Desmatamento pode criar arrefecimento global!!?

Tópico em 'Media' iniciado por Rog 11 Abr 2007 às 10:40.

  1. Rog

    Rog
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    6 Set 2006
    Mensagens:
    4,515
    Local:
    Norte Madeira (500m)
    Desmatamento pode esfriar a Terra, dizem cientistas

    fonte: Terra on line
     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. Bruno Campos

    Bruno Campos
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    7 Out 2005
    Mensagens:
    646
    Local:
    V. N. Famalicão
    Deflorestação pode ser positiva para o clima
    j. paulo coutinho


    Abate de árvores pode ajudar a controlar emissões em algumas zonas


    Ao contrário do que se poderia pensar, o abate de árvores em algumas zonas do Mundo pode ter um impacto benéfico no combate ao sobreaquecimento global, defende um estudo norte-americano do Laboratório Nacional Lawrence Livermore.

    A deflorestação leva à libertação de dióxido de carbono - principal gás com efeito estufa -, que aumenta o aquecimento global; nas partes mais frias da Terra, como a Sibéria ou o Canadá, as árvores acabam por ser prejudiciais, ao absorverem as radiações solares. O abate controlado e consequente substituição pos pastos e arbustos pode contribuir para inverter o aquecimento global.Opinião diferente é defendida por Dennis Meadows, cientista norte-americano autor do livro "Os limites do crescimento", que acredita já ser tarde demais para evitar as alterações climatéricas que se prevêem para os próximos 50 anos.

    O "colapso total do planeta", como refere, é reflexo do contínuo período de consumo e desenvolimento sem limites. "Esta crise sem precedentes levará o planeta à implantação de uma nova ordem social e uma nova maneira de viver", afirmou.

    O especialista assegura que a solução passaria por actos tão simples quanto produzir alimentos com menos água, ou evitar o uso excessivo de veículos motorizados. Ontem, foi também conhecido o resultado das investigações de um grupo de trabalho das Nações Unidas sobre o clima, que concluiu que as diferenças entre o Norte e o Sul da Europa vão aumentar. O Norte vai ter mais chuva e produção agrária, ao passo que a Sul a população vai enfrentar uma temperatura mais seca, mais ondas de calor e incêndios.

    O grupo, coordenado pelo espanhol José Manuel Moreno, relembrou a onda de calor de 2003, que causou 35 mil mortes no Verão desse ano. Uma onda de calor "sem precedentes" que não teria acontecido em "condições normais", assegura. NN

    www.jn.pt
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página