Seguimento América Central, Sul e Caraíbas - 2009

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Tópico de Seguimento América Central, Sul e Caraíbas, excluindo Brasil que tem um tópico dedicado.
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Na semana passada houve uma grande incursão de frio pela América do Sul, com nevadas significativas na Argentina.

Muitos moradores do Sul da província de Buenos Aires amanheceram testemunhando um cenário que jamais tinham visto. A maior nevada desde 1965 na região trouxe até meio metro de neve. Crianças faziam guerra de bolas de gelo nas ruas de Bahia Blanca, onde a neve, segundo as autoridades, foi a maior em cinqüenta anos. Os maiores eventos de neve na região teriam ocorrido em 30 de agosto de 1869; em 1903; em agosto de 1913; em agosto de 1943; em junho de 1955 e em 9 de julho de 1965. A sensação térmica na cidade atingiu -18ºC.

11092362.jpg


37563338.jpg


Cenas de ruas, árvores e casas cobertas de branco se repetiram em vários outros pontos do país. A histórica nevada atingiu ainda as províncias de La Pampa, Córdoba, San Juan, San Luis e Mendoza. Muitos disseram jamais ter visto tanta neve em suas vidas. Em San Luis, a neve atingiu um metro em alguns pontos. Na província de Buenos Aires, o gelo sobre a pista obrigou o fechamento de algumas rodovias. O vento intenso carregava a neve e tornava a visibilidade quase nula, fenômeno chamado de blizzard na América do Norte.

97910960.jpg


A nevada que começou ainda nas primeiras do dia no Sul da Província avançou para o Norte durante o dia e à tarde estava já no Rio da Prata. No meio da tarde, moradores passaram a relatar neve misturada à chuva na Grande Buenos Aires. Logo após, em boletim, veio a confirmação da neve pelo Aeroporto Internacional de Ezeiza, onde seguia nevando no começo da noite. Apesar do Serviço Meteorológico Nacional da Argentina não ter confirmado neve na cidade de Buenos Aires, as rádios e emissoras de televisão receberam dezenas de relatos de vários pontos da Capital argentina sobre a queda de flocos de neve. O frio nas ruas portenhas era extremo com garoa, 4ºC e vento de 90 km/h ao fim da tarde. A ventania derrubou árvores e provocou falta de luz, afetando os serviços de trens. A cidade de Buenos Aires testemunhou em julho de 2007 uma grande nevada, a primeira desde 1918.

No outro lado do Rio da Prata, Montevidéu enfrantava no começo da noite de ontem 5ºC, chuva e rajadas de até 100 km/h (reprodução acima do El Observador). Árvores foram derrubadas pelo vento no bairro de Carrasco e outros pontos da cidade. Os portos de Montevidéu, La Paloma e Punta del Este foram fechados devido ao vento. Aulas foram suspensas em Maldonado e até jogos de futebol acabaram adiados pelo temporal de vento e frio. No fim da tarde, moradores de várias localidades do Sul uruguaio passaram a relatar chuva misturada à neve. Nevou também em Santiago do Chile, para onde a previsão de temperatura mínima hoje era de 5ºC abaixo de zero. O frio vai aumentar ainda mais de intensidade e pode voltar a nevar hoje no Leste da província de Buenos Aires e no Uruguai. A região de Buenos Aires e o Uruguai enfrentaram ontem uma tempestade de inverno semelhante a um Nor’easter, um centro de baixa pressão que traz frio intenso, vento acima de 100 km/h e neve para o Nordeste dos Estados Unidos quase todos os invernos.

http://www.metsul.com/blog/

Eugenio Hackbart
Publicado em 23/07/2009
 

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
Entretanto no extremo sul da Argentina, em Ushuaia, um temporal de neve fustiga desde há 2 dois dias com previsão que continue pelo menos amanhã.





12275364640x480.jpg

40816689640x480.jpg

90156006640x480.jpg

(C) Lisandro89
 

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
Venezuela faz racionamento de água e electricidade

País enfrenta a maior seca dos últimos 62 anos

A Venezuela está a enfrentar a maior seca dos últimos 62 anos, obrigando o governo a fazer o racionamento de água e electricidade. A situação afecta os Rios Caroni e Orinoco, onde se encontram as principais centrais hidro-eléctricas do país, que geram 75 por cento da energia consumida na Venezuela.

A Venezuela está a atravessar a maior seca dos últimos 62 anos, que obrigou ao racionamento de água e de energia eléctrica e está a levar os venezuelanos a recorrerem a recipientes de plástico para armazenarem água.
«Já fui a três lojas e não consegui um tanque plástico para guardar uns 200 litros de água. Num sítio disseram-me que é preciso esperar que chegue de fora (estrangeiro) e que tal como eu muitos cidadãos estão à procura de tanques», explicou à Agência Lusa Marianela Rodriguez, residente em Caracas. Mais sorte teve Daniel Fernandes, que conseguiu dois pequenos tanques para armazenar água.
«Não foi do tamanho que procurava e tive que caminhar muito mas sempre se consegue», disse à Lusa.
Segundo as autoridades, que decretaram cortes no abastecimento de água de até 48 horas de duração, Caracas enfrenta um défice de abastecimento de água de 25 por cento e a escassez deve-se ao fenómeno climatológico de El Niño, que ao alterar a temperatura da água do oceano produz épocas de seca.
A situação afecta os Rios Caroni e Orinoco, onde se encontram as principais centrais hidro-eléctricas do país, que geram 75 por cento da energia consumida na Venezuela.
Segundo o ambientalista Erik Quiroga, este ano até 22 de Outubro cairam em Caracas 508,8 milímetros de chuva (508,8 litros por metro quadrado), o valor mais baixo registado desde 1947, quando a chuva foi de 581,5 milímetros.
Dados do Observatório Cajigal, principal centro meteorológico da Venezuela, os meses de Outubro e Junho registaram os mais baixos índices de chuva dos últimos 118 e 115 anos respectivamente.
O clima da Venezuela é caracterizado por uma estação seca entre Outubro e Maio e uma estação da chuvas entre Maio e Outubro.
A Comissão de Afectados pelos Apagões, uma organização da sociedade civil, responsabiliza o governo pelas dificuldades de abastecimento de energia e critica a canalização de recursos para outros países, entre eles a Bolívia.
Em 23 de Outubro o presidente venezuelano Hugo Chávez anunciou a criação do Ministério de Energia Eléctrica para enfrentar os graves problemas do sector e apontou como razão um aumento da procura e um alegado esbanjamento de energia e água.
Chávez recomendou aos venezuelanos que desliguem os aparelhos de ar condicionado e as luzes (durante o dia), definiu o tempo máximo de três minutos para um duche e recomendou o uso de “totumas” para evitar o desperdício de líquido (a "Totuma" é um tubérculo comum na Venezuela cujo casca é usada em zonas rurais como jarro de água).
O racionamento de energia é questionado por um significativo número de venezuelanos que acusam o governo de não fazer atempadamente a manutenção e investimentos necessários para responder ao aumento da procura.

in: Jornal da Madeira
 

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
Argentina assolada pela pior seca dos últimos 50 anos

A Argentina, um dos maiores produtores mundiais de cereais e carne, sofre a pior seca das últimas décadas, com elevadas perdas de colheitas e animais e poucas perspectivas de alivio imediato.

O fenómeno afecta uma boa parte do país, mas concentra-se numa ampla franja que vai desde o centro-este ao nordeste do território argentino, incluindo parte de Buenos Aires e de Santa Fé, duas importantes províncias agropecuárias.

Campos com vegetação escassa ou amarelada, terra dura e gretada, e vacas magras ou mortas constituem o cenário nas áreas mais afectadas.

Segundo cálculos preliminares públicos e privados, as perdas devida à seca somam mais de US$500 milhões na agricultura e pecuária.

A falta de precipitações reduziu notoriamente a área de sementeira de trigo e milho.

Na pecuária houve uma redução de cerca de 700.000 cabeças de bovinos, cujo alimento é escasso ou nulo devido à escassez de água. Os criadores têm de vender os animais rapidamente, antes de os perder. Isto no só implica a perda de fêmeas para reprodução, o que no futuro pode fazer perigar a produção de carne e leite, como deprime os preços no mercado, por excesso de oferta.

Estes prejuízos económicos acrescem à perda de milhares de milhões de dólares já registados na produção agropecuária durante o conflito entre o sector e o governo, entre Março e Junho.

Fonte: BBC
 

irpsit

Cumulonimbus
Registo
9 Jan 2009
Mensagens
2,322
Local
Inverness, Escocia
Haverá algum sítio onde não haja o "o evento mais xxxx dos últimos 50, 80, ou 300 anos"?
Será um efeito dos media, ou será mesmo uma profunda alteração climática?
 

cjmra

Cirrus
Registo
30 Dez 2009
Mensagens
1
Local
V.N.Gaia
Sei que neste forum há especialistas no seguimento metereológico do Caribe, por isso pedia ajuda para obter a seguinte informação.
Estou farto de Chuva e ciclones.:angry:
Por isso, no dia 5 de janeiro vou passar uma semana de férias em Punta Cana.

Sei que não é época dos furacões, mas pretendia saber se há alguma tempestade prevista para esse período aquela zona?