Evento de Calor Excecional na Madeira - Estudo IPMA

guisilva5000

Super Célula
Registo
16 Set 2014
Mensagens
5,146
Local
Belas
EPISÓDIO DE TEMPO EXCECIONALMENTE QUENTE NO FUNCHAL (8 A 10 DE AGOSTO)
2016-08-10 (IPMA)


A ação conjunta de um anticiclone localizado a noroeste da Península Ibérica e de uma depressão centrada em Marrocos influenciaram o estado do tempo no arquipélago da Madeira. Em particular, na região do Funchal os efeitos orográficos reforçaram as condições meteorológicas, nomeadamente os valores elevados da temperatura do ar, valores baixos da humidade e o aumento da intensidade do vento.

Entre o dia 8 às 06 h e o dia 10 às 06 h, o Funchal foi afetado por tempo excecionalmente quente. Análise preliminar dos dados registados indica que não tem comparação com o passado, em particular no que diz respeito às temperaturas mínimas registadas, desde 1949 (data em que tiveram início as observações, no Observatório Meteorológico do Funchal).

Neste período de 48 horas, a temperatura do ar foi sempre superior a 28 °C: acima de 32 °C em 92 % do tempo; acima de 35 °C em 35 % do tempo. O maior valor registado da temperatura máxima foi 38,2 °C, no dia 9 às 16:10 h, comparável ao maior valor de que há registo no Funchal, 38,5 °C, no dia 10 de agosto de 1976.

A temperatura mínima, extremamente alta, registada no dia 9 de agosto foi 29,6 °C, ficando agora 3,7 °C acima do anterior máximo, 25,9 °C, registado no dia 12 de agosto de 1976.

As temperaturas altas referidas estiveram associadas a valores da humidade relativa inferiores a 30 % e vento moderado, com rajadas que variaram entre 50 e 80 km/h, em particular durante o dia 9 de agosto.

Estas condições meteorológicas excecionais, antecedidas já por dias quentes e secos, em particular o dia 5, em que foi registada uma máxima de 37,8 °C, condicionaram fortemente os acontecimentos dos dias 8 e 9 de agosto de 2016.

Os próximos 5 dias serão, em todos os aspetos meteorológicos, mais amenos, com temperaturas máximas a variarem entre 27 e 32 °C e as mínimas entre 21 e 23 °C.

ext25Yw.png
http://www.ipma.pt/pt/media/noticia...ia/noticias/textos/funchal-8-10-ago-2016.html
 

SpiderVV

Staff
Registo
26 Ago 2010
Mensagens
8,302
Local
Portalegre (400m)
ANÁLISE PRELIMINAR DO PERÍODO 5 A 10 AGOSTO 2016 NA MADEIRA
2016-08-23 (IPMA)


Na sequência da notícia “Episódio de tempo excecionalmente quente no Funchal (8 a 10 de agosto)” do dia 10 de agosto de 2016, o IPMA tem vindo a aprofundar a análise da situação meteorológica que levou à ocorrência de valores extremos de temperatura e humidade relativa nas vertentes sul da ilha da Madeira.

A ação conjunta de um anticiclone localizado a noroeste da Península Ibérica e de uma depressão centrada em Marrocos influenciaram o estado do tempo no arquipélago da Madeira no período compreendido entre 5 e 10 de agosto de 2016. Neste evento ocorreu uma advecção de ar quente e seco em todo o arquipélago (figuras 1 e 2), tendo-se atingido, aos 1500 m de altitude, valores de temperatura do ar da ordem de 25-26 ºC e de humidade relativa do ar na gama de 10-20 %.

Neste intervalo de 6 dias, nas estações do Areeiro (1590 m) e Bica da Cana (1560 m), representadas na figura 3, foram registados valores máximos de temperatura a 2 m de, respetivamente, 27.2 ºC e 28.1 ºC. Em ambas as estações, os valores mais baixos de humidade relativa a 2 m observados foram da ordem de 10 a 20 %. Devido a uma circulação predominantemente de este/nordeste, nas estações a baixa altitude localizadas na vertente norte da ilha da Madeira, bem como na ilha de Porto Santo, os valores máximos de temperatura a 2 m foram da ordem de 30 ºC e humidade relativa do ar a 2 m na ordem de 40 %.

Nas estações localizadas na vertente sul, a situação foi mais extrema, com valores de humidade relativa do ar a 2 m a atingirem mínimos de 10-20 % e de temperatura máxima do ar a 2 m da ordem de 34-36 ºC, de uma forma generalizada. Em particular, na zona do Funchal foram registados, no dia 9, os valores mais elevados da temperatura do ar a 2 m, com máximos de 38.2 ºC e 37.8 ºC, respetivamente, nas estações do Funchal/Observatório e Funchal/Lido.

Mais relevante será o facto da temperatura horária, na estação do Funchal/Observatório, ter apresentado uma subida de cerca de 7 ºC numa hora (entre as 23 horas locais de dia 4 de agosto e as 00 horas de 5 de agosto), tendo-se observado valores da ordem dos 30 a 32 ºC durante toda a noite de 5 de agosto. Entre o fim da tarde de dia 8 e a manhã de dia 9 a situação foi ainda mais extrema, com registos de temperatura de 30 a 35 ºC.

Estes valores de temperatura e humidade registados na vertente sul da ilha da Madeira não são integralmente justificáveis pelo transporte de ar quente e seco induzido pela larga escala, já que no decurso do fim-de-semana de 6 e 7 de agosto a temperatura máxima nas vertentes sul da ilha da Madeira foi da ordem dos 28 a 31 ºC. Assim sendo, as observações sugerem que fenómenos de escala local terão contribuído de forma relevante para a situação de temperaturas anormalmente elevadas registadas nesta zona.

Em particular, os registos da estações do IPMA na região do Funchal e em altitude sugerem que na madrugada de 5 de agosto (figura 4) e entre as 6 horas locais de dia 8 de agosto e as 5 horas de dia 10 de agosto, terá predominado uma circulação com sentido descendente (da montanha até ao nível médio do mar) nas vertentes sul da ilha, a qual propiciou uma rápido aquecimento do ar e uma descida acentuada (figura 5) da humidade relativa do ar a 2m, fenómeno que é habitualmente designado como efeito de foehn. Esta situação é comprovada pelos registos do IPMA, tendo-se observado, às 6 h de dia 9, temperaturas de cerca de 25 ºC na estação do Pico Alto (1118 m) e de 34 ºC no Funchal/Observatório, com vento de nordeste com cerca de 35 km/h e rajadas da ordem dos 80 km/h. A diferença de 9 ºC entre as estações do Pico Alto e do Funchal é consistente com o aquecimento que uma partícula de ar pode sofrer numa descida de cerca de 1000 metros quando a massa de ar é seca (processo conhecido por compressão adiabática seca).

Face ao caráter local deste episódio, é expectável que os modelos de maior resolução espacial exibam um melhor desempenho de previsão. O IPMA irá continuar a analisar este evento, em particular, as características do escoamento atmosférico na ilha, para permitir descrever em mais detalhe a situação meteorológica.
http://www.ipma.pt/pt/media/noticia...ia/noticias/textos/madeira-5-10-ago-2016.html

Figura 1 – Análise do modelo do ECMWF de geopotencial, temperatura e vento aos 850 hPa, válida às 00 UTC de dia 5 de agosto de 2016

Figura 2 – Análise do modelo do ECMWF de geopotencial, temperatura e vento aos 850 hPa, válida às 00 UTC de dia 9 de agosto de 2016.

Figura 3 – Temperatura do ar a 2 metros nas estações do Pico Alto, Santa Catarina/Aeroporto, Funchal/Observatório e Funchal/Lido, nos dias 4 a 10 de agosto 2016.

Figura 4 – Humidade relativa do ar a 2 metros nas estações do Pico Alto, Santa Catarina/Aeroporto, Funchal/Observatório e Funchal/Lido, nos dias 4 a 10 de agosto 2016.