Digam adeus ao Pinhal de Leiria

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por Agreste 25 Abr 2008 às 13:25.

  1. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    8,040
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Num país com poucas alternativas económicas é triste verificar como uma das paisagens mais bonitas vai provavelmente desaparecer para sempre...

    Se tudo continuar com a desorganização do passado não deve sobrar nenhum dos 710 mil hectares de pinheiro bravo português...

    Estes e estes acusam estes de nada fazerem, mas no fundo todos procuram é subsídios

    Aqui, aqui e aqui está o resumo de toda esta trapalhada :angry::angry::angry:


    Só pra por aqui literatura mais especifica... ou se quiserem procurem por «Pine welt desease» ou «Bursaphelenchus xylophilus»
     
    #1 Agreste, 25 Abr 2008 às 13:25
    Última edição: 12 Jan 2009 às 20:26
  2. Rog

    Rog
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    6 Set 2006
    Mensagens:
    4,515
    Local:
    Norte Madeira (500m)
    Infelizmente o problema parece que também já chegou à ilha da Madeira, os pinhais por aqui na zona norte estão a ficar todos secos, mas ao contrário dai, por cá ninguem fala nem pró nem contra..
     
    Collapse Signature Expand Signature
  3. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,262
    Local:
    Sintra
    É uma boa oportunidade para plantar árvores de madeiras mais nobres como as da flora nativa.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. achor

    achor
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    11 Jan 2009
    Mensagens:
    1
    Local:
    londres
    Não me interpretem mal (eu até gosto de um bom pinhal), mas por vezes há males que veem por bem. O pinheiro tem nas zonas costeiras arenosas ao norte de Lisboa o seu habitat primordial, mas foi provavelmente o primeiro grande erro Português ao nivel da gestão florestal, já que ocupou praticamente toda a area natural existente de carvalhos ao norte do tejo, visto que era mais rentavel. É também o pinheiro-bravo o principal responsavel pelos incontrolaveis incêndios florestais que varrem o país no verão (resina, folhas secas que cobrem o chão durante o verão, má retenção de humidade nos solos).
    A zona do pinhal de Leiria é uma zona de eleição do quase desaparecido Carvalho-Português, e as zonas mais húmidas das Beiras do Carvalho-Roble.

    Em relação à Madeira, nem sei o que é que o pinheiro lá faz. Deviam preocupar-se com outras espécies.
    Claro que existe espaço para o pinheiro em Portugal, mas nunca nesta bandalheira em que a floresta Portuguesa se transformou ao longo de séculos e as pessoas se habituaram a encarar como o "normal"

    PS: não se arranja uma pragazita para o eucalipto?!
     
  5. stormy

    stormy
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Ago 2008
    Mensagens:
    5,100
    Local:
    Lisboa-Encarnação // Lagoa de sto André
    o pinheio é a base de muitos ambientes florestais semi-naturais sendo que é uma arvore de alguma importancia. a nossa flora autocone está algo danificada e o ideal era a coexistentia dela com as outras especies introduzidas mas isso é muito dificil:sad::sad:o sobreio, a oliveira, a azinheira, entre outros especimes estao se a aguentar bem e começam a integrar-se com as outras especies invasoras mas, segundo a selecção natural, muitas outras especies estão a definhar e a ser subtituidas pelas invasoras.
    por um lado as especies invasoras levam á destruição mas por outro lado tambem podem trazer beneficios e, irradica-las após tantos anos de integração na nossa floresta poderia trazer consequencias nefastas sobre as quais ainda pouco sdabemos
     
    Collapse Signature Expand Signature
  6. *Dave*

    *Dave*
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    29 Jun 2008
    Mensagens:
    1,912
    Local:
    ASM (Idanha-a-Nova) - Covilhã
    Está enganado! A culpa não é do pinheiro-bravo, mas sim do ser humano.
    Já pensaram quantos incêndios florestais de grandes proporções iríamos ter no Verão (ou noutra época do ano...) se as florestas portugueses fossem "organizadas"?
    Imaginem que depois de cada hectare de pinheiros, havia um de sobreiros. Se o incêndio pegasse num pinheiro esse hectare estaria perdido, mas não passaria daí. O sobreiro custa muito a arder e se estiver a uma distância razoável de outra árvore, nem chega a pegar fogo.
    O ser humano é que pensa "epá vou encher isto tudo cheio de pinheiros!" depois vem o vermelho e leva-lhe aquilo tudo!

    Tudo faz falta! Melhor deixar estar os pinheiros, do que cortar-los para fazer loteamentos. Há muito terreno abandonado que serve bem para fazer habitações.

    Outra parte que não podemos esquecer é toda a fauna de flora que está associada aos pinheiros... isso sim, seria seria algo muito preocupante.


    ABRAÇO :thumbsup::thumbsup:
     
    Collapse Signature Expand Signature
  7. stormy

    stormy
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Ago 2008
    Mensagens:
    5,100
    Local:
    Lisboa-Encarnação // Lagoa de sto André
    subscrevo:thumbsup:;):)
     
    Collapse Signature Expand Signature
  8. kikofra

    kikofra
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    7 Abr 2008
    Mensagens:
    1,078
    Local:
    Leiria (115m)/Lourosa/Porto
    as arvores dobradas sao demais!! curtia tanto subi-las, e eram fáceis de subir.
     
  9. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,262
    Local:
    Sintra
    A fauna de um pinhal não é sequer equiparável à de uma floresta climácica.
    Agora sem dúvida que cortar o pinhal inteiro não deve ser a melhor solução.
    Gostei da solução que destes, de fazer plantios com diferentes espécies.
    O pinhal até pode ser usado como planta abrigo para o crescimento da floresta climácica, pois dá sombra aos pequenos carvalhos, mas existem plantas melhores para esse efeito, tal como a esteva.
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página