Vaga lumes de Portugal

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por belem 10 Mai 2008 às 02:09.

  1. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #391 belem, 9 Set 2019 às 21:07
    Última edição: 9 Set 2019 às 21:47
    Pedro1993 gostou disto.
  2. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #392 belem, 9 Set 2019 às 21:59
    Última edição: 9 Set 2019 às 22:49
    Pedro1993 gostou disto.
  3. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #393 belem, 9 Set 2019 às 22:33
    Última edição: 9 Set 2019 às 23:39
    Pedro1993 e MSantos gostaram disto.
  4. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
  5. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    7,007
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Excelente iniciativa, essa das caminhadas nocturnas para observação dos vários seres luminosos, até porque nem tudo o que brilha são pirilampos, se não estou em erro, se houve aqui pelo ribatejo ainda participava.
    Eu agora tenho andado em saídas de campo, para observação de aves, e de morcegos, ainda na semana passado estive na gruta, na nascente do Alviela, em Alcanena, onde habitam cerca de 5 mil morcegos, e aprendi muito de facto sobre este pequeno animal muito importante, pois ajuda muito no combate de pargas, principalmente na agricultura biológica.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    belem gostou disto.
  6. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    Ainda era eu um adolescente, e já andava a investigar os pirilampos do meu quintal.

    Uma das espécies que lá existia era esta.

    [​IMG]

    Lamprohiza paulinoi (2 fêmeas adultas).
    Encontrei esta foto da espécie na net (podem clicar para a ampliar), mas infelizmente não sei qual é o autor (ou autora) e a localidade onde foi tirada.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #396 belem, 26 Set 2019 às 00:00
    Última edição: 26 Set 2019 às 21:40
    Pedro1993 gostou disto.
  7. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    «Conta-se, pois, que a dada altura eles teriam visto uma claridade que pensavam ser o final do túnel, mas não era senão um espaço enorme com várias construções antigas que pareciam ser duma cidade subterrânea abandonada e a luz do ambiente vinha das próprias rochas luminiscentes das paredes da grande gruta onde se encontravam.»

    http://misterios-desvendados.blogspot.com/2010/12/misterios-da-serra-da-arrabida.html

    Uma explicação possível para a luminescência nas profundezas subterrâneas, seria a de que estaria a ser produzida pelo micélio gigantesco de um fungo luminoso.
    Já observei um certo tipo de luminescência dentro do solo e esta pode ser bastante extensa.
    Quem a produzia era um fungo do género Armillaria.
    A luminosidade neste género, como já tinha referido antes, consegue atingir niveis consideráveis de intensidade (e pode cobrir áreas com vários metros).
    Nem sempre se restringe a pedaços de madeira, podendo ser observada no solo (em busca de água, e nutrientes).
    Também tem a particularidade, de mostrar tons de luminescência distintos.

    Aqui descrevem como o fenómeno ocorre em algumas minas subterrâneas (em Inglês):

    https://www.fungimag.com/spring-2011-articles/LuminescentWoodLR.pdf
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    Pedro1993 gostou disto.
  8. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    7,007
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Já que tocas no assunto da lumiscencia nas profundezas subterraneas, eu este fim de semana, estive dentro da Gruta do Almonda, que uma da maiores e mais extensas grutas da Península Ibérica e estive a 170 m de profunidade, e lá dentro existem várias galerias, que tem mais de 15 metros de altura, onde podem ver pequenos fragementos luminosos, mas pode-se tratar apenas de alguma pedra mais polida ou brilhante, que é mais vísivel com a luz do capacete.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    belem gostou disto.
  9. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    Para tentares ver as luzes, tens que apagar a luz do capacete, e habituar os olhos ao escuro.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  10. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    7,007
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Sim, faz todo o sentido, mas por motivos de segurança, só tivemos permissão de apagar as luzes dos capacetes, numa zona de areal, com cerca de 30 m2 ,que é chamada de praia, pelos espeleólogos, porque é uma zona segura, e mesmo assim temos de estar sentados a areia
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    [​IMG]


    [​IMG]

    Nestas duas fotos, pode-se ver um fungo luminoso provavelmente do género Armillaria a decompôr madeira apodrecida de carvalho-cerquinho (na Reserva Lightalive de Óbidos).
    Penso que se trata de Armillaria tendo em conta os diferentes tons luminosos produzidos (verde-azul-amarelo), a côr da madeira à luz do dia (muito clara e com linhas escuras bem definidas e delimitar várias porções luminosas), e um aroma agradável bastante específico.

    Nesta altura do ano, e sobretudo em locais escuros, florestados e húmidos, é possível observar em algumas partes do substrato florestal, clarões de luz, provocados por diferentes espécies de fungos luminosos.
    Estes clarões tornam-se mais óbvios, quando o local é escuro, quando os nossos olhos, estão já habituados à escuridão e quando nos dobramos (sobretudo se o local não for muito escuro) para ver com cuidado a manta florestal.
    A luminosidade tanto pode aparecer em pequenas folhas, em plantas herbáceas como em pedaços de casca de árvore, em ramos ou até em troncos inteiros de árvores (neste caso torna-se facilmente visivel, à distância).
    Pelo que tudo indica, pelo menos no nosso país, parecem ter preferência, por florestas maduras (têm preferências pelas folhosas e pelas espécies de folhas larga) e com muita manta morta, podendo crescer em quase todo o comprimento de uma árvore, dando um espetáculo de rara beleza...
    Imaginem uma árvore, com um tronco de vários metros, a brilhar de cima a baixo! É uma experiência inesquecível.
    Como o projeto Lightalive inclue no seu leque de investigações, a temática dos fungos luminosos, quem já alguma vez observou tal fenómeno e quiser falar sobre o seu achado, já sabe, aqui é um bom sítio para partilhar (ou então se preferir, envie-me uma pm ou um email (livinglightfestival@gmail.com)).
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #402 belem, 2 Nov 2019 às 00:26
    Última edição: 2 Nov 2019 às 02:42
    Aristocrata e Pedro1993 gostaram disto.
  13. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    [​IMG]


    Um vídeo sobre este género:



    Outro género de fungos luminosos, que começa agora a frutificar e a tornar-se mais facilmente visível no nosso país, é o Omphalotus.

    [​IMG]
    Omphalotus olearius

    [​IMG]
    Omphalotus olearius
    (Maria da Luz Calado).


    Ambos géneros, têm em comum a faculdade de ter um micélio luminoso (que no caso do género Armillaria pode ter um tamanho gigantesco) mas diferem na luminescência observada no fruto do cogumelo, em que o Omphalotus tem a parte inferior do chapéu luminosa e o Armillaria não.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #403 belem, 2 Nov 2019 às 00:32
    Última edição: 2 Nov 2019 às 01:08
    Aristocrata gostou disto.
  14. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    7,007
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Excelente oservação, tenho andado nas últimas semanas também a investigar a trabalhar com alguns fungos de floresta madura, bem como micorrizas, entre outros, estou a fazer experiencias, e reprodução destes mesmos fungos para usar como acelarador de compostagem em contexto agrícola-florestal.
    Agora estamos em plena época de observação de vários tipos de fungos, devido ás condições de humidade.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    belem e Aristocrata gostaram disto.

Partilhar esta Página