Análise de Modelos, Previsões e Alertas - Novembro 2010

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Regras deste tópico:
->Regras Análise Modelos, Previsão e Alertas
->Nota sobre a utilização dos dois tópicos de Previsões


Aviso MeteoPT
As análises, previsões ou alertas neste forum são apenas a opinião dos utilizadores que as proferem e são da sua inteira responsabilidade. Não são previsões ou alertas de entidades oficiais, salvo indicação em contrário, não devendo portanto ser usadas como tal.
Para previsões, avisos e alertas oficiais, consulte sempre os produtos do Instituto de Meteorologia, Protecção Civil ou outras entidades com essa função.
 

David sf

Staff
Registo
8 Jan 2009
Mensagens
5,167
Local
Oeiras / VN Poiares
Resumindo todas as previsões dos modelos, pode-se dizer que até dia 6 nada de relevante se irá passar, tempo seco, anticiclónico e ameno. Depois começam as discrepâncias. Às 144 h ambos os modelos metem um forte anticiclone, numa posição que não incomoda nada, a oeste dos Açores. A diferença é que o GFS coloca uma depressão junto à Gronelândia com 995 mb,

gfs0144z.png


o ECMWF mete uma depressão muito mais cavada, com 975mb.

ecm1144p.gif


Segundo o GFS, essa pequena depressão seria absorvida pelo grande centro depressionário existente na Europa do Norte, estando o estado do tempo em Portugal continental influenciado por uma crista que mete ar frio de nordeste, podendo isolar uma pequena cut-off no sul do país. Posteriormente essa cut-off poderia criar o cavado que permitisse que o grande centro depressionário afectasse de raspão o norte do país. Depois cairia de novo o anticiclone em cima de nós.

gfs0168.png


gfs0192.png


gfs0240g.png


Já o ECMWF ao dar mais cavamento à depressão da Gronelândia, faz com que ela não seja absorvida, dando-lhe identidade própria, comprimindo o anticiclone atlântico para uma posição mais a oeste. Esta depressão afectaria o continente durante bastante tempo, ficando isolada da circulação entre os Açores e o continente. Este cenário, com a depressão isolada, é pouco provável, mas seria excepcional, na posição em que a meteu hoje (a posição de ontem às 12z não era grande coisa, estava muito afastada).

ecm1168.gif


ecm1192.gif


ecm1240.gif


É comum o GFS exagerar na circulação zonal. É comum o ECMWF inventar depressões isoladas a SO do continente. Portanto aponto para um cenário misto, algo como o GEM/CMC tem na sua última run. É isto que eu acho mais provável:

gem0168.png


gem0192.png


gem0240.png


Também seria interessante, menos fantasioso, está parecido com a média dos ensembles do ECMWF.
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Meteo: Aviso vermelho devido a ondas de 8 metros, encerradas 8 barras

O Instituto de Meteorologia (IM) colocou hoje a costa portuguesa a norte do cabo da Roca em aviso vermelho, o mais grave da escala, devido à previsão de ondas que poderão atingir oito metros.

Devido ao estado do mar, a Marinha encerrou as barras de Caminha, Vila Praia de Âncora, Viana do Castelo, Póvia de Varzim, Douro, Aveiro, Figueira da Foz e São Martinho do Porto.

O aviso vermelho do IM chama a atenção para uma situação meteorológica de risco extremo.

Lusa
 

MSantos

Staff
Registo
3 Out 2007
Mensagens
9,699
Local
Azambuja / Mte. Barca (Coruche)
Boas na véspera de mais um evento meteo o IM já actualizou (e bem) os seus avisos meteorologicos.

VIANA DO CASTELO: Vento Forte (Laranja), Agitação marítima (Amarelo), Precipitação forte(Amarelo)

BRAGA: Vento Forte (Laranja), Agitação marítima (Amarelo), Precipitação forte(Amarelo)

PORTO: Vento Forte (Laranja), Agitação marítima (Amarelo), Precipitação forte(Amarelo)

VILA REAL: Vento Forte (Laranja), Precipitação forte(Amarelo)

BRAGANÇA
: Vento Forte (Laranja), Precipitação forte(Amarelo)

AVEIRO: Vento Forte (Laranja), Precipitação forte(Amarelo), Agitação marítima (Amarelo)

VISEU: Vento Forte (Laranja), Precipitação forte(Amarelo)

GUARDA: Vento Forte (Laranja), Precipitação forte(Amarelo)

COIMBRA: Vento Forte (Laranja), Agitação marítima (Amarelo)

LEIRIA:Vento Forte (Laranja), Agitação marítima (Amarelo)

CASTELO BRANCO: Vento Forte (Laranja)

PORTALEGRE: Vento Forte (Amarelo)

FARO: Agitação marítima (Amarelo)

Os restante Distritos não têm avisos, pelo menos para já;)
 

João Soares

Super Célula
Registo
23 Ago 2007
Mensagens
6,112
Local
Canidelo, Vila Nova Gaia
Fim-de-semana com aviso laranja de mau tempo

Onze distritos do norte e centro vão estar no fim de semana sob aviso laranja, devido às previsões do Instituto de Meteorologia para a ocorrência de vento forte, enquanto que Portalegre e Faro estarão "pintados" a amarelo.

Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Bragança, Aveiro, Viseu, Guarda, Coimbra, Leiria e Castelo Branco são os distritos que estarão com o aviso laranja activo, o segundo mais grave, que significa situação meteorológica de risco moderado a elevado.

O vento forte, com rajadas que poderão atingir os 110 Km/h, é o motivo pelo qual o IM accionou o aviso laranja, que estará activo a partir das 6 horas de sábado e até às 12 horas de domingo.

Por outro lado, e também devido à intensidade do vento, os distritos de Portalegre e Faro estarão com o aviso amarelo accionado, o que significa situação de risco para a realização de determinadas actividades dependentes das condições meteorológicas.

Para hoje, e segundo as previsões do Instituto de Meteorologia (IM), o dia apresentar-se-á com períodos de céu muito nublado, ainda que com boas abertas na região sul. Nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, e em especial no Minho e Douro Litoral, registar-se-ão períodos de chuva fraca.

O vento será fraco (inferior a 15 km/h), tornando-se moderado (15 a 25 km/h) de sudoeste no litoral da região norte, a partir do início da manhã.

Relativamente ao estado do mar, na costa ocidental a norte do Cabo Carvoeiro as ondas serão de noroeste com três a quatro metros, passando depois a ondas de oeste. A sul do Cabo Carvoeiro, as ondas serão de noroeste, com dois a três metros, e a água do mar registará uma temperatura que oscilará entre os 15 e os 17 graus centígrados. Na costa sul, as ondas de sudoeste serão inferiores a um metro e a temperatura da água será de 18º.

As temperaturas máximas previstas para hoje são de 17º no Porto e em Lisboa, 19º em Faro, 22º em Ponta Delgada e 24º no Funchal.

in: JN
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Chuva e vento forte previstos no norte e centro
O Instituto de Meteorologia (IM) colocou hoje sob aviso amarelo 12 distritos do norte e centro, devido a previsões de chuva, vento e agitação marítima, e as ilhas do grupo oriental dos Açores, onde se espera chuva forte.

As previsões de períodos de chuva forte colocaram os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria e Lisboa sob aviso amarelo, o menos grave de uma escala de três, que significa situação de risco para a realização de determinadas actividades dependentes das condições meteorológicas.

Com excepção de Lisboa, todos os distritos do litoral norte e centro do território continental estão também a sofrer os efeitos da agitação marítima.

Também sob aviso amarelo devido ao vento forte estão os distritos de Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda e Castelo Branco, com o primeiro a registar igualmente chuva forte.

De acordo com o IM, as regiões do norte e centro apresentarão hoje céu muito nublado, com a região centro a apresentar nuvens altas até ao final da manhã. Os períodos de chuva irão ocorrer a partir da tarde, sobretudo no litoral, sendo por vezes forte a norte do cabo Mondego, já no final do dia e estendendo-se gradualmente às regiões do interior.

O vento será fraco (inferior a 15 km/h), tornando-se moderado (20 a 35 km/h) de sudoeste no litoral, e forte (40 a 55 km/h), com rajadas até aos 90 km/h, nas terras altas e a partir da tarde.

Na região sul, que não apresenta qualquer aviso, o céu estará pouco nublado, tornando-se gradualmente muito nublado, em especial por nuvens altas, até meio da tarde. O vento soprará fraco (inferior a 15 km/h), tornando-se fraco a moderado (inferior a 25 km/h) de sudoeste no litoral oeste.

Relativamente ao estado do mar, na costa ocidental a norte do cabo Carvoeiro as ondas de noroeste terão dois a três metros, passando a ondas de oeste com três a 4,5 metros. Na costa ocidental a sul do cabo Carvoeiro as ondas serão de noroeste com dois a três metros e na costa sul de sudoeste com um metro.

O IM alerta ainda para o facto de as duas ilhas do grupo oriental do arquipélago dos Açores (Santa Maria e São Miguel) estarem também sob aviso amarelo devido à chuva, que poderá ser intensa durante a madrugada e manhã, passando depois a aguaceiros.

Nestas ilhas, o vento será de sudoeste fresco (30/40 km/h), com rajadas até aos 60 km/h, rodando gradualmente para nordeste e tornando-se moderado (20/30 km/h).

As temperaturas máximas previstas para hoje são de 15 graus Celsius no Porto, 16º em Lisboa, 17º em Faro, 20º em Ponta Delgada e 22º no Funchal.

Lusa / SOL
 

David sf

Staff
Registo
8 Jan 2009
Mensagens
5,167
Local
Oeiras / VN Poiares
Temos então hoje e amanhã aguaceiros no norte e centro que serão de neve acima dos 1200/1400 m, seguindo-se uma pequena depressão com pouca expressão isobárica na próxima Terça/Quarta que afectará principalmente o sul, mas como já foi referido acima não deverá dar mais que 10 mm. Isto está praticamente assegurado.

Depois começam as divergências, sendo que haverá, com uma grande dose de probabilidade, bastante animação para o fim do mês. Resta saber de que tipo.

Neste momento (isto está sempre a mudar), o GFS põe uma depressão de pequena amplitude que se solta de um centro depressionário a oeste dos Açores que entraria pelo sul do continente. Ao progredir para este começava a bombear o frio estacionado na Europa e teríamos uma pequena entrada fria, principalmente a norte. depois seria retomada a circulação zonal à nossa latitude.

gfs-0-138_jul4.png


gfs-0-186_ctv3.png


gfs-0-228_wsn7.png


O ECMWF não dá tanta profundidade à depressão a sul, mas põe uma outra no Golfo da Biscaia que injectaria ar frio no norte do país. O centro da depressão atlântica passaria a sul do Algarve, com fluxo de leste em todo o país e isos negativas a 850 hpa no norte e centro.

ECM1-144_omv0.GIF


ECM1-168_dhb3.GIF


ECM0-168_rij6.GIF


Posteriormente a depressão que ficara bloqueada a oeste dos Açores progrediria para uma posição entre os Açores e a Madeira, havendo um choque de massas que originaria a tal super-depressão que o Veterano referiu.

ECM1-192_ebx0.GIF


Na minha opinião esta run do ECMWF tende para a habitual tendência deste modelo de colocar depressões a oeste do continente português. Creio muito mais na previsão do GFS, apesar de o mais normal é nenhuma estar certa perante tanta confusão e recuos dos diversos modelos.

A opção frio e a opção temporal atlântico têm neste momento cada uma 45% de acontecer. 10% restantes para não acontecer nada de especial. Ensemble para Bragança, cada vez com mais opções frias para o período 27Nov-1Dez:

graphe_ens3_gvc6.gif


Os dois restantes modelos que chegam à semana que vem, GEM e BOM, prevêem um cenário misto, com o choque de massas a ocorrer mais a norte, e com o centro da depressão que se formaria a passar a norte da Galiza.
 

David sf

Staff
Registo
8 Jan 2009
Mensagens
5,167
Local
Oeiras / VN Poiares

Entrada fria para, pelo menos, o interior norte de Portugal ganha consistência. Vejam o que mudou em somente 12 h:

graphe_ens3_rru3.gif


Mesmo no Alentejo a maioria das linhas já passam abaixo do 0.

graphe_ens3_cws9.gif


A média dos ensembles do ECMWF aponta para 3 possibilidades:

-depressão no Atlântico;
-depressão no Golfo da Biscaia;
-depressão no Golfo de Leon.

O facto de a pressão no Atlântico estar mais baixa não quer dizer que seja opção preferencial, simplesmente as pressões que se obtêm com depressões atlânticas são tendencialmente mais baixas que as obtidas com depressões mais próximas do continente.

EDM1-192_nyr2.GIF


A 240 h nota-se pelos geopotenciais que a tendência é mais para sermos afectados pela massa continental que pela atlântica.

EDM1-240_kmu1.GIF


E aqui vê-se muito bem as duas hipóteses em cima da mesa. Em Portugal a divergência é menor, pois quer sejamos afectados pela massa continental ou pela atlântica o geopotencial de ambas as situações é semelhante. Mas nos Açores ou no Golfo de Leon a divergência é grande. Ou haverá anticiclone ou haverá depressão.

EEM1-240_gyy8.GIF
 

David sf

Staff
Registo
8 Jan 2009
Mensagens
5,167
Local
Oeiras / VN Poiares
"A 240 h nota-se pelos geopotenciais que a tendência é mais para sermos afectados pela massa continental que pela atlântica."

A carta não mostra que sejamos afectados por "massa continental"
Sobre a Península Ibérica prevê-se uma depressão, portanto a circulação será depressionária.

Percebeu-se bem o que eu quis dizer. O facto da média da pressão sobre a península ser inferior à das áreas circundantes (não é uma depressão uma vez que se trata de médias) não invalida que sejamos afectados por uma massa de ar continental ou marítimo.

Vê-se bem que a região de baixos geopotenciais próximos de nós, junto ao Cantábrico, estende-se desde leste, logo é uma massa de ar frio vinda da Europa. A denominação "continental" pode ter sido mal empregue (não tendo nada a ver com ser depressionária ou não), mas foi usada para a distinguir da outra opção, claramente oceânica. Havendo uma opção mais seca e outra mais húmida, percebeu-se claramente o que eu quis dizer com "massa continental".
 

David sf

Staff
Registo
8 Jan 2009
Mensagens
5,167
Local
Oeiras / VN Poiares
Re: Seg. Previsão do Tempo e Modelos - Novembro 2010

Últimas saídas com radio-sondagens dos modelos mais fiáveis. Estão assim tão diferentes?

Seguindo o ECMWF (ou o UKMO que está parecido), e na minha opinião a nível global é a run definitiva, independentemente de algumas loucuras que o GFS das 06z ou outros modelos tenham modelado, temos às 72h um depressão entre a Madeira e o continente e uma pequena ciclogénese no Golfo da Biscaia. Esta última é a responsável pela diminuição do frio, cortando o fluxo directo de norte, mas já se sabe que com entradas deste tipo há sempre ciclogéneses secundárias que só são vistas abaixo das 100 h, e que têm localizações preferenciais: ou na Biscaia e cortam frio ou na zona das Baleares e cortam precipitação.

ECM1-72_hgx4.GIF


Neste momento já estaria a iso 0 em Bragança. Até ao fim da modelação, 240h, não abandona o nordeste.

ECM0-72_kzb7.GIF


Aqui estão os 3 (GFS, UKMO e ECM) de acordo, com alguns desvios pontuais sem significado.

__________________________________________________________________

Às 96 h temos a depressão que estava a SO já no mar de Alborán e uma outra a oeste dos Açores. A diferença é que enquanto UKMO e ECM não dão grande cavamento à depressão da Biscaia, o GFS cava-a muito. Isto vai originar a que o ar frio que vem da Europa se desloque demasiado para noroeste, não entrando frio relevante.

ECM1-96_gbc4.GIF


gfs-2010112400-0-96_wqb7.png


Iso -4 em Bragança, iso 0 a norte do Tejo.

ECM0-96_ewl5.GIF


___________________________________________________________________

Às 120 h a ciclogénese que se iniciou na Escócia está situada a norte da Galiza. Na PI o fluxo será de oeste, cortando completamente o caminho do frio continental até à depressão que está a sul dos Açores. É o fim desta depressão. O GFS dirigiu a depressão na Biscaia para França mas o frio vai a caminho de sul alimentando a depressão atlântica.

ECM1-120_muh6.GIF


gfs-2010112400-0-120_tlg7.png


Iso 0 em quase todo o país.

ECM0-120_jhi7.GIF


________________________________________________________________

Às 144 h ECM e UKMO divergem. O ECM dá claramente mais importância à depressão junto à Galiza, a vinda do Atlântico já está praticamente absorvida. O UKMO tem as duas, e à falta da T850 a partir das 72 h, fica difícil dizer até onde é frio e até onde é tropical. O GFS destaca a depressão atlântica, apesar de manter uma no Cantábrico.

ECM1-144_lwk6.GIF


UW144-21_iob5.GIF


gfs-2010112400-0-144_lad8.png


Estão assim tão diferentes? Pouco, mas são diferenças abissais a nível local.

O ECM põe fluxo de sul, mas as isos mantêm-se baixas, iso 0 a norte do Tejo.

ECM0-144_qkt9.GIF


O ECM manteria a iso 0 em Bragança sempre até às 240 h. O GFS abriria o corredor atlântico. Apesar de tudo aposto claramente no ECM e no UKMO. Logo à tarde logo se vê, mas creio que até amanhã de manhã fica clarificado qual destes cenários ocorrerá.
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Massa de ar frio atinge Portugal até segunda-feira
As temperaturas baixas irão afectar o território continental até segunda-feira devido à acção de um anticiclone, que fará circular uma massa de ar frio até à Península Ibérica, segundo previsões do Instituto de Meteorologia (IM).

De acordo com a informação disponibilizada no site oficial do IM, o anticiclone «transporta na sua circulação uma massa de ar frio», sendo a situação meteorológica agravada por uma depressão, «centrada actualmente a noroeste da Madeira», a qual se desloca lentamente para sueste.

«Esta massa de ar frio afectará sobretudo as regiões do norte e do centro» de Portugal continental, adianta o comunicado que se encontra disponível online , prevendo-se que as temperaturas baixas se mantenham até segunda-feira.

Na região do sul, para onde está prevista a ocorrência de precipitação a partir do final do dia de sexta-feira, as temperaturas previstas não serão tão baixas.

Lusa/SOL
 

Lousano

Cumulonimbus
Registo
12 Out 2008
Mensagens
3,635
Local
Lousã/Casais do Baleal
Previsão do IM para dia 29/11/2010


semttulondk.png


Céu muito nublado.
Chuva, por vezes forte, na região Sul estendendo-se às restantes
regiões.
Queda de neve acima dos 600/800 metros, subindo a cota para
1500 metros para o fim do dia.
Vento moderado (20 a 30 km/h) do quadrante leste, rodando
gradualmente para sudoeste e tornando-se moderado a forte (30 a
45 km/h) nas regiões Centro e Sul. Para o fim do dia, o vento será
forte (35 a 55 km/h) de noroeste, com rajadas da ordem dos 70 km/h,
no Litoral. Nas terras altas, o vento será forte a muito forte
(45 a 60 km/h) do quadrante sul, com rajadas da ordem dos 120 km/h,
tornando-se do quadrante oeste para o fim do dia.
Pequena subida da temperatura máxima nas regiões Centro e Sul.

METEOROLOGISTAS: Madalena Rodrigues/Ângela Lourenço

Actualizado a 26 de Novembro de 2010 às 7:38 UTC