As entradas mais favoráveis a neve. Quais são ?

Tópico em 'Meteorologia Geral' iniciado por Mário Barros 15 Jan 2012 às 23:25.

  1. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,479
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Quais são as condições ideias para que neve como nevava há 20 anos. Não digo cotas baixas visto serem situações excepcionais, mas sim médias/altas, dantes as serras mantinham a neve durante dias ou mesmo meses actualmente já nada disso se passa, ou porque neva pouco ou porque faz calor a mais podem ser uma das causas ou até as duas.

    Tecnicamente, quais são as entradas mais favoráveis para se ter neve considerável nos locais habituais ?

    :rolleyes::rolleyes:
     
  2. stormy

    stormy
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Ago 2008
    Mensagens:
    5,100
    Local:
    Lisboa-Encarnação // Lagoa de sto André
    São de N ou NW, havia muito disso nos invernos da decada de 70.

    Nessa altura a AMO era negativa, no inverno a zonal estava mais a sul e em Portugal as tempestades Atlanticas eram mais comuns...tinhas periodos de SW´s com muita chuva, seguidos de entradas de NW/N com muita neve.
     
    Collapse Signature Expand Signature
  3. Flaviense21

    Flaviense21
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    28 Jan 2007
    Mensagens:
    3,688
    Local:
    Oeiras /Chaves / Vilardevós - GZ
    Bom tópico!;)

    NW for sure! ;)

    São situações como a de hoje, mas com muito mais actividade pós frontal que poderiam trazer a Portugal neve em quantidade assinalável! De N ou NE nem pensar! Essas são boas para o norte de Espanha, nomeadamente a cara norte da Cordilheira Cantábrica, Pirinéus e Cantábrico Oriental, cá não chega nada, tem havido algumas nos últimos anos. :angry:

    Outra questão que o Mário levantou e a meu ver bem é a manutenção na neve nos terras altas, aí a resposta estará na migração cada vez mais vincada do AA para norte e do jet-stream, com geopotenciais muito elevados (como este ano) cada vez mais frequentes, sem grandes períodos de sucessivas passagens de perturbações polares, cada vez mais pontuais! Este ano é um exemplo o AA esteve até agora em posições mais próprias de Verão que de Inverno, nem neve, nem chuva, nem nada! =(
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. Snifa

    Snifa
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    16 Abr 2008
    Mensagens:
    7,152
    Local:
    Porto-Marquês:145 m Mogadouro:749 m
    Algo deste género:

    [​IMG]


    [​IMG]


    :cold:
     
    Collapse Signature Expand Signature
  5. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,844
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Para que a neve se mantenha, não bastam boas entradas de NW que deixem bastante precipitação sólida.. É também necessário que após o "pós-frontal" continuem noites frias, que tornem a neve dura. Com umas quantas noites abaixo de zero seguidas, sem nevoeiros, baixa %HR a neve dura muito mais tempo..
     
    Collapse Signature Expand Signature
  6. João Sousa

    João Sousa
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    1 Dez 2010
    Mensagens:
    199
    Local:
    Covilhã
    Eu tenho uma opinião um pouco destoante do padrão que aqui tem sido dado. Eu penso que as entradas que favorecem mais situações de neve prolongada são normalmente do quadrante nordeste. Porquê?
    A minha posição é sustentada pela experiência que tenho aqui na encosta sudeste da Serra da Estrela, onde as entradas de noroeste não favorecem, uma vez que leva sempre ao fenómeno do efeito de fohen, que leva a cotas bem mais elevadas, comparativamente com a encosta norte e noroeste. Para além de que as entradas de nordeste, normalmente são mais frias e situações bem mais prolongadas no tempo, o que potência o endurecimento da neve e com isso a perpetuação desta.
     
  7. AnDré

    AnDré
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    22 Nov 2007
    Mensagens:
    10,248
    Local:
    Arroja, Odivelas (142m)
    Noroeste!
    Frias e húmidas!
    Seguidas de uma bela geada para que a neve se mantenha nas serras por mais de uma semana.

    [​IMG]

    É caso para: Volta Helena, estás perdoada! :p
     
    Collapse Signature Expand Signature
  8. cova beira

    cova beira
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    29 Dez 2008
    Mensagens:
    442
    Local:
    covilha
    acho que vocês estão a confundir direcção do vento com o tipo de entrada

    normalmente as melhores entradas para ver neve em cotas baixas são continentais, desta forma teremos frio suficiente e menos humidade, os maiores nevões aqui na região são produzidos pelo choque de massas,o frio normalmente já instalado por uma entrada continental anterior e posterior entrada de sul ou oeste com ventos de leste

    entradas de noroeste vindas do atlântico norte necessitam de isos a rondar os -4 para termos neve a rondar os 400 500 metros

    nevões de 1987 2006 2009 9 Janeiro 2010 e 2011 nenhum foi com entrada de noroeste

    um bom nevão com entrada de noroeste foi o de 1994 mas é um dos poucos nos últimos anos[​IMG]

    [​IMG]


    um bom exemplo de entrada de oeste com frio acumulado e vento leste é o nevão de 1991 penso que as cartas são estas do dia 12 de fevereiro apesar de no tópico aqui do meteopt as fotos estarem referidas ao dia 11

    [​IMG]

    [​IMG]


    [​IMG]

    isto é que é um nevão a serio com acumulações de 50 cm
     
  9. ACalado

    ACalado
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    16 Fev 2006
    Mensagens:
    2,945
    Local:
    Covilhã 750m
    Como estas dificilmente vamos novamente ter tal como o Nevão do Carnaval de 95 salvo erro...
     
    Collapse Signature Expand Signature
  10. Norther

    Norther
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    25 Nov 2010
    Mensagens:
    1,460
    Local:
    Tortosendo 550m Encosta Sul Serra da Estrela
    Também concordo Cova Beira, pelo menos aqui para a Cova da Beira, entrada de ar frio continental ou siberiana 2 ou 3 dias antes de uma entrada de uma depressão de W ou SW e com a continuidade de ventos de leste frios e secos.
    Porque se vem de N NW por aqui costuma fazer o efeito fohen e a precipitação metade dela fica no norte de Espanha e Portugal e na face norte da Serra da Estrela, ainda neste domingo eu vi isso, nevou mais na face norte da Serra do que na sul, e entrada só continental só favorece no frio porque a precipitação costuma ser muito escassa.


    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expand Signature
  11. irpsit

    irpsit
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    2,057
    Local:
    Entre Mortágua e Tondela
    Antes de teres o teu padrão em Portugal com mais neve, também aqui na Islandia precisámos de regressar aos invernos do "antigamente".

    Aqui neva bem mesmo nos invernos recentes, mas muito menos do que antes, e os glaciares estão a retroceder muito rápido.

    Este inverno aqui na Islandia a acumulação chegou aos 70cm, mas já está a desaparecer. Antigamente podia chegar aos 2 metros e mantinha-se. O mesmo se passa em Portugal. Agora a neve nas serras é coisa de uns dias, antigamente eram várias semanas seguidas.

    Isto para dizer que não é só o padrão da jet e do atlântico que tem que ser propício, mas a temperatura global tem que baixar, a temperatura dos oceanos tem que baixar, para que essas entradas resultem facilmente em neve como acontecia antes dos anos 80.

     
    Collapse Signature Expand Signature
  12. João Sousa

    João Sousa
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    1 Dez 2010
    Mensagens:
    199
    Local:
    Covilhã
    Ainda me lembro, tinha apenas 9 anos! Também tenho fotos desse memorável dia! Não sei se lembram, mas coincidiu com o dia de Carnaval. Sim, também acredito que proximamente não teremos um evento com esta magnitude. Infelizmente!:angry:
    Abraço
     
  13. PedroNTSantos

    PedroNTSantos
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    27 Dez 2008
    Mensagens:
    322
    Local:
    Covilhã [562m]/Algoz (Silves)[49m]
    Não, Spiritmind, a informação correta é a do Cova da Beira, foi na terça-feira de carnaval de 1991. Há várias fotografias deste evento, incluindo em folhetos do turismo e postais, que mostram, a "olhómetro" acumulações superiores a 30 cm no centro da cidade, por volta dos 700 m de altitude.

    Esta foi tirada da janela do meu quarto a meio da manhã de quarta-feira.
    [​IMG]

    A neve na quinta por detrás da minha casa, apesar de apenas a 560 m de altitude, como está virada a norte, conservou neve por quase 15 dias, pois a este nevão seguiu-se um período de tempo seco e relativamente frio.

    No entanto, recordo-me de um nevão ainda com mais neve e, curiosamente, também num carnaval. Recordo-me de ter ido ver um Sp.Covilhã-Académica, ao velhinho Santos Pinto, e de ter começado a nevar durante o jogo. Isto na tarde de domingo de carnaval. Só parou de nevar na terça-feira! Penso que terá sido por volta de 1981, mas não tenho a certeza, pois já foi há muito tempo e teria uns 7 anos, mais ou menos, por essa altura.

    Encontrei a foto seguinte que, provavelmente, foi desse nevão:
    [​IMG]
     
  14. Iceberg

    Iceberg
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    5 Jun 2006
    Mensagens:
    689
    Local:
    Braga
    Excelente tópico, Mário Barros, são estes temas e discussões que contribuem para um forum ainda mais activo. Vou por isso dar a minha contribuição num tema que me faz reflectir e muitas vezes divergir entre a emoção de ler relatos de outras décadas e a esperança versus angústia de podermos ter (ou não) situações semelhantes no futuro.

    Vou utilizar tópicos para a leitura não ser tão cansativa:

    - Para ter neve a cotas médias em Portugal e esta manter-se durante algum tempo nas serras é necessário um elemento que nos últimos anos muito tem andado arredado da Iberia: uma siberiana digna desse nome. Sem dias (ou semanas) persistentes de ar frio de leste (preferencialmente com origem no leste europeu), seguidas ou intercaladas com depressões atlânticas (NW, W ou SW), é difícil ocorrer nevadas em Portugal. É necessário primeiro existir ar frio instalado e que seja de difícil rápida remoção pela precipitação quando ela chegar. Todos os episódios de neve a cotas baixas em Portugal que presenciei tiveram como antecedentes dias ou semanas de muito frio de leste ou nordeste em Portugal.

    Então porque razão não neva em Portugal como nas décadas de 40, 50, 60 e 70 ? O que mudou desde então até aos nossos dias ?

    - Aquecimento (humano ou natural); desde os anos 80 indiscutivelmente as temperaturas estão mais altas;
    - Anticiclones subtropicais a latitudes mais altas;
    - Ausência de siberianas ou outras entradas frias duradouras de leste, nordeste ou norte;
    - Pós-frontais fraquíssimos (este é um dos fenómenos que mais me intriga: lembro-me em criança de após a passagem de uma frente termos três ou quatro dias de aguaceiros bem formados, intensos e regulares, as próprias previsões do IM davam aguaceiros, aguaceiros e aguaceiros, e agora isso nunca acontece, passa a frente e aguaceiros são raros e fracos);
    - Irradiação nocturna menos intensa;
    - Dificuldade acrescida em existirem bloqueios no Atlântico (excesso de zonal e anticiclones subtropicais).

    Sabiam que na Pequena Idade do Gelo a Serra do Marão (a poucos kms do Porto) tinha neve todo o ano, inclusivamente em Julho e Agosto ... !? Agora, nem no Inverno consegue acumular neve.

    Sabiam que nessa mesma Idade do Gelo, existem relatos de pelo menos num determinado ano ter nevado sete vezes em Lisboa !?

    Sabiam que no nordeste transmontano (relatos do meu pai), no Inverno formavam-se facilmente lagos de gelo com uma espessura de um palmo, dificilmente quebráveis com pedras, e quando um desses blocos se partia e se colocava num caminho rural, ficava sem derreter semanas seguidas !

    Enfim, outros tempos, outras emoções, outra realidade.

    O mundo meteorólogico entretanto mudou muito, mas como as mudanças são inevitáveis, pode ser que num futuro mais ou menos próximo, elas retornem a padrões anteriores, e talvez mesmo de uma forma mais ou menos abrupta.

    Resta a nós e às futuras gerações continuarmos todos a acompanhar, relatar, analisar, prever e vibrar com esta maravilhosa meteorologia. Todos os dias, na esperança de novas emoções. ;)
     
  15. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    2,844
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Realmente, têm ambos razão.. Nas entradas de noroeste o efeito fohen é mais penalizador na vertente SE da serra da estrela. Não é por acaso que neste evento, loriga, seia e gouveia tiveram neve a cotas mais baixas. Manteigas acho que não é muito influenciada pelo sentido do vento.. E por exemplo, na vertente norte da gardunha também a cota foi mais baixa e com mais acumulação.

    Aqui na minha cidade, de que me lembre, a neve ou vem em pós-frontais suficientemente fortes para que precipite sem que as nuvens se desfaçam ao chegar cá. Ou então entradas de NE (a maioria), mas com pouca precipitação. Com entradas de noroeste a nevar desde o princípio, penso que só em 1981 ou 1983, e lembro-me que havia bastante frio instalado, pois os vizinhos subiam de pé no gelo da sua piscina.

    Aqui, embora seja uma região plana, mesmo assim é mais beneficiada a nível de frio com precipitação por eventos que cheguem de SW com frio acumulado. Mas neste caso, não se deve directamente ao efeito fohen, deve-se a que se a precipitação vier de Noroeste, vem já enfraquecida pelas barreiras de condensação à volta nas montanhas (estrela, gardunha, açor, alvéolos, muradal)!

    Cada região tem os seus "de que"! Mas claro que falamos de situações limite nas cotas. Esquecendo as cotas, o que traz mais precipitação são sempre entradas atlânticas, logo, para o alto da estrela são as mais importantes em termos de neve acumulada. Mas também se falarmos em condições que favoreçam o congelamento da camada de neve e sua manutenção por semanas, com dias secos e sem nevoeiro, serão certamente situações com entrada de ar continental.
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página