Olhão: Começa amanhã as comemorações dos 200 anos que foi elevada a Vila

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por algarvio1980 4 Jan 2008 às 17:26.

  1. algarvio1980

    algarvio1980
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mai 2007
    Mensagens:
    7,134
    Local:
    Olhão (24 m)
    Olhão está em contagem decrescente. No próximo sábado, dia 5 de Janeiro, decorre a abertura oficial das comemorações Olhão da Restauração - 200 anos «1808-2008». Nesse dia, um conjunto de iniciativas espalham a festa por todo o Município e dão o mote para os 12 meses que se seguem.
    Logo pelas 9h da manhã o Caíque «Bom Sucesso» começa uma série de passeios até à barra, gratuitos e abertos a toda a população. Às 9h30, realizar-se-á a arruada pela Banda Filarmónica 1º de Dezembro nas principais ruas da cidade. Será o sinal para a apresentação das Charolas de Bias, Cavacos e Quelfes no Coreto da cidade.

    Ao meio-dia, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o Presidente do Município irá desvendar as linhas gerais do programa e apresentar os grandes objectivos destas comemorações. Nesta Sessão Solene o líder do executivo abrirá oficialmente as comemorações do II Centenário de Olhão.

    A partir das 15h, a Animação de Rua irá tomar conta da cidade, através de dezenas de iniciativas fixas e itinerantes. Pelos 2 palcos montados no Jardim Pescador Olhanense vão passar vários grupos de rock, pop e jazz, numa inesquecível sucessão de concertos. O Quarteto «Á Lá Capela» Jazz, Campónios Band (grupo de Metais), Ludo (pop/rock), Rockestra (rock de música clássica), Aldabranda (grupo de música árabe)e o rancho folclóricos da Ria Formosa serão os responsáveis pela animação musical que irá durar até ao pôr do sol.

    As crianças irão também celebrar este dia com um programa muito especial que se desenrolará na Tenda Infantil, colocada no Jardim. Teatro de fantoches, contos infantis e actividades de expressão plástica são algumas das propostas para os mais novos que terão como tema base as comemorações dos 200 anos.

    Paralelamente, as principais artérias da cidade irão assistir à actuação itinerante de declamadores, mimos, palhaços, andas e intérpretes de uma peça de teatro de rua.

    No final deste dia intenso, o convite não deixa margem para dúvidas. A música vai continuar em alta, com 2 concertos que terão lugar na Sociedade Recreativa Progresso Olhanense. O Projecto Fado Nú sobe ao palco a partir das 21h30, num espectáculo que promete aquecer a noite. Às 23h, é a vez de Hugo Alves Quarteto e Mais mostrar porque é que é considerado um dos melhores agrupamentos de jazz a nível nacional. Estes concertos têm entrada gratuita.

    Pela onda de festa, pela diversidade de eventos, pela animação das ruas e, principalmente, pela marca que a história deixou nesta terra, Olhão merece ser visitado ao longo de todo o ano de 2008. Já no próximo sábado, arranca Olhão da Restauração - 200 anos «1808-2008», um programa a não perder.

    Fonte: CMO
     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    8,026
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Txé deb, Olheum tá im festa!!! :):):)
    Charolas e mai charolas, a mai grandiosa éi a da Berdêra daqui de Fare ...

    Vê lá se na acordas com os foguetes... Aqui em Fare acostumam queimá-les logue ás 7 da matina no dia da Cedade (7 de Setembre). Nem deixem dormir... :sono: :rolleyes:
     
  3. algarvio1980

    algarvio1980
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mai 2007
    Mensagens:
    7,134
    Local:
    Olhão (24 m)
    Olhão, 1808 -2008.
    As comemorações do bicentenário de Olhão da Restauração decorrem ao longo do ano, num vasto programa em que autarquia, que investirá cerca de um milhão de Euros.

    “Temos a responsabilidade de corresponder ao espírito que presidiu à fundação de Olhão”, sublinhou Francisco Leal, na sessão solene de inauguração das comemorações do bicentenário da cidade, altura que o autarca considera propícia para também “perspectivar o desenvolvimento económico”da cidade.
    2008 será ainda o ano de inaugurar o novo auditório, a biblioteca municipal e para lançar o caderno de encargos para a construção do Edifício do Mar, a reconversão do antigo matadouro, onde irá funcionar o Museu marítimo.
    Na vertente mais erudita das comemorações Francisco Leal anunciou a realização de um Congresso Internacional de História sobre o período das invasões francesas, período que marca “a identidade cultural” da cidade.
    Encontro de editores, de poetas e escritores, este último do Algarve e Andaluzia, bem como a recuperação do edifício do Compromisso Marítimo e do Chalet João Lúcio, edif´cios monumentais integram igualmente o programa.

    O passeio histórico cultural entre a Ponte de Quelfes até ao Sítio da Meia Légua percurso feito pela população de Olhão para escorraçar o exército francês invasor será evocado por uma reconstituição animada, mantendo-se depois um circuito de cerca de 10 km, devidamente assinalado.

    De Olhão ao Rio de Janeiro em caíque

    Dependente de parcerias “que permitam criar condições financeiras para a sua realização” está a evocação da partida do caíque Bom Sucesso que partiu de Olhão em 6 de Julho de 1807 para anunciar ao Rei D Pedro V, exilado no Brasil, a derrota do exército invasor e a reprodução da viagem até ao Rio de Janeiro.

    Para tal, a autarquia formou já uma comissão com o almirante Henrique Fonseca e os comandantes José Centeno e Ilídio Fonseca, encarregue de dinamizar o processo e cujos trabalhos podem ser acompanhados através do site http://www.naulusa.org/ .

    A cerimónia de abertura das comemorações contou com uma prelecção do historiador Pedro Rosa Mendes, que integra a comissão executiva do evento, e que lembrou a propósito ser “Olhão a única terra algarvia com energia popular para resistir ao invasor francês, já que Faro e as autoridades pactuaram”.

    “Se o povo de Olhão não se tivesse revoltado, não haveria restauração” lembrou Rosa Mendes.

    É este espírito que Francisco Leal quer ver celebrado dois séculos depois, porque “a verdadeira matriz de Olhão, é a vontade indomável de ser dono dos seus destinos”, atestada por inúmeros exemplos históricos

    Fonte: Observatorio do Algarve

    Visitem Olhão este ano que vai valer a pena:):)

    Nota: Sítio da Meia Légua está bem assinalada na EN 125 sentido Faro-Olhão em frente à casa dos cantoneiros que indica na parede as distâncias onde tem uma placa a falar do acontecimento.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. algarvio1980

    algarvio1980
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mai 2007
    Mensagens:
    7,134
    Local:
    Olhão (24 m)
    Re: Olhão: 1808 - 2008 - Comemorações dos 200 anos elevada a Vila

    UM OLHAR SOBRE OLHÃO

    Olhão da Restauração existe há 200 anos, contudo a história desta terra remonta ao Neolítico. Clique para saber mais.

    Vestígios arqueológicos comprovam que existe presença humana no concelho de Olhão desde o período Neolítico. Os testemunhos mais importantes referem-se ao Calcolítico (2000 a 1500 a.C.).

    Os romanos também deixaram a sua marca neste concelho algarvio, com diversos vestígios no litoral associados à pesca e à salga de peixe.

    Marim, junto à ria, foi uma importante “villa” e a sua vasta necrópole voltou a ser utilizada durante o domínio visigótico (sécs. V a VIII).

    A abundância de peixe foi um chamariz para pescadores, que se fixaram no local onde hoje se localiza a cidade de Olhão.

    Vivendo em humildes cabanas construídas com madeira, canas e palha, utilizando a ancestral arte da xávega, em que a rede em forma de saco é arrastada para terra, eram apenas umas escassas dezenas de habitantes em 1378, data do primeiro documento que refere Olhão.

    Durante séculos, as únicas construções no areal foram cabanas. A população foi crescendo e, em 1679, a sua importância justificava a construção da fortaleza de São Lourenço para defesa contra os ataques dos piratas do Norte de África. Surge o primeiro edifício de pedra - a Igreja de Nossa Senhora do Rosário - em 1698.

    Apenas em 1715 é autorizada a construção da primeira habitação em alvenaria, através de alvará da rainha D. Maria ao mareante João Pereira.

    Século XIX decisivo para a expansão de Olhão

    A 16 de Junho de 1808 os olhanenses protagonizaram a primeira rebelião bem sucedida contra as tropas francesas de Napoleão Bonaparte.

    Expulsos os franceses, um grupo de olhanenses embarca no caíque “Bom Sucesso”, rumo ao Brasil, onde o rei D. João VI se mantinha exilado, e dão-lhe a boa nova da vitória sobre os invasores.

    Reconhecido pelos feitos heróicos, D. João VI, eleva o sítio a vila, passando a chamar-se Olhão Vila da Restauração.

    Em 1842 é criada na vila uma Alfândega que, em cerca de 20 anos, se torna o mais importante posto aduaneiro do Algarve devido à pesca e outros produtos algarvios. Por esta razão em 1864 é criada uma Capitania do Porto e, em 1875, o Tribunal Judicial de Olhão.

    Na última metade do séc. XIX, a actividade comercial desenvolvida pelos marítimos olhanenses, cresceu imenso, estendendo-se até ao Mediterrâneo Oriental.

    São os contactos comerciais e a emigração para Marrocos que leva muitos olhanenses a construir as suas habitações de modo semelhante, cúbicas e caiadas de branco, o que valeu a Olhão a alcunha de "vila cubista".

    Na primeira metade do séc. XX, a instalação da indústria de conservas de peixe, fez de Olhão uma vila rica e extremamente produtiva. A primeira fábrica de conservas surgiu em 1881, fundada pela empresa francesa Delory, e em 1919 já existiam cerca de 80 fábricas.

    Olhão é elevada a cidade em 1985.

    Actualmente, Olhão já não vive da indústria conserveira apontado baterias ao desenvolvimento turístico do concelho.

    Fonte: Observatorio do Algarve

    Vila de Olhão da Restauração :)
     
    Collapse Signature Expand Signature
  5. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    8,026
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Se leres bem a nossa História vais encontrar lá uma parte em que diz que o nosso Rei da Restauração da Independência chegou a ter na mesa um acordo com o Cardeal Richelieu, ministro de Luís XIII para Portugal ser anexado á França. Olha que podiamos hoje ser todos Franceses... e assim já não havia Olhão. :p
     
  6. algarvio1980

    algarvio1980
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mai 2007
    Mensagens:
    7,134
    Local:
    Olhão (24 m)
    Re: Olhão: 200 anos de história

    Hoje faz 200 anos que Olhão foi elevado a concelho, um dia histórico mas pobre em termos de comemoração, desde já, só música e nada mais, a única coisa de relevo é o desfile histórico:D

    Deixo aqui um vídeo com imagens de Olhão de antigamente aos nossos dias.



    Fonte: APOS (Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão).

    Esta associação tinha como objectivo levar o Caíque Bom Sucesso ao Brasil tentaram arranjar patrocínios para a viagem mas nada, mas o maior culpado é o Presidente da Câmara, Francisco Leal nunca mostrou-se convincente com esta ideia, a única ideia dele é fazer casas e mais casas e mais casas.:angry::angry::angry:

    Biblioteca teve mais de um ano fechada, foi inaugurada mas amanhã vai continuar fechada ao público, o auditório vai pelo mesmo caminho.:angry:

    [​IMG][/URL][/IMG]

    Caíque Bom Sucesso


    Na minha opinião, os festejos dos 200 anos devia ser assinalados com mais ênfase, não é sempre o mesmo que aconteceu em anos anteriores.
     
    Collapse Signature Expand Signature
    #6 algarvio1980, 16 Jun 2008 às 19:59
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 04:10

Partilhar esta Página