Monitorização Clima Global - 2008

Tópico em 'Climatologia' iniciado por Vince 15 Fev 2008 às 22:19.

  1. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
  2. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Re: Monitoramento Clima Global - 2008

    Janeiro 2008
    Finalmente o relatório mensal do NCDC mais frio desde há anos.
    Esperemos que haja mais e que não tenha sido um oásis no deserto.
    Foi apenas o 31º mês Janeiro mais quente a nível global, terra+mar, desde que há registos (130 anos). Apenas sobre Terra foi o 63º e sobre o mar foi o 17º.


    Link:
    -> Climate of 2008 - January in Historical Perspective


    Resumo:


    Anomalia Temperatura:

    [​IMG]


    Anomalia Precipitação:

    [​IMG]


    Ranking:

    [​IMG]
     
  3. abrantes

    abrantes
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    4 Jan 2008
    Mensagens:
    237
    Local:
    Rio de Janeiro
    Re: Monitoramento Clima Global - 2008

    Muito bom os dados e estes links que vc postou.
    Parece que a asia esta mais fria mas o norte da russia bem mais quente, aqui no rio bem que eu queria ver uma anomalia dessas.

    Abraços e continue a monitoração!!
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Re: Monitoramento Clima Global - 2008

    Já sairam os dados da medição de temperaturas por satélite da UAH (University of Alabama in Huntsville) do mês de Fevereiro.
    O mês registou uma ligeira anomalia postiva.


    [​IMG]
    Gráfico por Anthony Watts
    Set de dados completos da UAH aqui
     
  5. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
  6. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Anomalias de Abril das medições por satélite (UAH e RSS)

    UAH
    2008 1 -0,046
    2008 2 0,020
    2008 3 0,089
    2008 4 0,015


    RSS
    2008 1 -0,069
    2008 2 -0,002
    2008 3 0,079
    2008 4 0,080



    UAH
    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]



    RSS

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]
     
  7. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,844
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Gostava de partilhar convosco, um artigo que saiu no Jornal Correio da Manhã de Sábado, 24 de Maio de 2008.

    O artigo dá enfoque à caracterização "anormal" da Primavera de 2008, questionando o conhecido meteorologista Dr. Anthimio de Azevedo.

    Nesse artigo, ele parece assegurar-nos que estamos mesmo perante uma possível mudança climática, sendo que a descaracterização das estações parece evidente e que embora ainda transitória irá evoluir para um quadro climatológico de Portugal mais característico de zonas intertropicais caracterizadas por uma estação seca e uma estação húmida.

    Não é meu desejo questionar a opinião de Anthimio de Azevedo, mas tenho sérias dúvidas pelo menos no que toca às razões apontadas para as suas afirmações. No mínimo, encontro o artigo fraco em explicações, provavelmente faltava ali uma série de questões, para que todos nós ficassemos esclarecidos de eventuais duvidas. Mas eu explico:

    Anthimio de Azevedo, afirma que uma das razões das mudanças climáticas em curso se deve à inclinação actual do planeta!

    Mas que "raio", desculpem a expressão! A Terra decidiu inclinar-se um pouco a mais do que a posição normal para um ciclo de precessão de aproximadamente 25.770 anos?

    Penso que não! Penso que no máximo o que quis dizer é que talvez a evolução do movimento de precessão tenha atingido um ponto crítico de inclinação, o qual desencadeia o início de uma série de alterações climáticas.
    Mas isso, só ele poderá responder.

    Depois de uma pesquisa pela Internet, fiquei a saber dos factores que desencadeiam o movimento de precessão, alguns dos quais passo a citar:

    Factores:

    - Atrito entre o núcleo e o manto
    - Marés da Lua e do Sol
    - Ressonância com outros planetas
    - Impactos com asteróides, cometas e afins
    - Outras menos importantes: Ex: Sismos

    Influência:

    - 1 grau de desvio na inclinação provoca um acréscimo ou decréscimo na exposição solar em 20%, para a latitude de 65º.
    - A presença de satélites naturais, como é o caso da nossa Lua, é preponderante para a estabilidade no movimento de precessão do Planeta.

    [Fonte: http://cftc.cii.fc.ul.pt/PRISMA/capitulos/capitulo2/modulo2/topico5.php

    Fórmula matemática para cálculo temporal da inclinação da Terra:

    Ângulo de inclinação = 23º26'21,418"-0,46815"t-0,0000059"t2-0,00001813"t3, (t=ano-2000)

    Pelos meus cálculos, o sismo de 9.1 da escala de Richter na Indonésia ocorrido em 2004, adiantou-nos ou atrasou-nos o equivalente a 15 anos (não tenho dados se o sismo nos inclinou para norte ou para sul) para a posição de 1992 ou, caso contrário, para a inclinação prevista em 2023. Para quem se interessar pelo movimento de precessão, pesquise as conclusões recentemente encontradas para explicar o movimento de Vénus e de uma das Luas de Saturno, é bastante interessante!

    [Fonte: http://astro.if.ufrgs.br/fordif/node8.htm

    Conclusão:

    Quando me dizem que o sismo de 9.1 da escala de Richter ocorrido em 2004 na região da Indonésia modificou a inclinação da Terra e que poderá ter desencadeado algumas mudanças climáticas, é bastante questionável e porquê?

    Porque embora tenha alterado a inclinação da Terra, esta alteração é tão ínfima que os cientistas ainda estão escrutinando os dados reais, sendo que, está mais ou menos aceite que a alteração induzida tenha significado 2 milésimas de segundo na inclinação!

    Sabem quanto é 0.002" na inclinação da Terra? Significa que 1 hora antes do sismo ocorrer estariamos a 15cm de distância relativa! É muito e impressiona como um sismo na outra ponta do globo, provoca este efeito! Mas 15cm de variação na latitude não provoca alterações climatéricas, pois não?

    Penso que estamos todos de acordo!
     
    Collapse Signature Expand Signature
  8. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,479
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    O senhor Anthimio de Azevedo o "guru" da meteorologia não pode dizer que vem para ai o frio se não faz figura de maluco e suicida e penso que ele não quer isso pois tem muita reputação a perder ;)

    Um sismo desviar o eixo de inclinação da terra :huh::huh: juizo se calhar era melhor com este modo de pensar ainda vamos acabar por afirmar que quando o Yellowstone explodir a terra será projectada contro o sol não?? que maluqueira cada vez me convenço nais que a época da verdade já lá vai (século XIX) agora arranja-se cada desculpa não se explica as coisas mas enfeita-se as teorias.

    E a corrente do golfo onde é que fica no meio disto tudo :huh::huh: já para não falar da La nina :w00t: o frio tem mais explicações interiores que exteriores neste momento se calhar era melhor perceber-mos o que se passa cá em baixo em vez de andarmos a abanar a terra como se fosse um aquário :lmao:

    Clima sub-tropical :lmao::lmao::lmao::lmao: :cold: ia caindo da cadeira.
     
  9. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Não percebi nada do que disseste. Discordas ou concordas com alguma coisa que foi dita ou citada ?
     
  10. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Começo pelo mais básico. Não acho que esta Primavera seja verdadeiramente anormal. Nem sequer relativamente à precipitação. Tem-se falado imenso da chuva, principalmente a norte, mas basta pesquisar em bases de dados para encontrar muitos anos com meses de Maio tão ou mais chuvosos do que este. Pelas minhas contas muito por alto só se a partir destes dias este tempo se mantiver mais 2 ou 3 semanas é que entraremos em campo verdadeiramente anormal. Mais logo vou pôr uns dados no tópico do clima de Portugal sobre o assunto.

    Quanto à teoria do forçamento astronómico (ciclos de Milankovitch) ela é a melhor teoria actual para explicar as glaciações e os periodos interglaciarios. Mas atenção, a teoria não consegue explicar tudo, tem alguns problemas. Mas é a melhor teoria que conhecemos e parece explicar pelo menos boa parte da questão.

    No entanto há aqui algumas confusões que se fazem com muita frequência. A origem desta confusões está no facto do actual periodo interglaciário estar a ser mais longo que os anteriores, ou seja, estamos num periodo excepcionalmente longo de aquecimento. Comparativamente a outros anteriores já estariamos agora a entrar numa glaciação.

    O problema começa aí. Quem fala nesse atraso recorre a esses padrões do passado e à teoria dos ciclos de Milankovitch. Só que os vários estudos, cálculos e simulações complexas que já se fizeram confirmam que são as causas astronómicas as responsáveis por este longo interglaciar e até prevêm que ele dure ainda 50 mil anos. Por isso acho que há alguma contradição em quem recorre aos ciclos de Milankovitch e prevê o fim próximo do actual periodo interglaciário.


    Quanto aos sismos, não faço a mínima ideia. Sou céptico em muitas coisas, até em vários pormenores da teoria do aquecimento global antropogénico. Como tenho dito, cepticismo é uma coisa positiva e fundamental. A única coisa que me surpreende é ver muitas pessoas que recusam afincadamente coisas sobre o qual tanto se estuda e aceitam com uma enorme facilidade coisas do qual não o homem não sabe quase nada. Acho que é uma questão de feitio e não de razão.
     
  11. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Temperatura global do mês de Maio segundo as diversas entidades e métodos.

    Medições Superficie: GISS (Nasa) e HadCRUT (MetOffice)
    Medições troposfera p/ Satélite: UAH e RSS

    [​IMG]



    GISS

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]



    HadCRUT

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]





    UAH

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]



    RSS

    [​IMG]

    [​IMG]
     
  12. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    8,554
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Confirmation du lien réchauffement climatique - accroissement des épisodes pluvieux intenses

    Selon une étude parue dans la revue américaine Science datée du 8 août, des climatologues américains et britanniques ont confirmé le lien entre le réchauffement climatique et l'accroissement des très fortes précipitations en comparant modèles informatiques et observations par satellite. Selon les auteurs, l'amplification des pluies d'une intensité extrême s'est même révélée nettement plus grande que ce qu'avaient prévu jusqu'à présent les modèles informatiques.
    Pour comprendre comment les précipitations répondaient au réchauffement du climat, ces chercheurs ont étudié les changements naturels liés au courant marin chaud El Niño dans le Pacifique sud qu'ils ont utilisé comme un laboratoire pour vérifier leurs hypothèses. En se basant sur vingt ans d'observations faites par des satellites, ces scientifiques ont découvert un lien très clair entre l'intensité extrême des pluies tropicales et la température de l'eau, la fréquence de très fortes précipitations augmentant durant les périodes chaudes et diminuant lors des périodes froides. Une atmosphère plus chaude contient davantage d'humidité, ce qui accroît l'intensité des trombes d'eau.
    La comparaison des observations satellitaires avec les résultats des modèles climatiques informatiques permet de mieux comprendre comment les précipitations répondent au réchauffement du climat. Un des plus grands défis auxquels fait face l'humanité est de s'adapter aux conditions météorologiques extrêmes résultant du réchauffement de la planète, notent ces scientifiques. Et l'un de ces défis est la plus grande fréquence de très fortes précipitations liée au réchauffement, due à un accroissement des masses humides se condensant dans l'atmosphère.
    La fréquence des trombes d'eau qui en résulte accroît le risque d'innondations qui peuvent avoir des conséquences économiques et sociétales dévastatrices, expliquent les auteurs de l'étude.

    CATastrophes NATurelles
     
  13. stormy

    stormy
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Ago 2008
    Mensagens:
    5,100
    Local:
    Lisboa-Encarnação // Lagoa de sto André
    nao s pode falar em "arrefecimento global" por causa de 1 mes ou um ano ou uma decada pois é um processo q umas centenas ou milhares de anos.
    eu penso q este abrandamento do aquecimento é irrisório
    é como a excepçao q confirma a regra, e poderá estar relacionado com a reflexao da luz solar por parte de gases/particulas na alta atmosfera.
    para q a terra aqueça sao precisas trocas de energia tropicos/polos/tropicos e isso pode levar ao arrefecimento momentaneo de certas partes do planeta em detrimento de outras partes q aquecem.
    ha algo com q eu concordo q é o facto de termos estaçoes do ano cada vez mais confusas, há calor, chuva, vento, seca ou frio em quaquer mes e isso antigamente n era tao comum.
    por fim nós n podemos ter a certeza acerca dos dados q nos sao dados pois podem ser deturpados ou modelados.
    temos de ter espirito critico ( como tu, vince).
    nao ha maior idiotice do q acreditar no filme "1 verdade inconviniente" se a terra arrefecesse assi t rapido para onde iria toda aquela energia ( o espaço é vacuo e a terra so pode perder energia por radiaçao IV num processo mto lento) .
     
    Collapse Signature Expand Signature
  14. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,479
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    A que dados te referes ?? temperatura ?? se são esses ele realmente podem ter algum excesso, pois certas estações meteorológicas não estão correctamente localizadas ou instaladas, isto por esse mundo fora.

    Quanto ao filme "Uma verdade inconveniente" não podemos desacreditar totalmente na teoria do aquecimento global porque houve de facto um aquecimento do planeta (1974-1998) agora se foi pelo CO2 ou não, ainda ninguém tem certezas, pois tambem era uma idiotice acreditar no século XIX que o homem iria algum dia há Lua, algo afirmado por Júlio Verne.

    Tanto os arrefecimentos como aquecimentos podem-se dar em décadas ou milhares de anos, só para teres uma noção, no final da ultima grande Era Glaciar a Europa aqueceu 10 graus numa década o que permitu que se formassem grandes florestas que ainda hoje existem na Alemanha e França.

    A mudança das temperaturas a nivel global pode variar muito devido não só a factores exteriores como factores interiores, as correntes oceânicas são a mãe do clima e o sol o pai, agora se um destes factores tiver "problemas" isto é, imagina que existem detritos no espaço que não permitem que a luz solar passe logo o planeta poderá arrefecer, tal como se uma das correntes no nosso planeta tiver problemas poderá provocar um realinhamento do clima global.

    O estado natural do nosso planeta é gelado, estes periodos interglaciares são meros "acidentes", porque afinal, temos dois motores de frio e um de calor.
     
  15. stormy

    stormy
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Ago 2008
    Mensagens:
    5,100
    Local:
    Lisboa-Encarnação // Lagoa de sto André
    claro q nao podemos desacreditar totalmente no aquecimento.
    esse aquecimento repentino da europa deve ter lá um periodo de retorno.....!!
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página