IM prevê condições climatéricas normais para final do Verão

Brigantia

Cumulonimbus
Registo
20 Jan 2007
Mensagens
2,204
Local
Norte de Portugal
O Instituto de Meteorologia (IM) prevê «condições climatéricas normais» para o final do Verão, com a possibilidade de ocorrerem «ondas de calor», afirmou hoje, em Lisboa, o presidente do organismo a deputados da Assembleia da República.
Adérito Serrão disse que o IM prevê que as «condições climatéricas sejam consideradas normais para o final do Verão, apesar dos elevados níveis de humidade e baixas temperaturas, atípicas, registadas em Julho».

«Para este espaço [Portugal], o Verão não será mais quente do que o normal registado em anos anteriores», referiu o responsável aos deputados da Comissão Eventual de Avaliação e Acompanhamento da Política Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios que hoje de manhã visitaram o IM.

O presidente da Meteorologia admitiu, no entanto, que «ondas de calor possam ocorrer», mas realçou que «o Instituto está preparado para efectuar os avisos antecipadamente, de forma a minimizar as consequências e possam ser tomadas as devidas precauções».

O IM apresentou o início de um «projecto para o Sistema de Alerta Precoce de Tsunamis», a desenvolver entre 2007 e 2011, «em virtude da inexistência (no Atlântico nordeste e bacia do Mediterrâneo) de qualquer dispositivo de aviso para este tipo de catástrofe».

Esse projecto está a ser preparado a nível da Europa, com a colaboração de várias entidades, não só europeias mas também internacionais, como a Comissão Oceanográfica Internacional.

O IM apresentou também aos deputados, durante a visita à instituição, os produtos que comercializa e disponibiliza, bem como o seu aproveitamento prático para a prevenção e detecção de desastres naturais (seca, sismos, precipitação e alterações climáticas), em particular os incêndios florestais.

Os custos operacionais do IM são suportados em 40 por cento pelo Orçamento de Estado, sendo a restante verba proveniente de serviços que presta a entidades externas.

Adérito Serrão considerou «necessário o reforço financeiro, de forma a investir mais na investigação científica».

O responsável explicou que nos quadros de pessoal do IM estão 352 funcionários, reconhecendo que «muitos em condições de trabalho precário».

Em 2002 o número de funcionários do IM era de 498, entre meteorologistas, geofísicos, observadores e de serviços vários, referiu ainda o presidente do Instituto de Meteorologia.

Fonte: © Diário Digital / Lusa


Será muito importante o desenvolvimento do Sistema de Alerta Precoce de Tsunamis:thumbsup:
 

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
40% do orçamento é proveiente do Estado e o resto receitas próprias?? Agora percebo por que os produtos do IM são vendidos a peso de ouro... :disgust:
Será que no INM Espanhol também é assim?
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
40% do orçamento é proveiente do Estado e o resto receitas próprias?? Agora percebo por que os produtos do IM são vendidos a peso de ouro... :disgust:
Será que no INM Espanhol também é assim?

Fiquei surpeendido com essa percentagem. Então mas isso é bom. Para o contribuinte :D Eu não estou por dentro do assunto, mas os preços dos produtos são assim tão exagerados ?
 

Brigantia

Cumulonimbus
Registo
20 Jan 2007
Mensagens
2,204
Local
Norte de Portugal
40% do orçamento é proveiente do Estado e o resto receitas próprias?? Agora percebo por que os produtos do IM são vendidos a peso de ouro... :disgust:
Será que no INM Espanhol também é assim?

Também acho que a serem totalmente verdade os dados é um muito bom sinal...se o resto da Administração Pública tivesse percentagens desta ordem muito bem andavamos nós!