Poluição no Alviela

thunderboy

Cumulonimbus
Registo
27 Nov 2008
Mensagens
2,030
Local
Alcanena/Aveiro
Artigo acerca da poluição no rio Alviela

Petição pela despoluição do Alviela
A Câmara de Santarém e a Junta de Freguesia de Vaqueiros iniciaram a recolha de assinaturas para uma petição a enviar ao Parlamento, reclamando uma solução para os problemas ambientais do rio Alviela.
Para Francisco Moita Flores, presidente da Câmara de Santarém, o objectivo desta recolha visa atingir as 10.000 assinaturas até 15 de Maio, mais do dobro do que é necessário para levar o debate ao Parlamento.
"Esta petição é como um acto reivindicativo e de visibilidade para não deixar morrer o dossier Alviela", afirmou o autarca social- democrata, reclamando maior abertura do Governo a encontrar uma solução para o problema.
As autarquias acusam a estação de tratamento de esgotos (ETAR) de Alcanena de funcionar de forma deficiente, libertando muitos metros cúbicos de efluentes químicos da indústria de curtumes da zona directamente para o curso de água.
Este equipamento foi construído na década de 80, mas a associação que gere o sistema de saneamento de Alcanena, constituída pela autarquia e industriais, alega não ter capacidade para assumir os avultados investimentos necessários à reparação de algumas condutas e à conclusão das obras previstas inicialmente no projecto.
Nos últimos anos, as populações ribeirinhas do Alviela têm alertado para as sucessivas descargas de produtos químicos no rio, invertendo a tendência de melhoria da qualidade daquele curso de água.
"A obra foi mal feita ou está incompleta e é preciso resolver o problema de forma definitiva", considerou Moita Flores.
Para Firmino Oliveira, presidente da Junta de Vaqueiros e da comissão intermunicipal de defesa do Alviela, o poder central não pode continuar com "os olhos fechados" em relação a este "drama" que se repete regularmente, com descargas violentas de produtos químicos que destroem o ecossistema do rio.
Segundo Firmino Oliveira, são necessários investimentos superiores a 25 milhões de euros para resolver o problema.
O cheiro a ácido sulfídrico ao longo do rio e as várias rupturas "em condutas e no aterro sanitário de Alcanena" estão a despejar "muitos litros de resíduos tóxicos" para o leito do Alviela.
Na petição, os promotores defendem a "celebração de um contrato-programa a curto-prazo que seja eficaz na resolução deste grave problema, com intervenção no Sistema de Tratamento de Águas Residuais de Alcanena, na requalificação das margens e na recuperação das Quedas de Água do Mouchão, em Pernes, e de todo os açudes ao longo do rio".
Além disso, os subscritores defendem que o "Ministério da Saúde faça um estudo sobre a qualidade de vida das populações" ribeirinhas, exigindo ainda que a EPAL "cumpra com as descargas de água para manutenção do caudal ecológico".
O reforço da fiscalização e a criação de um plano de bacia do Alviela são outras das exigências inscritas no documento.

A dita cuja Etar de Alcanena só tem trazido problemas ao dito cujo rio. Ninguém quer saber, o que é certo é que o rio Alviela cada vez está mais poluído, salvo seja as cheias do Alviela para limpar aquela "porcaria" toda.
Eu vivo a 500m da Etar e o "perfume" é bem cheiroso de tempos a tempos. Isto tem que parar!:mad:

PS: Peço aos moderadores que se o tópico estiver mal colocado que o reposicionem.
 

joseoliveira

Cumulonimbus
Registo
18 Abr 2009
Mensagens
2,889
Local
Loures (Moninhos) 128m
Artigo acerca da poluição no rio Alviela

A dita cuja Etar de Alcanena só tem trazido problemas ao dito cujo rio. Ninguém quer saber, o que é certo é que o rio Alviela cada vez está mais poluído, salvo seja as cheias do Alviela para limpar aquela "porcaria" toda.
Eu vivo a 500m da Etar e o "perfume" é bem cheiroso de tempos a tempos. Isto tem que parar!:mad:

Olá thunderboy
Diante deste foco de poluição no Alviela, espera-se no mínimo que não esteja muito próximo da nascente do mesmo. Fui lá uma vez no Verão passado, na área da praia fluvial, espaço este que achei muito interessante, só tive pena por ser (na minha opinião) muito pequeno, sendo que ao fim-de-semana rebenta pelas costuras com tanto pessoal e tanto carro.