A erupção do vulcão Eyjafjallajökull na Islândia

Tópico em 'Sismologia e Vulcanismo' iniciado por AnDré 21 Mar 2010 às 14:27.

  1. |Ciclone|

    |Ciclone|
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    13 Mai 2009
    Mensagens:
    173
    Local:
    Lisboa
    Não acho que tenha nada de curioso, na lua cheia a força que a lua exerce sobre a Terra é muito maior daí as marés serem maiores. E não só as marés são afectadas, também as placas tectónicas e os vulcões. Num dia de lua cheia ou nova é mais provável haver um grande sismo ou uma erupção vulcânica. Daí muitos dos grandes sismos da historia terem ocorrido em lua cheia ou nova.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  2. Z13

    Z13
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    20 Set 2006
    Mensagens:
    3,025
    Local:
    Bragança - 690m
    Queria apenas fazer uma pequena correcção... A força que a Lua exerce sobre a Terra, que é igual à força que a Terra exerce sobre a Lua, chama-se força gravítica e apenas depende da massa destes 2 corpos e da distância a que eles se encontram... Ora a massa quer da Lua quer da Terra, é constante durante os 28 dias do ciclo lunar, e a sua distância também! Logo, a força que a lua exerce sobre a terra é sempre a mesma!

    Contudo, existe mais um corpo bem maior e bem próximo de nós, que é o sol, que também provoca uma forte atracção gravítica. E é o conjunto das duas forças, a do sol e a da lua, que nos períodos de lua nova se unem na mesma direcção para provocar marés mais fortes! Na lua cheia, altura em que a sua posição é contrária à do sol, também existem marés maiores devidas ao facto de os oceanos serem líquidos e de terem bastante inércia, e da atracção gravítica da lua numa direcção e do sol na outra, deslocarem grandes massas de água em sentidos opostos.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  3. Iceberg

    Iceberg
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    5 Jun 2006
    Mensagens:
    784
    Local:
    Braga
    Espaço aéreo britânico vai reabrir de forma faseada a partir das 22h00m horas

    20 de Abril de 2010, 21:39

    Londres, 20 abr (Lusa) - A maioria do espaço aéreo britânico vai reabrir de forma "faseada" a partir das 22:00 horas, anunciou hoje a Autoridade de Aviação Civil britânica, responsável pela segurança no setor.

    "Ainda vão continuar a existir algumas 'zonas sem voo' onde as concentrações de cinza apresentarem níveis inseguros para os voos se realizarem, mas serão muito menores do que as restrições atuais", vincou o organismo, em comunicado.

    Todavia, acrescentou, com base na informação dos serviços meteorológicos, estas zonas "não cobrem atualmente o Reino Unido".
     
  4. nimboestrato

    nimboestrato
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    8 Jan 2008
    Mensagens:
    1,865
    Local:
    Pedras Rubras-Aeroporto
    Não sei se já aqui foi dito porque confesso que mal tenho tido tempo para cá vir
    e não li tudo o que está para trás , mas permitam-me o aparte e desculpem-me se ele não for original:
    -não deixa de ser irónico ver aeroportos parados, completamente paralisados
    nos seus melhores dias do ano de operacionalidade quer nas visibilidades, quer nas nebulosidades.
    Ou seja , tanto aeroporto europeu encerrado justamente em invulgar período de estabilidade atmosférica , de céus limpos, dos Pirinéus aos Urales com as excepções que ,obviamente ,encerram tão vasta região.
    Sabemos que não estarão assim tão limpos quanto aparentam.
    Se sabemos...
     
  5. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Um vídeo muito interessante:



    [VIDEO]http://http.ruv.straumar.is/static.ruv.is/vefur/20042010_myndir_omar.wmv[/VIDEO]

    (Abrir de preferência com o MediaPlayer em fullscreen)
    http://http.ruv.straumar.is/static.ruv.is/vefur/20042010_myndir_omar.wmv
     
  6. |Ciclone|

    |Ciclone|
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    13 Mai 2009
    Mensagens:
    173
    Local:
    Lisboa
    Exacto, só há um pequeno pormenor que está incorrecto :p
    A distância entre a Terra e a Lua não é sempre a mesma, por exemplo, dia 24 a Lua está no Perigeu a 367141 km da Terra. Dia 09 a Lua esteve no apogeu, a 404997 km da Terra. E a distância da Terra ao Sol também não é sempre a mesma. Daí haverem "marés vivas" quando por exemplo temos Lua nova a coincidir com o Perigeu.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  7. Aristocrata

    Aristocrata
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    28 Dez 2008
    Mensagens:
    5,955
    Local:
    Paços de Ferreira, 292 mts
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  8. irpsit

    irpsit
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    2,322
    Local:
    Inverness, Escocia
    Também acho curioso esta correlação. Afinal se existe efeito de maré nos oceanos e na atmosfera, porque não no magma?

    O facto é que muitos dos maiores sismos se verificam na lua cheia/lua nova. Exemplos: sismo do Chile ocorre um dia antes da lua cheia, o da Sumatra em 2004 ocorre no dia da lua nova. Curiosamente, a erupção central do Eyjaflallajokull ocorre também no dia da lua nova.

    Saíndo do off-topic, a actividade sísmica junto ao Eyjaflallajokull e Katla continua ligeiramente elevada, mas felizmente não tem aumentado. O vulcão hoje de manhã continua em erupção, embora com a pluma a atingir pouca altura.

    A erupção prévia seguiu o seguinte padrão: Começa em Dezembro de 1821 e dura alguns dias, depois continua de modo mais suave até Junho 1822. Durante mais um mês segue-se uma série de novas erupções mais explosivas, e depois o vulcão torna-se mais calmo até ao final do ano. No ano seguinte, em Junho de 1823, o Katla entra em erupção durante 28 dias. Ambos os vulcões não estão conectados apesar das suas erupções ocorrerem em sequência. VEI do Katla costuma ser entre 3 a 5.

    [​IMG]

     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  9. fsl

    fsl
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    6 Ago 2007
    Mensagens:
    707
    Local:
    Oeiras

    Ainda sobre as medidas tomadas, nomeadamente o encerramento do Espaço Aereo de diversos paises , só porque a "Nuvem" os atingiu, continuo a pensar que foram medidas, em muitos casos, radicais e exageradas. A determinaçao do risco e a sua gestao, exige analises exaustivas e decisoes ponderadas.
    Em Aviaçao a segurança absoluta é inatingivel , havera´sempre que defenir o nivel de risco que as circunstancias aconselham .
    Por outro lado o modo como se está a sair deste imbroglio, tambem me parece pouco fundamentado.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  10. Knyght

    Knyght
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Mai 2009
    Mensagens:
    2,040
    Local:
    Madeira - Funchal
    Bem meus amigos o principal problema da nuvem pelo que ouvi não é o navegar as cegas mas sim a falta de oxigénio dentro da mesma que poderá fazer parar os motores...
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. stormy

    stormy
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Ago 2008
    Mensagens:
    5,117
    Local:
    Lisboa
    A falta de oxigenio, dadaa dispersão da nuvem, é desprezivel.
    o real problema é o derretimento/volatilização dos piroclastos nela presente, quando passam na camara de combustão ( 1500-1800º), e solidificação posterior nas laminas da turbina/escape;)
    isso levaria á destruição da aerodinamica dentro do motor assim como a destruição de certos componentes eletronicos com consequente perda de eficiencia e, em ultimo, a inutilização do motor:thumbsup:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga

    O problema da cinza vulcânica e dos aviões é porque pelo menos nas zonas onde a nuvem é mais densa a mesma tem muitas partículas de pedra e vidro (sílica).

    [​IMG]

    Essas partículas além de causarem um efeito abrasivo no avião (imagina um jacto de areia fina a 800/900km/h contra uma superfície), ao serem sugadas pelo motor a jacto causam danos nas pás do compressor. A sílica depois entra juntamente com o ar comprimido na câmara de combustão onde derrete com o calor pegando-se às superfícies com efeitos imprevisíveis, podendo parar o motor ou mesmo destruí-lo. Além do motor as partículas também podem entupir os pitot tubes, uns pequenos tubos que são o instrumento que serve para medir a velocidade do avião, muito falado a quando do acidente da Air France.
     
  13. Z13

    Z13
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    20 Set 2006
    Mensagens:
    3,025
    Local:
    Bragança - 690m
    :thumbsup:

    Claro que sim, e o sol idem (Afélio / Periélio). O que queria frisar era que, é o sistema sol-lua-terra no seu todo que deve ser levado em conta na questão das marés (oceânicas e magmáticas), e não apenas o binómio terra-lua.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  14. mig500

    mig500
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    27 Fev 2010
    Mensagens:
    15
    Local:
    oeiras
    Documentário do National Geographic sobre o incidente do British Airways Flight 9 a 24 de Junho de 1982 em que o Boeing 747 ficou sem os 4 motores.




     
    #104 mig500, 21 Abr 2010 às 13:17
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 03:52
  15. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga

    Um dos problemas parece estar no desconhecimento do que é o limite tolerável para os motores, pois parece que os fabricantes nunca testaram seriamente esta realidade não estabelecendo critérios bem definidos em termos de operação. O outro é conseguir prever o que está na atmosfera num determinado local e determinada altitude, pois é difícil estar a efectuar medições em todo o lado, e os modelos são falíveis.


    Can we fly safely through volcanic ash?
    http://www.newscientist.com/article/dn18797-can-we-fly-safely-through-volcanic-ash.html
     

Partilhar esta Página