Seg. Previsão do Tempo e Modelos - Novembro 2010

Estado
Fechado para novas mensagens.

MarioCabral

Cumulonimbus
Registo
14 Jan 2010
Mensagens
2,367
Local
Senhora da Hora - 100m /Povoa de Cervães - 420m
No meu intervalo de descanso pelo fórum já muita coisa se passou e previsões que eram vistas como muito prováveis foram desfeitas e assim sucessivamente...
Embora membros bem mais experientes tenho dado já as "suas" previsões pelo contexto dos modelos...vou dar também uma palavrinha sobre o que estou à espera....

- Parece-me ser unânime que será na manhã de segunda-feira que se vai começar a sentir, principalmente a Norte, os efeitos da depressão situada ligeiramente a SE da Irlanda e que ao contrário do esperado se deslocará para SE em vez de caminhar para SW...

- A relação do vento com a ondulação será também importante. Já se falou que o vento será forte, não tenho dúvidas disso, mas acho que mais fraco que no último episódio certamente no litoral...agora em altitude no interior norte e centro será bem mais forte. A localização do centro da depressão, fortalecida pelos vento irá fazer crescer a ondulação, mas não creio que cheguem aos valores apontados...4/5metros e dai não passará...vejam-se as previsões do centro hidrográfico que nem a esses valores chegam...

- As temperaturas não irão cair como o esperado, afinal (corrijam-me se estiver errado) o deslocamento do epicentro para SE fará com que a circulação que se esperaria vinda de latitudes maiores acabem por não acontecer...penso que teoricamente se mantivesse-mos a localização do centro da depressão a SW da Irlanda íamos apanhar com o ar frio vindo de Norte que ia ser uma beleza...

- O mesmo acontece com a precipitação, depressão mais para este e lá se vai ficar tudo por terras espanholas, especialmente nos sistemas montanhosos do NW...apostaria que o Interior Norte e Centro com menos que o esperado, já o litoral irá recolher qualquer coisa...resta esperar que a depressão não se desloque tanto para este e daí iríamos beneficiar muito já que o NW galego não os "taparia" a precipitação...mais precipitação e os primeiros flocos a cotas mais baixas...cenário pouco provável...as cotas deverão ficar-se nos 1700/1800mm...

Veremos então...
 

nimboestrato

Nimbostratus
Registo
8 Jan 2008
Mensagens
1,865
Local
Pedras Rubras-Aeroporto
Aos que expectavam mais, recomenda-se paciência.
Aos que regozijam com o que aí vem, ainda que mais mensurado, comedido,
haja usufruto..
Aos vizinhos do Oceano do litoral Oeste , haja compensação...
Aos que já desconfiam do saldo final e nada vêem mais adiante
uma palavra de conforto e de esperança...
A todos, os que estão prontos para voltar a olhar os céus,
bons relatos.
Como disse o Vince atrás , por outras palavras,
para nós, alguma coisa é melhor que esta pasmaceira, que dá jeito um dia ou dois,
mas depressa satura.
E veremos se será só alguma...
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
mas não creio que cheguem aos valores apontados...4/5metros e dai não passará...vejam-se as previsões do centro hidrográfico que nem a esses valores chegam...

Fui ver o modelo do Instituto Hidrográfico, e talvez não tenhas visto bem. Se bem que a run ainda seja de ontem também, não sei como sai nas próximas.

72089428.gif

http://www.hidrografico.pt/previsao-oceano-atlantico.php

Em relação ao resto que disseste, sim, concordo, não está ao mesmo nível, uma frente menos activa, e um pós-frontal também bem mais fraco, mas afinal o outro também foi excepcionalmente bom, na metade norte do país com células por todo o lado umas atrás das outras, não acontece todos os dias, e que diabo, foi há apenas uma semana.

Em relação ao frio, ele antes também já não era muito, as cotas estavam baixas mais pelo efeito dos baixíssimos geopotenciais com a depressão próximo de nós do que propriamente por haver muito frio.


Agora resta saber como vai essa ondulação chegar à costa. Ela vem bem de Norte, o que não é a direcção mais favorável para vermos ondas "gigantes" nas praias. O vento forte também poderá não permitir que as ondas se elevem tão alto na zona de rebentação. Por outro lado, o período das ondas a rondar os 17s indicam uma componente de ondulação mais longíqua e organizada. Estou curioso para ver como uma ondulação destas características se vai comportar nas praias, não é muito vulgar uma ondulação com a área de geração localizada assim tão a Norte.

É provavel que fique aquém do que aparece em modelos, tenho ideia de que em anteriores depressões com esta trajectória e movimento rápido que geralmente alguns modelos exageram um pouco. Mas também estou com curiosidade.


O pessoal anda habituado a caviar nos últimos tempos e agora desdenha uma boa vitela:D.

:D


Penso que ainda não foi falado aqui, mas a depressão que nos irá afectar na 2.ª Feira será uma depressão típica de Outono (até um pouco anormal para esta data no Outono) mas a que era modelada (até desejada por muitos membros do fórum) para ser uma autêntica tempestade de Inverno.

A que a certa altura foi modelada, algo equivalente penso que nesta altura, início de Novembro, só ocorreu uma vez nas últimas 3 ou 4 décadas. Faz amanhã 28 anos, e foi relatada pelo Nimbostratos neste tópico:
http://www.meteopt.com/forum/evento...-historicas-em-portugal-1560-2.html#post58429
Pena não ter evoluído para isto, poderia ser um pronuncio do Inverno, pois 3 meses depois dessa depressão de 7 Novembro de 1982 ocorreu o famoso nevão a cotas baixas de 1983 :D
 

jpmartins

Cumulonimbus
Registo
16 Out 2007
Mensagens
2,322
Local
Vila Nova da Palhaça (Aveiro)
A ultima actualização do IM, onde se verifica uma subida da velocidade do vento.


Continente

Previsão para 2ª Feira, 8 de Novembro de 2010

Céu muito nublado.
Chuva, por vezes forte nas regiões Norte e Centro, passando
gradualmente a regime de aguaceiros que serão de neve acima dos
1200/1400 metros.
Condições favoráveis à ocorrência de trovoada, em especial nas
regiões Norte e Centro.
Vento moderado a forte (30 a 50 km/h) de oeste, rodando para
noroeste, com rajadas da ordem dos 90 km/h no litoral.
Nas
terras altas, o vento será forte a muito forte (50 a 70 km/h),
com rajadas da ordem dos 110 km/h.


Actualizado a 6 de Novembro de 2010 às 10:39 UTC
 

Jorge_scp

Nimbostratus
Registo
17 Fev 2009
Mensagens
1,067
Local
Casal do Rato (Odivelas)
Fui ver o modelo do Instituto Hidrográfico, e talvez não tenhas visto bem. Se bem que a run ainda seja de ontem também, não sei como sai nas próximas.

72089428.gif

http://www.hidrografico.pt/previsao-oceano-atlantico.php

É provavel que fique aquém do que aparece em modelos, tenho ideia de que em anteriores depressões com esta trajectória e movimento rápido que geralmente alguns modelos exageram um pouco. Mas também estou com curiosidade.


Na minha opinião, o modelo do Hidrográfico tem a tendência de ser bastante mais meigo que a realidade. O que não quer dizer que esteja errado neste caso em particular. Digo isto com base em muitas observações e acompanhamento de vários modelos de previsão do estado do mar, dados de bóias, há já alguns anos. É preciso ter em atenção alguns aspectos quando lemos uma previsão do estado do mar, para não saírmos enganados:

-As alturas das ondas são medidas em oceano aberto, através da oscilação das bóias na superfície livre do mar (z=0m). Mede-se a distância entre a crista e a cava de uma onda, onde se considera uma cava quando z atinge um pico negativo e a crista quando atinge um pico positivo. Por exemplo, se passamos de z=-2m para z=2,3 m, temos uma onda com 4,3 m. Como facilmente se compreende, esta ondulação aqui, a cerca de 90 metros de profundidade, ainda não sentiu o fundo, então comporta-se de maneira muito diferente em relação à costa. Normalmente, a ondulação é maior que a altura das ondas na rebentação na costa. Esta última depende de muitos factores, como o período, direcção da ondulação, vento, etc.

Neste caso, penso que é possível atingirmos ondulações com cerca de 9 metros, com ondas máximas registadas nas bóias até 15 metros. E estou curioso, como disse, para ver como se vai comportar junto à costa. Mas estou convencido que as condições levarão a que a altura das ondas na rebentação seja bastante inferior à ondulação. Aponto para cerca de 3 metros nas praias mais expostas.

Já agora, os modelos baseados no GFS apontam neste momento, ainda para cerca de 10m de altura significativa.
 

beachboy30

Cumulus
Registo
29 Mai 2008
Mensagens
405
Local
Aroeira
Relativamente a essa questão do período, por exemplo para amanhã está previsto um aumento da ondulação para perto dos 2m (alto mar), mas o período desce drasticamente (segundo o windguru), praticamente para metade (10s para 5s). Qual é o efeito disso nas ondas junto à costa? Por exemplo para o surf?
 

rozzo

Staff
Registo
11 Dez 2006
Mensagens
2,467
Local
Montijo/Lisboa
Relativamente a essa questão do período, por exemplo para amanhã está previsto um aumento da ondulação para perto dos 2m (alto mar), mas o período desce drasticamente (segundo o windguru), praticamente para metade (10s para 5s). Qual é o efeito disso nas ondas junto à costa? Por exemplo para o surf?

Não entendo muito de surf, mas suponho que períodos muito curtos não sejam muito bons, e causem ondulação mais desordenada..
 

beachboy30

Cumulus
Registo
29 Mai 2008
Mensagens
405
Local
Aroeira
Não entendo muito de surf, mas suponho que períodos muito curtos não sejam muito bons, e causem ondulação mais desordenada..

Certo, é essa a minha percepção. Só acho muito estranho amanhã o windguru prever uma passagem de 10s para 5s no período, assim de repente. Ok, vem vento de Norte para amanhã, mas também não me parece ser assim tanto (ainda para mais durante a madrugada e manhã) que possa causar essa desordenação, e principalmente uma descida tão abrupta do período...
 

rozzo

Staff
Registo
11 Dez 2006
Mensagens
2,467
Local
Montijo/Lisboa
Certo, é essa a minha percepção. Só acho muito estranho amanhã o windguru prever uma passagem de 10s para 5s no período, assim de repente. Ok, vem vento de Norte para amanhã, mas também não me parece ser assim tanto (ainda para mais durante a madrugada e manhã) que possa causar essa desordenação, e principalmente uma descida tão abrupta do período...

Bom, pode-se pesquisar um pouco na net sobre isso, mas pelo que me recordo assim muito de repente de aprender sobre ondas nas cadeiras de Oceanografia, ondulação gerada proximamente tem período mais curto. Por exemplo aquelas ondinhas pequeninas quase só espuma ou "carneiros" quando está muito vento, geradas localmente, todas sobrepostas, e o oposto, ondas de uma tempestade muito distante, mais ordenadas e espaçadas.
Nesse caso que referes faz sentido, a depressão está-se a aproximar, logo a geração das ondas é cada vez mais próxima, assim como o período.
;)
 

Jorge_scp

Nimbostratus
Registo
17 Fev 2009
Mensagens
1,067
Local
Casal do Rato (Odivelas)
Relativamente a essa questão do período, por exemplo para amanhã está previsto um aumento da ondulação para perto dos 2m (alto mar), mas o período desce drasticamente (segundo o windguru), praticamente para metade (10s para 5s). Qual é o efeito disso nas ondas junto à costa? Por exemplo para o surf?

Numa ondulação total, podes ter mais de uma componente ondulatória, isto é, mais do que um foco de geração de ondulação. Os períodos curtos significam que a maior contribuição para a ondulação é o vento local, e gera então um mar desorganizado, com os tais "carneirinhos". Períodos longos significam que as ondas foram geradas mais longe, e já tiveram tempo para se organizar, e vêm nos tais sets bem definidos (as famosas "7 ondas"). Isto acontece porque a ondulação, devido a efeitos de interacção não linear, tem tendência a transferir energia de altas frequência para as baixas frequências. Assim, quanto mais longe é a geração da ondulação, mais energia é transferida para as baixas frequências, ou seja, eleva o período da ondulação.
Se a ondulação é gerada pelo vento local, a energia ainda está grande parte nas altas frequências=baixos períodos.

O período amanhã desce drasticamente porque a partir de uma certa altura o vento Norte vai ser suficientemente forte para se tornar a maior contribuição de energia para a ondulação. O que não quer dizer que não haja uma ondulação de fora com um período maior, mas terá menor importância. Digamos que a ondulação total é uma soma de várias componentes de geração!

Resumindo, para o surf as melhores condições é quando temos ondulação de fora, com períodos elevados, e o vento em terra é fraco ou off-shore. :thumbsup:
 

joao henriques

Cumulus
Registo
8 Jan 2010
Mensagens
153
Local
santarem-s.martinho do porto-nazare
Numa ondulação total, podes ter mais de uma componente ondulatória, isto é, mais do que um foco de geração de ondulação. Os períodos curtos significam que a maior contribuição para a ondulação é o vento local, e gera então um mar desorganizado, com os tais "carneirinhos". Períodos longos significam que as ondas foram geradas mais longe, e já tiveram tempo para se organizar, e vêm nos tais sets bem definidos (as famosas "7 ondas"). Isto acontece porque a ondulação, devido a efeitos de interacção não linear, tem tendência a transferir energia de altas frequência para as baixas frequências. Assim, quanto mais longe é a geração da ondulação, mais energia é transferida para as baixas frequências, ou seja, eleva o período da ondulação.
Se a ondulação é gerada pelo vento local, a energia ainda está grande parte nas altas frequências=baixos períodos.

O período amanhã desce drasticamente porque a partir de uma certa altura o vento Norte vai ser suficientemente forte para se tornar a maior contribuição de energia para a ondulação. O que não quer dizer que não haja uma ondulação de fora com um período maior, mas terá menor importância. Digamos que a ondulação total é uma soma de várias componentes de geração!

Resumindo, para o surf as melhores condições é quando temos ondulação de fora, com períodos elevados, e o vento em terra é fraco ou off-shore. :thumbsup:

o mais relevante sera mesmo a ondulação que estará brutal:surprise:!!
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
10,647
Local
Olhão (24 m)
7485505_Um9K6.jpeg


Mais uns chuviscos que devem render no máximo 5 mm, pelo Sotavento Algarvio. :( As ervas que nasceram com as primeiras chuvas estão a desaparecer e a terra está dura como se fosse Verão. :disgust:
 

Aurélio

Cumulonimbus
Registo
23 Nov 2006
Mensagens
4,335
Local
Faro
Neste mês de Novembro que tem sido muito seco nos primeiros dias deste mês tende a manter durante os primeiros 15 dias do mês um cenário muito seco a sul que neste momento perspectiva que seja na ordem dos 5 mm, no Sotavento Algarvio e deverá ocorrer se calhar para cima de 80 mm na região Norte até meio do mês ...
Valores estes que são bastante abaixo da média, e que dão porventura a ideia de que teremos uma 2ª metade do mês bastante seca também ....
Contudo de acordo com os dados que tenho vindo a consultar está-me a parecer que entre 15 a 20 manter-se-á estas condições a Norte e Centro do país, e ainda seco no sul....
Para a restante década do mês espero então que o cenário de chuva se intensifique em especial a Norte e Centro mas que nas regiões do Sul também se intensificarão ... o que não quer dizer que obtenhamos a média do mês nas regiões do Sul !!
 
Estado
Fechado para novas mensagens.