Monitorização do Clima de Portugal - 2021

Santofsky

Cumulus
Registo
10 Nov 2020
Mensagens
375
Local
Portugal
NOVEMBRO 2021 - MUITO FRIO E MUITO SECO EM PORTUGAL

:lmao::lol::huhlmao:

Que média é que foi utilizada? A de 1971-2000 não foi de certeza.
As mínimas sim foram bastante abaixo da média, disso não tenho dúvidas. Agora a anomalia negativa verificada nas máximas deve ser tão verdadeira como o Homem ir à Lua num futuro próximo. É mais ou menos como aquela famosa anomalia negativa verificada também nas máximas em outubro de 2020.
Já houve novembros bem mais frios do que o deste ano neste século...
 
  • Gosto
Reactions: Cadito

N_Fig

Cumulonimbus
Registo
29 Jun 2009
Mensagens
3,570
Local
Coimbra (Figueira da Foz aos fins de semana)
NOVEMBRO 2021 - MUITO FRIO E MUITO SECO EM PORTUGAL

:lmao::lol::huhlmao:

Que média é que foi utilizada? A de 1971-2000 não foi de certeza.
As mínimas sim foram bastante abaixo da média, disso não tenho dúvidas. Agora a anomalia negativa verificada nas máximas deve ser tão verdadeira como o Homem ir à Lua num futuro próximo. É mais ou menos como aquela famosa anomalia negativa verificada também nas máximas em outubro de 2020.
Já houve novembros bem mais frios do que o deste ano neste século...
A anomalia foi de umas décimas, mas novembro não é janeiro, haver meia dúzia de dias com mais de 20 ºC (e depois mais meia dúzia de dias em que mal passa dos 10 ºC no fim do mês para compensar) é perfeitamente normal, não percebi o escândalo aqui no fórum quando aconteceu
 

Santofsky

Cumulus
Registo
10 Nov 2020
Mensagens
375
Local
Portugal
A anomalia foi de umas décimas, mas novembro não é janeiro, haver meia dúzia de dias com mais de 20 ºC (e depois mais meia dúzia de dias em que mal passa dos 10 ºC no fim do mês para compensar) é perfeitamente normal, não percebi o escândalo aqui no fórum quando aconteceu

Ya ya... mas o problema é que as máximas até ao dia 21 andaram sempre no geral acima da média (período em que se verificaram os tais meia dúzia de dias acima dos 20°C e os restantes dias sempre entre 15-20°C), tirando talvez os primeiros dias do mês. Só a partir de dia 22 (dia em que as máximas registaram uma descida acentuada) e até ao fim do mês é que houve anomalias negativas nas máximas, ainda assim inferiores às anomalias positivas registadas anteriormente. E o balanço no fim do mês é uma anomalia... negativa. :lol:
 
  • Gosto
Reactions: Cadito

N_Fig

Cumulonimbus
Registo
29 Jun 2009
Mensagens
3,570
Local
Coimbra (Figueira da Foz aos fins de semana)
Ya ya... mas o problema é que as máximas até ao dia 21 andaram sempre no geral acima da média (período em que se verificaram os tais meia dúzia de dias acima dos 20°C e os restantes dias sempre entre 15-20°C), tirando talvez os primeiros dias do mês. Só a partir de dia 22 (dia em que as máximas registaram uma descida acentuada) e até ao fim do mês é que houve anomalias negativas nas máximas, ainda assim inferiores às anomalias positivas registadas anteriormente. E o balanço no fim do mês é uma anomalia... negativa. :lol:
Podes ter ficado com essa ideia, mas não foi isso que aconteceu. Houve apenas uma semana, de 8 a 14, em que as máximas andaram realmente acima do normal, de resto andaram próximas até dia 22, e depois mantiveram-se abaixo do normal até fim do mês. E em termos absolutos as anomalias negativas no fim do mês foram iguais ou superiores às positivas da primeira quinzena, podes confirmar tudo isto ao olhar para os gráficos do IPMA no próprio boletim
 

Santofsky

Cumulus
Registo
10 Nov 2020
Mensagens
375
Local
Portugal
Podes ter ficado com essa ideia, mas não foi isso que aconteceu. Houve apenas uma semana, de 8 a 14, em que as máximas andaram realmente acima do normal, de resto andaram próximas até dia 22, e depois mantiveram-se abaixo do normal até fim do mês. E em termos absolutos as anomalias negativas no fim do mês foram iguais ou superiores às positivas da primeira quinzena, podes confirmar tudo isto ao olhar para os gráficos do IPMA no próprio boletim

Claro... Só que grande parte do pessoal de Trás-os-Montes discorda... A meteorologia não é só Lisboa, nem Porto, nem Algarve. Basta olhar para o mapa das anomalias das máximas. :D
 

N_Fig

Cumulonimbus
Registo
29 Jun 2009
Mensagens
3,570
Local
Coimbra (Figueira da Foz aos fins de semana)
Claro... Só que grande parte do pessoal de Trás-os-Montes discorda... A meteorologia não é só Lisboa, nem Porto, nem Algarve. Basta olhar para o mapa das anomalias das máximas. :D
Eu não falei nem em Lisboa nem no Porto, que de qualquer modo nem foram os lugares onde houve anomalias mais negativas, mas sim a região Centro e o Alto Alentejo
 
  • Gosto
Reactions: "Charneca" Mundial

Santofsky

Cumulus
Registo
10 Nov 2020
Mensagens
375
Local
Portugal
Eu não falei nem em Lisboa nem no Porto, que de qualquer modo nem foram os lugares onde houve anomalias mais negativas, mas sim a região Centro e o Alto Alentejo

Ninguém está a dizer o contrário... O problema é que hoje em dia quando se fala de meteorologia, principalmente na comunicação social, estes só resumem a Lisboa, Porto e Algarve (este em menor medida), o resto é paisagem, como se nada existisse...
 
  • Gosto
Reactions: "Charneca" Mundial

Toby

Nimbostratus
Registo
25 Mar 2011
Mensagens
1,840
Local
Alcobaca (160 m)
Ninguém está a dizer o contrário... O problema é que hoje em dia quando se fala de meteorologia, principalmente na comunicação social, estes só resumem a Lisboa, Porto e Algarve (este em menor medida), o resto é paisagem, como se nada existisse...
Bom dia,

Como tenho vindo a dizer há algum tempo, os amadores têm um papel a desempenhar, desde que se comprometam com uma abordagem qualitativa e rigorosa.
Vá e veja o que está a acontecer na Bélgica, Itália, França, Grécia, etc.....
O melhor exemplo é a Blitzortung, todos os meios de comunicação social europeus utilizam os seus dados.
 

"Charneca" Mundial

Cumulonimbus
Registo
28 Nov 2018
Mensagens
4,178
Local
Corroios (cota 26); Aroeira (cota 59)
Aqui estão os acumulados totais do evento destes últimos dias em dezembro, na rede IPMA. Foram bem díspares de região para região, e mesmo dentro de cada região há uma clara disparidade nos valores. Felizmente, caiu bastante no Algarve, mas no Alentejo a situação continua grave... :(
Monção - 64,4 mm
Lamas de Mouro - 129,0 mm
Viana do Castelo - 115,0 mm
Esposende - 102,4 mm
Barcelos - 126,4 mm
Merelim - 121,7 mm
Braga - 134,7 mm
Amares - 175,6 mm
Cabeceiras de Basto - 103,3 mm
Montalegre - 101,2 mm
Chaves - 39,9 mm
Vila Real - 54,2 mm
Mateus - 77,5 mm
Pinhão - 55,2 mm
Vinhais - 61,2 mm
Bragança - 46,4 mm
Aeródromo de Bragança - 44,6 mm
Miranda do Douro - 34,2 mm
Mogadouro - 41,8 mm
Carrazeda de Ansiães - 52,5 mm
Moncorvo - 34,5 mm
Mirandela - 35,6 mm
Pedras Rubras - 97,1 mm
Serra do Pilar - 88,3 mm
Paços de Ferreira - 84,2 mm
Luzim - 99,1 mm
Arouca - 100,3 mm
Anadia - 69,5 mm
Mealhada - 90,7 mm
Caramulinho - 173,1 mm
Mortágua - 113,0 mm
Santa Comba Dão - 93,0 mm
Moimenta da Beira - 56,5 mm
Vila Nova de Paiva - 110,0 mm
Sátão - 101,2 mm
Chãs de Tavares - 92,1 mm
Carregal do Sal - 98,4 mm
Viseu - 63,9 mm
Centro de Coordenação - 86,9 mm
Aeródromo de Viseu - 95,9 mm
Trancoso - 19,7 mm
Castelo Rodrigo - 32,4 mm
Sabugal - 67,9 mm
Penhas Douradas - 84,3 mm
Guarda - 87,6 mm
Quinta da Lageosa - 113,9 mm
Aeródromo da Covilhã - 201,7 mm
Nelas - 64,6 mm
Dunas de Mira - 51,6 mm
Coimbra - 64,8 mm
Figueira da Foz - 72,0 mm
Lousã - 52,4 mm
Vila Nova de Poiares - 77,4 mm
Penacova - 96,3 mm
Arganil - 77,7 mm
Pampilhosa da Serra - 106,3 mm
Castelo Branco - 108,1 mm
Zebreira - 63,8 mm
Proença-a-Nova - 76,0 mm
Tomar - 69,0 mm
Alvega - 63,9 mm
Rio Maior - 78,4 mm
Ansião - 119,2 mm
São Pedro de Moel - 54,9 mm
Leiria - 62,0 mm
Alcobaça - 41,9 mm
Peniche - 87,2 mm
Santa Cruz - 26,4 mm
Torres Vedras - 58,0 mm
Colares - 33,9 mm
Cabo da Roca - 27,8 mm
Cabo Raso - 42,7 mm
Tapada da Ajuda - 109,8 mm
Geofísico - 90,0 mm
Gago Coutinho - 93,8 mm
Praia da Rainha - 72,2 mm
Lavradio - 52,0 mm
Setúbal - 88,6 mm
Pegões - 60,8 mm
Ponte de Sor - 74,1 mm
Portalegre - 81,6 mm
Estremoz - 49,8 mm
Benavila - 46,7 mm
Elvas - 34,9 mm
Mora - 54,9 mm
São Pedro do Corval - 41,2 mm
Viana do Alentejo - 50,1 mm
Évora - 61,1 mm
Alcácer do Sal - 62,9 mm
Beja - 56,7 mm
Amareleja - 58,1 mm
Mértola - 26,1 mm
Sines - 40,3 mm
Zambujeira - 43,2 mm
São Teotónio - 68,4 mm
Aljezur - 66,9 mm
Fóia - 104,8 mm
Aeródromo de Portimão - 81,7 mm
Albufeira - 86,2 mm
Faro - 54,0 mm
Olhão - 55,9 mm
Tavira - 70,4 mm
Castro Marim - 72,7 mm
Martinlongo - 45,7 mm
:rain:
 

Thomar

Cumulonimbus
Registo
19 Dez 2007
Mensagens
2,583
Local
Cabanas - Palmela (75m)
Temperaturas máximas de Inverno no último dia do ano.

Destaques, Portugal Continental,
+26,4ºC Zambujeira
+25,8ºC Odemira
+25,1ºC Mora
tQiZswi.png


Destaque, Região Autónoma da Madeira,
+28,4ºC Porto Moniz
KLqY1Jx.png
 

N_Fig

Cumulonimbus
Registo
29 Jun 2009
Mensagens
3,570
Local
Coimbra (Figueira da Foz aos fins de semana)
Temperaturas máximas de Inverno no último dia do ano.

Destaques, Portugal Continental,
+26,4ºC Zambujeira
+25,8ºC Odemira
+25,1ºC Mora
tQiZswi.png


Destaque, Região Autónoma da Madeira,
+28,4ºC Porto Moniz
KLqY1Jx.png
Foi batido o anterior recorde para dezembro em Portugal continental, que era de 25,9 ºC na Contenda em 1976
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
10,912
Local
Olhão (24 m)

Tornado Foros de Salvaterra, 24 de dezembro​


Tornado de Foros de Salvaterra (concelho de Salvaterra de Magos, Santarém), 24 de dezembro de 2021

Uma perturbação frontal associada a uma depressão centrada a norte do arquipélago dos Açores aproximava-se do território do continente às primeiras horas do passado dia 24 de dezembro, em progressão de Oeste para Este. A massa de ar pré-frontal, tropical marítimo, apresentava conteúdo moderado em água precipitável.


A instabilidade desta massa de ar era igualmente moderada e coexistia, em especial sobre as regiões do centro e sul do território, com wind shear cuja distribuição vertical favorecia a formação de convecção organizada, embora com potencial relativamente marginal para a geração de tornados. À aproximação da referida perturbação frontal das regiões da Estremadura e Vale do Tejo, foram observadas diversas formações convectivas de natureza supercelular. Uma destas supercélulas, cuja assinatura no campo da velocidade Doppler (de baixa elevação) se pode observar nas imagens de radar (Figuras 1 a, b, c, esq), exibindo o típico mesociclone, produziu um tornado que afetou a localidade de Foros de Salvaterra, concelho de Salvaterra de Magos, distrito de Santarém.


De acordo com a análise das observações radar e documentação recolhida pelo IPMA mas, também, com relatos e documentação que lhe foram enviados acerca deste episódio, foi possível apurar uma série de detalhes sobre este fenómeno. A deslocação do tornado correspondeu a um rumo de Sudoeste-Nordeste, em harmonia com a propagação da nuvem-mãe, conforme se comprova com a observação radar (ver segmento orientado nas Figuras 1 a, b, c, esq.). O fenómeno terá iniciado o contacto com o solo nas imediações de Cardal, pelas 14:26 UTC (igual à hora local) (Figura 1a) tendo progredido a uma velocidade elevada para Nordeste e produzido danos ao longo de um trajeto de aproximadamente 15 km, com um rasto de destruição de largura variável. A intensidade máxima terá ocorrido pelas 14:36 UTC, quando afetava a zona das instalações da Brisa, de Foros de Salvaterra (Figura 1b).


O tornado ter-se-á dissipado próximo de Granho, pelas 14:46 (Figura 1c). O trajeto do centro do mesociclone ao qual o tornado esteve associado, também se assinala na Figura 2. O tornado poderá ter mantido contacto com o solo ligeiramente para a esquerda ou direita deste trajeto. De acordo com uma análise preliminar dos efeitos da destruição causada (em habitações, edifícios, viaturas, terrenos, estruturas agrícolas e árvores) ao longo do referido trajeto, o tornado de Foros de Salvaterra deverá ter alcançado uma intensidade F1/T3 (escala clássica de Fujita/escala de Torro), correspondendo a vento na gama 42-51 m/s, ou seja, 151-184 km/h (rajada, média de 3s). Estes valores devem ser entendidos como provisórios, podendo vir a ser confirmados ou alterados proximamente.


O IPMA deixa o seu agradecimento ao Sr. Manuel Bolieiro, Presidente da União de Freguesias de Salvaterra de Magos e Foros de Salvaterra, pelos elementos enviados e esclarecimentos prestados acerca deste episódio. A probabilidade de um tornado ser observado numa estação meteorológica é extremamente baixa. Embora se trate de um fenómeno que pode ter um forte impacto, é de muito pequena escala espacial e temporal, afetando áreas muito restritas. A contribuição destes relatos é preciosa para avaliar as características deste tipo de fenómeno, o impacto que tem no território e na população e as condições em que se forma.

Imagens associadas

  • Figura 1a - Imagem de indicador de posição plana (PPI, elevação 0.1º) de velocidade Doppler, m/s (esq.) e refletividade, dBZ (dir.), 14:26 UTC, 24 dezembro 2021, radar de Coruche/Cruz do Leão. Circulo a preto com referência “M” assinala a posição do mesociclone, a esta hora (esq.).Trajeto aproximado do tornado referenciado pelo segmento orientado, a vermelho (esq.). Foros de Salvaterra representado como referência.
    Figura 1a - Imagem de indicador de posição plana (PPI, elevação 0.1º) de velocidade Doppler, m/s (esq.) e refletividade, dBZ (dir.), 14:26 UTC, 24 dezembro 2021, radar de Coruche/Cruz do Leão. Circulo a preto com referência “M” assinala a posição do mesociclone, a esta hora (esq.).Trajeto aproximado do tornado referenciado pelo segmento orientado, a vermelho (esq.). Foros de Salvaterra representado como referência.
  • Figura 1b - Imagem indicador de posição plana (PPI, elevação 0.1º) de velocidade Doppler, m/s (esq.) e refletividade, dBZ (dir.), 14:36 UTC, 24 dezembro 2021, radar de Coruche/Cruz do Leão. Circulo a preto com referência “M” assinala a posição do mesociclone, a esta hora (esq.).Trajeto aproximado do tornado referenciado pelo segmento orientado, a vermelho (esq.). Foros de Salvaterra representado como referência.
    Figura 1b - Imagem indicador de posição plana (PPI, elevação 0.1º) de velocidade Doppler, m/s (esq.) e refletividade, dBZ (dir.), 14:36 UTC, 24 dezembro 2021, radar de Coruche/Cruz do Leão. Circulo a preto com referência “M” assinala a posição do mesociclone, a esta hora (esq.).Trajeto aproximado do tornado referenciado pelo segmento orientado, a vermelho (esq.). Foros de Salvaterra representado como referência.
  • Figura 1c - Imagem de indicador de posição plana (PPI, elevação 0.1º) de velocidade Doppler, m/s (esq.) e refletividade, dBZ (dir.), 14:46 UTC, 24 dezembro 2021, radar de Coruche/Cruz do Leão. Circulo a preto com referência “M” assinala a posição do mesociclone, a esta hora (esq.).Trajeto aproximado do tornado referenciado pelo segmento orientado, a vermelho (esq.). Foros de Salvaterra representado como referência.
    Figura 1c - Imagem de indicador de posição plana (PPI, elevação 0.1º) de velocidade Doppler, m/s (esq.) e refletividade, dBZ (dir.), 14:46 UTC, 24 dezembro 2021, radar de Coruche/Cruz do Leão. Circulo a preto com referência “M” assinala a posição do mesociclone, a esta hora (esq.).Trajeto aproximado do tornado referenciado pelo segmento orientado, a vermelho (esq.). Foros de Salvaterra representado como referência.
  • Figura 2 – Mapa (Google Earth, 2021) com representação do trajeto do mesociclone da Supercélula que produziu o tornado (segmento a vermelho), no contexto do território. A deslocação foi de Sudoeste para Nordeste cada posição do mesociclone corresponde diretamente às representadas na Figura 1. O ponto central (FS2) corresponde ao de maior destruição verificada.
    Figura 2 – Mapa (Google Earth, 2021) com representação do trajeto do mesociclone da Supercélula que produziu o tornado (segmento a vermelho), no contexto do território. A deslocação foi de Sudoeste para Nordeste cada posição do mesociclone corresponde diretamente às representadas na Figura 1. O ponto central (FS2) corresponde ao de maior destruição verificada.
  • Tornado Foros de Salvaterra, 24 de dezembro, imagem de Manuel Bolieiro
    Tornado Foros de Salvaterra, 24 de dezembro, imagem de Manuel Bolieiro
  • Tornado Foros de Salvaterra, 24 de dezembro, imagem de Manuel Bolieiro
    Tornado Foros de Salvaterra, 24 de dezembro, imagem de Manuel Bolieiro

Fonte: IPMA
 

Aurélio Carvalho

Nimbostratus
Registo
5 Out 2018
Mensagens
1,241
Local
Faro
Segundo meus dados, creio que a maior parte dos locais registou entre 70 a 80% do normal para o mês, salvo alguns locais do interior norte e centro e alguns locais do Algarve por exemplo que registaram cerca de 50% do normal.
Face a isso teremos muitos locais com diminuição da seca, onde estará também o Baixo Alentejo e Algarve que acabara o ano em seca moderada apenas com alguns locais em seca severa!
Em termos de barragens as mesmas tb se encontram maioritariamente com reservas a meio o que evitará um colapso das barragens no Verão caso o cenário de seca se agrave.
 

RP20

Cirrus
Registo
26 Ago 2021
Mensagens
34
Local
Alto Minho
Segundo meus dados, creio que a maior parte dos locais registou entre 70 a 80% do normal para o mês, salvo alguns locais do interior norte e centro e alguns locais do Algarve por exemplo que registaram cerca de 50% do normal.
Face a isso teremos muitos locais com diminuição da seca, onde estará também o Baixo Alentejo e Algarve que acabara o ano em seca moderada apenas com alguns locais em seca severa!
Em termos de barragens as mesmas tb se encontram maioritariamente com reservas a meio o que evitará um colapso das barragens no Verão caso o cenário de seca se agrave.
Pelo menos este Dezembro choveu mais qualquer coisa, é que nos outros anos tinham sido muito secos aí pelo Algarve.
Agora vamos ver a segunda quinzena de Janeiro, pode ser que traga mais água :)