Excelente vídeo de uma trovoada

Relâmpago

Nimbostratus
Registo
19 Mai 2007
Mensagens
613
Local
Lisboa (80m)
Vejam este excelente vídeo de uma trovoada em Kuala Lumpur, na Malásia. Se possível observem, também, em câmara lenta.



Há várias descargas núvem-solo que só são perceptíveis em câmara (mais) lenta.
Link do vídeo:

URL=http://www.youtube.com/watch?v=YbMAJlkvuyQ
 
Editado por um moderador:

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,098
Local
Caneças (300m) / Várzea da Serra (900m)
Vejam este excelente vídeo de uma trovoada em Kuala Lumpur, na Malásia. Se possível observem, também, em câmara lenta

Muito bom!
Especialmente ao 1:40.
 

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
Neste canal de Youtube têm montes de vídeos em câmaras de alta velocidade assim como vários timelapses

Neste podem observar com todo o detalhe uma descarga terra-nuvem



Este está muito bom:

[ame="http://www.youtube.com/watch?v=-bvmEYxEYiA"]YouTube- Slow Motion Video of a Multiple Tower Upward Lightning Flash on 6/16/10[/ame]
 
Editado por um moderador:

dahon

Nimbostratus
Registo
1 Mar 2009
Mensagens
1,647
Local
Viseu(530m)
Bem os vídeos são espectaculares, mas houve uma coisa que já algum tempo me intriga e que está bem patente nos vídeos do Minho que é o facto de no primeiro vídeo ocorrer uma descarga terra-nuvem e segundo vídeo são descargas nuvem-terra.
Agora o que eu não percebo é como é possivel uma descarga terra-nuvem e quais os factores para ocorrer um tipo de descarga ou outro:huh:


Cumps:thumbsup:
 

joseoliveira

Cumulonimbus
Registo
18 Abr 2009
Mensagens
2,889
Local
Loures (Moninhos) 128m
Interessantes estes vídeos; visto não se apresentarem em tempo real dá para observar pormenores que de outro modo seria impossível.

Quanto à tua dúvida dahon caso tenhas reparado, o que para nós parecem filamentos por onde percorre o feixe de luz correspondente à carga eléctrica pelos mesmos canalizada, se no início da descarga a mesma parte de um ponto que a emite, necessita de outro ponto que a atrai percorrendo uma secção composta por partículas electromagnéticas que dão pronta resposta a essa energia libertada e pode ser bidireccional! Tão rápido é este processo que só através de processamento muito lento da imagem é possível observar e desta forma percebê-lo.
 

dahon

Nimbostratus
Registo
1 Mar 2009
Mensagens
1,647
Local
Viseu(530m)
Interessantes estes vídeos; visto não se apresentarem em tempo real dá para observar pormenores que de outro modo seria impossível.

Quanto à tua dúvida dahon caso tenhas reparado, o que para nós parecem filamentos por onde percorre o feixe de luz correspondente à carga eléctrica pelos mesmos canalizada, se no início da descarga a mesma parte de um ponto que a emite, necessita de outro ponto que a atrai percorrendo uma secção composta por partículas electromagnéticas que dão pronta resposta a essa energia libertada e pode ser bidireccional! Tão rápido é este processo que só através de processamento muito lento da imagem é possível observar e desta forma percebê-lo.


Então se bem percebi isso quer dizer que o feixe luminoso não depende do sentido da corrente eléctrica, ou seja se o sentido da corrente eléctrica for da nuvem para a solo o feixe de luz pode começar no solo em direcção à nuvem. Será:huh:
 

joseoliveira

Cumulonimbus
Registo
18 Abr 2009
Mensagens
2,889
Local
Loures (Moninhos) 128m
Então se bem percebi isso quer dizer que o feixe luminoso não depende do sentido da corrente eléctrica, ou seja se o sentido da corrente eléctrica for da nuvem para a solo o feixe de luz pode começar no solo em direcção à nuvem. Será:huh:

Depende do ponto de partida quer seja do solo ou da nuvem, depende do ponto de onde se gera o campo magnético inverso que provoca atrito entre cargas.
Peço desculpa se não fui muito explicito, mas o que tentei explicar tem como base esta informação que acho interessante:

http://www.fisica.ufc.br/lfnm/relampagos/Elat_pf_data/Relampagos_p.html
 

joseoliveira

Cumulonimbus
Registo
18 Abr 2009
Mensagens
2,889
Local
Loures (Moninhos) 128m
Excelente... :thumbsup:

Segundo me recordo só tive a oportunidade de observar algo assim uma vez e tal como aqui o efeito sonoro quase não existe, os relâmpagos propagam-se a níveis altos com um grande efeito reflector e raramente penetram na camada gasosa entre a nuvem e o solo cuja forma extremamente brusca como muitas vezes ocorre provoca o inevitável e audível trovão.