Seguimento Meteorológico Livre 2017

Estado
Fechado para novas mensagens.


bandevelugo

Cumulus
Registo
3 Jan 2008
Mensagens
319
Local
Lisboa
es9EPik.png


Podia ir mais para trás mas acho que não é preciso.

100 litros de água a dividir por 10 pessoas = 100 litros de água a dividir por 20, 30 ou 40 pessoas?

Caro Orion,

Confesso-me totalmente baralhado!

O que é que o gráfico tem a ver com a minha frase (que citou) e com o estudo que apresentei sobre as secas na Península Ibérica no último século?

Podia elucidar-me? Quero responder-lhe mas não sei como!!!
 

Orion

Furacão
Registo
5 Jul 2011
Mensagens
20,395
Local
Açores
Caro Orion,

Confesso-me totalmente baralhado!

O que é que o gráfico tem a ver com a minha frase (que citou) e com o estudo que apresentei sobre as secas na Península Ibérica no último século?

Podia elucidar-me? Quero responder-lhe mas não sei como!!!

Concerteza e sem inibições.

A diminuição da precipitação tende a reduzir a quantidade de água disponível à população e ao ecossistema. As barragens ajudam mas um dos seus propósitos, produção de energia, contribui para a redução da quantidade de água armazenada. Pode-se sempre fazer furos mas sem precipitação para alimentar os aquíferos, o resultado é o mesmo -> A redução da precipitação tende a reduzir a quantidade de água disponível. Em PT não há reservas naturais secundárias de água como glaciares.

O aumento da população leva a um aumento do consumo de água. Mais, sociedades desenvolvidas, como PT, tendem a gastar mais água por capita do que nações pobres. A indústria e a agricultura moderna podem ter mais eficiência que a agricultura de subsistência mas gastam quantidades massivas de água.

O aumento da temperatura tende a aumentar a evapotranspiração. Quanto isto ocorre simultâneamente com uma diminuição gradual da precipitação maus cenários são inevitáveis.

A utilização do argumento do 'o clima sempre mudou' é, à falta de melhor termo, bastante ignorante. Já que é assim eu gostaria de falar com pessoas que experienciaram esses climas tão diversos e mutáveis. Há 1 milhão de anos atrás quantas pessoas existiam? E quantas cidades haviam? Lisboa era mais bonita ou mais feia do que é hoje?

Eu gostava de viver nesse mundo em que se pode perder >25% da precipitação e aumentar as temperaturas sem haver consequências reais. Até parece que a maioria dos >7.5 MM de pessoas do globo vive em países em que há (quase) sempre água na torneira. Em alguns uma torneira é um luxo irrelevante. Nem canalizações há.

Quantas pessoas é que ainda hoje em dia vivem da agricultura de subsistência e como tal dependem de um clima estável?

Currently, there are approximately 500 million smallholder farms worldwide; more than 2 billion people depend on them for their livelihoods. About 80% of the food consumed in Asia and Sub-Saharan Africa is produced by these small farms. Most of the smallholder farmers focus on a subsistence level of production in which they produce only for self-consumption.

A estatística anterior relaciona-se com esta:

After steadily declining for over a decade, global hunger is on the rise again, affecting 815 million people in 2016, or 11 per cent of the global population, says a new edition of the annual United Nations report on world food security and nutrition released today.

Já escrevi que a utilização do 'o clima sempre mudou' é bastante ignorante? Só para confirmar. O problema não se cinge à temperatura e a precipitação. Há também isto -> https://www.theguardian.com/environ...oil-acutely-degraded-due-to-agriculture-study

Nos países 'ricos' o leque de soluções é tendencialmente maior. Nos 'pobres' o que ocorre é mais ou menos isto -> http://foreignpolicy.com/2017/06/06/the-making-of-a-climate-outlaw/ / & / http://foreignpolicy.com/2017/05/31/the-watson-files-somalia-climate-change-conflict-war/

Só para confirmar.... Já escrevi que o 'clima sempre mudou e sempre mudará e como tal é irrelevante' é um argumento bastante ignorante? Bom, dizem que não há 2 sem 3.
 
Última edição:

BWF

Cirrus
Registo
16 Nov 2017
Mensagens
7
Local
Marinhais
Concerteza e sem inibições.

A diminuição da precipitação tende a reduzir a quantidade de água disponível à população e ao ecossistema. As barragens ajudam mas um dos seus propósitos, produção de energia, contribui para a redução da quantidade de água armazenada. Pode-se sempre fazer furos mas sem precipitação para alimentar os aquíferos, o resultado é o mesmo -> A redução da precipitação tende a reduzir a quantidade de água disponível. Em PT não há reservas naturais secundárias de água como glaciares.

O aumento da população leva a um aumento do consumo de água. Mais, sociedades desenvolvidas, como PT, tendem a gastar mais água por capita do que nações pobres. A indústria e a agricultura moderna podem ter mais eficiência que a agricultura de subsistência mas gastam quantidades massivas de água.

O aumento da temperatura tende a aumentar a evapotranspiração. Quanto isto ocorre simultâneamente com uma diminuição gradual da precipitação maus cenários são inevitáveis.

A utilização do argumento do 'o clima sempre mudou' é, à falta de melhor termo, bastante ignorante. Já que é assim eu gostaria de falar com pessoas que experienciaram esses climas tão diversos e mutáveis. Há 1 milhão de anos atrás quantas pessoas existiam? E quantas cidades haviam? Lisboa era mais bonita ou mais feia do que é hoje?

Eu gostava de viver nesse mundo em que se pode perder >25% da precipitação e aumentar as temperaturas sem haver consequências reais. Até parece que a maioria dos >7.5 MM de pessoas do globo vive em países em que há (quase) sempre água na torneira. Em alguns uma torneira é um luxo irrelevante. Nem canalizações há.

É muito improvavel que dada a nossa localização o circuito zonal seja irreversivelmente interrumpido que haja uma redução tão significativa da precipitação que provoque secas extremas tão extensas e problemas cronicos de água . É impossivel isso se suceder enquanto andarmos por cá e era isto que deveria dizer-se as populações em vez de ficção cientifica e alarmismo que isso gera nas populações.
As secas serão periodicas mas é impossivel transformarmos-nos num país de grande escassez de agua tipo Israel. Apesar da tendência do AR ser uma realidade,teremos sempre anos,meses muito chuvosos também.

Importas-te de indicar onde em Portugal houve uma redução de 25 por cento da precipitação media? Considerando as normas climaticas existentes?
É isto que não entendo muito bem na narrativa o AR estas conclusões,estes dados que são lançados assim para o ar.
Existe um grande entusiasmo em relação ao AR que provoca alguns excessos de interpertação.Acho que é inegavel.
 
Última edição:
  • Gosto
Reactions: joselamego

Orion

Furacão
Registo
5 Jul 2011
Mensagens
20,395
Local
Açores
Importas-te de indicar onde em Portugal houve uma redução de 25 por cento da precipitação media?

Não encontras porque não escrevi isso. É um valor exemplificativo. A redução da precipitação, tal como o aumento da temperatura, não é e dificilmente seria linear e homogéneo.

Existe um grande entusiasmo em relação ao AR que provoca alguns excessos de interpertação.

Mesmo que a mudança atual fosse natural as consequências seriam as mesmas. A procura pelos recursos é fixa e com um crescimento mais ou menos estável. Já a oferta é mais variável.

E não, não voltes a usar o Trump como exemplo :D

https://www.meteopt.com/forum/topico/seguimento-meteorologico-livre-2017.9118/page-328#post-636300
 

BWF

Cirrus
Registo
16 Nov 2017
Mensagens
7
Local
Marinhais
Não encontras porque não escrevi isso. É um valor exemplificativo. A redução da precipitação, tal como o aumento da temperatura, não é e dificilmente seria linear e homogéneo.



Mesmo que a mudança atual fosse natural as consequências seriam as mesmas. A procura pelos recursos é fixa e com um crescimento mais ou menos estável. Já a oferta é mais variável.

E não, não voltes a usar o Trump como exemplo :D

https://www.meteopt.com/forum/topico/seguimento-meteorologico-livre-2017.9118/page-328#post-636300

..."Eu gostava de viver nesse mundo em que se pode perder >25% da precipitação"...
 
  • Gosto
Reactions: joselamego

Orion

Furacão
Registo
5 Jul 2011
Mensagens
20,395
Local
Açores
Eu gostava de viver nesse mundo em que se pode perder >25% da precipitação

..."Eu gostava de viver nesse mundo em que se pode perder >25% da precipitação"...

Importas-te de indicar onde em Portugal houve uma redução de 25 por cento da precipitação media?

Não encontras porque não escrevi isso. É um valor exemplificativo.

Exato.

Apesar da tendência do AR ser uma realidade,teremos sempre anos,meses muito chuvosos também.

AR? Aquecimento Regional? :huh:
 

dahon

Nimbostratus
Registo
1 Mar 2009
Mensagens
1,671
Local
Viseu(530m)
Quanto muito vai substituir pelo gás natural.

Em períodos de seca e pouco vento c'mé que vai ser?

Barragens e painéis fotovoltaicos instalados em bases flutuantes nas albufeiras das barragens. Mais barragens mais água armazenada e os painéis nas albufeiras para além da produção de energia reduzem a evaporação de água. Isto juntando aos painéis instalados em terra.

Mas sim as Centrais a Gás estarão lá sempre como backup e como recurso menos poluente e mais eficiente que as centrais a carvão.

Vai ser a pedalar para produzir energia. Oh Zé, pedala aí, que eu quero ver a novela., depois é a vez da Maria ir pedalar para o Zé ver o futebol. :huhlmao:

Nessa altura, haverá mais consumo de electricidade com os carros elétricos e vamos para o solar encher o país cheio de painéis e deitar a floresta abaixo, melhor aproveitar este ano que ardeu bem e meter painéis solares. :malandro:

Não se preocupem que com as smart-grids todos esses "problemas" tem solução. A tecnologia já existe so precisa de ser implementada.
Se bem que nem é preciso complicar muito. Sabendo que na sua grande maioria o excedente de produção é no período nocturno, e que muito provavelmente o período predilecto para o carregamento dos carros eléctricos será no mesmo período eu diria que a situação não é muito problemática. :thumbsup:
 

Teya

Cumulus
Registo
27 Set 2014
Mensagens
340
Local
Olival Basto / Odivelas/ Lagos
Ok era um exemplo uma figura de estilo,get it.Parecia um facto alternativo á lá trump.
Sabes quem não alinhar no AG e de forma ferverosa é um trumpista em potência.

Quando cerca de 97% da comunidade científica está em concordância quanto à existência de AG e que os humanos são responsáveis pelas alterações climáticas (e não é preciso ser um crente ferveroso), nem a opinião dos 3% vale de alguma coisa, quanto mais de gente que se baseia em conspirações.
:dry: Portanto, tendo em conta as declarações 'inteligentíssimas' do Trump, parece-me um nome apropriado porque eu chamaria pior.
 

GabKoost

Nimbostratus
Registo
19 Jan 2009
Mensagens
858
Local
Entre BRG e GMR
Quando cerca de 97% da comunidade científica está em concordância quanto à existência de AG e que os humanos são responsáveis pelas alterações climáticas (e não é preciso ser um crente ferveroso), nem a opinião dos 3% vale de alguma coisa, quanto mais de gente que se baseia em conspirações.
:dry: Portanto, tendo em conta as declarações 'inteligentíssimas' do Trump, parece-me um nome apropriado porque eu chamaria pior.

Como é óbvio, o AG não é uma teoria mais um facto constatável há muito. É palpável, verificável e, para rematar, PREVISÍVEL.

Qualquer pessoa que "não acredite" no aquecimento global não tem para mim qualquer dignidade como ser humano, ie, um ser com inteligência de raciocínio básico. Uma pessoa que se considere inteligente e que não aceite o AG deve ter problemas de consciência pesadíssimos ou mentais até. Quem sabe.

Quanto às referências a Trump, eu que segui e sigo tudo o que ELE diz (e não os media), sei que ele ACREDITA NELE.

Trump foi apanhado um par de vezes a fugir a questões sobre o AG porque estava a fazer campanha em território interior onde as populações queriam é saber de novos postos de trabalho industriais.

Obviamente que quando o questionaram sobre essa temática tendo em conta as suas promessas de reabertura de centrais de produção energética a carvão etc., teve de dizer aquilo que as pessoas queriam ouvir.

Contudo, qualquer pessoa que pensar que Trump não acredita no aquecimento global tem dois problemas:

1- Nunca ouviu o que Trump disse repetidamente sobre a forma de se combater o mesmo,
2- Deve ser muito ingénuo ao ponto realmente acreditar que uma pessoa tão poderosa e com negócios que podem ser severamente afectados pelo AG, esteja em negação sobre esta realidade.

Eu, que não como CNN às colheres nem me transformei nos últimos anos num carneirinho que retira a informação da TV generalista (que só apresenta as narrativas que mais audiência dão independentemente da justiça e precisão da mesma), ouvia os discursos de Trump durante a campanha dele assim como as sua intervenções quando reuniu os maiores líderes industriais Americanos, Elon Musk e outros incluídos.

A verdadeira posição de Trump sobre o aquecimento global, aquela que OS NOSSOS MEDIA NÃO RELATAM PORQUE AS NÃO POLÉMICAS NÃO VENDEM TANTO COMO A DEMONIFICAÇÃO, consiste simplesmente nos seguintes pontos:

1- O aquecimento global é uma realidade,

2- A quantificação do AG é ainda impreciso e subjectivo dependendo de quem se questionar,

3- O tratado de Paris foi um embuste onde líderes inocentes à procura da utopia foram durante uma semana comer e beber do bom e do melhor em hotéis 5*. Dali saíam embalados com a sensação de estarem a mudar o mundo e assinaram um acordo absolutamente inacreditável pois TODA A GENTE SABIA que ninguém o iria cumprir pelo simples factos das metas serem impossíveis e de, ironicamente, não haver quem fiscalize e obrigue / penalize qualquer das nações caso não o fizessem.

4- Resumindo, esse tratado foi elaborado por almas românticas despegadas da realidade e que, com isso, fizeram a humanidade perder anos preciosos. Note-se que Trump não destruiu o acordo de Paris. Apenas foi o 1º a dizer que era uma besteira inqualificável que não resolve nenhum problema para além de causar vários outros.

5- A filosofia de Trump sobre as soluções para o AG, concorde-se ou não com elas, são tanto ou mais válidas do que as do acordo de Paris. Segundo ele, é necessário:
  • Uma economia forte para poder haver investimento,
  • Uma capacidade de investimento forte dos privados em novas tecnologias,
  • Uma economia não amarrada a cortes energéticos para permitir esse crescimento,
  • Uma consciencialização da população de que NINGUÉM OS PROÍBE DE FAZEREM AS SUAS ESCOLHAS INDIVIDUAIS SENDO QUE NÃO CABE A UM ESTADO LIVRE OBRIGAR AS PESSOAS A VIVEREM DE X OU Y MODO,
  • Uma resposta dos mercados (das opções individuais de nós próprios) positiva às novas tecnologias criadas por esta indústria e economia saudável,
  • Se as pessoas QUISEREM COMPRAR e a tecnologia FOR EFICIENTE, EFICAZ E LUCRATIVA, o modo de vida ocidental (e consequentemente do resto mundo por cópia e inspiração, como Trump especificou de forma patente ao glorificar a liberdade da economia) mudará naturalmente pois, o dinheiro, é o maior motor de desenvolvimento possível sendo bem mais rápido e consensual que cortes, bloqueios e obrigações autoritárias.
Por outras palavras, o que Trump realmente disse é quase o oposto do que se repete por aqui. Ele efectivamente chegou a fazer aquele malabarismo do embuste da China pois estava numa de malhar neles por causa do défice externo e do facto dos USA despenderem biliões em formsa de travar as emissões quando, a China, não o fazia ficando assim em vantagem competitiva por causa de um tratado que ninguém cumpre e que, por arrasto, limitava a saúde da economia resultando na menor capacidade de investimento das empresas.

Goste-se ou não de Trump, e ninguém com certeza gostará ou odiará tudo sobre ele, esta narrativa é quanto a mim muito mais TERRA à TERRA.

De facto, como já se disse aqui, a tecnologia existe. O maior e ÚNICO entrave à mudança do nosso estilo de vida não está em Trump ou no nosso governo mas sim EM NÓS MESMOS que não investimos nem um cêntimo no nosso próprio impacto de carbono.

Em vez de comprarmos um BMW comprava-se um híbrido e punha-se uns paneis solares. Em vez de um 2º carro para usar meia dúzia de vezes, uma scooter pouco poluente faria o mesmo. Plantar árvores anualmente para "pagar" as nossas emissões? Tá quieto. Mudar as nossas opções como consumidor tanto a nível energético como moral e ético? Pois sim, só de vez em quando lá pelo Natal.

who-wants-change-who-wants-to-change.jpg




I'm starting with the man in the mirror
I'm asking him to change his ways
And no message could have been any clearer
If you wanna make the world a better place
Take a look at yourself and then make a change

Michael Jackson.





Deixemo-nos de culpar os Trumps desta vida pelas NOSSAS opções. Os governo correntes deram-nos a liberdade de tomar decisões. Existe tecnologia e liberdade. Culpar os governos é pura cobardia de todos nós.
 
Última edição:

hurricane

Nimbostratus
Registo
11 Nov 2007
Mensagens
1,955
Local
Bruxelas, Bélgica
O utilizador do forum é de Direita. Quem o que? Milagres? A maior parte do pessoal da Direita populista nao acredita em factos cientificos nem que sejam explicados com desenhos. O Planeta está super lotado, o nivel de CO2 da atmosfera atingiu niveis records, a degradacao da biodiversidade e o desaparecimento de especies está ao nivel de uma extincao em massa, o gelo no Artico diminiu a cada ano. A Amazonia diminiu a cada ano. Os corais estao quase desaparecidos, etc etc. E ainda há quem nao acredite nas evidencias.
 

GabKoost

Nimbostratus
Registo
19 Jan 2009
Mensagens
858
Local
Entre BRG e GMR
O utilizador do forum é de Direita. Quem o que? Milagres? A maior parte do pessoal da Direita populista nao acredita em factos cientificos nem que sejam explicados com desenhos. O Planeta está super lotado, o nivel de CO2 da atmosfera atingiu niveis records, a degradacao da biodiversidade e o desaparecimento de especies está ao nivel de uma extincao em massa, o gelo no Artico diminiu a cada ano. A Amazonia diminiu a cada ano. Os corais estao quase desaparecidos, etc etc. E ainda há quem nao acredite nas evidencias.

Esse comentário é um autentico atentado.

Nunca mais caias no erro de dizer que o pessoal de direita ou de esquerda não acredita nisso ou naquilo.

Eu sou ABSOLUTAMENTE DE DIREITA e, politicamente, acho que a Esquerda é um retrocesso a todos os níveis tal como se pode verificar em TODOS OS PAÍSES onde os conceitos de esquerda foram aplicados ao máximo.

De resto a facção política não tem NADA mas NADA MESMO a ver com o facto de se acreditar ou não no AG.

Associar essas duas coisas descredibiliza totalmente tudo o que possa vir a dizer pois, na realidade, apenas comprovaste que crias os teus preconceitos completamente infundados e vens aqui falar deles como se de realidade de tratasse.

Em Portugal há muito mais gente tradicionalmente de centro direita do que de esquerda. E praticamente toda a gente acredita no aquecimento global.
 

hurricane

Nimbostratus
Registo
11 Nov 2007
Mensagens
1,955
Local
Bruxelas, Bélgica
Esse comentário é um autentico atentado.

Nunca mais caias no erro de dizer que o pessoal de direita ou de esquerda não acredita nisso ou naquilo.

Eu sou ABSOLUTAMENTE DE DIREITA e, politicamente, acho que a Esquerda é um retrocesso a todos os níveis tal como se pode verificar em TODOS OS PAÍSES onde os conceitos de esquerda foram aplicados ao máximo.

De resto a facção política não tem NADA mas NADA MESMO a ver com o facto de se acreditar ou não no AG.

Associar essas duas coisas descredibiliza totalmente tudo o que possa vir a dizer pois, na realidade, apenas comprovaste que crias os teus preconceitos completamente infundados e vens aqui falar deles como se de realidade de tratasse.

Em Portugal há muito mais gente tradicionalmente de centro direita do que de esquerda. E praticamente toda a gente acredita no aquecimento global.

Eu falei da Direita populista e nao da Direita em si. O Trump é um belo caso de Direita populista que nada tem a haver com os Republicanos em geral. Mas nao me vou alongar com a questao da politica. Apenas um aparte, os paises onde o conceito de Direita tambem foi aplicado ao maximo nao sao melhores. Portugal foi um belo exemplo disso. Por isso é que tivemos a Revolucao.
 
  • Gosto
Reactions: joselamego
Estado
Fechado para novas mensagens.