Referendo sobre a permanência na UE no Reino Unido

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por frederico 7 Set 2015 às 13:32.

  1. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    5,059
    Local:
    Porto
    Em 2016 ou 2017 será levado a cabo um referendo no Reino Unido sobre a permanência na União Europeia. O tema é de extremo interesse e preocupação para Portugal por duas razões. Por um lado o Reino Unido é um dos principais destinos dos emigrantes portugueses, especialmente dos licenciados. Por outro lado o mercado britânico é fundamental para o nosso turismo e dezenas de milhar de britânicos vivem em Portugal, especialmente no Algarve e na Grande Lisboa.

    Existe grande preocupação entre os britânicos a viver na UE, fora do Reino Unido. Só em Espanha são cerca de 1 milhão. Muitos estão já a pedir dupla nacionalidade, pois temem as consequência do Brexit. Por outro lado muitos imigrantes europeus no Reino Unido estão a tentar obter passaporte britânico, contudo poderão já não ir a tempo pois são necessários cinco anos de permanência no país. O Reino Unido fica fora do espaço Schengen, e a partir do momento em que abandone a UE ficará muito difícil a entrada e saída de cidadãos da Europa Continental.

    http://www.telegraph.co.uk/news/wor...-expats-in-Europe-This-map-will-tell-you.html

    As sondagens têm variado muito ao longo dos últimos anos. Com a crise grega houve uma tendência para vitória do «não» à UE. Quando a crise do euro abrandou o «sim» ganhou terreno contudo com a crise dos imigrantes a partir de Junho o «não» voltou a subir e na mais recente sondagem há um empate técnico. Tudo indica que uma vitória do «sim» ou do «não» estará dependente das circunstâncias económicas e sociais dos meses que antecederem o referendo. Se houver uma nova crise na zona euro, se a crise dos imigrantes do mundo árabe se intensificar, ou num cenário extremo, se houver um ataque terrorista dentro da Europa Continental ou no Reino Unido, o mais provável será uma vitória do «não». Contudo, se a Grécia acalmar, a Europa continuar a crescer e o a crise dos imigrantes terminar então será mais provável a permanência na UE.

    http://www.telegraph.co.uk/news/newstopics/eureferendum/11617702/poll.html

    A indústria financeira é fundamental para o RU e a City já fez notar que a saída da UE seria um desastre para a economia do país. Na Escócia a larga maioria da população é pró-UE. Se os eleitores ingleses optarem pela saída a pressão para um novo referendo pela independência escocesa será insuportável, e tudo indica que perante esse cenário a Escócia ficará independente. E não é só a Escócia que ficará irritada com a saída da UE. Gibraltar, as ilhas do Canal da Mancha, a Irlanda do Norte ou mesmo o País de Gales pretendem permanecer na UE. O resultado de um Brexit será inevitalmente o fim da União, com a saída da Escócia e oo crescimento de sentimentos independentistas noutros territórios do Reino Unido.

    Para além de tudo isto, os estudos demonstram que os imigrantes europeus contribuem com um valor superior em impostos para o Estado britânico do que o valor que recebem em benefícios sociais. E a economia inglesa, sem imigrantes, colapsa, por falta de massa laboral.

    Se são tantas as desvantagens da saída da UE, por que motivo a população inglesa está tão dividida? E por que motivo será levado a cabo este referendo?

    A crise na zona euro e a entrada de imigrantes polacos, búlgaros e romenos, bem como o aumento da burocracia e das regulamentações levadas a cabo em Bruxelas deram azo ao crescimento de um partido populista, o UKIP. Nigel Farage é carismático, e apesar de ser altamente populistas, manipulando números sobre a imigração e dados sobre a UE, tem boa imprensa em alguns jornais e goza de grande popularidade nas redes sociais.

    Para estancar o crescimento do UKIP, Cameron propôs uma renegociação da presença do RU na UE, bem como um referendo. Contudo, acabou por abrir uma caixa de Pandora. É que parte do seu partido é altamente eurocéptico, e ainda sonham com a Inglaterra imperial vitoriana. Essa ala defende a saída da UE e de certa forma o isolamento inglês. Historicamente, o Partido Conservador sempre foi algo avesso à UE, enquanto os Trabalhistas defenderam a união com a Europa Continental. É portanto uma jogada arriscada. Em caso de vitória do «não», Inglaterra perderá a Escócia, poderá perder milhares de trabalhadores da Europa Continental, e várias empresas poderão abandonar a City.

    O orgulho nacionalista e o «medo» à imigração falarão mais alto que os argumentos económicos?
     
  2. james

    james
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    16 Set 2011
    Mensagens:
    4,541
    Local:
    Viana Castelo(35 m)/Guimarães (150 m)
    Mas olha que o RU sempre esteve na UE de uma forma um pouco ambigua . Desde que Tatcher negociou a sua adesão em condições muito especiais , em que , por exemplo , as contribuições do RU são reembolsadas quase na totalidade mais tarde .

    Também sistemáticamente não assinam acordos dentro da UE , como Schengen ou Maastricht , por exemplo . Além de que , em matéria de política externa estão sistemáticamente alinhados com os EUA , ignorando , pura e simplesmente as posições europeias . Não sei se sentiríamos assim tanto a sua falta .

    É verdade que que existe , clássicamente , uma posição forte dentro do RU de que eles não " pertencem " à Europa , que são uma potência mundial e eles próprios devem marcar a agenda mundial . Mas , por outro lado , os Britânicos gostam de ter uma enorme mobilidade , em particular dentro da UE , e fazem também muitas transações económicas com muitos países da UE .

    Na minha opinião , como acontece quase sempre , o medo dos britânicos em ficar com menos poder económico e mais dificuldades na mobilidade vai ditar a recusa em abandonar a UE .
     
  3. james

    james
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    16 Set 2011
    Mensagens:
    4,541
    Local:
    Viana Castelo(35 m)/Guimarães (150 m)
    Na minha perspetiva , Cameron ( longe de ser um nacionalista ) pretende manter a posição do RU dentro da UE .

    Ou seja , numa altura em que vários estados europeus questionam a posição do RU dentro da UE e ate a revisão das suas condições especiais , Cameron pretende manter tudo como esta , portanto , estão dentro mas com um pe fora .

    Claro que estas apostas politicas tem o seu risco , como se viu o risco que correram com o referendo na Escócia .

    E também com o Syrisa , por exemplo , onde Tsipras se demitiu para arrumar a casa e agora corre o risco de perder as eleições .
     
  4. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    5,059
    Local:
    Porto
    As sondagens dizem que se houver uma «renegociação» com a UE a vitória do «sim» é quase garantida.

    Resta saber o que implicará essa renegociação. Dentro da ala eurocéptica do partido de Cameron têm surgido propostas muito descabidas. Por exemplo, permitir a entrada a trabalhadores que antes de irem para o RU já têm um contrato de trabalho e impedir a entrada dos que não têm, garantir que os estudantes abandonam o país após o fim do curso ou limitar o Estado Social a pessoas que já têm mais de 4 anos de descontos. Ninguém em Portugal ou Espanha alguma vez pensou em limitar o acesso ao Estado Social a imigrantes e somos países mais pobres. Em toda a Europa estão a achar injusto que haja desigualdade de tratamento de trabalhadores que pagam os seus impostos.
     
  5. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    12,780
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    http://observador.pt/2015/09/04/cameron-diz-catalunha-saira-da-ue-caso-opte-pela-independencia/

    Sim, é o mesmo tipo que faz ameaças aos outros:

    http://www.dailymail.co.uk/news/art...s-German-leader-slammed-PM-hated-wrecker.html

    E está na altura de haver pânico:

    http://www.dailymail.co.uk/news/art...d-time-Cameron-prepares-face-Tory-rebels.html

    O RU até tem bastantes problemas. E um deles é populacional. É o país com maior densidade da Europa. E importa 40% dos alimentos que consome (parece Portugal). Quanto mais a população aumentar, pior é o cenário:

    http://www.foodsecurity.ac.uk/issue/uk.html

    Isto parece uma daquelas coisas que nunca ninguém liga, mas a segurança alimentar é crítica para uma nação. Quanto maior a exposição a importações maior é a exposição às flutuações cambiais e aos perigos geopolíticos.

    E ainda vou ser mais polémico. As tensões sociais/étnicas/religiosas não são tão más lá devido ao socialismo vigente. O caso francês é o mais conhecido mas o britânico também não é melhor:

    http://www.dailymail.co.uk/news/art...-s-benefits-says-Osborne-clears-way-cuts.html

    Já escrevi, a austeridade está para ficar. E com isto um aumento previsível das tensões. Voltando ao referendo, parte de mim acha que o RU irá adoptar o euro nos próximos 5/10 anos. Inconcebível? Tal como vi num documentário ontem no canal História, os alemães em 1939 nunca concebiriam o grau de destruição que a Alemanha sofreria nos 6 anos seguinte. E a adesão do RU vai ser pelo mesmo motivos que todos os outros países: 'juntos somos mais fortes' (isso e os políticos que não querem perder o dinheiro dos banqueiros que são resultado da lavagem de dinheiro).
     
    Collapse Signature Expand Signature
  6. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    12,780
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Só uma pequena adição:

    http://www.dailymail.co.uk/news/art...al-huge-rise-hate-crimes-against-Muslims.html

     
    Collapse Signature Expand Signature
  7. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    5,059
    Local:
    Porto
    Cuidado ao ler alguns jornais ingleses. Em muitos há uma clara campanha pelo «não», com distorção de dados e números.

    Cuidado também com as caixas de comentários a algumas sondagens. Os membros e simpatizantes do UKIP são extremamente activos nas redes sociais e nas caixas de comentários, mas não traduzem a vontade da maioria da população.

    Quem lesse os comentários online às notícias sobre o referendo escocês ou visse as sondagens online ou de alguns jornais ficaria convicto que a Escócia ficaria independente, ora não foi isso que sucedeu.

    Os membros de algumas minorias ideológicas ou os simpatizantes de algumas causas são extremamente activos na comunicação social, caixas de comentários e nas respostas a sondagens, é o caso dos simpatizantes do UKIP; Frente Nacional, independência da Catalunha, Podemos, Aurora Dourada ou Syriza.
     
  8. james

    james
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    16 Set 2011
    Mensagens:
    4,541
    Local:
    Viana Castelo(35 m)/Guimarães (150 m)

    E em alguns casos , essa e uma forma de difusão ideológica promovida pelas próprias direções partidárias .

    E uma forma de empreendedorismo politico .:D
     
  9. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    5,059
    Local:
    Porto
    Sim.

    Há quem dia até que há partidos em Portugal a pagar a membros das jotas e a reformados para espalharem comentários nas caixas dos jornais online e nas redes sociais. Fala-se em surdina de casos ligados ao PCP, PS e PSD...
     
  10. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    8,633
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    não é para cortar no NHS nem para salvar banqueiros? então não há referendo nenhum, foi só pra ganhar as eleições.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  11. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    5,059
    Local:
    Porto
    Vai haver referendo sim.

    A dúvida está na posição final do Cameron. O partido tem uma ala muito eurocéptica que sonha com a Inglaterra imperial vitoriana e está difícil de controlar. Contudo tudo indica que no final haverá uma campanha pelo «sim» dos 3 principais partidos. O UKIP e dissidentes dos conservadores farão campanha pelo «não».
     
  12. camrov8

    camrov8
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    14 Set 2008
    Mensagens:
    2,176
    Local:
    Oliveira de Azeméis(278m)
    que saiam é muito fácil falar o UK não é a potencia industrial que era, quando ser virem a ter pagar taxas para exportarem e terem fronteiras, é muito lindo
     
  13. Albifriorento

    Albifriorento
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    4 Dez 2010
    Mensagens:
    500
    Local:
    Castelo Branco
    Existe muita ingenuidade de ambos os lados. Por um lado, usar o argumento da imigração, e o RU nem do espaço Shengen faz parte, para se arugumentar como um sinal que se deve sair da UE não é nada. O RU tem controlo absoluto sobre as suas fronteiras, e teóricamente, neste preciso momento, podem fechá~las sem receber qualquer penalisação. O que usam o argumento da imigração, estão simplesmente a cair numa falância.

    Por outro lado, os, poucos, acordos de comércio, e a proximidade da UE, sempre beneficiou o RU. E os sistema actual, de blocos económico, neste caso particular a UE, será sempre mais favorável ao RU, do que se este permanessece isolado. Apesar de ser uma potência económica, e de ser a cabeça da Comenwelth, continuo a pensar que a associação com a UE, beneficia melhor o RU. Por outro lado ainda, e visto que o RU não é signatário de muitos acordos, poderá até não haver muitas consequências da saída da UE,

    Aconteça o que acontecer, a decisão será sempre dos britânicos, espero simplesmente que ignorem as falâncias e demagogias e se foquem em factos concretos.
     
  14. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    12,780
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Não há dúvidas. Já publiquei isto. Publico novamente:

    http://www.dw.com/en/cameron-tells-dissenting-mps-to-support-eu-referendum-or-quit/a-18501757

    Já está na altura de testar o bluff. Não há paciência para esta gente. Se não gostam da UE, saiam. Não fiquem propositadamente no limbo para usar a adesão, ou falta dela, para fazerem birras de vez em quando. Não se fez isso com a Grécia? Que se faça com o RU.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  15. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    12,780
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página