1. Postagens no fórum Off-Topic
    Para combater registos que têm por único objectivo o de participar em tópicos controversos, o acesso às postagens está condicionado a membros com um número mínimo de 100 mensagens. Membros que não tenham esta quantidade de mensagens não poderão submeter mensagens ou criar tópicos nesta secção.
    Condições Gerais de Utilização do MeteoPT

Monarquia ou República ?

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por trepkos 26 Ago 2010 às 15:05.

?

Monarquia ou República ?

Votação fechada 4 Dez 2010.
  1. Monarquia

    30.6%
  2. República

    69.4%
  1. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Sim, eu sei. E pessoalmente acho isto das monarquias uma coisa medieval, e que se fala tanto disso mas não passa de uma ilusão que só serve para distrair os verdadeiros problemas, não é isso que mudaria o que quer que fosse.

    E essa perigosa desilusão é a mesma que nos pode fazer cair no abismo, se há uns que de tanto desiludidos até apreciariam uma monarquia por alternativa, outros até dariam boas vindas a um ditador, de certa forma foi isso que aconteceu com o tal concurso em que venceu o Salazar.

    A Republica se não muda urgentemente deixará um dia de ter suporte na sociedade e abrem-se as portas sabe-se lá ao quê.
    Se calhar estes debates dos fãs da monarquia até são bem vindos, obrigam as pessoas a pensar nestas coisas e que a Republica é um património da democracia que tem que ser salvo.

    Vou dar um exemplo que quanto a mim é bastante simbólico da podridão desta Republica. O ano passado nos meios profissionais onde me movo foi muito falado a adjudicação de um site baseado numa plataforma opensource gratuita, por quase 100 mil euros, sem concurso público. Bem como outras adjudicações à mesma entidade, todas elas abaixo dos 100 mil euros (que é o limite actual, demasiado elevado, fixado por uma nova lei de ajustes directos deste governo em 2008, e que fez com que a partir daí se desse a desgraça de ser quase tudo com ajustes directos sem concursos).

    E que site era esse ? Precisamente o site oficial do centenário da Republica ....
    Difícil haver melhor simbolismo do estado do regime em que vivemos
    !

    http://diario2.com/99-500-euros-por-um-site-3656
    http://www.tretas.org/Site do Centenário da República Custou 99500 EUROS
    http://portadaloja.blogspot.com/2009/10/local-de-execucao-lisboa.html
    http://blog.dehumanizer.com/2009/11/30/99500-euros-por-um-site-em-drupal/


    A republica tem que ser repensada, há coisas que tem que mudar, que este regime assim não sobreviverá. Por exemplo, uma reforma que me começa a parecer essencial, é a eleição presidencial, que em vez de permitir 2 mandatos de 5 anos deve permitir apenas um com 6 ou 7 anos. Os presidentes não fazem o seu papel no primeiro mandato, para garantirem a reeleição são uns meros vegetais, e depois no 2º mandato tendem a ser sobreactivos, exagerando. Foi assim com vários presidentes, Soares por exemplo, e actualmente Cavaco.

    Mas eu não culpo os políticos, os culpados são os portugueses, e essa é mais uma razão de que uma monarquia não resolve nada, pois somos nós o problema. Ainda ontem em conversa com amigos falámos que por exemplo o fim do cavaquismo esteve fortemente associado à contestação nas ruas da construção de uma barragem e a um aumento de portagens numa simples ponte.

    Ora, ironicamente, tantos anos volvidos desde o fim do cavaquismo, presentemente temos portagens a ser introduzidas por todo o país e imensas barragens a serem construídas nos nossos últimos redutos naturais.

    E a sociedade não reage nada, está adormecida, cega, surda e tola, perante tanta injustiça e corrupção a sociedade responde com indiferença.
    Quanto este país mudou em tão pouco tempo !!
     
  2. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,493
    Local:
    Porto
    Vince, o último texto nem parece teu. Sabes tão bem eu quanto por qual razão o cavaquismo caiu e este governo não cai nas ruas.

    Quanto a um hipotético retorno à Monarquia, um facto bem assente é que pouco mudaria o status quo. Os partidos estão muito fechados à mudança, o escol intelectual e empresarial está afastado da política e só ganham protagonismo as marionetas dos interesses que se instalaram gradualmente a partir do 25 Abril, mormente nos anos 80 e 90. Os vira-casacas movem-se entre todos os partidos do poder, da esquerda radical à pseudo-direita provinciana, e vão garantido o seu sustento, directamente ou indirectamente através do bolo do orçamento de Estado. Ainda recentemente soube-se que não há dinheiro para pagar os ordenados aos presidentes de junta de freguesia, há n autarquias em falência técnica, as contas dos institutos e fundações são um mistério... um dia isto vai rebentar, e sem líderes que se vislumbrem, ainda acabaremos uma mera província da Alemanha e da França, uma espécie de Florida da Europa, onde a classe média europeia vem a banhos ou jogar golfe.
     
  3. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,501
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Nas únicas alturas em que tivemos prosperidade "matámos" quem nos governava, ou tentamos mudar o regime, nos gostamos de estar no fundo do poço, de ser os pobres da Europa, de ficar com os restos e sermos atrasados, e com as poucas experiências positivas que tivemos nada aprendemos daí.

    Basta olhar pra os 4 períodos mais prósperos que Portugal atravessou.
    • As descobertas, no século XV, foram orientadas por reis espanhóis os Filipes (I, II, e III) houve a guerra da sucessão e em 1640 retomamos a independência, estando já em decadência as questões coloniais.

    • O ouro que vinha do Brasil durante o século XVII e XVIII, e que em vez de ser convertido em investimento, era convertido pra fazer palácios e conventos.

    • O pós terramoto de 1755, com o Marquês de Pombal, que após uma tentativa de modernização do país e toda Lisboa foi mandado pro isolamento pela D.Maria I em Pombal.

    • O Salazarismo e Marcelismo, e o consequente 25 de Abril, e a entrada na união europeia, Portugal, poderia ter sido um grande país juntando todos estes factores, quando se deu o 25 de Abril, havia dinheiro, havia um país, havia ideias havia pessoas capazes, hoje não há gente, não há ideias, não há dinheiro, e as pessoas capazes estão a fugir de cá.

    O único problema, nos dias de hoje, é que entramos pro mundo global, e num mundo global, temos que ter um país que funciona, não uma espécie de país, não o tendo, isto tornasse um palco de todo o tipo de tragédias, dramas e horrores, um salve-se quem puder, uma anarquia no fundo, apesar de no papel ser um estado de direito e uma democracia. Neste momento, vivemos o período mais liberal de sempre ao contrário de todos os períodos passados onde a liberdade era restringida e se fazia justiça pelas próprias mãos.

    Eu não tenho qualquer tipo de ideologia neste momento, só queria alguém, seja rei, ditador, Salazar, Marcelo, Zé da Esquina, a Ti Alzira, o que for, mas que pusesse o país a funcionar como estava antigamente, alguém sério capaz e que não quisesse enriquecer à custa do seu povo.
     
  4. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid


    Na aquela época acho que nao havia naçao que nao dizera eso das mulheres, mesmo eran poucas que davan o direito ao voto as mulheres, as naçoes de Oceania e alguna das Escandinavas.

    A verdadeira incorporaçao ao trabalho das mulheres fora na Segunda Guerra Mundial, cando os homes tinhan que loitar.

    En cuanto a os asasinatos da primera republica, nao conhezo un caso onde o sistema mude que nao houvera crimes, mesmo a revoluçáo francesa fizeran moitos asasinatos de labradores e campesinos, mais que de nobles e burgueses.

    vose pode olhar na rede de internet REVOLUÇAO FRANCESA LA VENDEE.

    La Vendée fora una regiao monarquica onde os revolucionarios exterminaran a povos enteiros de agricultores e campesinos (poucos nobles).
     
  5. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    um dia isto vai rebentar, e sem líderes que se vislumbrem, ainda acabaremos uma mera província da Alemanha e da França, uma espécie de Florida da Europa, onde a classe média europeia vem a banhos ou jogar golfe

    :lmao::lmao::lmao:

    Ja un político aqui dizera que nos teriamos que ser a California de Europa, por o sol, o turismo e as laranjas.

    Ja eu gostaría ser a California de Europa, mais o politico nao falo de nenhum Silicon Valley nem de nenhum hollywood.

    Acho que se fosemos a mesma coisa en Europa que California nos USA ja era bom.

    Acho tambén que se Portugal fose en Europa mesma coisa que Florida nos USA nao era mau, Florida ten maior PIB/percapita que nos e grande importancia electoral.

    Acho melhor ser California ou Florida que nao ficar como a ARKANSAS ou MINNESOTA da Europa, mais por vezes a regioes de España que parecen mais Oklahoma ou Minnesota que California.
     
  6. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    Nao conocordo moito con eso de liberdade, hoje a UE é tudo menos liberdade, con normas e leis. Tenho un libro de un disidente sovietico que diz que a UE por vezes lembra a URSS en moitas coisas. Hoje eu penso que moro na dictadura do "politicamente correcto".

    Exemplo

    Nao sei si vose ja viu que nos filmes tudas as pesoas que fuman tabaco sao perversos e criminais (Bogart ja no poderia fazer Casablanca).

    Acho que hoje por exemplo, ja é imposivel de fazer un filme onde o heroe fume tabaco, existe una censura do "politicamente correcto".


    Este é un exemplo "pequeno", mais ha moitos mais.


    En cuanto a pesoas é moito simple, HOJE HA GESTORES, NAO HA ESTADISTAS.

    Vose pode comparar a De Gaulle con Sarkozy?

    Pode comparar ao ministro britanico con Churchill?


    Esqueceu una coisa mais, O PRIMEIRO PARA FAZER UNA COISA É CONTROLAR A MOEDA.

    Nada pode fazer se una pesoa que nao conheze dize que vai devaluar ou sobrevalorar a moeda un 4%, e tudas as leis que vose tenta fazer nao ten utilidade nenhuma.

    Que o Euro é un erro é una coisa que eu sempre estuve a dizer, e hoje acredito que é preciso sair de iso mais cedo que tarde.

    ACREDITO QUE SI GRECIA NAO TIVESE NO EURO, NAO TIVESE A CRISE QUE ELA TUVO.

    É estupido ter mesma moeda que Alemanha cando nao temos mesma economía que Alemanha.
     
  7. MiguelMinhoto

    MiguelMinhoto
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    25 Jan 2007
    Mensagens:
    2,573
    Local:
    Lagoa - Ilha de S.Miguel Açores
    Na minha opinião hoje em dia ainda existe muito mito em relação à monarquia! Mas se formos a ver bem países desenvolvidos são monarquias, temos exemplos como o Japão, o Luxemburgo, a Bélgica a Dinamarca a Holanda, a Inglaterra, a Suécia, a Espanha. Alguns deles com leis muito mais liberais que muitas repúblicas, caso por exemplo da Holanda.
    Na Europa e mais concretamente em Portugal nunca se iria aceitar um rei absoluto, eu como monárquico defendo a democracia, a liberdade de opinião. O rei não governa é apenas o garante da união de uma nação. Se os repúblicanos acham que há mais liberdade na república pq se escolhe o presidente, pois, muitos são os países em que o presidente nao é escolhido pelo povo e dou um exemplo de um país da UE, democrático, é ele a Itália, onde o presidente é escolhido pelo parlamento. Nos EUA, a eleição do presidente também é indirecta, basta ver que Bush foi eleito com menos votos que o Al Gore, pq tinha mais delegados. Dois exemplos de repúblicas onde o povo pouca ou nenhuma intervenção directa tem na eleição do presidente. Isto sem falar nas ditaduras, que as há dos dois lados.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  8. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    Tambén nao gosto de eses sistemas presidencialistas onde una pesoa e practicamente o chefe máximo.

    O melhor sistema actual acho que rige na Suiza onde tenhen democracia direita.


    El sistema de democracia directa ó semidirecta permite a todo ciudadano suizo mayor de edad y capaz de discernir puede intervenir directamente en la toma de decisiones. Suiza es un país en el que se vota a menudo (una media 4 a 5 veces al año), durante estas votaciones se propone al electorado varios temas sobre los cuales éste debería pronunciarse.

    Aparte de elegir sus representantes, el ciudadano dispone de:

    Iniciativa popular o iniciativa formulada : permite a los ciudadanos suizos de redactar un texto legislativo en vista de crear o modificar un artículo constitucional. Para esto, ellos deben, en un plazo de 18 meses a partir de la publicación oficial de su iniciativa, recolectar 100.000 firmas en vista de poder proponer el artículo a una votación popular. Si se alcanza, la iniciativa será presentada a votación popular, en donde deberá ganar por doble mayoría de votantes.

    Iniciativa legislativa o iniciativa general : permite a 100.000 ciudadanos solicitar a la asamblea federal de legislar sobre una cuestión dada.

    Referéndum obligatorio: toda revisión de la Constitución, toda adhesión a organizaciones supranacionales y todas las leyes federales declaradas urgentes, deben ser sometidas al voto del pueblo y de los cantones (mayoría doble requerida).

    Referéndum facultativo: permite a 50.000 ciudadanos o a ocho cantones que lo piden en un plazo de 100 días a partir de la publicación del acta en la Hoja federal de demanda de votación sobre una decisión de la Asamblea federal.


    Democracia nao é votar cada 4 anos, democracia é poder do povo, e que o povo poda fazer utilidade de ese poder, mesmo por cima dos políticos que foram eleitos.

    O outro nao é democracia, é partitocracia.
     
  9. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Uma das poucas vezes na vida em que tive orgulho num Rei foi neste momento:



    Nesse dia naturalizei temporariamente o meu coração de espanhol e considerei aquele o meu Rei também :D

    Mas será que isso teve algum significado por aí além do ponto de vista social/político da nação espanhola ? Não, absolutamente nenhum. Apenas retórica, business as usual, como tudo o resto. Por exemplo, Espanha é um dos grandes fornecedores de armas do regime de Hugo Chavez. Já agora, o outro grande cliente das exportações de armas espanholas é precisamente Marrocos, o país com que Espanha tem um diferendo em Melilla. O mundo é curioso não é ? E não é um rei que o muda.
     
    #39 Vince, 29 Ago 2010 às 22:18
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 03:52
  10. rbsmr

    rbsmr
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    6 Ago 2007
    Mensagens:
    590
    Local:
    Cabeça Gorda, Torres Vedras (140m)
    O problema de Portugal não é um problema de regime monárquico ou republicano. Desde 2008, a Biblioteca Nacional tem publicado extractos de artigos de jornal em que os próprios republicanos identificam muitos problemas da monarquia que hoje ainda se mantêm...
    O problema do país é estrutural, independente do regime político. O problema de Portugal, como retrata muito bem Manuel Laranjeira, é o messianismo, ou seja, os portugueses aguardam sempre por alguém que os salve mas esquecessem-se que, na realidade, só eles se podem salvar a si próprios!
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. nimboestrato

    nimboestrato
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    8 Jan 2008
    Mensagens:
    1,865
    Local:
    Pedras Rubras-Aeroporto
    Viva a República .

    A Primeira, não estava a correr mal. Quando o PEC- 27º estava a aproximar-se dos 3,7% de défice , lá vem a participação na Guerra. Não bastava a penúria global . Desmoronou em décadas de Trevas . Abril veio, esperançou. Hoje o défice continua à deriva, o Presidente é fraquinho, mas venham de lá mais 100 anos... É sempre preferível eleger de tempos em tempos o mais alto magistrado da nação, do que gramar com imbecis vitalícios . Temos sempre a possibilidade de ir corrigindo . 100 anos ...Sem dúvidas: -Viva a República...
     
  12. Chingula

    Chingula
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    16 Abr 2009
    Mensagens:
    326
    Local:
    Lisboa
    Monarquia como tudo o que é "MONO"...não trás progresso, é conservador.
    As chamadas monarquias constitucionais, podem servir de exemplo como democracias, nos paízes onde ainda vigoram, mas o Rei (Rainha) apenas faz papel decorativo...a maior parte dos defensores da monarquia em Portugal, sonham com o poder absoluto de que foi exemplo a tradição Miguelista e, posteriormente , em regime republicano, a tentação totalitária das várias ditaduras...para endireitar o Povo.
     
  13. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,493
    Local:
    Porto
    Bem, hoje festeja-se o início de uma ditadura. Leiam o livro do Vasco Pulido Valente, está tudo lá.
     
  14. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,493
    Local:
    Porto
    Estou em crer que estás errado, mas em que te baseias para fazer essa afirmação?
     
  15. Chingula

    Chingula
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    16 Abr 2009
    Mensagens:
    326
    Local:
    Lisboa
    Por experiência própria, conheço a tendência mais geral dos monárquicos Portugueses...gosto de História e, dos nossos Reis da dinastia de Bragança, apenas reconheço mérito ao reinado de D. Pedro V...nem o irmão, nem o sobrinho tiveram visão...é a ditadura de João Franco que entorna o copo...
    Os Portugueses cultivam muito o snobismo e a vaidade pessoal, em vez do trabalho e do esforço individual contribuindo para a sociedade...é uma herança muito forte duma nobreza (?) das aparências e futilidades em torno do Rei...e isso é visível nas "elites" que logo se formam em volta dos Presidentes, mesmo em República...o que vale, neste caso, é que os mandatos são efémeros.
     

Partilhar esta Página