1. Postagens no fórum Off-Topic
    Para combater registos que têm por único objectivo o de participar em tópicos controversos, o acesso às postagens está condicionado a membros com um número mínimo de 100 mensagens. Membros que não tenham esta quantidade de mensagens não poderão submeter mensagens ou criar tópicos nesta secção.
    Condições Gerais de Utilização do MeteoPT

Polícia explode objecto suspeito...

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por Vince 23 Jul 2007 às 16:52.

  1. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    A polícia foi chamada por causa dum objecto estranho e suspeito pendurado numa árvore nas imediações dum hospital. Chamada a equipa de inactivação de engenhos explosivos, um robot telecomandado explodiu o objecto.

    Conclusão: Era uma inocente e desgraçada estação meteorológica. Embora não muito bem localizada... :lmao:


     
  2. Rog

    Rog
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    6 Set 2006
    Mensagens:
    4,515
    Local:
    Norte Madeira (500m)
    O tempo que havemos de chegar... Com máquinas digitais de alta resolução, com máquinas com detectores de diversas bandas electromagnéticas, e o recurso prioritário... explodir o objecto! Pergunto, não há medidas a tomar antes de ler à letra as suspeitas de qualquer pessoa que detecte um objecto "estranho"?
    E não é so aí, em qquer local mais movimentado que um desgraçado se esqueça de uma mala, correr o risco de lá chegar e ver um aparato policial a fazer pontaria à sua mala...
     
    Collapse Signature Expand Signature
  3. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Quando coloquei aqui esta notícia dos EUA, quem sonharia que fosse acontecer quase a mesma coisa e desta vez em ... Portugal.

    O azar desta vez não coube a uma estação, mas a uma sonda do IM.

    (c) Fonte: Correio da Manhã
     
  4. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    8,762
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Aparelho media poluição: Especialistas enganam-se na bomba

    IMAGEM

    A operação de desactivação do objecto suspeito encontrado próximo de uma casa, na Benedita (que se verificou depois ser um aparelho para medir a qualidade do ar) envolveu mais de 30 especialistas da GNR, PJ e Sapadores Bombeiros de Lisboa.
    “Não se sabia o que era, ninguém tinha visto nada igual, aquilo apareceu do nada e estava junto a uma residência, o que deixou os proprietários assustados”, disse ontem o sargento-mor Mário Fuzeta, chefe da Equipa de Inactivação de Engenhos Explosivos Improvisados da GNR enviada ao local.
    A análise por Raios X mostrava componentes electrónicos e circuitos eléctricos ligados a uma fonte de alimentação. Através de uma ferramenta própria, a GNR separou os componentes e o aparelho foi recolhido para análise no Laboratório da Polícia Científica da PJ. A operação de desactivação foi concluída na sexta-feira de manhã, após 11 horas de avaliação da situação.
    “Só depois de aberto é que soubemos que serve para o controlo ambiental”, referiu Mário Fuzeta, adiantando que o objecto tinha dois autocolantes: um a dizer “perigo, gases tóxicos” e outro amarelo com uma caveira preta desenhada, símbolo de várias matérias perigosas. Tinha ainda a identificação do fabricante – a empresa norte-americana Airmetrics, que também vende pela internet.
    MISTÉRIO DESFEITO NA INTERNET - O aparelho é um sistema portátil de recolha de ar e costuma ser usado em obras com grande impacte ambiental ou em pedreiras. Dispõe de filtros de retenção de partículas e, por vezes, de gases. É colocado no chão ou pendurado a dois metros de altura, pesa oito quilos e mede 50 centímetros, sendo revestido a PVC. As informações iniciais indicavam que poderia tratar-se de uma ozonossonda do Instituto de Meteorologia (IM), o que não veio a confirmar-se. Essas sondas são lançadas a 30 quilómetros de altitude com um balão, têm um sensor que regista as características do ar à medida que sobem e um pequeno motor, enviam os dados via rádio e caem com a ajuda de um pára-quedas. “Já encontrámos aparelhos do IM e estavam todos legais, mas este era desconhecido e só depois de fazermos uma pesquisa na internet, já no quartel dos Bombeiros Voluntários da Benedita, e usando o nome do fabricante é que percebemos o que era”, explicou Mário Fuzeta, da GNR.
    Isabel Jordão, Leiria

    CORREIO DA MANHÃ
     

Partilhar esta Página