Ondas de calor vão ser mais frequentes e intensas até 2040

Geiras

Cumulonimbus
Registo
16 Jun 2010
Mensagens
4,247
Local
Qta. do Conde / Sintra
Fenómeno é inevitável pelo menos até meados do século, dizem os investigadores. Depois, pode diminuir se baixarem também as emissões de gases poluentes.

As ondas de calor vão ser mais frequentes e intensas nos próximos anos, e deverão afectar mesmo as zonas do planeta habituadas a um clima moderado. Esta é a conclusão de dois cientistas do Instituto de Investigação de Impacto do Clima de Potsdam (Alemanha), que traçaram cenários climáticos até 2100, com base nos registos históricos da temperatura e nos níveis de emissões de gases com efeito de estufa.

Publicado nesta quarta-feira na revista Environmental Research Letters, o estudo conclui que a superfície do planeta afectada por ondas de calor extremas no Verão pode duplicar em 2020, passando dos actuais 5% para 10%. Essa área será quatro vezes maior em 2040, ou seja, 20% do planeta. Os autores Dim Coumou e Alexander Robinson consideram este cenário inevitável.

Segundo o estudo, as ondas de calor de grau três (designadas 3-sigma, por se distanciarem da média histórica em três desvios-padrão) vão tornar-se mais fortes independentemente da quantidade de gases com efeito de estufa emitidos nos próximos anos.

As regiões tropicais serão as mais afectadas, uma tendência já observada entre 2000 e 2012, tal como as zonas do Mediterrâneo e do Médio Oriente.

As ondas de calor ainda mais extremas (5-sigma, com cinco desvios-padrão), muito raras actualmente, atingirão 3% da superfície do planeta em 2040, sobretudo nas zonas tropicais, lê-se no estudo.

Por outro lado, a redução das emissões de gases com efeito de estufa pode reduzir e estabilizar o número de episódios de calor extremo na segunda metade do século XXI, realça o estudo.

Mas os investigadores admitem outro cenário, no qual as emissões de CO2 continuarão a aumentar ao ritmo actual. Nesse caso, a superfície terrestre sujeita a ondas de calor extremas aumentará 1% ao ano a partir de 2040. Em 2100, as ondas de calor de nível 3 afectarão 85% do planeta e as de tipo 5 afectarão 60%.

Os autores do estudo alertam para os “graves desafios de adaptação” que se colocam às populações perante estas previsões.

http://www.publico.pt/ecosfera/noti...r-mais-frequentes-e-intensas-ate-2040-1603169
 

Danilo2012

Nimbostratus
Registo
18 Abr 2010
Mensagens
761
Local
Japao,Nagano 720m 36N
E o que me deixa mais triste disso tudo e que ja temos a tecnologia e os recursos para nunca mais precisar queimar uma gota de óleo mais mesmo assim as grandes companias de oleo e as companias de energia vão continuar a suprimir novas tecnologias sustentáveis por causa do lucro e poder.

Enquanto isso o ecogenocidio vai se acentuando cada vez mais, em prol da mesquindade e busca por lucro, que dementes!