Grupo sobre Mudança Climática reunido em Paris

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
Que esperar desta reunião, do Grupo Intergovernamental sobre a Mudança Climática, segundo alguns, a maior sobre este assunto desde 2001.
uma notícia sobre o assunto:

Cientistas prevêem aquecimento global maior do que o esperado


O Grupo Intergovernamental sobre a Mudança Climática (IPCC, em inglês) está reunido desde hoje em Paris para finalizar suas projeções do aquecimento da Terra para este século, que deverá ser maior que o cenário traçado pelos cientistas em 2001.

Desde o último relatório do IPCC, "as evidências da mudança climática ficaram mais claras", afirmou o presidente do grupo, Rajendra Pachauri, na abertura da conferência, que reúne mais de 500 especialistas e representantes governamentais.

Os participantes têm que entrar em consenso "palavra por palavra, e linha por linha" sobre o documento que será apresentado na sexta-feira, disse Pachauri. No entanto, o presidente do IPCC não quis falar sobre o assunto por temer que o texto possa sofrer modificações importantes devido à pressão de certos governos.

Ainda sobre este aspecto, um dos membros do IPCC, o francês Jean Jouzel, alertou que, por causa da exigência de consenso, as conclusões "correm o risco de subestimar as mudanças climáticas, mais do que de exagerá-las".

Segundo informações não confirmadas, o relatório do IPCC, que será divulgado na sexta-feira, prevê um aquecimento climático maior do que o previsto em 2001, quando foi anunciado que a temperatura da Terra aumentaria entre 1,4 e 5,8 º C até 2100.

Agora, os cientistas prevêem que o crescimento ficará entre 2 e 4,5 ºC, sendo 3 ºC a opção mais provável. Além disso, já não há dúvidas de que as emissões de poluentes das atividades humanas causam o "efeito estufa".

Também serão revisados os números da elevação do nível dos oceanos devido ao derretimento de parte das calotas polares e o aumento do volume de água marinha por causa do aquecimento.

Antes, os especialistas trabalhavam com uma margem ampla de acréscimo de 9 a 88 centímetros no final do século. Agora, os limites são mais reduzidos, de 28 a 43 centímetros de aumento do nível dos mares.

O presidente do IPCC também não quis falar sobre as previsões feitas pelos mais de 500 especialistas internacionais, que durante os últimos quatro anos analisaram os estudos científicos publicados sobre a mudança climática.

No entanto, Pachauri afirmou que nunca um tema havia gerado no mundo "tanta fome de conhecimento científico".

Co-presidente do grupo de trabalho do IPCC encarregado do relatório sobre as bases científicas da mudança climática, Susan Solomon enfatizou a seriedade de seu trabalho.

Solomon disse que mais de 500 cientistas ajudaram a elaborar o relatório, sendo que 75% destes não haviam participado da redação da edição de 2001. A especialista também afirmou que mais de 30 mil sugestões haviam sido levadas em consideração na elaboração da minuta.

Após o documento, o IPCC deve adotar outros três ainda este ano. Em 6 de abril, será discutida em Bruxelas uma minuta sobre os impactos, a adaptação e a vulnerabilidade à mudança climática.

No dia 4 de maio, será debatido, em Bangcoc, um relatório sobre a atenuação destes efeitos. Já em 16 de novembro, será aprovado, em Valência, um documento contendo a síntese para os responsáveis políticos.

Os trabalhos do IPCC, criado em 1988, levaram à adoção do Convênio sobre a Mudança Climática em 1992 e, cinco anos depois, ao Protocolo de Kyoto sobre a redução do dióxido de carbono (CO2) e outros gases causadores do efeito estufa.

Enquanto os representantes do IPCC davam início à sua reunião na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a um quilômetro dali um grupo de ativistas do Greenpeace escalou a Torre Eiffel para pendurar cartazes nos quais podia ser lida a frase "Não é tarde demais".

Os manifestantes também advertiram que é necessário agir para impedir que as temperaturas subam mais de dois graus Celsius, nível a partir do qual, segundo os cientistas, a Terra correria perigo.

A Prefeitura de Paris quer que a Torre Eiffel participe de um ato simbólico que sirva de alerta para a necessidade de tomar medidas para atenuar a mudança climática. Na quinta-feira, todas as luzes da atração turística serão apagadas das 19h55 às 20h (16h55 e 17h em Brasília).

Fonte: EFE
 

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
Quando eles mostrarem os gráficos com a evolução das temperaturas futuras temos de obeservar o gráfico mas é ve-lo com a linha ao contrario pois essa é a verdade :lmao: :lmao: :cold: :cold: :cold: :cold:

Do futuro apenas podemos supor com os dados que possuimos e tentarmos analisar possíveis tendências, mas certezas, ninguém as tem. ;)
 

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
Previsão de alterações climáticas para o próximo século é a pior de sempre

Uma fuga de informação, em relação ao conteúdo do relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC), que será divulgado em Paris na sexta-feira, traz hoje às páginas do australiano Weekend Australian as principais conclusões redigidas pelo grupo de elite de cientistas.

De acordo com o jornal australiano, as previsões do IPCC são muito mais negras que as divulgadas há cinco anos, no último relatório do painel. Pela primeira vez os cientistas confirmam um aumento da temperatura global de três graus em cem anos, caso não sejam tomadas medidas eficazes e urgentes no corte das emissões de gases de efeito de estufa.

Em 2001 o painel de cientistas previam aumentos na ordem de 1,4 graus a 5,8 graus até 2100 mas foram depois levados a ajustar essa previsão para resultados entre dois e 4,5 graus.

O IPCC afirma ainda que o nível do mar vai igualmente aumentar, em cem anos, até um metro.

Hoje o PÚBLICO destaca em manchete um estudo da Universidade do Algarve que revela que a subida do nível do mar, fruto das alterações do clima, está a provocar uma acelerada erosão da orla costeira do Algarve e que, na Ria Formosa, as conclusões avançadas pelo IPCC para daqui a cem anos já se confirmam: ali o mar avança já um metro por ano diz o estudo dos cientistas algarvios.

Fonte: http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1283938&idCanal=96
 

dj_alex

Nimbostratus
Registo
14 Dez 2005
Mensagens
1,913
Local
Lisboa
Re: Previsão de alterações climáticas para o próximo século é a pior de sempre


Quando é que o relatório sai ao publico??

É na 6f??

Já agora...uma perguntinha...alguem lá leu com cuidado alguma coisa do 3º relatório do IPCC?? Pelo menos o da "The Scientific Basis".

Porque estar a comentar alterações climaticas e deitar abaixo o dito relatório sem o ter lido torna-se complicado.

Eu nao o li todo...li alguns capitulos que me interessavam mais...Aqui fica o link para o 3º relatorio....
http://www.grida.no/climate/ipcc_tar/wg1/index.htm

Quanto ao quarto...só quando lhe der uma vista de olhos é que vou opinar sobre o assunto....;)
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Re: Previsão de alterações climáticas para o próximo século é a pior de sempre

Essas fugas de informação tão sempre a ocorrer é incrivel é só para deixar as pessoas mais alarmadas :angry: :angry:
 

dj_alex

Nimbostratus
Registo
14 Dez 2005
Mensagens
1,913
Local
Lisboa

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
Um ponto que me parecia de grande importância na discussão - as nuvens. Se existe um maior aquecimento, existe mais evaporação, mais nuvens, mais precipitação e neve. Deixo aqui um texto sobre o assunto:
Nuvens continuam um mistério para painel sobre clima

O ar mais quente consegue absorver mais umidade, o que significaria mais nuvens. Mas a multiplicação das nuvens poderá também bloquear a luz solar
Alister Doyle, Reuters

Prever como as nuvens vão se formar em um clima mais quente continua a ser algo difícil, diz um relatório da ONU a ser divulgado na sexta-feira, 2. E essa dificuldade, segundo cientistas, complica as projeções sobre como vão se elevar as temperaturas e o nível dos oceanos no futuro.

O painel da ONU sobre o clima, um grupo de renome internacional que reúne 2.500 especialistas e que discute o aquecimento da Terra, deve divulgar, no relatório, seu alerta mais contundente, chamando atenção para as atividades humanas responsáveis pelo fenômeno e para o perigo de ele provocar grandes danos à natureza.

O esboço do relatório mostra que o grupo conseguiu resolver algumas das questões levantadas em um documento de 2001, tais como a questão das disparidades entre a medição das temperaturas feita por satélite e aquela feita na superfície do planeta, e a questão das pequenas partículas de poluição suspensas no ar e que refletem a luz do Sol de volta para o espaço.

Mas a formação das nuvens no século 21 - algo difícil de prever, hoje, mesmo que para um período de 24 horas - está entre as perguntas que continuam sem resposta.

"Há muitas dúvidas sobre como as nuvens responderiam às mudanças climáticas", diz o esboço do relatório, que está sendo revisto em um encontro, realizado em Paris, do Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC).

O ar mais quente consegue absorver mais umidade, o que significaria um maior número de nuvens e, conseqüentemente, mais chuva e neve em muitas regiões. Mas a multiplicação das nuvens pode também bloquear a luz solar.

O relatório, o primeiro sobre as mudanças climáticas a ser divulgado pelo IPCC neste ano, deve vir a público na sexta-feira e servirá de diretriz para os países que tentam elaborar políticas capazes de brecar o fenômeno.

O documento diz que o aumento da quantidade de vapor de água na atmosfera se traduzirá em mais chuva e neve caindo sobre muitas regiões próximas dos pólos, tais como o norte da Europa, o Canadá, o nordeste dos EUA e o Ártico.

Chuvas no Tibete
No inverno, o volume de chuva também aumentaria no norte da Ásia e no platô tibetano, afirma o relatório.

De outro lado, as chuvas devem escassear em muitas regiões subtropicais. E áreas da África e da Europa localizadas perto do Mediterrâneo devem ficar mais secas, ao mesmo tempo em que as chuvas de inverno perderiam força no sudoeste da Austrália.

Em muitas regiões, as trombas d´água se tornarão mais fortes.

Uma maior quantidade de neve poderia compensar pelo eventual derretimento de grandes placas de gelo existentes na Antártida e na Groenlândia. Se essas placas derreterem nos próximos milhares de anos, o nível dos oceanos subiria 65 metros em relação aos níveis registrados hoje.

"Em um clima mais quente, os modelos sugerem que as camadas de gelo acumulariam mais neve, tendendo a baixar o nível dos mares", diz o documento, acrescentando, porém, que o rápido degelo das bordas dessas placas acabou compensando pelo fenômeno ocorrido nos últimos anos.

"No interior da Groenlândia, a camada de gelo está se tornando mais grossa", afirmou Catherine Myrmehl, do Centro Nansen de Monitoramento Ambiental e Remoto, na Noruega. O dado baseia-se em leituras de satélite. Muitos cientistas acreditam que a Groenlândia, na somatória final, está perdendo gelo.

O IPCC deve oferecer uma "estimativa mais otimista" a respeito da elevação das temperaturas mundiais, que subiriam 3º C até 2100, quando comparadas com a era pré-industrial.

E deve prever que o nível dos oceanos eleve-se, neste século, entre 28 e 43 centímetros, menos, portanto, do que o previsto no relatório de 2001.

in: Estadão
 

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
Re: Previsão de alterações climáticas para o próximo século é a pior de sempre

Acho o conceito bastante engraçado por acaso. Se não me esquecer desligo as luzes :D

Muito bem:D
Realmente não podiam ter escolhido melhor cidade, tem luz em todos os recantos, não é à toa que é conhecida como cidade das luzes...
5 min. é o gesto, mas ainda assim deve ter uma poupança significativa...

E já agora aproveitando a onda, não posso deixar de reclamar com estas nossas deficientes iluminações, candeeiros que só iluminam os céus como os de bola, ou os candeeiros que mais encandeiam os condutores do que iluminam o passeio... a eficiência de luminosidade para o local pretendido, deve ser em alguns candeeiros de 1/4.
Candeeiros bem desenhados, com luz bem direccionada significa utilizar lâmpadas de menor consumo com o mesmo proveito ou superior, e ainda favorece o gosto ou simplesmente a contemplação das estrelas à noite. Em cidades, grande parte das crianças nunca viu a via-lactea e tantos outros acreditam que é preciso instrumentos como binóculos para a ver...:(
Nem o Universo é estático, mas à escala humana parece não mudar muito, muitos monumentos do tempo de muitas civilizações antigas perderam-se ou foram adulterados com o tempo... mas a a esfera celeste pouco alterou, inspirou civilizações e estamos a perder a oportunidade de vermos a "tela original" que inspirou estas civilizações, e está ao alcance de todos, assim sejam criadas as condições.
Desculpem a divagação...
 

Mago

Nimbostratus
Registo
25 Out 2006
Mensagens
1,668
Local
Beira Interior
Não deixa de ser um artigo interessante :)
No fundo é positivo começar-se a dar mais atenção às alterações climáticas, mesmo que ainda seja prematuro falar em previsoes precisas de alterações.