Sismos Internacional - 2010

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Tópico para seguimentos de sismos ocorridos a nível internacional durante o ano de 2010.


Links úteis


Sismos Global:

U.S. Geological Survey - U.S. Geological Survey
http://earthquake.usgs.gov/eqcenter/


Sismos Europa/Mediterrâneo:

European-Mediterranean Seismological Centre
http://www.emsc-csem.org/



Tsunamis

NOAA Pacific Tsunami Warning Center
http://www.prh.noaa.gov/pr/ptwc/

NOAA West Coast and Alaska Tsunami Information
http://wcatwc.arh.noaa.gov/




Sismos Portugal:

Instituto de Meteorologia - Informação Sísmica
http://www.meteo.pt/pt/sismologia/sismObservGeral.jsp

Instituto de Meteorologia - Comunicados Sismologia
http://www.meteo.pt/pt/sismologia/sismComunicadosActivos.jsp

Observatório Vulcanológico e Sismológico da Universidade dos Açores
http://www.cvarg.azores.gov.pt/Cvarg/

Instituto Geofísico Infante D Luiz
http://www.igidl.ul.pt/sismologia_new.htm
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Sismo intenso de 7.0 às 21:53 num país muito miserável, o Haiti, nas Caraíbas. Em terra e próximo da capital, haverá certamente muitas vitimas.

neic_rja6.jpg


neic_rja6_2.gif




Magnitude 7.0
Date-Time

* Tuesday, January 12, 2010 at 21:53:09 UTC
* Tuesday, January 12, 2010 at 04:53:09 PM at epicenter
* Time of Earthquake in other Time Zones

Location 18.451°N, 72.445°W
Depth 10 km (6.2 miles) set by location program
Region HAITI REGION
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,098
Local
Caneças (300m) / Várzea da Serra (900m)
Começam a chegar os primeiros relatos...

Sismo no Haiti causa inúmeras vítimas e destrói edifícios


Um sismo de magnitude 7,0 abalou o Haiti ontem à noite, seguido de fortes réplicas, matando dezenas e fazendo ruir inúmeros edifícios, incluindo os das autoridades públicas. O embaixador do Haiti nos EUA fala em "grande catástrofe". O alerta de 'tsunami' foi entretanto retirado, mas ainda há perigo para barcos e estruturas junto da costa. As Nações Unidas preparam já uma operação maciça de auxílio internacional, para coordenar os esforços de países que mostraram disponibilidade para ajudar o Haiti.

Um repórter da AFP contou que o abalo se prolongou durante um minuto e que os carros saltaram da estrada. Um jornalista da AP disse que a capital Port-au-Prince estava envolva numa nuvem de pó e que se ouviam gritos.

Um responsável do Departamento de Agricultura dos EUA em visita à região contou que viu algumas casas caírem de uma ravina. "Ouvi um estrondo e muitos gritos à distância", descreveu Henry Bahn. "As pessoas estão descontroladas, em pânico. Eu só consegui encostar-me a uma parede", acrescentou.

Testemunhas dão conta de dezenas de mortos, feridos e desaparecidos entre os escombros. Familiares contactados por uma funcionária da CNN referem que viram edifícios destruídos e corpos de vítimas.

Um jornalista de uma televisão haitiana, Haitipal, que emite através da Internet, relatou a ocorrência de desmoronamento de numerosos edifícios públicos da capital, incluindo “o Palácio Nacional, o Ministério das Finanças, o Ministério do Trabalho Público, o Ministério da Comunicação e da Cultura, o Palácio de Justiça, a Escola Superior”, o Parlamento e a Catedral de Port-au-Prince.

A AFP reporta que o sismo destruiu um hospital na capital e que há também edifícios desmoronados em outras localidades do Haiti.

O embaixador haitiano nos EUA anunciou uma "grande catástrofe", no país mais pobre do continente americano e que tem sido devastado por furacões.

O primeiro abalo fez-se sentir às 16.53 (21.53 em Lisboa) e foi seguido potentes réplicas. Para já, até às 01:12, hora de Lisboa, o US Geological Center contabilizava oito, quatro acima de 5,0 graus de magnitude, as restantes perto desse registo. A réplica mais forte foi a primeira registada, às 17:00 locais (22:00 em Lisboa), e chegou aos 5,9, seguida de outra de 5,5 doze minutos depois e uma terceira, de magnitude 5,1, às 18:27 locais, mais cinco horas em Lisboa. Os abalos continuam e às 0:43 (hora de Lisboa) uma das réplicas chegou ao grau 5,0.

O Centro de Alerta de Tsunamis dos EUA avisou para o perigo de uma onda gigante atingir as ilhas num raio de cem quilómetros. A República Dominicana - que divide Hispaniola com o Haiti -, as Bahamas e Cuba soaram o alerta. Horas depois o alerta foi retirado, tendo-se registado apenas um pequeno maremoto local, mas o Pacific Tasunami Warning Center avisa que os riscos para barcos e estruturas costeiras manter-se-á “durante várias horas devido a correntes rápidas”.

Este organismo adianta ainda que foram registados pequenos tsunamis em Santo Domingo, República Dominicana, e em outras áreas das Caraíbas, mas, “com base nestes dados, poderão ter havido ondas de maremoto destruidoras nas zonas junto ao epicentro”.

O epicentro do sismo foi no mar 16 quilómetros ao largo de Port-au-Prince e a dez quilómetros de profundidade. O abalo foi sentido na prisão americana de Guantánamo, na ilha de Cuba.

A população encheu as ruas, as comunicações na região foram seriamente afectadas e as operações de salvamento prometiam continuar pela noite dentro.

O Presidente dos EUA, Barack Obama, lamentou a tragédia e prometeu que o seu país vai enviar ajuda para o Haiti. Também a França tomou a mesma iniciativa. A Venezuela anunciou que vai enviar uma equipa de 50 peritos em operações de socorro e as Nações Unidas preparam já uma operação maciça de auxílio internacional.

Um país devastado pelos furacões

O terramoto de ontem é apenas o último de uma série de desastres naturais que têm devastado o Haiti. O pequeno país das Caraíbas resistiu mal à passagem dos furacões, nos últimos anos. No Verão de 2008, as enormes cheias fizeram perto de 800 mortos. Meses depois, o balanço tornou-se mais negro quando uma escola de Port-au-Prince ruiu e esmagou 500 crianças e professores. A maioria dos que sobreviveram ficaram sem casa e tiveram de começar do zero. A ONU apelou à ajuda internacional e em 2009 o FMI perdoou 80% da dívida do país.

O Haiti ocupa o terço ocidental da ilha Hispaniola e faz fronteira com a República Dominicana. É um país extremamente pobre, tendo sido considerado como o mais pobre de todo o continente Americano.

DN Globo
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Sismo no Haiti

No dia 12 de Janeiro de 2010, pelas 21:53:09 UTC ocorreu no Haiti, a cerca de 15 km da capital, Port-au-Prince, um sismo de magnitude 7.0. Este sismo terá provocado um número importante de vítimas e elevados danos materiais na zona epicentral, tendo sido estimada pelo USGS (United States Geological Survey) uma intensidade instrumental de IX-X (Escala de Mercalli, 1956).

O sismo ocorre num contexto tectónico dominado pela interacção entre a placa das Caraíbas e a placa Norte Americana, tendo o epicentro sido localizado nas proximidades de um sistema de falhas que atravessa a ilha de S.Domingo.

O sistema de alerta de tsunamis do Pacífico (PTWC)lançou um alerta de tsunami que foi mais tarde cancelado, embora subsista a possibilidade de à escala local (para zonas muito próximas da zona epicentral) terem ocorrido ondas destrutivas.

Este sismo foi detectado em todas as estações da rede sísmica nacional, tendo as primeiras ondas do sismo sido registadas ás 22:01:28 [em baixo: exemplos de registos nas estações da Graciosa, Sete Cidades, Porto Santo, Condeixa e Vila do Bispo].

IM

sismoreg20100112.jpg
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,098
Local
Caneças (300m) / Várzea da Serra (900m)
Depois do sismo de ontem no Haiti, fazem-se agora as contas aos danos.

Estima-se que hajam mais de 100 mil mortos (mais de 1% da população);
Que o país, que já era o mais pobre do continente americano, deverá perder mais de 15 por cento do seu Produto Interno Bruto (PIB)...

As imagens da destruição são impressionantes.

DN Galerias

---------------------

Vídeo logo após o terramoto. (fumo que se levantou na capital do Haiti depois do terramoto).

 
Editado por um moderador:

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
Campanhas de Emergência

Estas campanhas são lançadas pela AMI para angariar fundos para Missões de Emergência. Uma missão de emergência tem como particularidade a necessidade de ser posta de pé em 48 horas e ter uma duração de não mais de 6 meses.
Todas as missões de emergência, ainda que eventualmente co-financiadas, só são possíveis graças aos Doadores e Amigos da AMI. Para implementar uma Missão de Emergência a AMI realiza as Campanhas de Emergência para angariação de fundos e recorre ao Fundo Contra a Indiferença.

CAMPANHA DE EMERGÊNCIA HAITI

A AMI está a caminho do terreno para avaliar as necessidades, na sequência do terramoto que atingiu aquele país no dia 12 de Janeiro de 2010. Os sobreviventes desta tragédia precisam da AMI e a AMI precisa de si.
Colabore nesta missão de emergência e ajude a AMI a reconstruir as vidas que ficaram destruídas. A melhor maneira de contribuir, neste momento, é fazendo donativos em dinheiro pois a equipa fará a aquisição dos bens necessários nos países vizinhos.

Contribua para esta missão:

NIB: 0007 001 500 400 000 00672
IBAN: PT 50 0007 001 500 400 000 00672
Multibanco: Entidade 20909 Referência 909 909 909 em Pagamento de Serviços

Saiba mais sobre a missão da AMI no Haiti:

http://www.ami.org.pt/default.asp?id=p1p7p28p827&l=1
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Sismo de 6,3 faz tremer costa argentina

Um sismo de magnitude 6,3 atingiu este domingo a costa sul da Argentina, às 8h00 (11h00 em Lisboa), de acordo com a informação do Instuto de Sismologia dos Estados Unidos.

As últimas informações indicam que o epicentro se encontra localizado no Oceano Atlântico, 355 quilómetros a sudeste de Ushuaia, a 10 quilómetros de profundidade.

O alerta de tsunami não foi activado. Até ao momento, não há registo de vítimas.

CM
 

ct5iul

Nimbostratus
Registo
27 Mar 2008
Mensagens
780
Local
Lisboa Ajuda (110m)
Noticia de Ultima Hora
Um sismo com magnitude 6.1 na escalha de Richter atingiu o Haiti esta quarta-feira, precismanete uma semana depois do grande terramoto que abalou a ilha e causou milhares de mortos.
Segundo o sistema geoólico dos Estados Unidos, trata-se de uma réplica registada às 11:00 de Portugal, sendo que o epicentro foi registado a 42 quilómetros da localidade de Jacmel e a 60 da capital Port-au-Prince
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Magnitude 6.1
Date-Time

* Wednesday, January 20, 2010 at 11:03:44 UTC
* Wednesday, January 20, 2010 at 06:03:44 AM at epicenter
* Time of Earthquake in other Time Zones

Location 18.428°N, 72.875°W
Depth 9.9 km (6.2 miles) (poorly constrained)
Region HAITI REGION
Distances 60 km (35 miles) WSW of PORT-AU-PRINCE, Haiti
95 km (60 miles) ENE of Les Cayes, Haiti
160 km (100 miles) SSW of Cap-Haitien, Haiti
1110 km (690 miles) SE of Miami, Florida

neicrsbb.jpg
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Haitianos fogem apavorados depois de forte réplica

Oito dias depois de ter sido devastado por um apocalíptico terramoto, a forte réplica que hoje atingiu o Haiti abalou ainda mais os destroços dos já danificados edifícios e levou as pessoas aos gritos para as ruas

A extensão dos danos e ferimentos adicionais causados pelo sismo de hoje, de 6.1 na escala de Richter, não foi imediatamente evidente e o primeiro-ministro Jean-Max anunciou que o governo enviaria um avião e uma equipa por terra para avaliar a situação em Petit-Goave, o centro da réplica desta manhã. «Sabemos que eles vão precisar de ajuda», disse.

Pelo menos uma mulher morreu de ataque cardíaco, segundo Eddy Thomas, um agente funerário. «Ela tinha problemas de coração e o novo sismo acabou com ela» contou enquanto empurrava o seu corpo pela rua numa maca móvel.

Ouviram-se gritos de terror dos assustados sobreviventes quando a terra tremeu às 6.03 (hora local). E quer soldados norte-americanos quer os haitianos que estão refugiados em tendas na cidade correram para descampados, levantando nuvens de pó.

O Instituto Geológico dos Estados Unidos disse que o sismo teve o epicentro a cerca de 60 Km de Port-au-Prince e 10 Km abaixo da terra – um pouco mais longe da capital do que o epicentro da semana passada.

«Parecia que estava em cima de uma tábua, que por sua vez estava em cima de uma bola» relata o sargento norte-americano Steven Payne. Payne estava a preparar-se para entregar comida num campo de refugiados de 25 000 vítimas do terramoto quando se deu a réplica. Segundo a União Europeia, o sismo da semana passada matou cerca de 200 mil pessoas, deixou 250 mil feridos e 1 milhão e meio sem casa.

A forte réplica de hoje levou Anold Fleurigene, de 28 anos, a pegar na mulher e nos três filhos e dirigir-se para a central de camionagem. A sua casa tinha sido destruída no primeiro terramoto, que levou à morte da sua irmã e irmão. «Já passei por isto e quero ir-me embora» disse.

Este sismo de 6.1 foi o maior de mais de 40 réplicas que se seguiram ao tremor de terra de 12 de Janeiro. O geofísico Bruce Pressgrave disse ser impossível determinar se ainda poderá haver uma réplica mais forte.

SOL com agências
 

MSantos

Staff
Registo
3 Out 2007
Mensagens
9,700
Local
Azambuja / Mte. Barca (Coruche)
Depois do forte sismo e consequentes replicas, o Haiti enfrenta agora uma longa e dificil recuperação que sem a ajuda internacional seria impossivel...

Nem quero imaginar se durante a proxima época de tempestades passar pelo Haiti um furacão, as consequências poderiam ser muito desastrosas:(
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
10,723
Local
Olhão (24 m)
Tremor de Terra pode ocorrer em Sumatra com um efeito semelhante à catástrofe de 2004

Especialistas alertam para sismo iminente de 8,5

Devido o caos provocado pelo sismo do Haiti, a comunidade científica está a alertar o Mundo para um superterremoto, de 8,5 na Escala de Richter, com o potencial de formar um tsunami semelhante ao que em 2004 provocou a morte de 226 mil pessoas se estar “a formar” junto à ilha indonésia de Sumatra.


“Há uma forte probabilidade de ocorrer um grande terremoto com magnitude superior a 8,5 nas ilha Mentawai, junto a Sumatra. E é também muito provável que esse sismo origine um tsunami”, assegura o sismólogo indonésio Fauzi, director da Agência Meteorológica e Geofísica do país asiático (BMG).

Entretanto John McCloskey, professor do Instituto de Investigação de Ciências Ambientais da Universidade de Ulster, que em Março de 2005 conseguiu prever com duas semanas de antecedência, um terremoto na ilha de Nias (oeste de Sumatra), lançou o mesmo aviso que Fauzi na revista ‘Nature Geoscience’.

McCloskey é mais específico e aponta Padang, capital da província de Sumatra Ocidental com um milhão de habitantes, como uma das zonas que será mais devastada pelo novo tremor de terra.

“O potencial de mortes poderá mesmo ser semelhante ao provocado pelo tsunami do Oceano Índico em 2004”, destacou o cientista, acrescentando que a ameaça de um fenómeno deste género “apela a uma urgente necessidade de actuar de forma a reduzir os efeitos do impacto”.

De acordo com Fauzi, McCloskey e outros especialistas desta área, o epicentro do cataclismo situar-se-á na pequena ilha de Siberut, nas ilhas Mentaway, por baixo da qual ocorre uma colisão entre as placas tectónicas de indoaustraliana e euroasiática, uma das fracturas mais activas na crosta terrestre.

As investigações do professor do Instituto de Investigação de Ciências Ambientais levaram-no a perceber que a região do sudeste asiático sofre um grande terremoto a cada dois séculos, estando a falha a acumular tensão desde 1797, data do último grande sismo, pelo que o próximo estará para breve.

Ainda assim, nenhum especialista se arrisca a avançar uma data em concreto.

“O mais provável é que ocorra nas próximas décadas, podendo ocorrer nos próximos 30 segundos ou daqui a 30 anos”, assegura Kerry Sieh, director do Observatório Terra de Singapura.

Apesar de tudo existe algo que todos os especialistas concordam: que os governos centrais e regionais se devem preparar para minimizar o número de vítimas do desastre.

“O que é verdadeiramente importante não é saber quando vai ser este megaterramoto, mas sim a preparação para ele. A maior parte das mortes ocorre pelo desmoronamento de edifícios, deslizamento de terras e tsunamis. É nesses aspectos que se deve incidir”, assegura Fauzi.

Fonte: Correio da Manhã
 

ct5iul

Nimbostratus
Registo
27 Mar 2008
Mensagens
780
Local
Lisboa Ajuda (110m)
Haiti: Terra voltou a tremer sem registo de vítimas

Uma réplica, inicialmente registada como de 5,5 graus na escala de Richter, mas corrigida para 4,7 graus, fez-se sentir esta madrugada no Haiti. As autoridades anunciam que não há registo de vítimas ou danos materiais.
As primeiras informações davam conta de uma réplica mais forte, mas o Instituto Geológico dos EUA corrigiu para os 4,5 graus na escala de Richter.

A réplica surge 12 dias depois do sismo que destruiu a capital do país, Port-au-Prince, afectando mais de três milhões de pessoas e deixando um milhão e meio de desalojados e mais de cem mil mortos.