Astronomia e Ciências Espaciais 2017

luismeteo3

Furacão
Registo
14 Dez 2015
Mensagens
17,112
Local
Fatima (320m)
O melhor dia para ver a maior chuva de estrelas da primavera? Este sábado
2 mai 2017 13:47
MadreMedia com Lusa
Atualidade
A maior chuva de estrelas desta primavera vai atingir o ponto alto na madrugada de sábado, dia 6 de maio, mas o brilho da Lua vai ofuscar o fenómeno, conhecido como Eta Aquáridas.




Os meteoritos que se vão ver a atravessar o firmamento são partículas metálicas deixadas no rasto do cometa Halley, que gira em torno do Sol numa órbita que dura 76 anos.

Duas vezes por ano, atravessam a órbita terrestre e desintegram-se, o que é visível em todo o hemisfério sul da Terra, embora o cometa esteja a 44 anos de aparecer novamente.

Já são visíveis desde 19 de abril mas o ponto mais intenso decorrerá na madrugada de 5 para 6 de maio, podendo atingir 70 objetos por hora.

Nessa data, a Lua estará na fase final do quarto crescente, o que dificultará a observação, que se faz melhor fora de centros urbanos e olhando para sudeste.
http://24.sapo.pt/atualidade/artigo...or-chuva-de-estrelas-da-primavera-este-sabado
 

luismeteo3

Furacão
Registo
14 Dez 2015
Mensagens
17,112
Local
Fatima (320m)
Em 2018, a NASA vai 'tocar' o sol... ou quase
31 mai 2017 19:32
MadreMedia
Atualidade
A NASA anunciou esta quarta-feira, 31 de maio, a realização da primeira missão espacial ao sol, em 2018. A sonda, batizada de "Parker Solar Probe", vai ser submetida a condições extremas.



A primeira sonda criada para ir ao sol, inicialmente chamada "Solar Probe Plus", foi agora baptizada de "Parker Solar Probe", em homenagem ao astrofísico Eugene Parker. O anúncio foi feito na conferência de hoje, na University of Chicago, pela NASA.

A sonda solar deverá ser lançada num período de 20 dias, a começar a 31 de julho de 2018 e será submetida a condições extremas, nomeadamente elevadas temperaturas e radiações solares. Esta é a primeira missão da Humanidade ao sol, mais especificamente à atmosfera solar, uma vez que a sonda vai orbitar a superfície da estrela.

Em 1958, Parker publicou um artigo intitulado "As dinâmicas do gás interplanetário e dos campos magnéticos", onde explicava um fenómeno designado de vento solar: existe matéria que escapa do sol e afeta todo o sistema solar.

É também a primeira vez que a NASA batiza uma nave com o nome de um indivíduo vivo, notou Thomas Zurbuchen, administrador na agência espacial norte-americana.

Um dos objetivos da missão é "estudar o fluxo de energia que aquece e acelera a coroa solar e os ventos solares, determinando a estrutura e a dinâmica do plasma e dos campos magnéticos na fonte dos ventos solares e explorar os mecanismos que aceleram e transportam as partículas de energia", segundo um comunicado da NASA, citado pela CNN.

Até ao momento não havia sido feita esta missão devido à inexistência de materiais que o permitissem. Agora, dá-se mais um passo na investigação do sistema solar. Embora já se tivesse estado dentro da órbita de Mercúrio - o planeta mais próximo do sol -, 'tocar' o sol - ou a sua atmosfera - vai permitir responder a questões que de outra forma não seriam respondidas, explicou Nicola Fox, investigadora da NASA.

"Estivemos na órbita de Mercúrio e fizemos coisas incríveis, mas até ires e tocares o sol, não podes responder a estas questões. Porque nos levou 60 anos? Porque os materiais que nos permitiriam fazer isto não existiam", explicou.
http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/em-2018-a-nasa-vai-tocar-o-sol-ou-quase
 
  • Gosto
Reactions: 4ESTAÇÕES

Toby

Nimbostratus
Registo
25 Mar 2011
Mensagens
1,638
Local
Alcobaca (160 m)
astrofesta_v4.3_facebook.jpg


Programa:

SEXTA-FEIRA, 25

17h30 – Boas Vindas, José Pedro Sousa Dias

Palestras (Auditório)
18h00 – O Observatório do Lago Alqueva, Nelson Nunes, Observatório do Lago Alqueva
18h30 – As pedras e os astros: arqueoastronomia cultural no Alentejo, Manuel Calado
19h00 – Astronomia Cantada n’Os Lusíadas, Carlos Santos, Universidade de Coimbra
19h30 – Ciência Viva, da Terra ao Espaço – 20 anos a comunicar ciência, Cátia Cardoso, Ciência Viva

20h00 – Pausa para Jantar

21h30 – Observações astronómicas (plataformas)
21h30 – Yoga para pais e filhos (terraço)

24h00 – Caldo Verde



SÁBADO, 26

10h00-12h00 – Minicurso de Introdução à Astronomia (auditório), Máximo Ferreira, CCV Constância (carece de inscrição através do formulário de inscrição indicado acima)

13h00-15h00 – Minicurso de Astrofotografia de Paisagem (auditório), Nuno Santos, OLA (carece de inscrição através do formulário de inscrição indicado acima)

15h00-20h00 – Oficinas em paralelo (auditório)
– Instrumentos náuticos e relógios de sol (MUHNAC e IA)
– Pintura em barro
– Diários gráficos, Sky Skechers (Estela Cameirão)
– Artes plásticas para crianças
– Observação do Sol e astrofotografia solar (Pedro Ré)

– Colimação de telescópios (Rui Agostinho)



17h30 – Recepção aos participantes (ao ar livre)

  • José Pedro Sousa Dias, Diretor do Museu Nacional de História Natural e da Ciência
  • Máximo Ferreira, Diretor do Centro Ciência Viva de Constância
  • Ana Noronha, Coordenadora da Agência Nacional Ciência Viva
  • José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz
  • Nelson Nunes, Diretor do Observatório do Lago Alqueva
18h00 – 24 anos de Astrofestas, Máximo Ferreira, CCV Constância

Palestras
18h30 – O lado escuro do Universo, Tiago Barreiro, Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e U. Lusófona
19h00 – Ondas gravitacionais, Vitor Cardoso, IST/Centra
19h30 – A galáxia CR7 e o fim da idade das trevas, David Sobral, U. Lancaster

20h00 – Pausa para Jantar

21h30 – Observações astronómicas (plataformas)
21h30 – Yoga para pais e filhos (terraço)

Continuação das palestras (Auditório)
21h30 – Dark Sky(R) Alqueva: O destino das Estrelas, João Passos, Genuineland – Terras de Aldeia
21h45 – Relógios de sol, o que eles nos contam, Pedro Gomes de Almeida
22h00 – Concentração de telescópios de Moimenta da Beira, Paulo Sanches, Clube das Ciências do Agrupamento de Escolas em Moimenta da Beira
22h15 – Descobrir o Universo no Observatório da U. Coimbra, Nuno Peixinho, Observatório da U. Coimbra
22h30 – Viver de perto a Astronomia, João Retrê, Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)
22h45 – Exploradores espaciais na sala de aula, José Saraiva, NUCLIO – Núcleo Interactivo de Astronomia



Domingo, 27

02h00 – Caldo Verde

06h50 – Nascer do Sol, Fotografia dos Sobreviventes (plataformas)
06h50 – Yoga (terraço)

10h00-12h00 – Programa Cultural
 
Última edição:

Luis Tovar

Cirrus
Registo
13 Jun 2017
Mensagens
5
Local
Porto
No dia 21 de agosto, segunda-feira, a Lua vai tapar o Sol. Este eclipse solar, que será total na parte central dos E.U.A., será observável em Portugal apenas ao anoitecer. O Planetário do Porto – Centro Ciência Viva promove, a partir das 19h30, na Piscina das Marés, em Leça da Palmeira, uma sessão de observação para o público, através de telescópios com filtros apropriados para observar o fenómeno.

Quanto mais para sul e para o litoral, maior será a percentagem do sol oculto. O eclipse someça por volta das 19h44 (hora local) e atinge o máximo pelas 20h20. Em Bragança, a Lua tapa 14 por cento do disco solar, no Porto pouco ultrapassa os 15 por cento, em Lisboa chega aos 19 por cento, enquanto em Faro alcança quase 22 por cento do disco solar oculto. Nos Açores, a Lua começa a tapar o Sol por volta das 18h35 (hora local), com cerca de 28 por cento do disco solar oculto às 19h25, terminando por volta das 20h12 (pouco antes do anoitecer). O local de Portugal onde o Sol apresenta mais cobertura será a Região Autónoma da Madeira, com o eclipse a começar pelas 19h48, alcançando uma ocultação de cerca de 33 por cento às 20h35.

Os mais curiosos podem juntar-se na zona da Praia de Leça da Palmeira e assistir, gratuitamente, ao eclipse solar. Este fenómeno astronómico só é possível ver com os filtros adequados.


https://noticias.up.pt/planetario-do-porto-observa-eclipse-solar-na-piscina-das-mares/
 

Snifa

Furacão
Registo
16 Abr 2008
Mensagens
10,244
Local
Porto-Marquês:145 m Mogadouro:749 m
Visto de minha casa no Porto, eclipse curto, mas mesmo assim valeu a pena.

Um total, assim com o sol em ângulo baixo é que era...:malandro:

ZAr6M.jpg