Gripe Influenza A subtipo H1N1: mundo em alerta

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por Rog 27 Abr 2009 às 11:54.

  1. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Provável pandemia em Portugal
    Gripe A: aumento e contágio directo são apenas o início


    Vídeo: "25% da população pode ser infectada após o Verão"
     
  2. trepkos

    trepkos
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    10 Out 2008
    Mensagens:
    1,564
    Local:
    Eborae
    Na minha opinião alarmismos injustificados, criar um panico generalizado, quando há doenças que preocupam bem mais...
     
  3. joseoliveira

    joseoliveira
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    18 Abr 2009
    Mensagens:
    2,889
    Local:
    Loures (Moninhos) 128m
    Claro que outras doenças poderiam concorrer com esta sobretudo quanto ao grau de dificuldade nos tratamentos, mas quanto a pessoas infectadas, os números começam a assustar! Eu que também andava despreocupado... :eek:

    Não pesquisei informação mas de um noticiário ouvi esta tarde a frase: "A cada dia que passa, são cada vez mais fortes as possibilidades de Portugal estar perante uma pandemia de proporções ainda por definir!
    1º passo: renovar e reforçar as nossas defesas!
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  4. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga

    Eu sinceramente não percebo muito do assunto, mas acho que se vejo uma gripe a galopar em pleno Verão no hemisfério norte, não me surpreende nada que no Inverno significativa parte da população apanhe essa gripe se as condições forem favoráveis. Se houver por aí um especialista no assunto que discorde, então agradeço que me corrija. Mas atenção, isso não tem que ser o fim do mundo. Todos os anos morrem milhares de pessoas pelo mundo com gripes vulgares e a maioria da população não tem problema nenhum com isso, e pelo que li e tentei perceber, esta gripe não está a ser até agora muito letal.

    Não acho que os alertas ultimamente estejam a ser alarmistas, apenas realistas, tenho até notado ultimamente um grande esforço pedagógico por parte das entidades responsáveis. E não se tem que fazer um filme catastrofista por causa disso. Dá-me ideia que nestas coisas não há nada melhor do que todos estarem informados, e eu sinceramente, prefiro alguma verdade e realismo, do que ocultação e mentira. Como disse, casos de gripe a crescerem em pleno verão devem merecer a atenção e vigilância de todos, sem dramatismo, mas atentos, e nunca fazer de conta que não se passa nada ;)
     
  5. joseoliveira

    joseoliveira
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    18 Abr 2009
    Mensagens:
    2,889
    Local:
    Loures (Moninhos) 128m
    olá +1X... ;)

    Também não me considero nenhum especialista na matéria, mas o facto de tal surto se manifestar nesta época do ano, leva-me a crer que a proliferação desta estirpe não está dependente das condições climatéricas ao ponto de ver aumentado o seu potencial de contágio, tal como a vulgar gripe que todos os Invernos nos atormenta. Desta forma, não me parece razoável crer que à medida que caminhamos para o próximo Inverno, se possa afirmar com tanta certeza que os dados agora disponíveis quanto ao número de infectados, registem um aumento de tal forma drástico para essa fase e assim considerar-se a hipótese de estar-mos diante de uma séria pandemia.
    Pelo que pude observar ontem numa reportagem alusiva ao tema, vários laboratórios espalhados pelo País estão continuamente a realizar estudos ao nível preventivo e admitem que o que já foi feito, em termos de resultados, até ao momento ainda não são conclusivos; pelo menos (se servir de algum conforto) têm sido divulgados casos de tratamentos de sucesso em pessoas antes infectadas!
    Ao chegar o próximo Outono talvez tenhamos disponíveis dados mais concretos. :intrigante:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  6. Aristocrata

    Aristocrata
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    28 Dez 2008
    Mensagens:
    6,148
    Local:
    Paços de Ferreira, 292 mts
    Segundo informações a que tive acesso, tivemos, no dia 06, mais um caso confirmado (uma criança de tenra idade proveniente de Palma de Maiorca) e outro caso suspeito em adulto, o qual seguiu para o Hospital de S. João - Porto para comprovação da infecção pelo H1N1, aqui no distrito do Porto.

    Fala-se constantemente de quão grave é a infecção por este vírus. A gravidade irá depender essencialmente do estado físico do paciente; pacientes dependentes, com outras patologias de base (imuno-comprometidos - por exemplo doentes com cancro ou sob tratamentos agressivos, doentes com patologias do foro respiratório como os que padecem de silicose e doença pulmonar obstrutiva crónica - DPOC) e também os idosos e crianças, serão os mais sensíveis a este vírus.
    Ao contrário do que pode parecer a gravidade desta doença não é devida directamente à virulência do H1N1, mas sim pelo facto de, ao infectar o organismo humano, o debilitar ao ponto de permitir outro tipo de infecções a que usualmente se chamam de infecções-oportunistas, estas sim, muito mais graves do que o simples efeito do H1N1.
    Pode-se dizer que o H1N1 abre como que uma porta no organismo (debilitando-o), permitindo a entrada de outros micro-organismos com maior patogenicidade. E são estes que provocam a maior parte das mortes registadas todos os anos durante os surtos gripais.

    Relativamente aos números possíveis para o próximo outono: deverão ser elevados e afectar toda a população, homens, mulheres, adultos ou crianças.
    Durante a vaga de calor sentida em Portugal no verão de 2003, foram relatados mais de 8000 óbitos directamente imputáveis ao calor que se fez sentir nessas semanas. Se no próximo outono-inverno tivermos esse total de óbitos teremos provavelmente grandes manchetes nas comunicação social...
    Mas se de facto o número de infectados chegar a 25% da população, o número de óbitos poderá ser substancialmente superior. O que quero dizer é que não podemos entrar em histeria colectiva olhando simplesmente para os números que vem a público, mas saber relativizar as consequências de uma possível pandemia. A um maior número de infectados corresponderá certamente um maior número de mortes.

    Temos que estar preparados para as consequências que terá em Portugal o H1N1. E temos também que tentar a proliferação ao máximo com acções de educação da população; tossir\espirrar para um lenço de papel, evitar aglomerações - transportes públicos apinhados, cafés e bares sem boa renovação de ar, centros comerciais, escolas, etc...- na fase de maior contágio será essencial e, quiçá, obrigatório. É urgente apelar à população desde já para que tome as devidas precauções - tudo de forma explícita, bem fundamentada e informada - para que não se crie o pânico.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  7. trepkos

    trepkos
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    10 Out 2008
    Mensagens:
    1,564
    Local:
    Eborae
    Concordo plenamente, os verdadeiros perigos desta gripe ou das 'normais' são a possbilidade de apanhar outras patologias como pneumonias, ou já sofreremos de outra doença que seja debilitante e a gripe venha a complicar a saúde, estes casos devem ser acompanhados e ter atenção, mas devemos ser realistas, tanto provoca isso uma gripe dos porcos como uma gripe normal, contudo penso que a gripe dos porcos ( e segundo se diz ) será mais resistente aos medicamentos, mas até agora os medicamentos têm sido eficazes.
     
  8. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    9,534
    Local:
    Azambuja / Mte. Barca (Coruche)
    Gripe A: Portugal já tem 121 casos

    Portugal Diário

    O numero de casos em Portugal está a aumentar bastante:unsure:
    Mas a grande maioria ainda são casos importados.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  9. iceworld

    iceworld
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    18 Dez 2007
    Mensagens:
    1,052
    Local:
    coimbra ( 85m )
  10. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    9,985
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Muito interessante. Aqui pelo Algarve não é muito evidente a preocupação sobre a gripe... o tempo é de férias, de sol e de praia mas por exemplo aqui na empresa onde trabalho já se começou a pensar no problema. Há muita informação disponível. :)
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. algarvio1980

    algarvio1980
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    21 Mai 2007
    Mensagens:
    10,477
    Local:
    Olhão (24 m)
    Desde que começou a Gripe A já foram registados 17 casos no Algarve, por isso, a preocupação vai aumentando, quando chegar o Outono - Inverno aí sim acredito numa pandemia tanto no Algarve como no resto do país.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,744
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Presidente ucraniano pede ajuda para combate a epidemia da gripe A

    O presidente da Ucrânia pediu ajuda a vizinhos e aliados para o combate ao surto de gripe A no país. Em carta, Viktor Yushchenko enunciou uma «lista de medicamentos e equipamentos de primeira necessidade» que o país precisa.
    O presidente da Ucrânia pediu, este domingo, ajuda de emergência a vizinhos e aliados para que o país possa combater a epidemia de gripe A que está a afectar o território, onde já morreram 60 pessoas deste vírus e de dificuldades respiratórias agudas em apenas uma semana.
    A carta endereçada por Viktor Yushchenko aos EUA, à União Europeia, à NATO e a países vizinhos da Ucrânia «contém uma lista de medicamentos e de equipamentos de primeira necessidade que a país precisa para lutar eficazmente contra a propagação da epidemia».
    «A ameaça existente à segurança nacional da Ucrânia, que não podemos neutralizar apenas com os nosso esforços, exige que me dirija a amigos próximos e parceiros estratégicos com um pedido de ajuda urgente», acrescenta um comunicado da presidência ucraniana.
    A Eslováquia, Hungria, Roménia, Rússia e Polónia já responderam a este apelo do dirigente da Ucrânia, país onde 184919 pessoas sofrem de doenças respiratórias, 7383 das quais foram hospitalizadas, indicou o Ministério ucraniano da Saúde.

    TSF
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura

Partilhar esta Página