Seguimento - Incêndios 2012

max

Cirrus
Registo
19 Jul 2012
Mensagens
37
Local
Paredes
R0xcA.jpg


Update de hotspots do Global Fire Information Management System.
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
10,671
Local
Olhão (24 m)
Os meios aéreos estão os 12 a operarem no concelho de São Brás de Alportel e neste momento já existe reacendimentos no concelho de Tavira.

Mas com 1060 e com 12 meios aéreos não existe nenhuma coordenação, é incrível que Portugal não aprende nada com os incêndios.
 

PTbig

Cumulus
Registo
17 Dez 2009
Mensagens
101
Local
Tapada Das Merçês - Sintra
Os meios aéreos estão os 12 a operarem no concelho de São Brás de Alportel e neste momento já existe reacendimentos no concelho de Tavira.

Mas com 1060 e com 12 meios aéreos não existe nenhuma coordenação, é incrível que Portugal não aprende nada com os incêndios.

Compreendo o que dizes, mas o perímetro do incêndio já deve rondar os 200km.

E muito se fala aqui dos ventos, ventos meteorológicos e não dos ventos locais que se fazem sentir devido a orografia do terreno.
 

dahon

Nimbostratus
Registo
1 Mar 2009
Mensagens
1,646
Local
Viseu(530m)
Acabei de ver esta actualização no incêndio de Tavira.

"No Teatro de Operações (TO),desanove máquinas de rasto."

A mobilização de meios para este incêndio é incrível. :surprise:
 

filipe cunha

Nimbostratus
Registo
20 Dez 2009
Mensagens
1,422
Local
Viana do Castelo - interior (160m)
Acabei de ver esta actualização no incêndio de Tavira.

"No Teatro de Operações (TO),desanove máquinas de rasto."

A mobilização de meios para este incêndio é incrível. :surprise:

As maquinas de rasto pouco fazem, se estiver vento, começam os reacendimentos depois desses cortes.... agora se as mesmas maquinas de rastos fossem utilizadas no outono/inverno/primavera a fazer esses cortes, mas mais bem pensados e estrategicos era bem melhor;)
 

filipe cunha

Nimbostratus
Registo
20 Dez 2009
Mensagens
1,422
Local
Viana do Castelo - interior (160m)
Caro Vince esta é a opinião de quem tem prática....eu nunca fui á Madeira nem sou piloto mas em tempos fiz farte das Brigadas helitransportadas aqui no Norte e todos os pilotos trociam o nariz quando tinhamos que ir para o Gerês..fogos em montanha e Serras significa problemas para os pilotos. Correntes inconstantes que podem de um momento para o ourro empurrar um heli descontroladamente!!! Ver politicos a falar falar falar sem conhecimeto de causa!! Agora criou-se a ideia dos meios aéros para a Madeira!!! Venham eles maravilha e depois quem é o piloto deprimido que quer se suicidar????

Eu não sou grande apologista dos nossos politicos mas o Ministro da Administração Interna falou bem quando questionado sobre os meios aéreos na Madeira: " Eu não sou especialista na área mas pelas informações que me vão chegando é muito complicado colocar meios aéreos a atuar na Madeira.

Tambem já tive uma situação parecida aqui muito perto de mim, com vento fraco, e só era o heli carregar o balde num tanque particular, mas a 500metros do incendio, a entrar numa estreita clareira...impressionante:surprise: por acaso correu bem, não havia vento;)
 

PTbig

Cumulus
Registo
17 Dez 2009
Mensagens
101
Local
Tapada Das Merçês - Sintra
200km é mais do que ir de Sagres a Vila Real de Santo António pela EN125...

tavira.jpg


Esta imagem já tem 24 Horas é se esticarmos a linha do perímetro numa recta nota-se que é mesmo muito grande.
Podes fazer a estrada de Vale João Farto até São Brás de Alportel sempre com fogo ao lado, e não estamos a ir pelos flancos é a quase pelo meio do fogo.
 

dASk

Nimbostratus
Registo
7 Out 2010
Mensagens
791
Local
Moita, Setúbal
Exactamente o perimetro não é marcar o incêndio em linha recta do sitio da ignição onde ele está. E sim se esticarmos em linha recta toda a área deve andar perto dos 200km. A área ardida é enorme mas estes incêndios no caldeirão são sempre um barril de pólvora. E um dos factores (para mim) que levou às grandes proporções deste incêndio são as nossas amigas estevas cobertas de resina altamente combustíveis e com km e km de arbustos sem um único asseiro a separá-las mas também a um factor que ainda não se falou aqui que foi o povoamento desenfreado de pinheiros mansos e sobreiros nos anos 90 com apoio da CEE em todas aquelas serras algarvias. E desde já há alguns anos reparo não sabendo se estou certo ou não, que todas essas árvores estão muito próximas umas das outras com as copas a tocarem-se e os terrenos não são limpos estando cobertos de vegetação rasteira seca e essas ditas estevas, estando apenas à espera de uma ignição para desencadear uma catástrofe deste tipo!
 

Agreste

Furacão
Registo
29 Out 2007
Mensagens
10,004
Local
Aljezur (48m) - Faro (11m)
E um dos factores (para mim) que levou às grandes proporções deste incêndio são as nossas amigas estevas cobertas de resina altamente combustíveis e com km e km de arbustos sem um único asseiro a separá-las mas também a um factor que ainda não se falou aqui que foi o povoamento desenfreado de pinheiros mansos e sobreiros nos anos 90 com apoio da CEE em todas aquelas serras algarvias. E desde já há alguns anos reparo não sabendo se estou certo ou não, que todas essas árvores estão muito próximas umas das outras com as copas a tocarem-se e os terrenos não são limpos estando cobertos de vegetação rasteira seca e essas ditas estevas, estando apenas à espera de uma ignição para desencadear uma catástrofe deste tipo!

O repovoamento com sobreiros é um problema que não se coloca. É uma espécie de crescimento muito lento e devia ser mais apoiada.

Se as árvores estão muito próximas e com mato isso pode significar abandono do projecto. Nesse caso as regras são claras e implicam o fim da comparticipação. Mas sei que houve algum desleixo na fiscalização técnica dos projectos.

Os programas comunitários têm mudado nas espécies elegíveis e nos apoios a pagar. Isso condiciona sempre um projecto. Não podemos pensar nisto como se fosse um jardim, temos de dar algum dinheiro para manter o interesse dos proprietários.