Ambiente: Oceanos estão a perder oxigénio

ecobcg

Cumulonimbus
Registo
10 Abr 2008
Mensagens
4,862
Local
Sitio das Fontes e Carvoeiro (Lagoa - Algarve)
Mais um estudo:

"Um artigo publicado hoje na revista Science retoma a ideia segundo a qual os oceanos estão a perder oxigénio, acrescentando novas provas a esta tese. Segundo a publicação, esta perda pode estar relacionada com o aquecimento do planeta e pode pôr em risco espécies marinhas que não sobrevivem abaixo de certos limiares de oxigénio (O2).
Segundo pode ler-se na edição desta sexta-feira do jornal Público, o estudo feito por cientistas alemães e norte-americanos analisa a variação da concentração do gás ao longo de mais de quatro décadas, nas regiões tropicais dos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico, e conclui que no Atlântico e no Pacífico existe uma camada de água a profundidades intermédias, com uma baixa concentração de O2, que tem vindo a aumentar de tamanho.

Os cientistas analisaram três pontos no Atlântico, dois no Pacífico e um no Índico, sendo que, dos três, o Atlântico foi o que registou maior baixa na concentração do oxigénio. Aliás, a zona de oxigénio mínimo neste oceano quase duplicou em menos de 50 anos.

O aquecimento global poderá estar por trás disto: se a temperatura média do mar aumentar, a quantidade de oxigénio solúvel diminui. Mas os cientistas ainda não têm dados para relacionar os dois fenómenos, sendo que a redução também pode ser causada por processos naturais, assumem os investigadores.

O estudo agora publicado na Science faz parte de um projecto alemão que pretende investigar os efeitos das alterações climáticas nos oceanos.

O projecto, iniciado este ano, vai tentar relacionar a biologia, a geologia e a química dos oceanos, centrando-se nas alterações dos ciclos de carbono, oxigénio, azoto; na relação entre estes ciclos; e no impacto que todas as alterações vão ter na circulação de nutrientes e na vida marinha.

As correntes oceânicas, a região dos trópicos e as zonas de oxigénio mínimo vão ser outros alvos de investigação do projecto, que vai durar mais de uma década.


in Diário Digital