Seguimento - Incêndios 2012

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,045
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
Tópico de seguimento de incêndios em Portugal Continental durante o ano de 2012



Link's úteis


Instituto de Meteorologia - Índice Risco de Incêndio
http://www.meteo.pt/pt/ambiente/risco_incendio/

Protecção Civil - Incêndios
http://www.prociv.pt/cnos/Pages/HistoricodeOcorrencias.aspx

MODIS Rapid Response
http://rapidfire.sci.gsfc.nasa.gov/realtime/
http://rapidfire.sci.gsfc.nasa.gov/subsets

FIRMS Web Fire Mapper
http://firefly.geog.umd.edu/firemap/

European Forest Fire Information System (EFFIS)
http://effis.jrc.ec.europa.eu/


FIRE GLOBE: The Global Fire Monitoring Center (GFMC)
http://www.fire.uni-freiburg.de/
 
Última edição:

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,045
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
Mais de 1400 fogos florestais só este ano

Situação de seca que o país atravessa tem contribuído para o número anormal do incêndios para a época.

Mais de 1 400 incêndios florestais deflagraram desde o início do ano, e só no último fim-de-semana ocorreram 342, situação que a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) considera anormal para a época de Inverno.

Miguel Cruz, adjunto de operações nacionais da ANPC, disse à agência Lusa que nos dois primeiros meses deste ano houve uma completa ausência de precipitação o que provoca elevados níveis de secura, contribuindo para as condições de propagação de incêndios.

Segundo a ANPC, desde 01 de Janeiro ocorreram 1 453 incêndios que envolveram 9 860 operacionais e 2 795 veículos. O relatório dos incêndios florestais do ano passado refere que, em Janeiro e Fevereiro de 2011, meses em que se registou precipitação, deflagraram 592 fogos, concluindo-se que este ano os fogos mais do que duplicaram. Só no último fim-de-semana o número de ignições é quase semelhante às registadas em Fevereiro de 2011 (380).

Miguel Cruz adiantou à Lusa que a maioria dos incêndios são de pequena dimensão, ocorre em matos, sendo os distritos de Lisboa, Porto e Viseu os mais afectados.

O adjunto de operações nacionais da ANPC sublinhou também que a continuar esta situação de seca pode levar a situações «mais complicadas», como o deflagrar de incêndios em zonas de florestas.

Para Miguel Cruz, na origem dos últimos incêndios estão a realização de queimadas. Nesse sentido, a ANPC recomenda a não realização de queimadas caso se continue a registar níveis de elevada secura e relembra que só se podem realizar com licenças obtidas nas câmaras municipais.

Para o combate dos 1 453 incêndios ainda não houve necessidade de envolver os meios aéreos.
Por: tvi24 / MM | 13- 2- 2012 19: 44


Incêndio cerca casas e capela em Viseu

Fogo em Travassos de Orgens foi apenas um dos vários fogos de pequenas dimensões que deflagraram no distrito esta segunda-feira.

Um incêndio florestal ameaçou, esta segunda-feira, algumas habitações de Travassos de Orgens, Viseu, tendo as chamas chegado ao muro de uma pequena capela na localidade, contaram à Lusa alguns habitantes.

O incêndio, de pequenas dimensões, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu, teve início às 13:10 e cerca das 14:30 estava dominado pelos bombeiros, que se mantiveram no local durante algumas horas em acções de rescaldo. Apesar da proximidade das chamas, nenhuma das habitações foi atingida.

Este foi um de vários pequenos incêndios que deflagraram esta segunda-feira na região de Viseu, ainda de acordo com o CDOS, levando a uma constante movimentação de bombeiros, embora nenhum dos fogos tenha ganho dimensão.

Em Travassos de Orgens, ardeu essencialmente pinhal, embora a proximidade das chamas às casas da aldeia e à capela local tenham gerado alguma inquietação na população que, como contou à Lusa uma testemunha no local, «acorreu em grande número» ao combate às chamas.

Fonte dos bombeiros disse à agência Lusa que o prolongado tempo seco e as queimadas que os agricultores fazem normalmente por esta altura do ano são responsáveis pela maior parte dos pequenos incêndios registados.
Por: Redacção / MM | 13- 2- 2012 17: 34
 

PauloSR

Nimbostratus
Registo
14 Dez 2009
Mensagens
915
Local
Póvoa de Lanhoso
Aqui pela Póvoa de Lanhoso e zonas limítrofes, têm ocorrido vários incêndios. Estamos a meados de Fevereiro, e já ocorrem diversos incêndios, alguns deles a deflagrarem à noite, com baixas temperaturas. O que irá ser esta primavera/verão se o tempo assim continuar?
 

dahon

Nimbostratus
Registo
1 Mar 2009
Mensagens
1,645
Local
Viseu(530m)
Boas, por Viseu neste momento o ar no exterior da casa e quase irrespirável há muito fumo pelo ar, devido aos vários focos que incêndio que foram deflagrando ao longo do dia aqui perto mas penso que também devido ao incêndio que de Manteigas. :angry:
 

Lousano

Cumulonimbus
Registo
12 Out 2008
Mensagens
3,635
Local
Lousã/Casais do Baleal
Boas, por Viseu neste momento o ar no exterior da casa e quase irrespirável há muito fumo pelo ar, devido aos vários focos que incêndio que foram deflagrando ao longo do dia aqui perto mas penso que também devido ao incêndio que de Manteigas. :angry:

Estamos a chegar à época de queimadas para renovação de pastagens, agravado pela situação de seca que ocorre neste momento.

As beiras interiores e o minho são as zonas normalmente mais afetadas.
 

Iceberg

Nimbostratus
Registo
5 Jun 2006
Mensagens
809
Local
Braga
Hoje pelo meio do dia bem visíveis da cidade de Braga dois focos de incêndio, um menos preocupante em plena encosta do Bom Jesus, e outro lavrando com maior intensidade a caminho de terras de Póvoa de Lanhoso, mas a poucos Kms ds cidade.

Sob um sol brilhante, uma temperatura diurna já primaveril, ano após ano se vislumbram incêndios cada vez mais cedo ou mais tarde, e agora já em pleno Inverno !

Onde vamos parar ... ? :huh:
 

Agreste

Super Célula
Registo
29 Out 2007
Mensagens
9,996
Local
Aljezur (48m) - Faro (11m)
Helicóptero bombardeiro pesado acionado para tentar controlar incêndio em Monchique

Um helicóptero bombardeiro pesado foi acionado esta tarde para tentar controlar um incêndio que deflagrou cerca das 14h30 numa zona de mato no Passil, em Monchique.

No ponto da situação às 17h15, apesar da intervenção do meio aéreo, o incêndio continuava ativo com uma frente em mato, a progredir em local de difícil acesso aos meios de combate terrestres, segundo a informação da página da Proteção Civil.

O fogo está a ser combatido por um total de 39 operacionais, dos quais 37 são bombeiros, com o auxílio de 13 viaturas.

Com o cair da noite, o helicóptero deixará de auxiliar o trabalho dos bombeiros no terreno.

Com este incêndio em pleno inverno, no mês de fevereiro, o Algarve também não escapa à vaga de fogos que está a assolar o país, devido à seca.

http://www.sulinformacao.com/2012/0...-para-tentar-controlar-incendio-em-monchique/

2rpeeci.jpg
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
2005 - Inverno bastante frio e seco - check √
2012 - Inverno bastante frio e seco - check √

2005 - Seca - check √
2012 - Seca - check √

2005 - Incêndios fora época - check √
2012 - Incêndios fora época - check √

Esperemos que as coisas melhorem e que chova na Primavera, e não se repita a história de 2005, pois foi o 2º pior ano de sempre. E se não chover, é melhor começar a preparar bem a época.
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/pt/timeline/7ee28b8c9a29423c9f092a30c9be56b6.png
 

rozzo

Staff
Registo
11 Dez 2006
Mensagens
2,466
Local
Montijo/Lisboa
Vince, em parte isso da chuva da Primavera não é assim tão linear, do tipo, chove, ameniza, e menos incêndios.
Dependendo da vegetação e da região, pelo contrário pode ser pior, bem pior.
Em anos no geral secos, em que o Verão venha a ser quente (e que não tenha ardido muito nos anos anteriores...) em boa parte de Portugal vai arder muito mais se parte da Primavera for chuvosa, do que se não for, e porquê? Porque se for chuvosa, vai crescer mais vegetação, mais mato, mais "fuel" para arder...
Portanto sim, está tudo "check" até agora, e se a Primavera for algo chuvosa, mas não diluviana (o mais provável), poderá piorar as coisas devido a este aumento de matéria para arder, isto caso o Verão depois tenha períodos muito quentes claro, isso é essencial...
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Protecção Civil registou 235 incêndios no dia de ontem
A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) registou ontem 235 incêndios, 147 dos quais ocorreram durante o período nocturno. Hoje, até às 07.30, já tinham deflagrado onze ocorrências.

De acordo com as informações disponíveis no sítio da Autoridade Nacional de Protecção Civil, os incêndios de ontem foram combatidos por um total de 2 124 operacionais e 577 veículos. Foi ainda mobilizado um meio aéreo.

O incêndio florestal que deflagrou ao início da tarde de domingo no concelho de Terras de Bouro, em pleno Parque Nacional da Peneda Gerês, foi dado como dominado por volta das 02.45, tendo mobilizado 50 operacionais e 18 veículos.

Para hoje, a ANPC coloca a maioria do país em risco reduzido de incêndio. No entanto, o concelho de Pampilhosa da Serra encontra-se sob risco muito elevado de incêndio, enquanto outros cinco concelhos estão com risco elevado.

De salientar que as temperaturas máximas para hoje, segundo as previsões do Instituto de Meteorologia para o território continental, vão variar os 15 graus no distrito da Guarda e os 20 graus em Castelo Branco e Braga.

DN
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,045
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
Mato em Sacões arde há horas

Um incêndio em mato com quatro frentes está activo e a ser combatido por 27 bombeiros e oito veículos no Concelho de Baião, distrito do Porto, há mais de quatro horas, diz a Autoridade Nacional de Protecção Civil.


Na sua página oficial na Internet, a Protecção Civil dá conta que o fogo terá tido início às 06h35 na localidade de Sacões, Concelho de Baião, estando ainda em curso nesta altura e com quatro frentes em mato.

O fogo está a ser combatido por 27 bombeiros, apoiados por oito veículos operacionais, e está a ser liderado pelo segundo comandante do Corpo de Bombeiros de Baião.
@Correio da Manhã
 

Jorge_scp

Nimbostratus
Registo
17 Fev 2009
Mensagens
1,062
Local
Casal do Rato (Odivelas)
Vince, em parte isso da chuva da Primavera não é assim tão linear, do tipo, chove, ameniza, e menos incêndios.
Dependendo da vegetação e da região, pelo contrário pode ser pior, bem pior.
Em anos no geral secos, em que o Verão venha a ser quente (e que não tenha ardido muito nos anos anteriores...) em boa parte de Portugal vai arder muito mais se parte da Primavera for chuvosa, do que se não for, e porquê? Porque se for chuvosa, vai crescer mais vegetação, mais mato, mais "fuel" para arder...
Portanto sim, está tudo "check" até agora, e se a Primavera for algo chuvosa, mas não diluviana (o mais provável), poderá piorar as coisas devido a este aumento de matéria para arder, isto caso o Verão depois tenha períodos muito quentes claro, isso é essencial...

Como dizes, também a quantidade de vegetação que cresce na Primavera é um factor muito importante. Os piores anos são aqueles em que chove muito no Inverno, permitindo o grande crescimento de mato nos meses de Março, Abril, e depois uma Primavera seca e quente que retire a humidade aos solos e seque a vegetação que antes tinha crescido em abundância.

De facto este ano pode até nem ser dos mais problemáticos em termos de incêndios se chover pouco nos próximos 3 meses, na minha opinião, pois o Inverno foi muito seco e temos a vegetação ainda muito rasteira, pouco desenvolvida.

Por outro lado, à parte destes factores pré-Verão, a própria circulação da atmosfera nessa estação é importantíssima. Está mais que provado que Verões com circulação marcadamente de Este/Noroeste são terríveis para os incêndios...
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
23 fogos em curso, mais significativos registam-se na região Norte
A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) registava hoje à tarde 23 incêndios florestais, que dá destaque aos sete fogos em curso na região Norte do país e que mobilizam um total de 148 operacionais.

Segundo a página da Internet da ANPC, às 17:55 estavam em curso 23 incêndios em floresta e mato, sendo os mais significativos os sete que se registam nos distritos de Bragança, Viana do Castelo, Braga, Porto e Guarda.

Com duas frentes ativas, o incêndio que mobiliza mais meios é o que consome mato desde as 10:00 no lugar do Carreço, em Viana do Castelo, e mobiliza um total de 47 bombeiros, 16 meios terrestres e um avião de ataque inicial.

No distrito de Viana do Castelo estão ainda ativos dois outros fogos, um deles no Parque Natural da Peneda Gerês.

Em Cabeceiras de Basto, distrito de Braga, 17 bombeiros combatem um incêndio em floresta que têm duas frentes ativas.

Segundo a ANPC, 23 bombeiros estão mobilizados em Vinhais, Bragança, desde as 09:29 para combater um fogo em mato, que já chegou a ter várias frentes ativas.

Outros incêndios estão ativos em Baião, distrito do Porto, e em Vila Nova de Foz Coa, na Guarda.

Desde a 00:00 de hoje que já deflagraram 145 incêndios, enquanto no sábado a ANPC registou 252.

i