Seguimento - África 2011

PDias

Cumulus
Registo
29 Jan 2008
Mensagens
333
Local
Merceana - Alenquer (Alt. 167 mts.)
SEGUNDA-FEIRA, 03-01-2011, ANO 11, N.º 3992

África do Sul: queda de raios mata 11 pessoas

Pelo menos 11 pessoas morreram, domingo, depois de terem sido atingidas por raios, na África do Sul.

Segundo as autoridades, sete pessoas da mesma família morreram em Mpumazi, no Kwuazulu-Natal, quando se encontravam em casa e foram atingidas por raios. Um oitavo membro da família sobreviveu mas encontra-se internado em estado grave.

Outras quatro pessoas tiveram morte imediata ao serem atingidas por um raio em Nyandeni, na zona de Lebode, província do Cabo Oriental. Cinco das nove províncias da África do Sul têm sido afectadas por tempestades na última semana, com prevalência de chuvas fortes e trovoadas. 12:14 - 03-01-2011
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
CHUVAS PROVOCAM MORTES E PERDAS AGRÍCOLAS NA ÁFRICA DO SUL

As chuvas estão causando destruições, não só no Brasil, mas também na África do Sul, com enormes perdas para a agricultura. As regiões mais prejudicadas são Nothern Cape e North West, ao norte da capital, Cidade do Cabo.

Na região de Kwazulu-Natal foram registrados, pelo menos, 39 mortos devido a inundações e raios. Outras 34 pessoas foram evacuadas da área de Ivory Park, norte de Johannesburgo.

Segundo as Agências envolvidas nos resgates, muitas pessoas ainda estão dispersas. Na porção sul do país, onde o mau tempo também está causando perdas, 34 pessoas foram evacuadas do assentamento de Thembakazi.
Calcula-se que 20 mil hectares de terrenos agrícolas estejam debaixo d´água. Devido às inundações dos terrenos cultiváveis, teme-se uma crise alimentar e um êxodo dos trabalhadores rurais, visto que poderão perder seus empregos. As barragens que seguram o rio Orange já se romperam, alagando estradas e danificando alimentos que estavam sendo transportados. E a previsão meteorológica para os próximos dias é preocupante, pois está previsto que continuará a chover.

Rádio Vaticano
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
Moçambique decreta alerta vermelho por conta de chuvas

O governo de Moçambique decretou alerta vermelho por causa das chuvas que caem sem parar no país. A medida coloca de prontidão todos órgãos federais para tomar medidas imediatas no caso de agravamento das inundações.
“As chuvas não param, as barragens já abriram as comportas e, nos países vizinhos, a situação é a mesma”, disse Alberto Ntukumula, porta-voz do Conselho de Ministros. “Nós temos experiência com inundações; sabemos como essas coisas ocorrem”, afirmou lembrando as cheias de 2000, que deixaram milhares de desabrigados.
Em 22 de fevereiro de 2000, o ciclone Eline provocou ventos de mais de 100 quilômetros por hora no Oceano Índico, e trouxe chuvas torrenciais para Moçambique, a partir da cidade da Beir, centro do país. Cinco dias depois, as inundções haviam se alastrado por mais de mil quilômetros, chegando a região da capital Maputo. Cerca de 1 milhão de pessoas foram afetadas e mais de 300 mil ficaram desalojadas.
Em Moçambique, o alerta vermelho significa que todos os ministérios com organismos ligados à gestão de calamidades (que possam prevenir ou auxiliar no caso de enchentes) passam a se reunir duas vezes por dia, para troca de informações. Os órgãos também têm mais liberdade para fazer gastos emergenciais que, sem o decreto, precisariam ser autorizados.
Segundo Ntukumula, é uma medida preventiva, porque os efeitos da chuva, até agora, são contornáveis. Cerca de 12 mil pessoas foram afetadas este ano, principalmente no Sul do país, nas zonas baixas dos rios Limpopo e Incomati. No sul, as barragens de Pequenos Limbondos, Corrumane e Massingir estão no limite da capacidade. Na região central, a Hidrelétrica Cahora Bassa, a maior do país, elevou a descarga das comportas de 2 mil metros cúbicos por segundo (m³/s) para 3,5 mil m³/s.
Várias estradas estão intransitáveis no centro de Moçambique. Em três províncias (estados) há distritos isolados – Tete, Manica e Sofala. Plantações de algodão, trigo e arroz estão alagadas e a produção foi praticamente perdida.
Outros países da África Austral também sofrem com as cheias, desde Angola, na costa do Oceano Atlântico, até a ilha de Madagascar, no Índico. Zimbábue, Zâmbia, Maláui, Lesoto e África do Sul estão entre os países que já enfrentam problemas. Só na África do Sul, o número de mortes por causda das chuvas e enchentes ultrapassa 50.
“Todos os países da região devem receber chuvas entre o normal e o acima do normal entre janeiro e março de 2011”, informou o escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha, na sigla em inglês). De acordo com a instituição, a África avancou muito na última década em termos de prevenção de inundações. Há mais coordenação entre os governos e os países estão bem mais preparados para lidar com as enchentes.

DCI
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
Neige à Bouira, Algérie

heyao198257

Le Nord de l'Algérie touché par des intempéries neigeuses

Une vague de froid sévit touche la partie nord du pays entrainant des chutes de neiges notables sur les reliefs et des pluies soutenues en plaine, qui ont causé des inondations. La neige s’est abattue sur les reliefs ne dépassant pas les 600 mètres d’habitude. Les intempéries ont provoqué la fermeture des routes dans plusieurs wilayas.
A Jijel, plusieurs axes routiers ont été coupés à la circulation en raison des chutes de neige enregistrées. La neige a causé quelques désagréments, notamment sur le réseau routier intrawilaya. Des perturbations ont été signalées dans plusieurs régions de cette wilaya.
Le chemin de wilaya (CW) 137-B reliant Texenna à Selma a été également rendu difficile à la circulation. Cette commune vit dans le noir depuis deux jours en raison d’une coupure d’électricité, ont indiqué des citoyens de cette localité. La circulation est également difficile entre les mechtas de Beni Chouf et de Beni Foughal ainsi qu’entre Djimla et Souk Es Sebt. Cela dit, les autorités locales se sont mobilisées pour dégager les routes.
Un accident de la route est survenu hier à Bir Ghbalou, sur la RN 8 dans la wilaya de Bouira. Il a provoqué la mort d’une personne dont le camion a dérapé et dévié de la route. D’autres accidents de moindre gravité ont été enregistrés sur la RN 5 causant des blessures à de nombreuses personnes.
Par ailleurs, la circulation automobile sur les routes nationales et l’autoroute Est-Ouest traversant la wilaya de Bouira est fortement perturbée.
A Sétif, en particulier au nord de la wilaya, des chutes de neige parfois importantes (10 à 15 cm) ont affecté les daïras de Bougaâ et Aïn El Kebira. Cela dit, des coupures de routes n’ont pas été signalées. Dans la wilaya d’El Tarf, la RN 82 reliant cette wilaya à celle de Souk Ahras a été fermée, celle-ci a été coupée au niveau du col de M’cid (70 km au sud d’El Tarf).
Cette route est devenue impraticable à la suite des chutes de neige qui ont affecté ces dernières 24 heures ce col culminant à 1 200 mètres d’altitude. En plus des chutes de neige, d’importantes précipitations ont eu lieu dans la wilaya d’El Tarf, atteignant 62 mm, selon les services météorologiques de la station du Lac des Oiseaux.

CatNat
 
Editado por um moderador:

Geiras

Cumulonimbus
Registo
16 Jun 2010
Mensagens
4,247
Local
Qta. do Conde / Sintra
"MAPUTO

Uma forte tempestade "fora de época" travou hoje os festejos dos portistas de Maputo, que encheram cafés e restaurantes durante o encontro com o Benfica, mas tiveram que recolher a casa face à chuva que caiu na capital moçambicana. "
Correio da Manhã

u0CPu.jpg
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
Newcastle South Africa Snow - 26 July 2011


dannivdmerwe

Snow in South Africa - Golden Gate - 26 July 2011


Malpieton

ÁFRICA DO SUL: Região do sudeste continua paralisada pela neve

A neve e o frio do inverno austral continuam a paralisar sudeste da África do Sul, hoje (quarta-feira), bloqueando muitas estradas, enquanto os comboios foram cancelados.
A via rápida que liga a região de Joanesburgo ao porto de Durban continua intransitável na travessia das montanhas de Drakensberg, a meio caminho, anunciou a empresa concessionária N3 Toll Concession. "Neste momento, ela (a estrada) encontra-se fechada. Continuamos a tentar identificar os obstáculos nesta zona", indicou o seu porta-voz à agência Sapa. Este eixo, o mais movimentado do país, está fechado ao tráfego desde segunda-feira à noite, assim como muitas estradas da província do Cabo do Leste (sul). O exército foi chamado para ajudar a prestar assistência aos motoristas bloqueados.
Escolas e lojas continuaram fechadas na terça-feira, enquanto que o fornecimento de electricidade esteve intermitente, segundo a imprensa local. O ministro dos Transportes, Sibusiso Ndebele, apelou aos automobilistas que tencionam circular nestas regiões para cancelar a sua viagem até que as condições melhorarem. Os comboios Joanesburgo-Durban e Joanesburgo-East London (Cabo do Leste) foram cancelados.
A situação deve melhorar até quinta-feira, segundo o serviço nacional de meteorologia.

Angola Press
 
Editado por um moderador:

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,087
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
Moçambique: Chuva de granizo provoca dez feridos

Dez pessoas ficaram feridas, duas das quais em estado muito grave, e centenas de casas, bem como três hospitais, ficaram destruídos na sequência da queda de granizo, na passada sexta-feira, em Chimoio, capital de Manica, no centro de Moçambique.


O delegado do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades em Manica, João Vaz, disse que além de infra-estruturas sociais, a queda de granizo provocou também a destruição de 25 barracas, derrubou duas pontes de ligação entre bairros e cinco postos de energia, ficando assim, às escuras alguns bairros de Chimoio.

"Tivemos 40 minutos de chuva de granizo com passagem de uma frente fria, que destruiu infra-estruturas sociais e económicas. Equipas estão ainda a fazer um levantamento para apurar os reais danos do vendaval para traçarmos plano de intervenção", disse João Vaz.
Correio da Manhã