Ciclone Phailin - Norte do Oceano Índico

Felipe Freitas

Cumulonimbus
Registo
11 Fev 2012
Mensagens
3,766
Local
Florianópolis, Santa Catarina, Brasil
Se formou na Baía de Bengala a segunda tempestade da temporada de ciclones do norte do oceano Índico.
Phailin mantém atualmente ventos sustentados em 65 km/h e pressão mínima estimada em 1002 mbar.
O ambiente será favorável a sua intensificação, já que haverá pouco cisalhamento e a SST estará entre 28ºC e 29ºC.
O JTWC mostra Phailin atingindo as regiões de Andhra Pradesh e Odisha na Índia como categoria 1, já o Departamento Meteorológico da Índia indica a tempestade fazendo landfall como categoria 3.
A tempestade está afetando neste momento as Ilhas Andamão e Nicobar.

IMD: http://www.imd.gov.in/section/nhac/dynamic/rsmc.pdf

NcVv4qH.jpg
 

Felipe Freitas

Cumulonimbus
Registo
11 Fev 2012
Mensagens
3,766
Local
Florianópolis, Santa Catarina, Brasil
Tanto o JTWC quanto o Departamento Meteorológico da Índia indicam que os ventos sustentados são de 120 km/h neste momento, porém de acordo com a técnica Dvorak e pelas imagens de satélite, Phailin deve estar entre categoria 3 e 4.

T6.0/6.0 - PHAILIN - Bay of Bengal

EqR4RWV.jpg


Wa0kiBC.jpg
 

ELJICUATRO

Nimbostratus
Registo
24 Jan 2009
Mensagens
635
Local
BRAGA SUL (Baixo Minho)
Phailin foi atualizado para categoria 3.
O ciclone deve chegar no dia 12 como categoria 4 ou 5.

ICCS0Vm.jpg

Boa tarde,

De facto prevê-se agravamento do ciclone "Phailin" no oceano índico que deverá mesmo atingir CAT.5 com rajadas de vento que podem ultrapassar os 250 km/h e prevê-se que quando entrar em terra no litoral da Índia ainda chegue em CAT.3 da madrugada de Domingo fazendo grandes estragos.

O vento não será o único responsável pelos estragos, também espera-se subida do nível das águas nas áreas mais baixas da costa ocupadas por bastantes pescadores, precipitação intensa com valores que podem chegar aos 300-400mm em poucas horas.

Esse grande bicharoco está a ter um trajeto e passar pelas mesmas zonas que o ciclone "Odisha" que em 1999 tira a vida a cerca de 10.000 pessoas.

Este evento mereçe grande acompanhamento porque é raro forma-se ciclones tropicais desta intensidade e deste tamanho no oceano indíco.