Chuva forte

Tópico em 'Aprendizagem e Formação' iniciado por Relâmpago 17 Jun 2007 às 22:55.

  1. Relâmpago

    Relâmpago
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    19 Mai 2007
    Mensagens:
    584
    Local:
    Lisboa (80m)
    Olá, boa noite

    Estes dias atrás assistimos, por vezes a precipitações fortes. A questão que eu ponho é a seguinte: são só os cumulonimbus os responsáveis pela chuva forte, ou há outros tipos de núvens que a podem originar?

    Obrigado.
     
  2. Minho

    Minho
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    6 Set 2005
    Mensagens:
    4,091
    Local:
    Melgaço

    Não só. Os Cumulus (Cu) também podem provocar chuva forte. Também é verdade que a fronteira que separa um Cumulos de um Cumulonimbos (Cb) é muito ténue.
    Para teres uma ideia o conteúdo de água de um Cu e de um Cb é de 1,0 e 1,5 g/m3 respectivamente. Já um Nimbostratus, nuvens causadores de chuva continua mas não intensa têm um conteúdo de água de 0,5 g/m3
     
    Collapse Signature Expand Signature
  3. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga

    Claro que não. Se em Portugal estivessemos dependentes de Cumulonimbus isto seria um deserto ainda maior do que diz o ministro ;)
    A tua pergunta aqui há umas semanas já foi dificil, se só os Cumulonimbus provocavam trovoadas, na altura respondi que sim acho eu, mas se calhar nem isso é verdade. Agora quanto a chuva... claro que não !
     
  4. Relâmpago

    Relâmpago
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    19 Mai 2007
    Mensagens:
    584
    Local:
    Lisboa (80m)
    Então, no caso de sistemas frontais, estas precipitações fortes podem estar dependentes, simultaneamente, de cumulonimbus + cúmulos + nimbostratos, o que já poderá dar uma quantidade de precipitação razoável. É curioso que há uma núvem que eu não consigo identificar muito bem: o nimbostratos. Pode ser considerada como de desenvolvimento vertical, simplesmente estratificada? Qual é a espessura habitual dela? que eu saiba, só existe nas frentes quentes e oclusas.

    Ainda falando em trovoada, recordo-me, há muitos anos atrás, um metereologista dizer que íamos estar, nas próximas horas sob a influência de uma superfície frontal quente que poderia causar trovoadas. O facto é que me lembro de ver um único relãmpago, aquando da passagem da frente. Na altura - e ainda agora - fiquei admirado, pois somente as frentes frias podem dar origem a trovoada.
     
  5. Relâmpago

    Relâmpago
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    19 Mai 2007
    Mensagens:
    584
    Local:
    Lisboa (80m)
    Segundo a Britannica Concise Encyclopedia :

    "Visible discharge of electricity when part of the atmosphere acquires enough electrical charge to overcome the resistance of the air. During a thunderstorm, lightning flashes can occur within clouds, between clouds, between clouds and air, or from clouds to the ground. Lightning is usually associated with cumulonimbus cloud s (thunderclouds) but also occurs in nimbostratus clouds, in snowstorms and dust storms, and sometimes in the dust and gases emitted by a volcano. A typical lightning flash involves a potential difference between cloud and ground of several hundred million volts. ..."

    "...Lightning is usually associated with cumulonimbus cloud s (thunderclouds) but also occurs in nimbostratus clouds..." :shocking:
     
  6. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Relâmpago, já algum tempo depois desta nossa discussão de Junho passado, houve um dia em que o Rog da Madeira me chamou a atenção para o registo de descargas eléctricas isoladas, se não me engano, no mar a norte da Madeira. Ele chamou-me a atenção, porque na altura não havia nuvens que justificassem isso. Eu vi e revi as imagens de satélite desse dia e confirmei que não havia qualquer tipo de nuvem alta.

    Por isso já não digo nada ... :)
     
  7. Relâmpago

    Relâmpago
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    19 Mai 2007
    Mensagens:
    584
    Local:
    Lisboa (80m)
    Olá Vince

    Isto leva-nos de novo à questão: como aparecem as cargas na núvem? Será a nuvem de trovoada a geradora das cargas eléctricas ou será, antes, uma captadora das cargas existentes na atmosfera? (Estes conceitos também podem ser relativos)

    Consoante haja gelo ou água, assim serão arrumadas as cargas. No topo as positivas, na base as negativas.

    Se assim for, pode muito bem um nimbostrato, em determinadas condições, ter gelo (no topo) e água (na base) e então poderá haver lugar a uma descarga? Contudo, a haver uma descarga, esta não será muito violenta, pois o nimbostrato tem muito menos envergadura que um cumulonimbus, além de ser uma núvem de ambiente mais estável (um cumulonimbus que se tenha sobreposto ao nimbostrato? Isso sucede nas frentes oclusas. Nas quentes... não sei. Mas o tipo de precipitação, naquela noite, não era a de um cumulonimbus...

    Edit: Não me esqueço, já há muitos anos, de um único relâmpago havido numa noite de chuva miúda e contínua. No dia seguinte, o metereologista, na televisão, disse que o País tinha sido atravessado por uma frente quente que tinha dado origem a algumas trovoadas. De facto, vendo o mapa que ele apresentava para a situação anterior, havia uma superfície frontal quente sobre o País, separada de uma fria, sobre o Atlântico, por um relativamente amplo sector quente.
     

Partilhar esta Página