O Estado do País 2017

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por Orion 1 Jan 2017 às 19:57.

  1. camrov8

    camrov8
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    14 Set 2008
    Mensagens:
    2,148
    Local:
    Oliveira de Azeméis(278m)
    o orion nem todo o mundo se rege pelo calendário gregoriano nem ele é melhor que os outros e veja que coisa ridícula a malta que manda sondas para o espaço usa o calendário juliano
     
  2. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    11,318
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Clarificando, a referência ao calendário islâmico foi uma piada para simbolizar o atraso da mentalidade não só dos árabes mas de uma percentagem relevante dos muçulmanos. É o que acontece quando (um)a teologia da intolerância domina o sistema educativo.
     
  3. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    11,318
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    INE

    JN

    Traduzindo por miúdos, o crescimento da economia e da dívida é praticamente o mesmo.

    No vizinho peninsular, a dívida está a crescer mais depressa que a economia.

    Reuters

    Ainda no sul...

    Ansa

    Ansa

    Nem vou fazer referências aos gregos porque neste momento são quase irrelevantes.

    Dívida. IGCP preocupado com fraca liquidez e travão súbito nas compras do BCE

    Termino com isto:

    ECB to decide later whether to raise rates or end QE first: Nowotny

    A 'crise da dívida pública' ainda está um bocado longe de terminar.
     
  4. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,270
    Local:
    Fatima
    Portugal vai crescer 3,2% em 2017, prevê Marcelo
    Andreia Martins Costa

    19:33
    Presidente da República com previsão de crescimento optimista, enquanto o Governo se fica nos 1,8%.

    Marcelo Rebelo de Sousa revelou a sua estimativa para o crescimento do país e, está bastante distante da meta apresentada pelo Governo. O Presidente da República aponta para um crescimento optimista de 3,2%, enquanto o Governo se fica nos 1,8%.

    O número foi divulgado a um grupo de deputados croatas e captado pela RTP.
    http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/portugal-vai-crescer-32-em-2017-preve-marcelo-160502
     
  5. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,270
    Local:
    Fatima
    Atividade económica continuou a crescer em abril
    Ânia Ataíde

    16:32
    Pelo sétimo mês consecutivo, o indicador coincidente mensal para a atividade económica cresceu.
    A atividade económica aumentou em abril pelo sétimo mês consecutivo, enquanto o consumo privado se manteve pouco alterado.

    A atividade económica de abril foi de 2,5% em abril, após ter registado 2,1% em março e 1,7% em fevereiro”, segundo os dados do Banco de Portugal (BdP) divulgados esta sexta-feira.
    Já o consumo privado fixou-se em 2,5%, enquanto em 2,6% em março e fevereiro.
    http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/atividade-economica-continuou-a-crescer-em-abril-160977
     
  6. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    11,318
    Local:
    Ponta Delgada, Açores

    Isto levanta pelo menos 2 questões pertinentes...

    -> Quer isto dizer que o mérito do governo é menor do que a propaganda indica?

    -> Porque é que se fosse qualquer outra pessoa a dizer o mesmo a alegação seria vista como uma tentativa atroz de denegrir o atual governo?
     
  7. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,270
    Local:
    Fatima
  8. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,270
    Local:
    Fatima
    João Quadros19 de maio de 2017 às 10:34

    Fahrenheit 2,8
    Ver o PSD a dizer que se o país cresceu 2,8 no primeiro trimestre de 2017 é graças ao seu governo, é como ver um indivíduo a queixar-se que ele é que tomou os comprimidos para o "enlarge your penis" mas o outro é que tem o pénis maior.



    Fahrenheit 451 é um romance de Ray Bradbury. O livro conta a história de um futuro onde todos os livros são proibidos, as opiniões próprias são consideradas anti-sociais e o pensamento crítico é suprimido. No fundo, o sonho húmido de Aníbal Cavaco Silva.

    O número 451 é a temperatura (em graus Fahrenheit) a que queima o papel, o equivalente a 233 graus Celsius. O que se passou neste trimestre é uma espécie de Fahrenheit 2,8 de tudo o que foi escrito sobre a "geringonça" e o futuro do país após a construção desta alternativa à PAF. 2,8 de crescimento é a temperatura a que ardem as calças do José Gomes Ferreira (ao menos a maquilhadora do Zé Gomes Ferreira é de esquerda). É penoso ver a cara de quem anunciava um segundo resgate ter de pegar no dois, e acrescentar-lhe uma vírgula e um oito, e falar de aumento do PIB. Nunca vi tanta gente encolhida a falar de crescimento.
    ... http://www.jornaldenegocios.pt/opin...etalhe/fahrenheit-28?ref=HP_Destaquesopiniao2

    :lmao::lmao::lmao::lmao::lmao::lmao:
     
  9. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    11,318
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Relevante devido à expansão da plataforma continental.

    [​IMG]



    Esta fonte de energia, à semelhança do gás de xisto, é conhecida desde os anos 70.
     
    #294 Orion, 19 Mai 2017 às 23:42
    Última edição: 20 Mai 2017 às 20:52
  10. ClaudiaRM

    ClaudiaRM
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Dez 2009
    Mensagens:
    2,275
    Local:
    Viseu
    :lmao:
     
    Collapse Signature Expand Signature
    luismeteo3 gostou disto.
  11. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    11,318
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    [​IMG]

    Se este ano a dívida baixar dos 129% penso seriamente em converter-me ao costismo :uau:
     
  12. guerrilla

    guerrilla
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    4 Dez 2016
    Mensagens:
    115
    Local:
    Aveiro
    Depois de Fátima, Futebol e Festival falta apenas a opinião da Cristina Ferreira, do José Castelo Branco e da Madonna sobre a excelência do governo. Já nem peço a opinião da Miley Cyrus. Este Portugal está mesmo cheio de gente fútil, parasita e mediocre
     
    Collapse Signature Expand Signature
  13. guerrilla

    guerrilla
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    4 Dez 2016
    Mensagens:
    115
    Local:
    Aveiro
    A economia continua numa boa trajectória de recuperação falei disso há meses atrás, era impressionanente a quantidade unidades fabris que tem sido ampliadas ou abertas nos últimos 2 anos, só no meu sector de componentes da industria automóvel já quase perdi a conta. Claro que a Geringonnça nada contribuiu para isso, muito provavelmente estará é a estragar e se calhar agora vivemos um pico que dura mais um trimestre ou dois. Não sei é claro, mas pessimismo à parte, se a dinâmica continuar escusa de se render ao "costismo", o rácio dívida/pib diminuiu mas nada se deverá ao "costismo", antes pelo contrário, deixe isso para os ignorantes que se masturbam com os politicos em campanha elitoral
     
    Collapse Signature Expand Signature
    #298 guerrilla, 21 Mai 2017 às 00:28
    Última edição: 21 Mai 2017 às 00:39
  14. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,270
    Local:
    Fatima
    Imobiliárias nacionais registam melhores resultados de sempre no 1.º trimestre
    O aumento da procura de casas e da concessão de crédito à habitação justificam o crescimento da faturação e das vendas das maiores imobiliárias nacionais no primeiro trimestre deste ano.

    [​IMG]

    21 DE MAIO DE 2017, ÀS 11:13
    [​IMG]
    As imobiliárias Remax, ERA e Century 21 registaram nos primeiros três meses de 2017 os melhores resultados de sempre, graças ao aumento da procura por compra de casa e de concessão de crédito a habitação.

    Pela Remax surgiu o anúncio de que o primeiro trimestre deste ano foi o seu “melhor de sempre”, ao registar aumentos de faturação de 40% face ao período homólogo, de colaboradores, cujo total é de 5.400, e de transações na ordem dos 19%.

    Ler Mais Crédito à habitação sobe para máximos de sete anos

    A empresa escusou-se a divulgar os números absolutos, mas acrescenta que no segmento de luxo os “números também são muito expressivos”, com um aumento de 39% na faturação e 36,5% nas transações.

    Nos três primeiros meses do ano, a rede da imobiliária participou na transação de 6.809 imóveis (5.116 vendas e quase 1.700 arrendamentos).

    A empresa referiu à Lusa que se mantém a tendência da localização da venda de casas dos últimos anos, com a zona da Grande Lisboa a “representar uma fatia importantíssima dos negócios de compra/venda efetuados”.

    “Com exceção do concelho do Porto (com um peso de 2,91% do total), os mais importantes concelhos em termos de compra/venda são os situados na Zona da Grande Lisboa e Margem Sul”, concluiu a empresa à Lusa, que indicou a “tendência de crescimento das vendas” quer nos imóveis usados quer nos novos.

    “Na realidade, há uma escassez, cada vez mais notória, da oferta destes dois produtos, isto é, a procura tem excedido largamente a oferta, o que tem conduzido a uma subida dos preços praticados”, indicou a Remax, referindo que algumas agências suas têm “clientes interessados na compra de imóveis com características não distintas ou especiais e mesmo assim não encontram qualquer produto condicente”.

    Já Ricardo Sousa, administrador da Century 21 Portugal, confirmou que a empresa viveu também o “seu melhor trimestre de sempre”: “desde 2007 que registamos uma sólida média de crescimento, de cerca de 15%, ao ano. Porém, nos primeiros três meses de 2017 registamos um aumento de 29% na rede Century 21 Portugal”.

    Na base dos bons resultados está o aumento das transações com recurso ao crédito à habitação, o que “está a permitir que as famílias, de classe média e baixa, regressem ao mercado”.

    O crescimento no início de 2017 faz adivinhar uma “evolução muito significativa” para o resto do ano, que deverá ficar marcado por um “enorme dinamismo” no mercado imobiliário nacional.

    “Não obstante, a oferta continua bastante desajustada da procura”, comentou o responsável, notando ser “imperativo que os valores médios dos imóveis se ajustem às reais capacidades financeiras das famílias e jovens de classe média”.

    “O maior motor do mercado imobiliário nacional são os portugueses que, na sua esmagadora maioria, não possuem poder de compra compatível com os preços de aquisição ou arrendamento de imóveis no centro das cidades”, pelo que se deve abandonar uma “lógica especulativa” e enveredar por uma “lógica de valor acrescentando, centrada no consumidor”.

    Já a ERA caracterizou março de 2017 como o “melhor mês de sempre em 20 anos, um resultado justificado pelos níveis de confiança mais elevados, a economia a crescer, a maior concessão de crédito à habitação, as taxas de juro baixas e ‘spreads’ competitivos e a elevada procura por parte de estrangeiros.

    Junta-se ainda a baixa rentabilidade dos depósitos a prazo, segundo a empresa, que refere a cada vez maior procura de imóveis, tanto por estrangeiros, como por famílias nacionais.

    Ler Mais Preços das casas em Portugal estão no limite para Bruxelas

    Sem avançar números absolutos, a ERA indicou um crescimento de faturação, no primeiro trimestre e na comparação homóloga, em distritos como Setúbal (36,1%), Viana do Castelo (33,8%) ou Braga (30,6%).

    O inquérito mensal Portuguese Housing Market Survey (PHMS), produzido pela Confidencial Imobiliário e pelo RICS desde finais de 2010, tinha assinalado que em março a venda de casas em Portugal “cresceu ao ritmo mais forte já registado” por este indicador e que a colocação de novos imóveis no mercado não acompanha o ritmo de crescimento de procura de casa para comprar, o que impulsiona a subida de preços.
    http://www.sapo.pt/noticias/economi...is-registam-melhores_592168b883cb9ce35d984a45
     
  15. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    5,270
    Local:
    Fatima
    Ao contrário de Passos, Cristas aplaude PIB
    21.05.2017 às 8h00
    [​IMG]
    ALBERTO FRIAS

    CDS entende que tentar desmontar o spin do Governo é inútil. Se há folga orçamental, ainda bem: use-se
    [​IMG]
    CRISTINA FIGUEIREDO


    Há boas notícias da economia? Ainda bem. Assunção Cristas não se deixa perturbar por isso e prossegue a estratégia há muito definida: o cenário macroeconómico só lhe interessa numa perspetiva que coloca o CDS inusitadamente ao lado de BE e PCP — se há folga orçamental, em consequência da boa prestação económica, então use-se para acabar com os cortes no investimento público e com as cativações nos ministérios. Em quê é o que irá diferenciar cada um dos partidos.

    Sem o dizerem publicamente, os dirigentes centristas entendem que a estratégia do PSD de tentar desmontar o spin governamental em torno dos números do PIB, das exportações ou do desemprego “é tempo perdido” — até porque tão cedo não se consegue contrariar a perceção pública de que está tudo a correr muito bem. Mesmo admitindo que Passos Coelho pode ter razão quando diz que o crescimento económico não é sustentável a longo prazo nos moldes em que está assente — numa conjuntura internacional favorável e num boom do turismo que do mesmo modo que começou pode acabar —, os responsáveis pelo CDS sabem que vai levar muito tempo até que isso seja aferido pelos portugueses.

    A alternativa é uma espécie de “se não os podes vencer, junta-te a eles”: se o crescimento for efetivamente superior às previsões (como se deduz dos números do primeiro trimestre avançados pelo INE no início desta semana), então o Governo terá de rever a sua política de cortes e cativações, argumentam os centristas. Não por acaso, o comentário do CDS aos números do INE ficou a cargo de Isabel Galriça Neto, que aproveitou a ocasião para denunciar a falta de anestesistas, de material básico e de tratamentos oncológicos em vários hospitais e unidades de saúde.

    SEMANA NEGRA
    A semana de boas notícias para o Governo foi, em contrapartida, uma semana difícil para a líder do CDS que, quarta-feira, pela primeira vez desde que preside ao partido, fez uma intervenção “dura” no Conselho Nacional dirigindo-se diretamente aos seus críticos. Filipe Lobo D’Ávila e Raul Almeida — que integram a única tendência interna considerada como sendo de oposição a Cristas —, criticaram-na por ela ter feito da expansão do metropolitano da capital uma causa nacional do partido (levando-a ao debate quinzenal com o primeiro-ministro) quando se trata de uma questão de Lisboa. Cristas não gostou de ver essas críticas expostas no Facebook e disse-lhes no Conselho Nacional (depois deles terem repetido ali as críticas): “Tanto o Filipe como o Raul têm o meu telemóvel”. Na reunião foi também criticada a aliança do partido, em Lisboa, com o PPM e o MPT, sobretudo depois das polémicas declarações de Gonçalo da Câmara Pereira sobre a candidata.
    http://expresso.sapo.pt/politica/2017-05-21-Ao-contrario-de-Passos-Cristas-aplaude-PIB
     

Partilhar esta Página