Comunicação social

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por Gerofil 30 Nov 2011 às 15:03.

  1. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    8,554
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Euronews chega a 344 milhões de lares em 155 países

    A euronews chega hoje a 344 milhões de casas em 155 países através do cabo, satélite e televisão digital terrestre, sendo líder de audiências na Europa, Médio Oriente e África entre as estações de televisão exclusivamente de notícias.
    A euronews é emitida em 265 milhões de lares na Europa, Médio Oriente e África, número que compara com 185 milhões de lares a que acede a CNN, 180 milhões a TV5 Europe, 125 milhões o canal Eurosport ou com os 122 milhões de casas em que entra a BBC World, de acordo com dados do inTV Report, relativos ao terceiro trimestre de 2010 e segundo trimestre de 2011, compilados pela euronews.
    Entre o universo de países com língua oficial portuguesa, para além de Portugal, a euronews chega via satélite ao Brasil, Angola, Guiné-Bissau, Cabo Verde e Moçambique.

    DiárioDigital

    Ribeiro e Castro mostra preocupação com a possibilidade de o serviço português do Euronews

    Ainda no âmbito da aplicação dos cortes na RTP, Ribeiro e Castro mostra preocupação com a possibilidade de o serviço português do Euronews encerrar. O Governo está a analisar o contrato com o Euronews, já que o serviço custa cerca de dois milhões de euros por ano à estação pública.
    Se acabar a emissão em português, que chega a 98 milhões em todo o mundo, será "a segunda machadada violenta na língua portuguesa", sustenta Ribeiro e Castro, referindo-se à questão dos dossiers das patentes como o primeiro golpe. O deputado sugere que se abram negociações para imputar parte do custo como serviço público aos distribuidores de televisão por cabo. "Pode ser encontrada uma forma de repartir custos, associar os distribuidores de televisão por cabo que têm uma licença, têm que participar no objectivo", afirma, sublinhando que esta solução até pode passar por medidas legislativas para que esses operadores possam assumir uma parte de serviço público. Contas feitas, o encargo para o contribuinte seria entre 50 cêntimos e um euro por ano, uma quantia "irrisória", tendo em conta o número de assinantes das operadoras. O deputado considera que está em causa o prestígio da língua portuguesa: "Não podemos dizer que o Português é a terceira língua europeia global e depois assistir passivamente ao desaparecimento do Português dos vários patamares internacionais."

    Euronews não garante permanência dos jornalistas portugueses se falhar procura de parceiro

    O emprego dos 17 jornalistas portugueses na euronews pode estar em risco se a RTP não renovar o contrato, ficando esses postos de trabalho dependentes de a estação internacional encontrar um parceiro alternativo.
    “Teremos que encontrar um novo parceiro, isso é uma certeza. O que também é certo, e já foi discutido ao nível do conselho de supervisão da euronews, é que não sabemos como financiar a língua portuguesa”, disse em Lyon a jornalistas de alguns órgãos de comunicação social portugueses, o diretor-geral da euronews, Michael Peters. “Com o orçamento e restrições que temos, não conseguimos ver como podemos financiar esta língua com os nossos meios, esta como qualquer outra língua”, acrescentou.
    O modelo de negócios da euronews passou pela emissão em cinco línguas nucleares, primeiro, e agora seis: inglês, francês, alemão, italiano, espanhol e depois em russo. Essas línguas são financiadas pela publicidade que a estação angaria nestes mercados. A emissão em línguas de mercados mais pequenos é financiada pelas televisões públicas desses mercados.
    “Temos conversado sobre isto com a equipa portuguesa, se a RTP não renovar o contrato, se o governo não quiser financiar o serviço língua, se não encontrarmos um parceiro que garanta o financiamento, não poderemos manter os jornalistas portugueses”, disse Peters. “Estamos a falar de muitas pessoas, teria um impacto social importante na euronews. É o que tenho explicado aos acionistas, não são apenas 17 pessoas, são todos os free-lancers que trabalham regularmente para a nós, há talvez uns vinte, e para além destes há ainda muitas famílias de nacionalidades mistas, porque muitos jornalistas portugueses constituíram famílias com jornalistas da euronews de outras nacionalidades, têm filhos. Terá um muito forte impacto social”, acrescentou o diretor-geral.
    Para ver se ‘segura’ a emissão em língua portuguesa, a euronews está já a tentar encontrar alternativas fora de Portugal. “Vamos na próxima semana ao Brasil para uma grande ronda de conversações com os operadores de satélite e cabo sobre a viabilidade e interesse nos conteúdos em língua portuguesa, mas não temos a certeza”, indicou Peters. Por outro lado, a equipa portuguesa tem sugerido a possibilidade de Angola vir a estar interessada e a direção da estação está a encarar essa hipótese também. “Porque não? Sabemos que Angola tem muitos recursos, é um país com muita importância em África. Porque não um parceiro angolano? Talvez possa parecer estranho ter um serviço em língua portuguesa financiado por um parceiro angolano a ser emitido em Portugal, mas porque não?”, deixa em aberto o diretor-geral da euronews.
    “Estamos abertos a qualquer tipo de parceria, sendo que qualquer parceiro que esteja disposto a apoiar a edição em português tem que aceitar que em nenhum caso ele está autorizado a interferir nos conteúdos. Não haja dúvidas, preferimos acabar com a edição em língua portuguesa. Mas não estamos ainda a pensar em Angola, devo confessar. Para já, estamos totalmente empenhados em concentrar as discussões com o Governo português, que para nós é o primeiro interlocutor”, concluiu.

    Açoriano Oriental

    Bloco não aceita fim da Euronews em português

    Com a reestruturação da RTP, o Governo pretende acabar com o serviço da Euronews em língua portuguesa. Catarina Martins pediu explicações a Miguel Relvas e os eurodeputados bloquistas querem saber se a Comissão Europeia está disposta a pagar parte do serviço, cobrindo a parte que a troika mandou cortar. Atualmente, a RTP contribui com dois milhões de euros por ano para a Euronews, na qual participam 23 estações de televisão. Este serviço noticioso é transmitido para 155 países em todo o mundo e a RTP foi uma das estações fundadoras.
    “Uma das tarefas fundamentais do serviço público de rádio e televisão é a difusão da língua, pelo que a participação da RTP na Euronews é simultaneamente uma exigência da participação portuguesa na construção europeia e o cumprimento de uma exigência de serviço público”, defendeu a deputada bloquista Catarina Martins na pergunta dirigida ao ministro dos Assuntos Parlamentares, que também tutela o setor audiovisual do Estado.
    O Governo anunciou o fim do financiamento ao serviço Euronews por exigência dos cortes impostos pela troika, da qual faz parte a Comissão Europeia. Por isso, Miguel Portas e Marisa Matias dirigiram também um requerimento à Comissão, perguntando se o Governo português manifestou interesse em passar a financiar parcialmente a Euronews, cabendo a Bruxelas arcar com a parte da despesa que a troika mandou cortar. Para o Bloco de Esquerda, cabe agora também à Comissão Europeia desenvolver medidas “para proteger a diversidade linguística na emissão”, apoiando a continuação do serviço Euronews em português.

    Correio do Brasil
     
  2. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    4,705
    Local:
    Porto
    Um tópico muito interessante.

    Há um livro sobre comunicação social muito bom, de Eduardo Cintra Torres. Nem sei por que motivo o Governo anda a brincar aos estudos, está lá tudo o que deveria ser feito na RTP.

    Na minha opinião, também formada com base no que li:

    1) A RTP África e a RTP Internacional podem ser fundidas num só canal.

    2) A RTP Madeira e a RTP Açores devem ser extintas. No entanto, deverá haver um serviço informativo diário para cada região, no Continente ou ilhas, a ser emitido pela tarde, no canal generalista da RTP.

    3) A RTP deve colocar de parte o entretenimento, tirar a publicidade e dedicar-se a fazer o que os outros não fazem: apostar na divulgação do cinema europeu, ter programas sobre música erudita e música ligeira portuguesa (que não música pimba), apostando especialmente na divulgação dos novos talentos (cá dentro e lá fora via RTP Internacional), transmitir documentários de produção nacional, transmitir programação infantil de qualidade (tipo BBC) e ter um novo modelo de informação (saudades dos telejornais curtos, com o alinhamento Política Nacional-Política Internacional- Sociedade e Cultura- Desporto, ao estilo do que se faz em França ou no Reino Unido).

    4) A RTPN deve ser extinta. A SICN e a TVI24 já fazem um bom serviço.

    A RTP, a extinguir-se um dos canais, só precisa de tirar os programas de entretenimento, tipo o Preço Certo, os programas da tarde e da manhã, idênticos ao que se faz na concorrência, os programas de debate sem qualidade tipo o Prós e Contras, e os telejornais longos e repetitivos (tipo o da manhã). Substituir tudo isso por cinema vintage e cinema europeu, documentários, reportagens de jornalismo de investigação (e há tanto que pode ser feito), concertos, ópera, etc. O Fernando Mendes, o Jorge Gabriel ou o Malato que vão para os outros canais, há imensos jovens portugueses com talento que por salários muito mais baixos poderão criar bons produtos para a televisão pública.

    Ah, e tirar a publicidade.
     
  3. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    8,554
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Comissão Europeia e Euronews assinam contrato que mantêm serviço em português

    A Comissão Europeia e a estação de televisão internacional Euronews assinaram na passada sexta-feira um contrato em que Bruxelas assume as responsabilidades financeiras para a manutenção do serviço em língua portuguesa na estação em 2013 e 2014. "Posso confirmar a informação. Fui eu que assinei o contrato. O que pensamos fazer é ir no início de setembro a Lisboa para agradecer os esforços de todos os que aí ajudaram, em especial ao José Ribeiro e Castro, e dar uma conferência de imprensa em que daremos todos os detalhes", afirmou à Lusa Michael Peters, presidente executivo da Euronews.
    A Euronews informou já a RTP sobre estes desenvolvimentos, indicou o mesmo responsável.

    DESTAK

    Deputados manifestam contentamento com manutenção do serviço em português na Euronews

    Os presidentes das comissões parlamentares da Educação, Ciência e Cultura e da comissão de Ética, Cidadania e Comunicação manifestaram hoje o "contentamento sobre a manutenção do serviço em língua portuguesa na Euronews. "Fico muito contente que este processo tenha chegado, para já, a bom termo e queria agradecer a compreensão que a Comissão Europeia nesta matéria e que permitiu a Portugal, na situação económica particularmente difícil que atravessa, manter o serviço em português na Euronews", afirmou à Lusa o deputado centrista José Ribeiro e Castro, presidente da comissão parlamentar da Educação, Ciência e Cultura.
    José Mendes Bota manifestou o seu "regozijo" e prestou "homenagem" a Ribeiro e Castro. "Foi ele que deu o primeiro passo, é o primeiro signatário de uma petição que a nossa comissão subscreveu, e ainda segue o seu curso no Parlamento".

    DESTAK
     
  4. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    8,030
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    A Matemática está em todo o lado, é o que vai mostrar o novo programa da SIC Notícias “Isto é Matemática” com estreia marcada para o próximo sábado, às 20:50.

    Não é muito tempo, penso que pouco mais que 5 minutos mas... :(

    [​IMG]
     

Partilhar esta Página