Monitorização do Clima de Portugal - 2022

"Charneca" Mundial

Cumulonimbus
Registo
28 Nov 2018
Mensagens
4,448
Local
Corroios (cota 26); Aroeira (cota 59)
Tópico de monitorização e discussão do Clima de Portugal em 2022!

Links úteis:


IPMA
->
Acompanhamento Clima


Climate Prediction Center - Monitoring and Data:
->
Global Temperature Time Series - Western Europe
->
Global Precipitation Monitoring - Western Europe


Anos anteriores:
- Monotorização Clima de Portugal - 2021
- Monitorização Clima de Portugal - 2020
- Monitorização Clima de Portugal - 2019
- Monitorização Clima de Portugal - 2018
- Monitorização Clima de Portugal - 2017
- Monitorização Clima de Portugal - 2016
- Monitorização Clima de Portugal - 2015
- Monitorização Clima de Portugal - 2014
- Monitorização Clima de Portugal - 2013
- Monitorização Clima de Portugal - 2012
- Monitorização Clima de Portugal - 2011
- Monitorização Clima de Portugal - 2010
- Monitorização Clima de Portugal - 2009
- Monitorização Clima de Portugal - 2008
 
  • Gosto
Reactions: guisilva5000


"Charneca" Mundial

Cumulonimbus
Registo
28 Nov 2018
Mensagens
4,448
Local
Corroios (cota 26); Aroeira (cota 59)
Enquanto que em Portugal Continental não chove há várias semanas, na Madeira e nos Açores a história foi outra, como mostram os acumulados de precipitação nos últimos 10 dias na rede IPMA: :rain:
Ponta do Pargo - 22,0 mm
Porto Moniz - 18,5 mm
São Vicente - 43,3 mm
São Jorge - 19,6 mm
Lombo da Terça - 26,9 mm
Bica da Cana - 83,1 mm
Santana - 40,9 mm
Santo da Serra - 69,5 mm
Ponta de São Lourenço - 13,6 mm
Porto Santo - 12,0 mm
Calheta - 78,9 mm
Pico do Arieiro - 143,9 mm
Areeiro - 144,6 mm
Ponta do Sol - 53,9 mm
Aeroporto da Madeira - 17,7 mm
Pico Alto - 99,9 mm
Monte - 78,3 mm
Quinta Grande - 63,1 mm
Lido - 22,6 mm
Funchal - 43,5 mm
Cancela - 27,1 mm
__________________
Nordeste - 132,3 mm
Lagoa das Furnas - 47,2 mmP
Sete Cidades - 60,7 mm
Aeroporto João Paulo II - 68,7 mm
Ponta Delgada - 44,4 mm
Vila do Porto - 68,4 mm
Praia Formosa - 85,2 mm
Ribeira das Nove - 43,9 mm
Angra do Heroísmo - 58,3 mm
Santa Cruz da Graciosa - 7,1 mm
Serra das Fontes - 10,5 mm
Velas - 43,2 mm
Pico do Areeiro - 28,6 mm
Cabeço Verde - 18,8 mm
Alto do Cabouco - 27,8 mm
Madalena - 18,3 mm
Cabeço do Teicho - 81,3 mm
Cabecinho - 20,1 mm
Santa Cruz das Flores - 45,9 mm
Corvo - 34,3 mm
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,311
Local
Olhão (24 m)
Evolução da Situação de Seca Meteorológica 2021/2022 (27 de Janeiro de 2022)

1. Situação Atual (31 Janeiro 2022)

A seca meteorológica que se iniciou em todo o território em novembro de 2021, mantém-se e agravou-se à data de 25 de Janeiro de 2022 no território continental.
Verificou-se, em relação a dezembro, um aumento significativo da área e da intensidade da situação de seca, estando todo o território em seca, com 1% em seca fraca, 54% em seca moderada, 34% em seca severa e 11% em seca extrema (Figura 1).





2. Comparação com igual período de 2005

O grau de severidade da seca meteorológica é ligeiramente inferior em comparação com a situação em final de janeiro de 2005 (seca mais intensa desde 2000) e em 2005, onde também todo o território se encontrava em seca meteorológica, mas com maior percentagem nas classes de seca severa e extrema (22% em seca extrema, 53% em seca severa e 25% em seca moderada).





3. Evolução da Situação Meteorológica

Desde o início do corrente ano hidrológico (outubro de 2021) que se regista no território valores de precipitação inferiores ao valor normal (1971-2000), sendo de salientar os meses de novembro e janeiro (até dia 25) muito secos (Figura 2).
Os valores totais de precipitação entre 1 e 25 de janeiro de 2022, são muito inferiores ao normal, com percentagens inferiores a 25% do valor médio. De realçar que janeiro, tendo em conta as previsões para a precipitação a curto prazo, deverá situar-se entre os três janeiros mais secos dos últimos 20 anos.
Considerando o ano hidrológico, desde 1 de outubro até 25 de janeiro, o valor acumulado de precipitação apresenta um défice de -255 mm (45% em relação ao valor normal) - (Figura 3).
O índice de percentagem de água no solo (SMI) apresenta uma diminuição significativa em relação ao final de dezembro em todo o território, salientando-se os valores inferiores a 20% na região Nordeste e na região Sul, sendo que em muito locais dessas regiões já se atingiu o ponto de emurchecimento permanente (Figura 4). O ponto de emurchimento permanente (θce) traduz-se no valor máximo do teor volúmico de humidade de um solo já não utilizável pelas plantas (quantidade de água existente na zona das raízes das plantas a partir da qual a planta não consegue recuperar a turgidez).





4. Antevisão da Situação Meteorológica

Numa antevisão da situação meteorológica, não se prevê a ocorrência de precipitação significativa até ao dia 3 de fevereiro. Em relação à temperatura do ar, esta apresenta uma ligeira tendência para subida a partir de dia 31 janeiro.
Segundo a previsão a médio e longo prazo, a interpretação das previsões do Multisistema-C3S e do modelo do Centro Europeu de Previsão a Médio Prazo, mostra uma tendência para que durante o mês de fevereiro a precipitação total acumulada seja inferior ao normal em praticamente todo o território.
Chama-se, porém, a atenção de que as previsões meteorológicas de médio e longo prazo assumem um carácter probabilístico, não podendo, por isso, ser admitidas com elevado grau de rigor determinístico e devendo ser continuamente revistas.





5. Cenários de Evolução

De acordo com as previsões meteorológicas será muito provável o agravamento da situação de seca meteorológica no final de fevereiro, em todo o território do continente.
De referir que, para a situação de seca diminuir significativamente ou mesmo cessar no mês de fevereiro, seria necessário que nas regiões do Norte e Centro ocorressem quantidades de precipitação superiores a 200/250 mm e na região Sul superiores a 150 mm, situação que somente ocorre em 20% dos anos.





O IPMA continuará a monitorizar a situação de seca meteorológica e informará sempre que se registem anomalias significativas.

Para um acompanhamento da situação poderá recorrer ao site do IPMA.


Fonte: IPMA
 

joralentejano

Super Célula
Registo
21 Set 2015
Mensagens
8,191
Local
Arronches, Portalegre (272m)
-7,2ºC de mínima registados em Chaves no dia 28. Provavelmente, a mínima mais baixa da temporada na rede IPMA.
Destaque também para Mirandela com -6,7ºC. No restante território, muitas estações não têm temperaturas mais baixas devido ao vento de Leste que se tem feito sentir.
17lj1kW.png


Destaque também para as amplitudes térmicas nos últimos dias e para as temperaturas superiores a 20ºC em alguns locais, especialmente do litoral.
Dia 28, apenas em 2 estações do litoral Norte:
kXsnK4I.png


Ontem, máxima superiores a 20ºC já em diversas estações, a maioria junto ao Litoral:
A4dyS6Z.png


Em termos de mínimas, novamente destaque para Mirandela com -6,6ºC e Chaves com -6,1ºC.
Fora das regiões do interior, destaque também para Dunas de Mira, com -4,3ºC.
wM7UeK7.png


Tendo em conta que estes valores têm sido recorrentes nos últimos dias, justificava-se um aviso amarelo.
 
Última edição:

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
17,646
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Alguns dados interessantes nestes dois artigos:


 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,311
Local
Olhão (24 m)

Janeiro quente e muito seco​


O mês de janeiro de 2022 classificou-se como quente e muito seco em Portugal continental.


O valor médio da temperatura média do ar, 9.65 °C, foi superior ao valor normal 1971-2000 (+ 0.84 °C), sendo o 5º janeiro mais quente desde 2000 (mais alto: 2016, 10.78 °C).

O valor de temperatura máxima do ar foi o mais alto dos últimos 90 anos, com um valor médio de 15.29 °C, + 2.20 °C, em relação ao valor normal 1971-2000. O valor médio de temperatura mínima do ar, 4.02 °C, foi 0.52 °C inferior ao valor normal

O mês foi caracterizado por valores diários de temperatura máxima do ar quase sempre superiores ao valor médio mensal, sendo de salientar os períodos de 1 a 3 e de 27 a 31 de janeiro, com desvios superiores a 4 °C. Foram ultrapassados ou igualados os valores extremos temperatura máxima do ar para o mês de janeiro em cerca de 15 % das estações meteorológicas.
A temperatura mínima também começou com valores muito acima da média, mas a partir de dia 13 os valores diários estiveram quase sempre inferiores, destacando-se o período consecutivo de 10 dias, 17 a 26 de janeiro.

Em relação à precipitação janeiro de 2022 foi o 6º mais seco desde 1931 (mais seco: 1935) e o 2º mais seco desde 2000 (mais seco: 2005). O valor médio da quantidade de precipitação, 13.9 mm, foi muito inferior ao valor normal 1971-2000, correspondendo a apenas 12 %.
De referir que em cerca de 75 % do território os valores da quantidade de precipitação neste mês foram inferiores a 10 mm.

O índice de percentagem de água no solo (SMI) apresenta uma diminuição significativa em relação ao final de dezembro em todo o território, salientando-se os valores inferiores a 20% na região Nordeste e na região Sul, sendo que em muito locais dessas regiões já se atingiu o ponto de emurchecimento permanente.

Verificou-se um agravamento muito significativo da situação de seca meteorológica, com um aumento da área e da intensidade, estando no final do mês todo o território em seca com 1 % em seca fraca, 54 % em seca moderada, 34 % em seca severa e 11 % em seca extrema.


Fonte: IPMA