No céu hoje:

Teles

Cumulonimbus
Registo
7 Dez 2007
Mensagens
2,210
Local
Rio Maior
Boas , criei este tópico para poder ajudar e também para que todos possam postar que tipo de objectos celestes e não, só se poderá ver no céu nocturno.

Para começar devemos saber que só conseguimos avistar objectos no hemisfério norte , tudo o que se passa no hemisfério sul não se consegue ver a não ser que nos desloquemos para lá, mas vamos ao que interessa o hemisfério norte.
Para conhecer o hemisfério norte temos de conhecer as constelações.
Em 1930, a União Astronômica Internacional dividiu o céu em 88 constelações com fronteiras precisas. Desta forma, cada direção no céu pertence necessariamente a uma (e apenas uma) delas. As novas contelações foram definidas e batizadas, sempre que possível, seguindo a tradição proveniente da Grécia antiga, e seus nomes oficiais são sempre em latim.

São definidas 88 constelações, que podem ser classificadas em:

Boreais – que localizam-se no hemisfério celestial norte,
Austrais – que localizam-se no hemisfério celestial sul, e
Zodiacais - que são cortadas pela eclíptica, localizando-se próximas dos limites entre os hemisférios norte e sul celestes.
Equatoriais - que são cortadas pelo equador celeste.

32 foram escolhidas, principalmente, pela sua maior facilidade de observação directa a olho nu.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_constelações

Para termos um ponto de partida para as nossas observações devemos mais ou menos , ter o mínimo de conhecimento sobre o que vemos quando à noite olhamos para o céu e vemos centenas de estrelas , um desses pontos de partida e o principal do nosso hemisfério é a estrela polar que só é visível no norte, sendo que no hemisfério sul se rejam por o Cruzeiro do Sul.

Então para se encontrar a estrela polar é só seguir os seguintes passos:
1º localizar a constelação da URSA MAIOR

É a que melhor se destaca no céu mesmo nas grandes cidades

2º Localizar a constelação da Cassiopeia:




Então a partir daqui já se tornam mais fáceis as coisas , tendo já descoberto a Ursa Maior é só seguir o seguinte passo para encontrar a estrela Polar


Tendo já encontrado a estrela Polar , torna-se bem mais fácil ,descobrir onde se situa ou por onde irão passar os objectos celestes.

Deixo aqui um Planetário virtual que nos pode ajudar a descobrir as constelações:
http://neave.com/pt/planetario/
 

Teles

Cumulonimbus
Registo
7 Dez 2007
Mensagens
2,210
Local
Rio Maior
A única galáxia visível a olho nu no nosso hemisfério é a galáxia de Andrómeda na constelação com o mesmo nome:

Outras galáxias para ser ver mesmo com binóculos são demasiado débeis para se perceber, se tiveres um telescópio mais modesto ai sim já se consegue ver algumas , mas mesmo assim só se irá notar umas pequenas manchas no céu não se percebendo os seus pormenores.
Alguns objectos que se poderá ver com binóculos serão alguns enxames globulares tipo o M2 tem cerca de 100,000 estrelas. Cobre uma área de mais de 150 anos-luz, situa-se a 50,000 anos-luz de distância e pode ser visto com binóculos na direcção da constelação de Aquário.
 

Teles

Cumulonimbus
Registo
7 Dez 2007
Mensagens
2,210
Local
Rio Maior
No hemisfério sul é possível ver as duas galáxias irmãs a grande e a pequena nuvem de Magalhães a olho nu :thumbsup:
 

Teles

Cumulonimbus
Registo
7 Dez 2007
Mensagens
2,210
Local
Rio Maior
Os planetas visíveis a olho nu no mês de Agosto:
Mercúrio:
Visível ao anoitecer próximo ao horizonte noroeste no início do mês. A partir do dia 11 torna-se um astro de difícil observação por sua aparente proximidade ao Sol. Reaparece no final de agosto, pouco antes do nascer do Sol.
Vénus:
Não será visível este mês por estar passando aparentemente muito perto do Sol, em relação ao nosso ponto de vista na Terra.
Marte:
Visível no final da madrugada, em Touro. Após o dia 5 estará transitando à frente de Gêmeos, cada dia nascendo um pouco mais cedo.
Júpiter:
Visível em Áries (Carneiro), durante toda a madrugada.
Saturno:
Facilmente visível em Virgem perto da estrela Porrima (Gama de Virgem), podendo ser observado desde o anoitecer, à meia altura no céu.
 

actioman

Cumulonimbus
Registo
15 Fev 2008
Mensagens
2,052
Local
Elvas (~300m)
Aproveito este belo tópico para deixar aqui algumas imagens dos nosso maravilhosos céus e que eu jamais me canso de observar... :)


O gigante do nosso Sistema Solar com os seus 4 principais satélites naturais, primeiramente observados por Galileu Galilei em 1610 (de destacar que o maior, Ganimedes, tem um diâmetro superior ao do planeta Mercúrio):

jupiterluas10ago11.jpg



E aqui uma fotografia das Plêiades (cientificamente denominado Objecto Messier M45 ou aglomerado estelar M45). São um grupo de estrelas na Constelação de Touro, conhecidas e veneradas em muitas culturas antigas (Maias, Astecas, Siux, Persas, Bibilónios, etc) e que sempre me fascinou particularmente.
É constituída por nove estrelas principais e os seus nomes são de origem grega. Atlas e Pleione (os pais) e as suas sete filhas: Alcyone, Electra, Maia, Taigeta, Celaeno, Asterope e Mérope

pleyades8ago11.jpg
 

Teles

Cumulonimbus
Registo
7 Dez 2007
Mensagens
2,210
Local
Rio Maior
Hoje, a Lua vai aparecer cheia, o que pode prejudicar a observação desta chuva de meteoros. Siga as nossas dicas, que podem ajudar a vislumbrar este fenómeno. De qualquer forma, é preciso paciência.

Para a madrugada de hoje está previsto um avistamento de Perseidas, uma chuva de meteoros associada ao cometa Swift-Tuttle. Só que também o satélite terrestre vai estar na sua fase de lua cheia, dificultando a visão a quem quiser acompanhar este fenómeno do cosmos.

No entanto, nem tudo está perdido, e com (muita) paciência e o ângulo certo poderá observar a chuva.

As Perseidas formam-se com o movimento dos cometas. Estes, enquanto descrevem órbitas em volta do Sol, vão espalhando pó, gases e escombros (materiais rochosos). Este trilho permanece numa órbita semelhante ao cometa original. Sendo assim, cada cometa vai formando um anel feito de fragmentos de cometa. Quando a Terra, no seu movimento em torno do Sol, encontra um destes anéis, alguns dos seus fragmentos rochosos são atraídos pelo campo gravitacional e caem a grande velocidade na atmosfera formando uma chuva de meteoros.

http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1950775