outra nave Soyuz, junto com os novos tripulantes da estação.

    Ao pousar, Malechenko usou um telefone por satélite para informar aos controladores russos que os tripulantes estavam a salvo. As equipes de resgate passaram cerca de 45 minutos procurando a nave.

    A outra Soyuz continua atracada na Estação, pronta, segundo Gerstenmaier, para trazer a tripulação de volta à Terra em caso de emergência. "Não há implicação imediata para o veículo Soyuz em órbita", disse ele a jornalistas por teleconferência.

    Os próximos tripulantes da Estação só devem viajar em outubro, o que dá bastante tempo para que se avalie o que houve de errado no pouso de sábado e sejam feitos eventuais consertos, inclusive na nave que está em órbita, segundo Gerstenmaier.

    Fonte:Estadao
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página