Condições mais favoráveis para ocorrência de neve a cotas baixas

David sf

Staff
Registo
8 Jan 2009
Mensagens
5,167
Local
Oeiras / VN Poiares
Qual o tipo de entradas que tem mais hipóteses de deixar neve em cotas baixas e muito baixas em Portugal continental? As polares continentais (muito frias e muito secas) ou as polares marítimas (húmidas mas não tão frias devido à entrada de ar temperado marítimo a níveis mais baixos da atmosfera)?

A ideia que eu tenho, e pelo que li no seguimento de modelos não é unânime, é que as polares continentais são as únicas que podem deixar neve em cotas baixas, especialmente no litoral. É verdade que o ar é seco, mas com a entrada de ar muito frio a níveis altos, pode originar convecção, como acontece com as trovoadas de Verão.

Deixo aqui algumas cartas de eventos históricos associados a este tipo de entradas:

O último grande nevão em Lisboa, 2Fev54:

archives19542200.png


Nevão de 1983:

archives198321100.png


De 1987:

archives198711400.png


A única vez que nevou bem no Alentejo na década de 90, em 1993:

archives19933100.png


29Jan2006, se bem que não se enquadre numa siberiana típica, foi uma cut-off transportada por um fluxo anticilónico de nordeste, se bem que atraída por uma depressão atlântica:

archives2006129120.png


48 horas antes:

archives200612700.png


9Jan deste ano, também com origem continental, embora que a imagem do próprio dia não o dê a entender:

gfs200901091206.png


Três dias antes:

gfs200901061206.png


Quanto a entradas polares marítimas acho que é praticamente impossível que deixem neve no litoral. Encontrei estas duas para exemplificar, dias em que nevou no alentejo, embora muito pouco, ou apenas água-neve:

archives19942400.png


gfs200901200606.png
 

rozzo

Staff
Registo
11 Dez 2006
Mensagens
2,470
Local
Alcochete/Lisboa
Sim, como esses exemplos mostram, embora a percentagem de entradas gélidas de E/NE que estejam associadas a precipitação seja pequena, claramente são entradas dessas que (directa ou indirectamente) podem dar origem a neve em cotas muito baixas ou litoral..

Digo indirectamente porque a maior parte desses episódios são conjugações "felizes" de "cut-off" ou alguma depressão a SW com essas entradas gélidas, que podem ser originadas directamente da advecção desse ar frio ou não. Têm é de calhar no sítio certo na altura certa, mas uma raridade como sabemos..
:dry:

De resto claro que existe às vezes alguma chance de neve a cotas baixas em algumas entradas de NW muito frias e vigorosas, mas claro muito mais difícil, o frio aí raramente chegará, apesar de nestes casos haver muito mais precipitação..
Em algumas entradas de N/NW extremas em termos de frio, e com ajuda de muita convecção que baixará o frio até níveis baixos em aguaceiros, podem ocorrer algumas precipitações de neve a cotas baixas, mas geralmente efémeras e não para pegar é claro..
Recordo também Janeiro deste ano (não sei a data exacta mas algures no final do mês penso) que houve aqui na região de Lisboa relatos de "sleet" no meio de aguaceiros e trovoadas fortes numa entrada dessas..
Mas claro, muito longe de neve como deve ser e de mantos brancos a pegar..
 

N_Fig

Cumulonimbus
Registo
29 Jun 2009
Mensagens
3,466
Local
Coimbra (Figueira da Foz aos fins de semana)
Sim, como esses exemplos mostram, embora a percentagem de entradas gélidas de E/NE que estejam associadas a precipitação seja pequena, claramente são entradas dessas que (directa ou indirectamente) podem dar origem a neve em cotas muito baixas ou litoral..

Digo indirectamente porque a maior parte desses episódios são conjugações "felizes" de "cut-off" ou alguma depressão a SW com essas entradas gélidas, que podem ser originadas directamente da advecção desse ar frio ou não. Têm é de calhar no sítio certo na altura certa, mas uma raridade como sabemos..
:dry:

De resto claro que existe às vezes alguma chance de neve a cotas baixas em algumas entradas de NW muito frias e vigorosas, mas claro muito mais difícil, o frio aí raramente chegará, apesar de nestes casos haver muito mais precipitação..
Em algumas entradas de N/NW extremas em termos de frio, e com ajuda de muita convecção que baixará o frio até níveis baixos em aguaceiros, podem ocorrer algumas precipitações de neve a cotas baixas, mas geralmente efémeras e não para pegar é claro..
Recordo também Janeiro deste ano (não sei a data exacta mas algures no final do mês penso) que houve aqui na região de Lisboa relatos de "sleet" no meio de aguaceiros e trovoadas fortes numa entrada dessas..
Mas claro, muito longe de neve como deve ser e de mantos brancos a pegar..

Se não me engano, deve ter sido no dia 20 de Janeiro.
 

Relâmpago

Nimbostratus
Registo
19 Mai 2007
Mensagens
613
Local
Lisboa (80m)
Olá

Estatística interessante. De facto, a queda de neve no litoral ocorre (quando ocorre) quando o território está sob a influência de uma depressão centrada no Mediterrâneo ocidental ou leste de Espanha e um anticiclone centrado algures a W da Península Ibérica, trazendo o conjunto um fluxo com trajecto continental, bastante frio, de NE. Como estas situações não são assim tão frequentes, a neve no litoral torna-se bastante rara:(
Pelo contrário, a massa polar marítima (bastante vulgar) não tem condições para que ocorra queda de neve no litoral (a ocorrer precipitação no estado sólido, esta será sob a forma de granizo, no caso do ar ser instável). Todavia, para as regiões mais altas, esta massa de ar já origina a queda de neve. Bem, se a instabilidade for muito forte talvez ocorra um tipo de precipitação mista de neve e granizo em regiões do litoral.