Monitorização do Clima de Portugal - 2024

RP20

Cirrus
Registo
26 Ago 2021
Mensagens
96
Local
Alto Minho
tmax_20240322-png.10702


Esse mapa...Situação muito, mas mesmo muito rara.
Paços de Ferreira de modo algum é um "pólo" de calor e teve uma Tmáx de 28,2ºC, só superada por poucas estações do Litoral Norte, ou seja, nenhuma outra estação do país, superou o valor registado.
É um registo bem revelador da situação pouco usual por que passamos.
É rara, mas não tão rara assim, isso é facilmente comprovado com o que se passou em Fevereiro deste ano também.

Outlook-qcmdzho0.png

Novamente Ponte de Lima e estações Minhotas sendo as mais quentes do País. Não sendo usual, por vezes acontece.
 


Aristocrata

Super Célula
Registo
28 Dez 2008
Mensagens
6,965
Local
Paços de Ferreira, 292 mts
É rara, mas não tão rara assim, isso é facilmente comprovado com o que se passou em Fevereiro deste ano também.

Ver anexo 10717
Novamente Ponte de Lima e estações Minhotas sendo as mais quentes do País. Não sendo usual, por vezes acontece.
Sim, é claro. Nestas situações de corrente de leste, o Noroeste tem histórico de valores altos de temperatura fora do verão.
No Caso da Estação de Paços de Ferreira, considero muito raro estar nas estações mais quentes do país...
 
Última edição:

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
23,146
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)

"
2024-03-26 (IPMA)

O ano de 2023 foi o 2º mais quente (depois de 2022); o valor médio anual da temperatura média do ar, 16.59 °C foi superior em 1.04 °C ao valor normal 1981-2010.

O valor médio da temperatura máxima do ar foi 2º mais alto desde 1931 e da temperatura mínima o 9º mais alto.

Durante o ano verificaram-se 151 novos extremos de temperatura do ar, sendo de destacar:
• 102 extremos diários da temperatura máxima, dos quais 9 são absolutos registados em agosto;
• 38 extremos diários da temperatura mínima (maiores valores), sendo 1 absoluto em agosto;
• 11 extremos diários em janeiro da temperatura mínima (menores valores).

Ocorreram ainda 7 ondas de calor, 3 na primavera, 3 no verão e 1 no outono.

Em relação à precipitação foi 9º valor mais baixo desde 2000. O total de precipitação anual, 735.8 mm foi 76 mm abaixo do valor normal e 60 % da precipitação do ano ocorreu em 3 meses (janeiro, outubro e novembro).

Verificaram-se ainda durante o ano 30 novos extremos de precipitação, 13 extremos mensais em outubro e 17 extremos diários (janeiro e outubro).

Em relação à situação de seca, 30 a 40 % do território esteve em seca severa e extrema entre os meses de abril e agosto, abrangendo a região Sul. "

Relatório 2023

QuadroTempPrec-Cont_Anos1941-2023.png
 

GabKoost

Nimbostratus
Registo
19 Jan 2009
Mensagens
932
Local
Entre BRG e GMR
Sim, é claro. Nestas situações de corrente de leste, o Noroeste tem histórico de valores altos de temperatura fora do verão.
No Caso da Estação de Paços de Ferreira, considero muito raro estar nas estações mais quentes do país...

Fora do verão e no verão.

Não é raro ver as estações Minhotas de meio vale (sem ser no litoral nem nas serras) entre as líderes de temperatura.

Basta não haver corrente oceânica para que o calor e humidade fiquem bloqueados pelas montanhas a leste transformando a região num caldeirão húmido que de cima deve parecer-se com uma panela a cozer caldo verde.

Paços de Ferreira não foge a esta realidade pois está dentro do mesmo anfiteatro do Entre-Douro-e-Minho. Se a estação em causa não regista valores semelhantes então deve-se a particularidades da própria estação.
 

Aristocrata

Super Célula
Registo
28 Dez 2008
Mensagens
6,965
Local
Paços de Ferreira, 292 mts
Aqui a estação está num planalto, aliás todo o concelho de Paços de Ferreira é um planalto, daí ter geralmente temperaturas mais baixas em situações de calor.
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
12,434
Local
Olhão (24 m)

Tornados, 28 de março 2024​


2024-04-04 (IPMA)



No passado dia 28 de março o bordo sul da depressão “Nelson”, com ondulações frontais associadas, afetava o território do continente, promovendo, a partir da manhã, um fluxo de oes-sudoeste moderado a forte sobre o território (figura 1). Nas regiões do centro e do sul, à passagem de uma ondulação frontal de noroeste para sueste, encontravam-se reunidos os ingredientes necessários à formação de nuvens com desenvolvimento vertical, por vezes com natureza de supercélula (SC). Estas perturbações são caraterizadas pela presença de um mesociclone (MC), que corresponde a um movimento de rotação na nuvem, organizado, mas que se estabelece apenas em altitude. Só em condições muito particulares é possível a formação de um tornado, a partir do referido MC. Tornado implica, por definição, a presença de um vórtice em contacto com a superfície. O ambiente atmosférico ao final da manhã e tarde deste dia era, igualmente, caraterizado por um escoamento muito forte aos vários níveis, em que células convectivas coexistiam, por vezes, com bolsas de ar relativamente mais seco. Nestas condições é favorecido o transporte, vertical, de parcelas de ar com momento linear de grande magnitude, de modo que as correntes de ar associadas à precipitação, podiam causar a ocorrência de rajadas muito fortes de vento, em níveis baixos. Estes fenómenos, denominados por rajadas convectivas são, em geral, muito repentinos e localizados.
Durante a tarde deste dia foram reportados episódios de vento e precipitação forte, em diversos locais da área metropolitana de Lisboa e do sul do território do continente. A maior parte destes episódios de vento forte terá estado associada a rajadas convectivas. Alguma da documentação consultada permite concluir que, por vezes, a magnitude das rajadas terá excedido os 100 km/h.
Sobre o rio Tejo foi observado um vórtice de tornado, ao início da tarde. Na figura 2 é possível seguir o padrão de dipolo na velocidade Doppler correspondente à SC que veio a produzir o fenómeno. Pelas 13:57 UTC (UTC = hora local nesta data) a SC situava-se a oeste da foz do rio Tejo (figura 2a). Com uma advecção de 23 m/s (83 km/h) na direção es-nordeste, a SC cruzou todo o sul da cidade de Lisboa, entre a zona de Belém (figura 2b) e a zona oriental da cidade (figura 2c), onde se situava pelas 14:17 UTC, já próximo da Ponte Vasco da Gama. Dez minutos após, a assinatura do dipolo era ainda perfeitamente visível, encontrando-se a SC já sobre os terrenos sedimentares do estuário do Tejo (figura 2d). Pela análise dos elementos disponíveis até ao momento, o tornado ter-se á iniciado sobre a água do estuário, provavelmente já a este da Ponte Vasco da Gama, no período compreendido entre as 14:21 e as 14:24 UTC. Não são conhecidos efeitos de destruição associados ao tornado, pelo que não é possível estimar a sua intensidade.
Para o final da tarde, no Barlavento algarvio, foi reportado um episódio de vento forte em Benaciate (freguesia de S. Bartolomeu de Messines, concelho de Silves). Pela análise das observações com radar, documentação e relatos, confirmou-se que a ocorrência esteve associada a um tornado. Na figura 3 pode seguir-se a evolução da SC que gerou o fenómeno. Pelas 17:07 UTC a SC situava-se ainda sobre o mar (figura 3a), localizando-se nas proximidades de Lagoa (concelho de Lagoa) dez minutos após (figura 3b). Com uma advecção de 22,5 m/s (81 km/h) na direção es-nordeste, pelas 17:27 UTC esta SC situava-se próximo do local de onde foi reportada a ocorrência (figura 3c) e, dez minutos mais tarde, já se encontrava após a auto-estrada A2 (figura 3d). Este tornado destruiu duas casas pré-fabricadas, danificou outras habitações e causou a queda de árvores de grande porte que danificaram viaturas, a queda de postes de telecomunicações e de energia. Ignora-se a extensão e largura do trajeto de destruição deste fenómeno.
Uma análise preliminar dos efeitos da destruição reportada no local, aponta para que o fenómeno tenha alcançado uma intensidade de, pelo menos, F1/T2 (escala clássica de Fujita/escala de Torro), correspondendo a vento na gama 33-41 m/s, ou seja, 119-148 km/h (rajada, média de 3s). Estes valores devem ser considerados como provisórios, podendo vir a ser confirmados ou alterados proximamente.


Imagens associadas

  • Figura 1 – Campo da pressão ao nível médio do mar (linhas a preto, de 4 em 4 hPa), vento (notação de barbelas, direção e intensidade em nós), depressão (B), anticiclone (A), previsão para as 15 UTC, 28 de março de 2024. Depressão “Nelson” assinalada com seta.
    Figura 1 – Campo da pressão ao nível médio do mar (linhas a preto, de 4 em 4 hPa), vento (notação de barbelas, direção e intensidade em nós), depressão (B), anticiclone (A), previsão para as 15 UTC, 28 de março de 2024. Depressão “Nelson” assinalada com seta.
  • Figura 2 - Sequência de Imagens de PPI (indicador de posição plana, elevação 1.5°) de velocidade Doppler em relação à tempestade (m/s), 13:57 UTC (painel a), 14:07 UTC (painel b), 14:17 UTC (painel c), 14:27 UTC painel d), 28 março 2024, radar de Coruche (situado fora das imagens, canto sup. direito). Setas curvas a preto assinalam o padrão dipolar indicativo da circulação do mesociclone da supercélula (SC), a baixa altitude. Segmento a tracejado representa a trajetória aproximada da SC no período 13:57 -14:07 UTC.
    Figura 2 - Sequência de Imagens de PPI (indicador de posição plana, elevação 1.5°) de velocidade Doppler em relação à tempestade (m/s), 13:57 UTC (painel a), 14:07 UTC (painel b), 14:17 UTC (painel c), 14:27 UTC painel d), 28 março 2024, radar de Coruche (situado fora das imagens, canto sup. direito). Setas curvas a preto assinalam o padrão dipolar indicativo da circulação do mesociclone da supercélula (SC), a baixa altitude. Segmento a tracejado representa a trajetória aproximada da SC no período 13:57 -14:07 UTC.
  • Figura 3 - Sequência de Imagens de PPI (indicador de posição plana, elevação 0°) de velocidade Doppler em relação à tempestade (m/s), 17:07 UTC (painel a), 17:17 UTC (painel b), 17:27 UTC (painel c), 17:37 UTC (painel d), 28 março 2024, radar de Loulé (situado fora das imagens, para a direita). Setas curvas a preto assinalam o padrão dipolar indicativo de circulação do mesociclone da supercélula (SC), a baixa altitude. Segmento a tracejado representa a trajetória aproximada da SC no período 17:07 -17:37 UTC. Seta a preto indica o local de Benaciate (Silves), onde foi reportada destruição por vento forte.
    Figura 3 - Sequência de Imagens de PPI (indicador de posição plana, elevação 0°) de velocidade Doppler em relação à tempestade (m/s), 17:07 UTC (painel a), 17:17 UTC (painel b), 17:27 UTC (painel c), 17:37 UTC (painel d), 28 março 2024, radar de Loulé (situado fora das imagens, para a direita). Setas curvas a preto assinalam o padrão dipolar indicativo de circulação do mesociclone da supercélula (SC), a baixa altitude. Segmento a tracejado representa a trajetória aproximada da SC no período 17:07 -17:37 UTC. Seta a preto indica o local de Benaciate (Silves), onde foi reportada destruição por vento forte.
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
23,146
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
31,5ºC em Mora foi a máxima mais elevada no mapa IPMA de 5ªfeira. O dia foi bastante mais quente do que o anterior e também as máximas foram muito superiores às do dia 5.
Todas as estações das redes no mapa IPMA tiveram máxima ontem, dia 11, superior a 20ºC, inclusive Penhas Douradas com 20,7ºC.
Apenas 17 estações tiveram máxima inferior a 25,0ºC, menos uma do que as que tiveram máxima de 30,0ºC ou superior (18).
36 estações tiveram 30ºC, ou mais, arredondados (aquelas cuja máxima pertenceu ao intervalo [29,5ºC; 31,5ºC].

A máxima de Penhas Douradas foi notável, mas ficou a 2,2ºC da máxima absoluta para Abril desta estação nas Normais 71-10, que no entanto fora alcançada no último dia do mês, no ano de 1994.

TMáx_20240411.png


Edição: corrigido o erro relativo às estações com menor máxima: é inferior a 25,0ºC (e não 20,0ºC como estava).
 

Attachments

  • 2024-04-05 IPMA - Estações Valores Extremos.png
    2024-04-05 IPMA - Estações Valores Extremos.png
    147.3 KB · Visto: 4
  • 2024-04-11  IPMA - Estações Valores Extremos.png
    2024-04-11 IPMA - Estações Valores Extremos.png
    145.2 KB · Visto: 4
Última edição:

AnDré

Moderação
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
12,208
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (930m)
A máxima de Penhas Douradas foi notável, mas ficou a 2,2ºC da máxima absoluta para Abril desta estação nas Normais 71-10, que no entanto fora alcançada no último dia do mês, no ano de 1994.
O ano passado as Penhas Douradas tiveram uma máxima de 23,9ºC a 27/04. Aliás, se bem se lembram o ano passado Abril foi tórrido.
 

guisilva5000

Super Célula
Registo
16 Set 2014
Mensagens
7,156
Local
Belas
31,5ºC em Mora foi a máxima mais elevada no mapa IPMA de 5ªfeira. O dia foi bastante mais quente do que o anterior e também as máximas foram muito superiores às do dia 5.
Todas as estações das redes no mapa IPMA tiveram máxima ontem, dia 11, superior a 20ºC, inclusive Penhas Douradas com 20,7ºC.
Apenas 17 estações tiveram máxima inferior a 20,0ºC, menos uma do que as que tiveram máxima de 30,0ºC ou superior (18).
36 estações tiveram 30ºC, ou mais, arredondados (aquelas cuja máxima pertenceu ao intervalo [29,5ºC; 31,5ºC].

A máxima de Penhas Douradas foi notável, mas ficou a 2,2ºC da máxima absoluta para Abril desta estação nas Normais 71-10, que no entanto fora alcançada no último dia do mês, no ano de 1994.

Ver anexo 11321
Ainda mais impressionante como a neve tem aguentado no topo da nossa Estrela!
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
23,146
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
O ano passado as Penhas Douradas tiveram uma máxima de 23,9ºC a 27/04. Aliás, se bem se lembram o ano passado Abril foi tórrido.
Sim, esse é o máximo absoluto para Penhas Douradas em Abril, desde que há registos. Bateu o anterior recorde que era de 23,1ºC datando de 1945 (ano da grande seca histórica), como foi indicado no Boletim Climatológico de 2023-04.
As ondas de calor do ano passado, que motivaram a queda maciça de recordes de temperatura máxima em Abril, não tocou no entanto no Litoral Norte, e essa é uma diferença para estes dois dias de temperaturas próximas dos recordes nessa região.
 
  • Gosto
Reactions: "Charneca" Mundial

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
23,146
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
32,9ºC em Pinhão, Santa Bárbara foi a máxima mais elevada no mapa IPMA de 6ªfeira. O dia foi em geral mais quente do que os anteriores na região norte, incluindo o interior. No Centro, litoral e interior, e no Sul, houve em geral uma ligeira descida das máximas, mais acentuada no litoral sul algarvio.
Com excepção de Praia da Rocha, Fóia, e Cabo Carvoeiro, todas as estações das redes no mapa IPMA tiveram máxima dia 12 superior a 20ºC, inclusive Penhas Douradas com 22,7ºC.
Apenas 16 estações tiveram máxima entre 20,0ºC e 25,0ºC. Aumentou em relação a ontem o número de estações com máxima de 30,0ºC ou superior, 22, das quais apenas duas a sul do Tejo.
31 estações tiveram 30ºC, ou mais, arredondados (aquelas cuja máxima pertenceu ao intervalo [29,5ºC; 32,9ºC].

A máxima de Penhas Douradas foi ainda mais notável, subiu 2,0ºC, ficando a 1,2ºC da máxima absoluta atingida o ano passado..

De notar que este mês ainda não houve noites tropicais (mínima não inferior a 20,0ºC) em todo mapa IPMA.

TMáx_20240412.png
 

Attachments

  • 2024-04-12  IPMA - Estações Valores Extremos_p1(3).png
    2024-04-12 IPMA - Estações Valores Extremos_p1(3).png
    204.4 KB · Visto: 1
  • 2024-04-12  IPMA - Estações Valores Extremos_p2(3).png
    2024-04-12 IPMA - Estações Valores Extremos_p2(3).png
    206 KB · Visto: 2
  • 2024-04-12  IPMA - Estações Valores Extremos_p3(3).png
    2024-04-12 IPMA - Estações Valores Extremos_p3(3).png
    78 KB · Visto: 2
Última edição:

guisilva5000

Super Célula
Registo
16 Set 2014
Mensagens
7,156
Local
Belas
Como esperado, foi um mês de altos e baixos, acabou por ser super normal, tal que a anomalia foi de 0.01. :lol:
O mês de março de 2024 em Portugal continental classificou-se muito chuvoso em relação à precipitação e como normal em relação à temperatura do ar.
- O valor médio da temperatura média do ar, 12.43 °C, foi muito próximo do valor normal 1981-2010, com uma anomalia de apenas 0.01 °C.
- O valor médio da temperatura máxima do ar, 17.23 °C, foi -0.34 °C inferior ao valor médio 1981-2010.
- Temperatura mínima do ar a 4ª mais alta desde 2000; valor médio da temperatura mínima do ar, 7.63 °C, +0.36 °C acima do valor médio 1981-2010.
- Precipitação: total de 177.8 mm, quase 3 vezes o valor médio 1981-2010 (286 %), sendo o 16º março mais chuvoso desde 1931 e o 4º desde 2000.
- Percentagem de água no solo: aumento significativo dos valores de percentagem de água no solo na região Sul, estando quase todo o território ao nível da capacidade de campo.
- Seca meteorológica: no final de março terminou a situação de seca meteorológica que se verificava na região do Baixo Alentejo e Algarve, como consequência dos valores elevados de precipitação que se registaram nestas áreas.

Cores bonitas no mapa de precipitação :D

1713011220817.png


Nenhum território do continente em seca, milagre.

1713010946384.png


Muitos recordes de temperatura mínima, de salientar a AML com 3 a 4ºC de recorde, as séries de Lisboa desde 1941 é medonho.

1713011275525.png
 

Davidmpb

Super Célula
Registo
7 Jul 2014
Mensagens
5,601
Local
Portalegre( 600m)/ Fundão
Como esperado, foi um mês de altos e baixos, acabou por ser super normal, tal que a anomalia foi de 0.01. :lol:


Cores bonitas no mapa de precipitação :D

Ver anexo 11347

Nenhum território do continente em seca, milagre.

Ver anexo 11346

Muitos recordes de temperatura mínima, de salientar a AML com 3 a 4ºC de recorde, as séries de Lisboa desde 1941 é medonho.

Ver anexo 11348
Chuvoso sim, mas menos do que 2013 e 2018, como era expectável...