Alterações Climáticas: o que fazer?

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
:huh::huh::huh::huh::huh::huh:

Sinto-me confuso com o video :huh::huh::huh: as plantas morrem com CO2 a mais :lmao::lmao::lmao::lmao: é?

Eu já li algures que quanto mais CO2 houver mais depressa as plantas se desenvolvem e crescem, porque mais alimento teem.

Eu se fosse ambientalista andava sempre de consciência pesada por andar a mandar CO2 lá para cima através da respiração.

É incrivel é o clima faça você mesmo...o que está para trás do século 19 não interessa??


Só uma curiosidade do controlo climático, experiências com o clima é o que não falta para ai já são tão antigas que até dói, agora se aliarmos isto á teoria do caos está tudo explicado.

 
Editado por um moderador:

José M. Sousa

Cumulus
Registo
16 Mai 2008
Mensagens
258
Local
Lisboa
:huh::huh::huh::huh::huh::huh:

Sinto-me confuso com o video :huh::huh::huh: as plantas morrem com CO2 a mais :lmao::lmao::lmao::lmao: é?

Eu já li algures que quanto mais CO2 houver mais depressa as plantas se desenvolvem e crescem, porque mais alimento teem.

Eu se fosse ambientalista andava sempre de consciência pesada por andar a mandar CO2 lá para cima através da respiração.

É incrivel é o clima faça você mesmo...o que está para trás do século 19 não interessa??

Só até certo ponto mais CO2 pode funcionar como "fertilizante".
Na realidade, a partir de uma determinada temperatura, a fotossíntese pode sofrer um colapso:

«Higher temperatures can reduce or even halt photosynthesis,
prevent pollination, and lead to crop dehydration. Although the
elevated concentrations of atmospheric CO2 that raise temperature
can also raise crop yields, the detrimental effect of higher
temperatures on yields overrides the CO2 fertilization effect for
the major crops.
In a study of local ecosystem sustainability, Mohan Wali and
his colleagues at Ohio State University noted that as temperature
rises, photosynthetic activity in plants increases until the
temperature reaches 20 degrees Celsius (68 degrees Fahrenheit).
The rate of photosynthesis then plateaus until the temperature
hits 35 degrees Celsius (95 degrees Fahrenheit), whereupon it
begins to decline, until at 40 degrees Celsius (104 degrees
Fahrenheit), photosynthesis ceases entirely.17»

in PLAN B 3.0 Mobilizing to Save Civilization Lester Brown Cap. 3
Rising Temperatures and
Rising Seas

http://www.earth-policy.org/Books/PB3/pb3ch3.pdf

Em relação ao vídeo do Attenborough, e então?
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Só até certo ponto mais CO2 pode funcionar como "fertilizante".
Na realidade, a partir de uma determinada temperatura, a fotossíntese pode sofrer um colapso:

«Higher temperatures can reduce or even halt photosynthesis,
prevent pollination, and lead to crop dehydration. Although the
elevated concentrations of atmospheric CO2 that raise temperature
can also raise crop yields, the detrimental effect of higher
temperatures on yields overrides the CO2 fertilization effect for
the major crops.
In a study of local ecosystem sustainability, Mohan Wali and
his colleagues at Ohio State University noted that as temperature
rises, photosynthetic activity in plants increases until the
temperature reaches 20 degrees Celsius (68 degrees Fahrenheit).
The rate of photosynthesis then plateaus until the temperature
hits 35 degrees Celsius (95 degrees Fahrenheit), whereupon it
begins to decline, until at 40 degrees Celsius (104 degrees
Fahrenheit), photosynthesis ceases entirely.17»

in PLAN B 3.0 Mobilizing to Save Civilization Lester Brown Cap. 3
Rising Temperatures and
Rising Seas

http://www.earth-policy.org/Books/PB3/pb3ch3.pdf

Em relação ao vídeo do Attenborough, e então?

AHHHH isso significa que quando os polos eram florestas tropicais não havia arvores :lmao::lmao: tá giro.
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,092
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
:huh::huh::huh::huh::huh::huh:
Sinto-me confuso com o video :huh::huh::huh: as plantas morrem com CO2 a mais :lmao::lmao::lmao::lmao: é?

Eu já li algures que quanto mais CO2 houver mais depressa as plantas se desenvolvem e crescem, porque mais alimento teem.

Eu se fosse ambientalista andava sempre de consciência pesada por andar a mandar CO2 lá para cima através da respiração.

É incrivel é o clima faça você mesmo...o que está para trás do século 19 não interessa??

Repara numa coisa Mário Barros,

Tens um campo de cultura. E queres que ele produza mais e melhor. O que é que lhe vais fazer? Vais aduba-lo, porque enriquecendo o solo poderás ter um rendimento melhor e maior. No entanto sabes que só o podes faze-lo até um determinado nivel de concentração. Caso contrário as plantas saturam, e o efeito positivo de adubo acaba por sufocar a planta. E a planta morre.
Com o CO2 funciona exactamente igual.

Agora pensa, se fosse como tu pensas, porque é que não é junto às estradas, às concentrações urbanas e às fabricas que se vêem as melhores árvores e as melhores plantas?

Quanto àquilo do século XIX, a resposta já foi dada algures no fórum. Porque foi a partir daí que se começaram a fazer registas continuos e dentro das mesmas normas.
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,092
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
AHHHH isso significa que quando os polos eram florestas tropicais não havia arvores :lmao::lmao: tá giro.

Sim, a partir de uma determinada temperatura, penso que seja 40-42ºC, a fotossintese deixa de se realizar. Mas o pessoal de ecologia que me corrija.

Então Mário, quando os pólos eram florestas tropicais, era porque era neles que se encontravam as condições ideias para o efeito, ou seja, temperaturas médias à volta dos 25ºC e muita humidade. E se eram florestas tropicais, deveriam ter árvores, ou não?:confused:

O mesmo já não deveria acontecer nas actuais zonas de floresta tropical, que deveria estar transformadas num deserto árido.
 

José M. Sousa

Cumulus
Registo
16 Mai 2008
Mensagens
258
Local
Lisboa
AHHHH isso significa que quando os polos eram florestas tropicais não havia arvores :lmao::lmao: tá giro.

Não Mário Barros, significa que provavelmente os Pólos teriam temperaturas temperadas - ao contrário das temperaturas gélidas de hoje - que permitiam ter árvores e que os trópicos seriam desertos!!!

PS : não reparei no comentário do André.
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Não Mário Barros, significa que provavelmente os Pólos teriam temperaturas temperadas - ao contrário das temperaturas gélidas de hoje - que permitiam ter árvores e que os trópicos seriam desertos!!!

PS : não reparei no comentário do André.

Então e como seriam os niveis de CO2 ?? supostamente seriam hiper mega mais altos do que os niveis de hoje, porque, pelo o pouco que percebo disto, o clima mais quente dá mais CO2 na atmosfera, e sendo assim pelo vosso raciocinio quantos mais CO2 maior é o nivel de toxicidade da atmosfera logo menos probablidades há de se darem arvores no planeta.
 

José M. Sousa

Cumulus
Registo
16 Mai 2008
Mensagens
258
Local
Lisboa
Então e como seriam os niveis de CO2 ?? supostamente seriam hiper mega mais altos do que os niveis de hoje, porque, pelo o pouco que percebo disto, o clima mais quente dá mais CO2 na atmosfera, e sendo assim pelo vosso raciocinio quantos mais CO2 maior é o nivel de toxicidade da atmosfera logo menos probablidades há de se darem arvores no planeta.

Mário, a lógica - de forma muito simplista - é: mais CO2 implica temperatura mais elevada implica (a partir de determinado limiar) paragem da fotossíntese implica destruição plantas

No entanto, o aumento de temperatura não é uniforme em todo o planeta, os pólos continuam relativamente mais frescos, com temperaturas que permitem o crescimento de plantas.

Ou sejas, as plantas prosperam dentro de um intervalo de temperaturas. Fora dele, tendem a declinar. Não se dão bem nem com temperaturas muito frias nem com temperaturas muito quentes. Não é preciso ser bíólogo para se intuir a coisa.

Já percebeu agora?
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Mário, a lógica - de forma muito simplista - é: mais CO2 implica temperatura mais elevada implica (a partir de determinado limiar) paragem da fotossíntese implica destruição plantas

No entanto, o aumento de temperatura não é uniforme em todo o planeta, os pólos continuam relativamente mais frescos, com temperaturas que permitem o crescimento de plantas.

Ou sejas, as plantas prosperam dentro de um intervalo de temperaturas. Fora dele, tendem a declinar. Não se dão bem nem com temperaturas muito frias nem com temperaturas muito quentes. Não é preciso ser bíólogo para se intuir a coisa.

Já percebeu agora?


Sim sim :inocente::inocente: o que me estava a fazer confusão era como é que podia haver plantas no tempos dos dinossauros se os niveis de CO2 na atmosfera eram bem superiores aos de hoje...provavavelmente eles andavam de ferraris :p e provocaram aqueicmento global ate á exaustão do planeta e deles mesmos...tipo como o nosso destino se nada mudarmos.
 

José M. Sousa

Cumulus
Registo
16 Mai 2008
Mensagens
258
Local
Lisboa
:huh::huh::huh::huh::huh::huh:

Sinto-me confuso com o video :huh::huh::huh: as plantas morrem com CO2 a mais :lmao::lmao::lmao::lmao: é?

Eu já li algures que quanto mais CO2 houver mais depressa as plantas se desenvolvem e crescem, porque mais alimento teem.

Eu se fosse ambientalista andava sempre de consciência pesada por andar a mandar CO2 lá para cima através da respiração.

É incrivel é o clima faça você mesmo...o que está para trás do século 19 não interessa??


Só uma curiosidade do controlo climático, experiências com o clima é o que não falta para ai já são tão antigas que até dói, agora se aliarmos isto á teoria do caos está tudo explicado.

Acho que já percebi onde quer chegar com o vídeo do Attenborough. Para isso vai ter que ler um pouco sobre paleoclimatologia:

http://www.ipcc.ch/pdf/assessment-report/ar4/wg1/ar4-wg1-chapter6.pdf

Sobre as experiências com o tempo e as propostas de geoengenharia:

http://www.thebulletin.org/files/064002006_0.pdf
 

José M. Sousa

Cumulus
Registo
16 Mai 2008
Mensagens
258
Local
Lisboa
Sim sim :inocente::inocente: o que me estava a fazer confusão era como é que podia haver plantas no tempos dos dinossauros se os niveis de CO2 na atmosfera eram bem superiores aos de hoje...provavavelmente eles andavam de ferraris :p e provocaram aqueicmento global ate á exaustão do planeta e deles mesmos...tipo como o nosso destino se nada mudarmos.

Você anda constantemente às voltas com as mesmas perguntas. Não sei se é por brincadeira - nesse caso, vou deixar de lhe ligar - ou por outra razão qualquer.

O Planeta já passou por várias fases de aquecimento e arrefecimento. Essas fases tiveram que ver sobretudo com forçamentos orbitais cíclicos (Ciclos de Milankovitch)

O aquecimento global actual não é explicável por esses ciclos
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Acho que já percebi onde quer chegar com o vídeo do Attenborough. Para isso vai ter que ler um pouco sobre paleoclimatologia:

http://www.ipcc.ch/pdf/assessment-report/ar4/wg1/ar4-wg1-chapter6.pdf

Sobre as experiências com o tempo e as propostas de geoengenharia:

http://www.thebulletin.org/files/064002006_0.pdf

Coisas relativas ao IPCC prefiro ficar na ignorância :p

Quanto ás possiveis soluções vindas da geoengenharia são autênticas utopias, eu já vi coisas como capturar CO2 da atmosfera e lançalo para o subsolo, criar um conjunto de paines reflectores para nos proteger do sol, criar plantas geneticamente modificadas para recolherem CO2 em grandes quantidades, criar navios enormes para capturar CO2 da atmosfera no meio do oceano etc etc.

Quanto a toda esta palhaçada que só desperdiça tempo e dinheiro do qual podia ir bem para África eu só retenho o seguinte:

Nós não somos uma estrela, somos um planeta, no qual vivemos, e nele mesmo rodamos á volta do sol é ele que manda em 90% do nosso clima, não necessitamos de andar a colocar chapeus de sol por causa do sol só porque estamos uns graus mais quentes a natureza tratará disso mesmo existe uma energia exterior a nós que nos dá o calor, do qual necessitamos para todos os dias. Agora, a tua pergunta é porque é que eu comparei a terra a uma estrela, aqui fica a explicação: então para certos cientistas (se o forem) a terra está mais quente devido ao CO2 e alguns loucos até já mandam previsões de que isto é só o começo e poderá não ter retorno devido aos poços de metano que podem rebentar e trazer ainda mais calor ao planeta, ora bem, que eu saiba numa estrela tal como o sol ela está essencialmente dependete do combustivel que conteêm a nivel de subsolo o que tanto pode ser hélio como nitrogénio ou hidrogénio, existe um equilibrio de combustão de tal gás nas estrelas isto é para que elas se mantenham "vivas" necessitam de consumir uma certa quantidade de gás, ora bem, quando se dá um desiquilibrio na quantidade de gás consumido pela estrela a estrela acaba por emitir menos luz e consequentemente menos calor (tal como ocorre no sol) já no contrário quando consemem mais, mais calor emitem e tambem mais luz. Ora bem tal raciocinio paraece estar a aplicar-se na terra posi para alguns cientistas o que está a acontecer é que parece que o planeta está a sofrer com o CO2 a mais, isto é aquele que está a ser queimado, logo tem de se controlar tal emissão pois caso isso não aconteça o planeta poderá esturrar.

Agora só uma curiosidade para quem não sabe Marte ainda contem estações do ano mesmo sendo um planeta onde só há pó vermelho...(ou então não, mas isso é outra história)
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Acho que já percebi onde quer chegar com o vídeo do Attenborough

Não percebeu não.Só para quem o conhece melhor é que percebeu que foi uma das já habituais gaffes do Mário Barros que deixam qualquer interlocutor confuso e perplexo à procura de uma explicação para o inexplicável. As gaffes às vezes são tão estranhas que acabo sempre com a sensação que não vale a pena perder tempo a discutir o assunto com ele.
Mas há sempre um ponto positivo, sempre dá para falar do Attenborough.
Attenborough foi um céptico muitos anos mas em 2006 mudou de opinião, o video do Mário Barros explica resumidamente o porquê da mudança. Mas já agora aqui está o texto que ele escreveu na altura:

Climate change is the major challenge facing the world

I was sceptical about climate change. I was cautious about crying wolf. I am always cautious about crying wolf. I think conservationists have to be careful in saying things are catastrophic when, in fact, they are less than catastrophic.

I have seen my job at the BBC as a presenter to produce programmes about natural history, just as the Natural History Museum would be interested in showing a range of birds of paradise - that's the sort of thing I've been doing. And in almost every big series I've made, the most recent one being Planet Earth, I've ended up by talking about the future, and possible dangers. But, with climate change, I was sceptical. That is true.

Also, I'm not a chemist or a climatologist or a meteorologist; it isn't for me to suddenly stand up and say I have decided the climate is changing. That's not my expertise. The television gives you an unfair and unjustified prominence but just because your face is on the telly doesn't mean you're an expert on meteorology.

But I'm no longer sceptical. Now I do not have any doubt at all. I think climate change is the major challenge facing the world. I have waited until the proof was conclusive that it was humanity changing the climate. The thing that really convinced me was the graphs connecting the increase of carbon dioxide in the environment and the rise in temperature, with the growth of human population and industrialisation. The coincidence of the curves made it perfectly clear we have left the period of natural climatic oscillation behind and have begun on a steep curve, in terms of temperature rise, beyond anything in terms of increases that we have seen over many thousands of years.

People say, everything will be all right in the end. But it's not the case. We may be facing major disasters on a global scale.

I have seen the ice melting. I have been to parts of Patagonia and heard people say: "That's where the glacier was 10 years ago - and that's where it is today." The most dramatic evidence I have seen was New Orleans, after Hurricane Katrina. Was that climate-change induced, out of the ordinary? Certainly so. Everyone who does any cooking knows that if you want to increase a chemical reaction, you put it on the stove and heat it up. If you increase the temperature of the oceans, above which there are swirling currents of air, you will increase the energy in the air currents. It's not a mystery.

So it's true to say these programmes about climate change are different, in that previously I have made programmes about natural history, and now you could say I have an engaged stance. The first is about the fact that there is climate change and that it is human-induced. I'm well aware that people say it's all a fuss about nothing, and even if it is getting warmer, it's nothing to do with us. So I'm glad that the BBC wanted some clear statement of the evidence as to why these two things are the case.

The second programme says, these are some of the changes that are now almost inevitable, these are the sorts of things that the nations of the world have to do, to forestall the worst. Will they do it? Who knows? And many people feel helpless.

Yet the fact of the matter is, I was brought up as boy during the war and, during the war, we actually regarded it as immoral, wrong, to leave food on your plate, you needed to eat what was on your plate because we didn't have enough. I feel in the same way that it is wrong to waste energy now, and if that sort of sea change in moral attitude were to spread amongst the world's population, it would make a difference.

During the past 50 years, I have been lucky enough to spend my time travelling around the world looking at its wonders and its splendours. I have seen many changes, some good many bad.

But it's only in the past decade that I have come to think about the question of whether or not what I, or anybody else, has been doing, could have contributed to the change in the climate of the planet that is undoubtedly taking place. When I was a boy in the 1930s, the carbon dioxide level was still below 300 parts per million. This year, it reached 382, the highest figure for hundreds of thousands of years.

I'm 80 now. It's not that I think, like any old man, that change is wrong. I recognise that the world has always changed. I know that. But the point is, it's changing more extremely and swiftly than at any time in the past several million years. And one of the things I don't want to do is to look at my grandchildren and hear them say: "Grandfather, you knew it was happening - and you did nothing."
 

José M. Sousa

Cumulus
Registo
16 Mai 2008
Mensagens
258
Local
Lisboa
Coisas relativas ao IPCC prefiro ficar na ignorância :p


Então, se o Mário Barros ignora o IPCC, ignora a comunidade e os melhores laboratórios científicos neste domínio a nível mundial:huh:
Gostava de saber então quais são as suas referências?

Eu também acho que a geoengenharia é uma loucura! Se você abrir o link que indiquei....