Biodiversidade

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por psm 15 Nov 2008 às 20:50.

  1. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    7,431
    Local:
    Leiria (Guimarota)
    Um problema que já existia mas que tem sido agravado em grande medida devido à seca extrema em que nos encontramos... O Tejo está morto em alguns troços do sue percurso. :(
     
    Collapse Signature Expand Signature
    luismeteo3 gostou disto.
  2. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,755
    Local:
    Fatima
    MAIOR PLANTAÇÃO DE CANÁBIS PARA FINS MEDICINAIS COMEÇOU A SER CULTIVADA HÁ DUAS SEMANAS EM PORTUGAL

    9 NOV 2017 12:25 // NUNO NORONHA
    A maior plantação de canábis para fins medicinais começou a ser cultivada em Portugal há duas semanas e, em breve, serão mais de cem mil plantas, anunciou hoje o presidente da empresa canadiana Tilray.
    [​IMG]
    Depois de um ano a viajar por todo o mundo, a Tilray escolheu o Parque Tecnológico de Cantanhede, no distrito de Coimbra, para instalar a sua produção de canábis. No verão, a empresa teve luz verde do Governo para avançar com o projeto que, há duas semanas, começou a ganhar forma.

    “Começámos a plantar há duas semanas, mas as plantas ainda são muito pequenas. Têm cerca de dez centímetros”, contou à Lusa Brendan Kennedy, diretor-executivo da Tilray, no final da sua apresentação na Web Summit, que começou na terça-feira em Lisboa e termina hoje.


    Dentro de poucos meses, contou, estas plantas “terão entre um a dois metros” e a meta da empresa é ter “mais de cem mil plantas” para exportar para países que a queiram usar para fins medicinais.

    Países a importar canábis portuguesa

    Alemanha, Croácia e Chipre são alguns dos países que em breve vão começar a importar canábis plantada em Cantanhede.

    Veja ainda: 10 benefícios científicos já comprovados da canábis terapêutica

    A Tilray vai investir cerca de 20 milhões de euros até 2020 num negócio que deverá criar cem empregos. Também presente na Web Summit, João Moura, presidente do Parque Tecnológico de Cantanhede, o Biocant, acredita que a empresa canadiana poderá vir a contratar investigadores portugueses.

    Neste momento, acrescentou João Moura, a Tilray já utiliza os laboratórios do parque para fazer investigação. "A Biocant tem cerca de 300 quadros altamente qualificados e esperamos que a Tilray aproveite esta mais-valia", disse à Lusa o responsável pelo Biocant.

    A existência de trabalhadores com formação na área da produção agrícola, assim como a comunidade de investigadores, que “pode levar a cabo investigação nas áreas da biotecnologia e das ciências da vida” foram duas das razões apontadas por Brendan Kennedy para escolher Portugal. A outra razão foi "o clima ideal para o crescimento da planta”.
    http://lifestyle.sapo.pt/saude/noti...tugal-comecou-a-ser-cultivada-ha-duas-semanas
     
    guisilva5000 e Micael Gonçalves gostaram disto.
  3. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    2,962
    Local:
    Torres Novas(75m)
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    2,962
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Abacates não, pomar de sequeiro sim !

    Numa das últimas notas de imprensa da Associação Almargem foi contestada a posição da Direção Regional de Agricultura do Algarve relativamente à crescente substituição de zonas de pomares de sequeiro tradicionais por cultivos intensivos, nomeadamente de abacateiros.

    [​IMG]

    Em recente entrevista ao jornal O Barlavento, o Diretor Regional de Agricultura, Fernando Severino, afirma que "temos de mexer no pomar tradicional e há espaço para tudo (...) as alfarrobeiras são arrancadas para dar lugar a outras culturas, quer seja abacate, quer seja citrinos".

    O contexto da entrevista tinha a ver com a propriedade de 76 hectares da empresa CITAGO, numa área a oriente do Barão de S. João, onde há três anos foram arrasados sobreiros e outras espécies autóctones, para aí instalar a "maior plantação de abacates da Europa". Circunstância que, a ser verdade, o será certamente por muito pouco tempo, tendo em conta a febre causada por este novo "ouro verde" a nível mundial, que até já provocou a entrada no negócio dos cartéis de droga latino-americanos.

    Alguns dos residentes locais queixaram-se à GNR-SEPNA que, de forma competente como é hábito, atuou em conformidade e possibilitou o avanço de um processo relativo ao abate de sobreiros mas que, alegadamente, resultou apenas numa reduzida coima à empresa.

    Atualmente a CITAGO está empenhada em ampliar a plantação de abacates para mais 50 hectares, igualmente ocupados por espécies autóctones, atingindo as vizinhanças do campo de golfe de Espiche, cujo lema central afirma estar "inserido na natureza intacta do local".

    A natureza "intacta" não inclui certamente herbicidas como o perigoso glifosato (neste caso da marca Montana Sapec) e diversos insecticidas utilizados pela CITAGO que, nos últimos anos, provocaram uma baixa significativa de insectos e aves em toda a região, nomeadamente borboletas e andorinhas. Para além, como é óbvio, do aumento do consumo de água armazenada nos aquíferos subterrâneos.

    http://almargem.org/siteantigo/inde...17-11-09-08-53-10&catid=13:noticias&Itemid=39
     
    Collapse Signature Expand Signature
    luismeteo3 gostou disto.
  5. Cinza

    Cinza
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    19 Set 2017
    Mensagens:
    68
    Local:
    Vila do Conde
    luismeteo3 gostou disto.
  6. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,755
    Local:
    Fatima
  7. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    2,962
    Local:
    Torres Novas(75m)
    E no dia em que eu pensava que já tinha visto de tudo nesta vida, eis que vejo um belo exemplar de um sobreiro, completamente rolado, como costumam fazer ao plátanos.
    Tenho a ideia que daqui a meia dúzia de anos, e deve ser essa mesmo a ideia é que ele morra, para depois os abaterem.
    Pois neste caso tenho quase a certeza que ninguém lhe ia dar uma autorização para este tipo de poda, pois apesar dele estar junto á estrada, não está em risco de cair ramos para a via.

    De salientar que este mesmo sobreiro deu origem ao nome da rua, e do próprio restaurante que o " assassinaram" desta forma cruel.
    Não devem de estar satisfeitos com o tapete de folhas que ele forma no chão, nesta época.
    [​IMG]

    Esta foto é de 2016, pois ele agora ficou apenas com o 4 troncos cortados ao mesmo nível, tal como se podam os arbustos.
     
    Collapse Signature Expand Signature
    #1642 Pedro1993, 14 Nov 2017 às 18:09
    Última edição: 14 Nov 2017 às 18:38
    Cinza, luismeteo3 e MSantos gostaram disto.
  8. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    2,962
    Local:
    Torres Novas(75m)

    Abate de azinheiras no Alentejo...





    "E o abate de azinheiras centenárias continuam a ser uma realidade dentro das plantações de olivais pertença dos espanhóis, sem que as autoridades competentes intervenham, para por fim ao que é um crime ambiental, com proporções imprevisíveis no futuro!"
     
    Collapse Signature Expand Signature
    Cinza, luismeteo3 e guisilva5000 gostaram disto.
  9. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,755
    Local:
    Fatima
    CONFIRMADO NO ESTUÁRIO DO TEJO

    [​IMG]2017-11-13 (IPMA)



    Camarão japonês (Marsupenaeus (Penaeus) japonicus) confirmado no estuário do Tejo.
    Desde o ano 2000 que o IPMA / IPMAR previa o estabelecimento do camarão japonês no Estuário do Tejo por ter sido objeto de cultivo experimental nessa área na década de 80 do século passado.
    Com esta nota, confirmamos a ocorrência e estabelecimento do camarão japonês no estuário do Tejo, estando a ser capturado pela pesca artesanal, como demonstra a foto.
    O IPMA encontra-se a preparar um artigo científico para assinalar este registo.
    Este é um camarão com interesse comercial sendo objeto de pesca no Oceano Índico e Pacífico, como o Japão, onde também é produzido em aquacultura. A sua introdução na Europa ocorreu através do Canal do Suez para o Mediterrâneo mas também de modo intencional para a sua utilização em aquacultura em França e Espanha.
    http://www.ipma.pt/pt/media/noticia...pt/media/noticias/textos/camarao-japones.html
     
  10. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    2,962
    Local:
    Torres Novas(75m)




    "Encontrei algures em Vidago o mais antigo exemplar de murta (Myrtus communis) que alguma vez tive o privilégio de observar. E também o mais bonito, abundantemente carregado de frutos de um calibre espantoso!!!"
     
    Collapse Signature Expand Signature
    luismeteo3 e Cinza gostaram disto.
  11. Cinza

    Cinza
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    19 Set 2017
    Mensagens:
    68
    Local:
    Vila do Conde
    Programa Biosfera

    Como pode o Alentejo adaptar-se à Mudança Climática?

    Fala sobre a adaptação do Alentejo às alterações climáticas incidindo sobre a florestação, praticas agrícolas a adaptar, como arquitetar a floresta do futuro, dá exemplo de diversas árvores. É bem interessante.
    https://www.rtp.pt/play/p3148/e315318/biosfera

    Foi através deste programa que tive conhecimento da adaptforchange, fiquei interessada e fui ao site http://echanges.fc.ul.pt/index.html
    Tem Ebook para download bem interessantes.

    Fichas de boas práticas para a Conservação do Solo e da Água.
    http://echanges.fc.ul.pt/projetos/adaptforchange/docs/EBook_solos.pdf

    Manual dos Produtos Complementares à Atividade Florestal no Baixo Alentejo (alfarrobeira, medronheiro…)
    http://echanges.fc.ul.pt/projetos/adaptforchange/docs/EBook_complementares.pdf

    Boas praticas de reflorestação
    http://echanges.fc.ul.pt/projetos/adaptforchange/docs/Ebook_reflorestacoes.pdf

    Plano de adaptação de Mértola às alterações climáticas (Azinheira, sobreiro, pinheiro manso, medronheiro, oliveira, alfarrobeira)
    http://echanges.fc.ul.pt/projetos/adaptforchange/docs/PLANO_Adaptacao-net.pdf
     
  12. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,755
    Local:
    Fatima
    Eu tenho! Para comer é forte demais, mas fiz um licor fantástico! As folhas podem-se usar como condimento mas ainda não usei... :D
     
    Pedro1993 gostou disto.
  13. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    2,962
    Local:
    Torres Novas(75m)
    As murtas são sempre lindas, quer quando estão" vestidas" de branco, no auge da sua floração, ou quando estão carregadinhas dos seus frutos.
     
    Collapse Signature Expand Signature
    luismeteo3 gostou disto.
  14. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,755
    Local:
    Fatima
    Pois são lindas! A variedade que eu tenho dá frutos XXL! O licor que dá é melhor que a ginginha! :D
     
    Pedro1993 gostou disto.
  15. VimDePantufas

    VimDePantufas
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    10 Fev 2014
    Mensagens:
    342
    Local:
    C Real / Oeste
    Vasco Estrela, o presidente da Câmara de Mação, denuncia dois novos focos de poluição no rio Tejo e pede respostas imediatas.

    Há um grito de revolta que chega de Mação. A autarquia não se conforma com o intenso foco de poluição detetado esta quarta-feira na praia fluvial de Ortiga e na albufeira da barragem de Belver.
    Vasco Estrela, o presidente da Câmara de Mação, receia que se verifique de novo uma mortandade de peixes no Tejo, à semelhança do que aconteceu há alguma semanas na barragem do Fratel.
    "A situação não tem estado boa para o nosso rio e ontem atingiu um ponto insuportável", conta à TSF, "temos efetivamente de por termo a esta situação, que infelizmente tem muitos anos".
    O autarca defende que as respostas têm de ser efetivas porque o problema já vem de há seis anos e são conhecidos os focos de poluição. "Já passou demasiado tempo para resolver esta situação".

    In TSF
    16 DE NOVEMBRO DE 2017 - 09:16


    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expand Signature
    luismeteo3 e Pedro1993 gostaram disto.

Partilhar esta Página