Meios para a neve reforçados em Bragança para fazer face aos nevões

Tópico em 'Media' iniciado por Z13 22 Nov 2010 às 23:05.

  1. Z13

    Z13
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    20 Set 2006
    Mensagens:
    2,870
    Local:
    Bragança - 690m
    O distrito de Bragança vai ter este ano mais meios para responder aos nevões de Inverno. Só no concelho de Bragança houve um investimento de 100 mil euros.

    São mais limpa-neves e espalhadores de sal nas estradas que este ano vão estar ao serviço das estradas no distrito de Bragança.

    De acordo com Carlos Alves, o comandante distrital de Protecção Civil, alguns municípios não entregaram ainda os seus planos de emergência em nevões. Mas sublinha que nas vias principais, como no IP4, haverá um reforço dos pontos de sal.

    “Este ano há um reforço a nível de pontos de fornecimento de sal, que a Autoestradas XXI incrementou os seus meios. Vão distribuir também novos produtos, como o sal moura, quando antes usavam sal seco, que não é tãoeficaz.”

    A Estradas de Portugal mantém dois limpa-neves, enquanto a concessionária do IP4, a Autoestradas XXI, tem três limpa-neves, um deles a operar nos distritos de Bragança e Vila Real.

    Para além disso, o município de Bragança foi quem mais apostou em mais e melhores meios para fazer face aos nevões.

    “É uma das solicitações climatéricas mais duras aqui na nossa zona e os meios locados à Protecção Civil não eram suficientes. Decidimos equipar vários veículos para responder de forma mais rápida, num concelho que é extenso e que tem mais de 600 km de estradas para limpar e diversos arruamentos na cidade.”

    O presidente da câmara de Bragança, Jorge Nunes, sublinha que com mais meios, será possível poupar na mão-de-obra necessária para espalhar sal nas estradas.

    “Temos um espalhador de sal, um tractor e um camião equipado com limpa-neves, dois tractores com limpadores de sal e espalhadores de sal na via pública, para não desperdiçar sal.”

    O investimento no novo equipamento ronda os cem mil euros.

    Mas também o plano de intervenção em situações de emergência já está definido.

    “A hierarquização de intervenção está definida. Na cidade a estrutura principal que dá acesso aos centros de saúde, hospital, às escolas. Na parte rural os pontos mais altos e as vias principais de acesso à cidade.”

    Ao todo, estarão ao serviço da protecção civil municipal três veículos com limpa neves e seis com espalhadores de sal, para além de duas moto-niveladoras, 12 viaturas de apoio, 23 motoristas e 17 pessoas de apoio. Em stock estão já 81500 quilos de sal.

    Estes meios juntam-se ao limpa-neves adaptado dos bombeiros voluntários de Bragança.

    in Radio Brigantia
     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    6,688
    Local:
    Figueira de Castelo Rodrigo (650m)
    Mais vale prevenir que remediar:)

    Penso que estes meios são bem-vindos para lidar melhor com situações de neve no Distrito, esperemos ver estes meios em acção muitas vezes, era bom sinal:D
     
    Collapse Signature Expand Signature
  3. Flaviense21

    Flaviense21
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    28 Jan 2007
    Mensagens:
    3,690
    Local:
    Oeiras /Chaves / Vilardevós - GZ
    Também em Chaves prevenção é palavra de ordem!

    Câmara de Chaves
     
    Collapse Signature Expand Signature
  4. Z13

    Z13
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    20 Set 2006
    Mensagens:
    2,870
    Local:
    Bragança - 690m
    Isso é uma bela ideia, e económica!:thumbsup:

    Para o nosso tipo de acumulações serve perfeitamente, agora para acumulações de 25 ou 35 cm... já não vai lá!
     
    Collapse Signature Expand Signature
  5. Z13

    Z13
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    20 Set 2006
    Mensagens:
    2,870
    Local:
    Bragança - 690m
    O pessoal do TopGear, à uns tempos também adaptou uma ceifeira a limpa-neves!

    Como eles referiram, as ceifeiras só funcionam no verão, logo no inverno podem fazer outros lavores!!! :D

    Vejam, que é delirante!!







    :facepalm:


     
    Collapse Signature Expand Signature
    #5 Z13, 21 Jan 2012 às 17:45
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 04:01
  6. Johnny

    Johnny
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    19 Dez 2007
    Mensagens:
    781
    Local:
    Agora... em Braga (Tibães, a 50m alt.)
    Agr até temos alguns meios... n temos é neve...:lmao::lmao::lmao::D
     
  7. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    8,554
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Formação de gelo é o maior perigo nas estradas

    A formação de gelo nas estradas é dos maiores perigos das baixas temperaturas do inverno transmontano e obriga a espalhar diariamente toneladas de sal para garantir a segurança dos condutores em centenas de quilómetros de vias. A "campanha invernal" exige pelo menos 1500 toneladas de sal-gema oriundas, sobretudo, das únicas minas portuguesas, em Loulé, no Algarve, e algum também da vizinha Espanha.
    Os nevões do Nordeste Transmontano são os mais mediáticos deste tipo de operação que envolve uma logística muito complexa e que se prolonga de Outubro a Abril, mobilizando dezenas de operacionais e veículos. "O gelo é dos inimigos mais perigosos", mas a anunciada vaga de frio para os próximos dias não apanhará desprevenidos os responsáveis pelas estradas de uma região com características que obrigam a uma logística desconhecida de outras zonas do país, segundo o director de exploração da Auto-estradas XXI.
    Fernando Pedroche é, há três anos, responsável pelos 130 quilómetros do IP4, entre Quintanilha, em Bragança, e Amarante, que estão a ser transformados na Auto-estrada Transmontana. No primeiro ano gastaram 1200 toneladas de sal-gema na principal via transmontana que atravessa os distritos de Bragança e Vila Real e liga a fronteira ao Porto. No segundo ano foram 900 e este ano, já espalharam 200 toneladas.
    Têm dois silos com reservas de 100 toneladas cada em cada distrito e pontos de carga para reabastecimento ao longo da via. Cada tonelada de sal-gema custa entre 70 a 80 euros. Em Dezembro adquiriram um novo limpa neves com dispensador de sal que custou "140 mil euros, sem IVA". Ao todo dispõem de dois veículos do género em cada distrito e uma carrinha todo o terreno adaptada com pás ou lâminas de diferentes dimensões para operar nas zonas estreitas dos desvios das obras ou nós.
    A equipa monitoriza diariamente as previsões do tempo e as temperaturas, com a ajuda de estações meteorológicas instaladas ao longo da estrada e, quando a temperatura se aproxima do zero é obrigatória a operação. Uma vida não tem preço, como diz este responsável corroborado por Ugo Berardinelli, colega da Ascendi, a concessionária responsável pelos 250 quilómetros do Douro Interior que abrange o IP2 e o IC5.
    A sinistralidade e indisponibilidade da via implicam penalizações para as concessionárias. A operação de logística da Ascendi é semelhante, mas com mais quilómetros para "limpar", 250 desde Macedo de Cavaleiros (Bragança) a Celorico da Beira (Guarda), e de Alijo (Vila Real) a Miranda do Douro (Bragança). Manter as estradas operacionais nesta zona "exige um esforço acrescido", reiterou o director que conta com um centro de controlo em Lodões (Vila Flor), e dois centros mais pequenos em Mogadouro e Celorico da Beira e dá apoio também à A25 (Guarda).
    Por estes locais estão espalhados três limpa-neves quatro carrinhas com lâminas adaptáveis. Conta ainda com cerca de 30 funcionários recrutados na região e 62 câmaras que vigiam as estradas e fazem chegar imagens e informação ao centro de controlo de Lodões. Gastam entre 450 a 500 toneladas de sal-gema por ano e cada camião consome, em média, 50 litros de combustível aos cem, em cada saída para espalhar sal.
    Tanto a Auto-estradas XXI como a Ascendi utilizam, além do sal-gema, uma mistura de sal e água denominada salmoura que no futuro pretende generalizar nas operações por ser mais eficiente (adere melhor à estrada) e barata.
    O combate ao gelo e neve é feito também pela Estradas de Portugal (EP), responsável, no Distrito de Bragança, por uma rede viária de 960 quilómetros, 300 dos quais mais sensíveis às adversidades climatéricas. A EP dispõe de dois limpa-neves e mais dois veículos adaptáveis e brigadas de intervenção com 17 efectivos que contabilizam nesta época 1500 horas de trabalho a espalhar entre 400 e 500 toneladas de sal-gema.

    Fonte: Correio da Manhã
     
  8. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    SIN PALABRAS.

    :surprise::surprise::surprise::surprise::surprise::surprise:
     
  9. Flaviense21

    Flaviense21
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    28 Jan 2007
    Mensagens:
    3,690
    Local:
    Oeiras /Chaves / Vilardevós - GZ
    Re: Meios para a neve reforçados em Bragança e Chaves para fazer face aos nevões

    Tudo isto num ano em que tudo indica, não haverá neve! Não deixa de ser curioso! :(:lol:
     
    Collapse Signature Expand Signature

Partilhar esta Página