Avisos, Alertas e Previsões oficiais - Fevereiro 2014

Tópico em 'Seguimento Meteorológico' iniciado por Dan 1 Fev 2014 às 00:29.

  1. Dan

    Dan
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2005
    Mensagens:
    8,529
    Local:
    Bragança (675m)
    Regras deste tópico:


    ->Regras Análise Modelos, Previsão e Alertas
    ->Nota sobre a utilização dos dois tópicos de Previsões


    Aviso MeteoPT
    As análises, previsões ou alertas neste fórum são apenas a opinião dos utilizadores que as proferem e são da sua inteira responsabilidade. Não são previsões ou alertas de entidades oficiais, salvo indicação em contrário, não devendo portanto ser usadas como tal.
    Para previsões, avisos e alertas oficiais, consulte sempre os produtos do IPMA, Protecção Civil ou outras entidades com essa função.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    8,554
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    PORTUGAL CONTINENTAL: Semana de mau tempo

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    Previsão de cartas sinópticas de superfície
    (Fonte: MetOffice)

    Durante esta semana uma forte corrente de oeste no Atlântico Norte e a passagem frequente de ondulações frontais de forte actividade pelo território do Continente irão originar episódios de precipitação, vento e agitação marítima fortes e queda de neve nas regiões Norte e do Centro do Continente.
    A precipitação será generalizada a todo o território do Continente, persistente, com períodos de maior intensidade e com queda de neve nas regiões do Norte e Centro que, na terça feira e na quinta feira, chegará a cotas de 600 a 800 metros. O vento predominará de sudoeste ou oeste moderado ou forte, com rajadas que, nos períodos de maior intensidade, serão da ordem de 80 km/h no litoral e de 90 a 100 km/h nas terras altas. A altura significativa das ondas na costa Ocidental a partir de terça-feira, irá variar entre 5 a 7 metros podendo atingir alturas máximas entre 8 e 10 metros.
    O IPMA irá manter a vigilância meteorológica, actualizando as previsões sempre que se justifique, recomendando-se que dê a devida atenção aos avisos meteorológicos e que se sigam as orientações dos Serviços de Protecção Civil.

    IPMA
     
    karkov e CptRena gostaram disto.
  3. rbsmr

    rbsmr
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    6 Ago 2007
    Mensagens:
    555
    Local:
    Cabeça Gorda, Torres Vedras (140m)
    *** INFORMAÇÃO ESPECIAL *** Assunto: PRECIPITAÇÃO, VENTO FORTE, NEVE e AGITAÇÃO MARÍTIMA No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado hoje no Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), salienta-se para as próximas horas: • Vento forte (aprox.50km/h) do quadrante W, temporariamente acompanhado de rajadas com intensidades a variar entre 100-120km/h, em especial nas regiões do litoral Norte e Centro, e nas terras altas; • Precipitação persistente localmente intensa (acumulados 50mm/12h) nas regiões do Minho e Douro Litoral; • Agitação Marítima forte com ondulação a variar entre os 5-7m na costa ocidental, prevendo-se que altura máxima possa atingir os 10-13m; • Situação Hidrológica: – Bacias dos rios Lima, Cávado, Tâmega, Vouga, Mondego e Tejo susceptíveis à ocorrência de cheias, nas zonas historicamente vulneráveis. EFEITOS EXPETÁVEIS Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos: – Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água ou acumulação de neve ou gelo; – Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem; – Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis; – Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem; – Danos em estruturas montadas ou suspensas; – Possíveis acidentes na orla costeira; – Danos em estruturas junto à orla costeira; – Possíveis fenómenos de galgamento costeiro; – Intoxicações por inalação de gases, por inadequada ventilação, em habitações onde se utilizem aquecimentos com lareiras e braseiras; – Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência. MEDIDAS PREVENTIVAS A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente: – Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas; – Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias; – Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas; – Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas; – Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte; – Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a circulação e permanência nestes locais; – Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima; – Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança. Face à presente previsão, a ANPC eleva o Estado de Alerta Especial (EAE), no AZUL, do Sistema Integrado de Operações de Socorro (SIOPS) para o Dispositivo Integrado de Operações de Proteção e Socorro (DIOPS) para todos os distritos entre as 00H00 de 06FEV14 e as 23H59 de 08FEV14. A ELEVAÇÃO do EAE pressupõe um incremento da monitorização e a intensificação, por parte do dispositivo de resposta, de ações preparatórias para eventuais intervenções. Fonte: AUTORIDADE NACIONAL DE PROTECÇÃO CIVIL (ANPC) – www.proteccaocivil.pt/Documents/Aviso_09_2014_Precipitação_Vento_AMarítima.pdf
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. SpiderVV

    SpiderVV
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2010
    Mensagens:
    4,859
    Local:
    Portalegre / Lisboa
    http://www.ipma.pt/pt/otempo/comunicados/index.jsp
     
    Collapse Signature Expand Signature
    Thomar gostou disto.
  5. Geiras

    Geiras
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    16 Jun 2010
    Mensagens:
    4,235
    Local:
    Qta. do Conde / Sintra
    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expand Signature
    CptRena e Thomar gostaram disto.
  6. PedroMAR

    PedroMAR
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    13 Nov 2011
    Mensagens:
    199
    Local:
    S. Miguel de Machede, Évora
    AVISO À POPULAÇÃO
    Autoridade Nacional de Protecção Civil

    Situação de tempo severo
    No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado hoje no Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), espera-se que a partir das 12H00 de amanhã o território continental seja afetado por uma depressão com forte atividade, cujos efeitos se farão sentir até às 12H00 de 2ª feira, 10FEV:
     Precipitação forte a partir do final do dia, com especial incidência nas regiões do litoral durante a madrugada;
     Vento a soprar forte a muito forte no litoral e terras altas com rajadas da ordem dos 130 km/h, podendo haver condições para a formação de fenómenos extremos mais localizados
     Agitação marítima muito forte com ondas a atingir 10 m de altura significativa em toda a costa ocidental, não sendo de excluir picos de ondulação mais elevados.
    Situação Hidrológica
     Bacias dos rios Lima, Cávado, Tâmega, Vouga, Mondego e Tejo susceptíveis à ocorrência de cheias, nas zonas historicamente mais vulneráveis.

    Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt.

    EFEITOS EXPECTÁVEIS

    Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:
     Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água ou acumulação de neve ou gelo;
     Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
     Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
     Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
     Danos em estruturas montadas ou suspensas e quedas de árvores;
     Possíveis acidentes na orla costeira;
     Danos em estruturas junto à orla costeira;
     Fenómenos de galgamento costeiro, agravados para a fragilidade atual da orla costeira;
     Acidentes geomorfológicos causados pela instabilidade de vertentes associados à saturação dos solos e perda de consistência.

    MEDIDAS PREVENTIVAS

    A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:
     Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
     Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias;
     Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
     Não circular no interior das matas e florestas;
     Reforçar os mecanismos de fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
     Evitar circular e permanecer junto de áreas arborizadas, nomeadamente matas nacionais, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
     Evitar circular ou permanecer junto à orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros
     Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
     Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

    Face à presente previsão, a ANPC eleva o Estado de Alerta Especial (EAE), para o nível AMARELO, do Sistema Integrado de Operações de Socorro (SIOPS) para o Dispositivo Integrado de Operações de Protecção e Socorro (DIOPS) para todos os distritos entre as 09H00 de 09FEV14 e as 14H00 de 10FEV14.
    A ELEVAÇÃO do EAE pressupõe um incremento da monitorização e a intensificação, por parte do dispositivo de resposta, de acções preparatórias para eventuais intervenções.
     
  7. kikofra

    kikofra
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    7 Abr 2008
    Mensagens:
    1,078
    Local:
    Leiria (115m)/Lourosa/Porto
    Face à presente previsão, a ANPC eleva o Estado de Alerta Especial (EAE), para o nível LARANJA do Sistema
    Integrado de Operações de Socorro (SIOPS) para o Dispositivo Integrado de Operações de Protecção e Socorro
    (DIOPS) para todos os distritos entre as 15H00 de 09FEV14 e as 08H00 de 10FEV14.
    A ELEVAÇÃO do EAE pressupõe um incremento da monitorização e a intensificação, por parte do dispositivo de
    resposta, de acções preparatórias para eventuais intervenções.
     
    rbsmr e Nuno_1010 gostaram disto.
  8. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    8,554
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    DESCIDA ACENTUADA DA TEMPERATURA, AGUACEIROS DE GRANIZO E POSSIBILIDADE DE QUEDA DE NEVE NOS AÇORES

    1º - Devido à entrada de uma massa de ar polar instável, espera-se (para os dias 13 e 14 de fevereiro, quinta e sexta-feira ) uma descida significativa dos valores da temperatura do ar, um aumento da intensidade do vento e ocorrência de aguaceiros de granizo e possibilidade de queda de neve nas zonas altas.
    2º - Quando estão reunidas as condições de vento forte com temperaturas baixas, é natural que os corpos ao ar livre sintam uma temperatura mais baixa do que a temperatura real observada. (índice wind chill: http://www.ipma.pt/pt/enciclopedia/amb.atmosfera/index.bioclima/index.html?page=wc.xml ). Assim, a partir da tarde do dia 13 de fevereiro para o Grupo Ocidental e a estender-se gradualmente às restantes ilhas do arquipélago, prevê-se:
    - Flores e Corvo (a partir da tarde do dia 13 de fevereiro): Para Santa Cruz e Vila do Porto, temperatura mínima prevista 6ºC e índice wind chill mínimo previsto 0ºC; Aguaceiros de granizo e possibilidade de queda de neve acima da cota dos 600 metros na ilha das Flores. A partir da cota dos 800 metros o índice wind chill mínimo previsto é -10ºC.
    - Faial, Pico e São Jorge (a partir da noite do dia 13 de fevereiro): Para a Horta, Madalena e Velas, temperatura mínima prevista 6ºC e índice wind chill mínimo previsto 0ºC; Aguaceiros de granizo e possibilidade de queda de neve acima da cota dos 700 metros. A partir da cota dos 800 metros o índice wind chill mínimo previsto é -10ºC.
    -Graciosa (a partir da noite do dia 13 de fevereiro): Para Santa Cruz, temperatura mínima prevista 6ºC e índice wind chill mínimo previsto 0ºC; Aguaceiros de granizo.
    - Terceira (a partir da noite do dia 13 de fevereiro): Para Angra do Heroísmo, temperatura mínima prevista 6ºC e índice wind chill mínimo previsto 0ºC; Aguaceiros de granizo e possibilidade de queda de neve acima da cota dos 800 metros. A partir da cota dos 800 metros o índice wind chill mínimo previsto é -10ºC.
    - S.Miguel (dia 14 de fevereiro): Para Ponta delgada, temperatura mínima prevista 7ºC e índice wind chill mínimo previsto 2ºC; Aguaceiros de granizo e possibilidade de queda de neve acima da cota dos 1000 metros. A partir dos 750 metros o índice wind chill mínimo previsto é -5ºC.
    - Santa Maria (dia 14 de fevereiro): Para Vila do Porto, temperatura mínima prevista 9ºC e índice de wind chill mínimo previsto 4ºC; Aguaceiros de granizo.
    3º - Prevê-se ainda que durante este período o vento sopre temporariamente FORTE (50/65 km/h) com rajadas entre os 90 e os 115 km/h.

    IPMA (Delegação Regional dos Açores)
     
  9. Trovão Almada

    Trovão Almada
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    17 Mai 2011
    Mensagens:
    136
    Local:
    Almada / Algoz
    Informação especial
    Comunicado válido entre 2014-02-12 15:10:00 e 2014-02-15 15:10:00
    Assunto: Previsão de agitação marítima e vento muito fortes para os Açores
    Durante as próximas horas do dia de hoje, 12 de fevereiro, prevê-se a formação de uma depressão a noroeste do Grupo Ocidental dos Açores que deverá desenvolver-se muito rapidamente (ciclogénese explosiva) e progredir para nordeste nos próximos dias, devendo ainda afetar o norte da Península Ibérica, incluindo parte de Portugal continental.

    Esta situação causará principalmente um aumento da intensidade do vento e da altura das ondas, especialmente nas ilhas dos Grupos Ocidental e Central a partir da manhã do dia 13, com ventos de sudoeste passando a noroeste entre 75 e 95 km/h de intensidade média com rajadas entre 120 e 155 km/h e ainda ondas do quadrante oeste com 10 a 12 m de altura significativa, podendo atingir 20 a 25m de altura máxima.

    Prevê-se ainda para todo o arquipélago e a partir da noite de dia 13 uma diminuição acentuada da temperatura que poderá dar lugar a precipitação sob forma de granizo e/ou saraiva e até de neve nas ilhas com cotas superiores a 950 m.

    O vento gerado por esta depressão deverá originar também agitação marítima forte na costa ocidental do continente a partir da madrugada do dia 14, atingindo valores compreendidos entre 4 a 6 metros de altura significativa entre a madrugada do dia 14 e o final do dia 16.

    A superfície frontal fria, associada à depressão acima referida, atravessará o território do continente no dia 14, originando vento forte no litoral oeste, com rajadas entre 70 e 90 km/h, e forte a muito forte nas terras altas, com rajadas entre 90 e 110 km/h. Nos dias 14 e 15, prevêem-se ainda aguaceiros, por vezes fortes nas regiões Norte e Centro, que podem ser de granizo e acompanhados de trovoada, assim como uma descida de temperatura, com consequente descida da cota da neve para 1000/1200 metros no final do dia 14 e para 600/800 metros no dia 15.
    Data de edição: 2014-02-12 15:10:37

    Fonte: IPMA
     

Partilhar esta Página