Indústria eólica

Tópico em 'Ciência Geral, Tecnologia e Energia' iniciado por iceworld 26 Dez 2009 às 01:35.

  1. iceworld

    iceworld
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    18 Dez 2007
    Mensagens:
    1,051
    Local:
    coimbra ( 85m )
  2. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,479
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Produção eólica afunda em Portugal
     
  3. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    6,687
    Local:
    Figueira de Castelo Rodrigo (650m)
    É o problema da energia eólica, quando para o vento pára a produção de energia:rolleyes:

    Mas em outras altura do ano a produção é bastante significativa, neste momento há pouco vento...
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. Knyght

    Knyght
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Mai 2009
    Mensagens:
    2,013
    Local:
    Madeira - Funchal
    Esse segundo artigo é bem parvo e sem comentários.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  5. AnDré

    AnDré
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    22 Nov 2007
    Mensagens:
    10,248
    Local:
    Arroja, Odivelas (142m)
    A reportagem que o iceworld nos deu a conhecer é interessante, mas a tecnologia indicada levanta alguns problemas.
    Destaco um comentário a essa noticia que diz o seguinte:

    Estamos a falar de uma reportagem com quase 2 anos. Desde então já se fizeram progressos. Ainda ontem era noticia que a China tinha construído a primeira turbina (de eixo horizontal) offshore com 6MW de potência.


    ----------------------

    Quanto ao artigo que o Mário colocou, é mais um sensacionalismo.

    Do relatório do sistema electroprodutor de Abril, publicado dia 30 de Maio:

    Ou seja, no mês de Abril o índice de produtibilidade hidroeléctrico ficou dentro dos valores normais, e o eólico abaixo do normal (pela primeira vez desde Setembro).

    É caso para dizer que face aos últimos meses estamos mesmo mal habituados.
    Mas não nos podemos esquecer da variação sazonal deste tipo de energias. Enquanto nos queixarmos de barriga cheia não estamos assim tão mal.

    Quanto a Maio, e tendo em conta apenas os valores diários (o relatório mensal só sairá no final do mês), foi de facto um mês mau para ambas as energias. E comparando com Maio de 2010, que tinha sido acima da média, estamos a falar de quebras de 35% em ambas as energias.

    No entanto, só hoje, dia 1 de Junho, devemos produzir quase tanta energia eólica, como os 49GWh produzidos ao longo de toda a última semana de Maio.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  6. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    8,037
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Um grupo de investigadores do Departamento de Ciências Atmosféricas e Ambientais da Universidade de Albany - Estados Unidos - acaba de publicar uma investigação no Nature Climate Change sobre os efeitos dos parques eólicos no clima local. A equipa liderada pelo investigador Yuanlong Hu demonstrou que nas áreas onde se encontram grandes parques eólicos, a temperatura local aumenta até 0,72ºC por década comparando com as áreas onde estas estruturas não existem.

    Para chegar a esta conclusão os autores utilizaram dados de satélite tomados desde o ano 2003 até 2011 de uma região do Texas onde se encontram 4 dos maiores parques eólicos do mundo e compararam-nos com dados de outros lugares. A principal conclusão a que chegaram é que a área em redor dos parques aquece mais que as áreas adjacentes sobretudo durante a noite.

    http://www.nature.com/nclimate/journal/vaop/ncurrent/full/nclimate1505.html
     
  7. Knyght

    Knyght
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Mai 2009
    Mensagens:
    2,013
    Local:
    Madeira - Funchal
    Uma questão compararam a variação numa região na mesma latitude para esses 8 anos, sem parques eólicos?!

    Eu venho a muito tempo a afirmar que subestimamos o nuclear para caprichos dos ambientalistas e por isso estamos na cauda da Europa.
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página