Seguimento - Incêndios 2017

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por bigfire 17 Jan 2017 às 18:18.

  1. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    8,682
    Local:
    Foros Charneca (Benavente) / Mte. Barca (Coruche)
    Estamos na véspera da chegada da chuva, não se admirem se entre hoje e amanha houver um recrudescimento do numero de fogos!

    :bombar:Queimadas forever!!! :bombar: :buh::maluco:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  2. AJB

    AJB
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    5 Mar 2009
    Mensagens:
    956
    Local:
    Baião
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    MSantos, guisilva5000 e joselamego gostaram disto.
  3. vagas

    vagas
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    30 Set 2009
    Mensagens:
    215
    Local:
    Évora / Montemor-o-Novo
    Aquela reportagem na TVI 24 foi uma bosta, isto para não lhe chamar outra coisa, focaram-se nos meios aéreos, mas faltou faltar em tudo o resto , na minha opinião só me fez lembrar o prolongamento na tvi “ Pedro Guerra VS José Pina “


    Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk Pro
     
    joselamego gostou disto.
  4. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,074
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    É como os jornalistas dizerem que houve até micro-tornados de fogo, um fenómeno raríssimo (dizem eles). Ora, aquilo que observam e chamam de tornados de fogo, não tem nada de raro, são apenas redemoinhos que se originam nas correntes do fogo.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    joselamego gostou disto.
  5. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Governo pede auditoria à Protecção Civil devido a fogos de Outubro
    31 out, 2017 - 18:25

    A tragédia de Outubro acabou por ditar a demissão da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, substituída por Eduardo Cabrita.

    O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, determinou esta terça-feira uma auditoria à Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), por causa dos incêndios que ocorreram entre 14 e 16 de Outubro, informou o Governo

    Nesses incêndios acabaram por morrer 45 pessoas, em vários locais da região centro.

    Segundo uma nota do Ministério da Administração Interna (MAI), a auditoria foi solicitada à Inspeção Geral da Administração Interna (IGAI) "para apuramento de eventuais responsabilidades".

    Os fogos de Outubro foram a segunda tragédia no espaço de poucos meses em Portugal, depois de um grande incêndio em Pedrógão Grande ter morto 64 pessoas.

    Pouco antes destes últimos incêndios foram conhecidos os relatórios sobre Pedrógão Grande que apontavam várias falhas, nas diferentes instituições que têm por missão prevenir e combater os fogos.

    A tragédia de Outubro acabou por ditar a demissão da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, substituída por Eduardo Cabrita.
    http://rr.sapo.pt/noticia/97175/gov...evido-a-fogos-de-outubro?utm_source=cxultimas
     
    joselamego gostou disto.
  6. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
  7. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
  8. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
  9. Duarte Sousa

    Duarte Sousa
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    8 Mar 2011
    Mensagens:
    4,815
    Local:
    Loures | Rio Tinto
    Vídeo publicado na página do FB da FAP mostrando alguns focos de incêndio detectados durante o dia de ontem, numa missão realizada por um P-3 (Esquadra 601).

     
  10. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Caça proibida ou limitada nas zonas afectadas pelos incêndios
    A caça vai ser interditada ou reduzida nas zonas afectadas pelos incêndios, afirmou esta terça-feira o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural à agência Lusa, depois de se reunir com associações de caçadores.

    "Tivemos hoje a oportunidade de discutir, com as organizações do setor da caça, aquilo que consideramos mais importante nesta altura para a interdição da caça nas zonas ardidas", disse Miguel Freitas.

    As medidas incluem a interdição absoluta da caça em todo o perímetro de grandes incêndios, acima de mil hectares, e da caça sedentária nos concelhos onde arderam mais de 50% da área.

    Já nos distritos mais afectados, é reduzido o número de dias de caça às espécies migratórios de três para dois. Destes dias, um será domingo, o outro as associações escolhem, adiantou o secretário de Estado

    Miguel Freitas acrescentou que o Governo também decidiu "estimular as associações de caçadores" para tomarem uma posição de autogestão.

    "Algumas associações já nos comunicaram que tomaram a decisão de não caçar. Nestes casos, vamos isentá-las do pagamento de taxas ao ICNF" (Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas), revelou.
    http://www.jornaldenegocios.pt/econ...s-incendios?ref=HP_DestaquesdebaixoNegociosTV
     
    joselamego gostou disto.
  11. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Homem detido a atear fogo com isqueiro em zona de mato em Paços de Ferreira
    01.11.2017

    Homem de 48 anos não ofereceu resistência no momento da detenção. Será interrogado em tribunal já esta quinta-feira, em Marco de Canaveses.

    Um homem de 48 anos foi detido em flagrante delito quando tentava atear fogo numa zona de mato em Paços de Ferreira com um isqueiro, informou esta quarta-feira fonte da GNR do Comando Territorial do Porto.

    Fonte das relações públicas da GNR do Porto, António Silva Ferreira, adiantou à Lusa que o detido em flagrante delito “não ofereceu resistência” no momento da detenção e acrescentou que a patrulha da GNR avistou a situação do lançamento de fogo de forma fácil a partir da estrada municipal onde de encontrava a patrulhar.

    Os militares detiveram de imediato o indivíduo depois de o terem avistado a atear o fogo com um isqueiro e acionaram os meios para o combate ao incêndio, evitando assim que “fossem colocados em perigo pessoas e habitações”, acrescenta um comunicado da GNR.

    O homem encontra-se detido nas instalações da GNR e vai ser presente para primeiro interrogatório judicial esta quinta-feira, dia 2, no Tribunal Judicial de Marco de Canaveses.

    http://expresso.sapo.pt/sociedade/2...isqueiro-em-zona-de-mato-em-Pacos-de-Ferreira
     
    joselamego e Micael Gonçalves gostaram disto.
  12. Ricardo Carvalho

    Ricardo Carvalho
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Jul 2015
    Mensagens:
    1,723
    Local:
    Azeitão/Sesimbra
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    guisilva5000, luismeteo3 e joselamego gostaram disto.
  13. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Empresas de regiões afectadas por incêndios podem concorrer a apoios a partir de segunda-feira
    As empresas das regiões afectadas pelos incêndios de meados de Outubro podem concorrer, a partir de segunda-feira, ao programa criado pelo Governo visando a sua recuperação e orçado em 100 milhões de euros, destinados à aquisição de equipamentos.

    Em comunicado divulgado este sábado, 4 de Novembro, o Ministério do Planeamento e Infraestruturas assinala que "o Sistema de Apoio à Reposição da Competitividade e Capacidades Produtivas, disponível a partir de segunda-feira, é um apoio fornecido pelo Estado sob a forma de subvenção não reembolsável".

    Em causa está uma linha de apoio com uma dotação de 100 milhões de euros que visa "permitir o restabelecimento rápido das condições de produção das empresas directamente afectadas com prejuízos directos, sendo apoiadas, nomeadamente, a aquisição de máquinas, de equipamentos, de material circulante de utilização produtiva e as despesas associadas a obras de construção necessárias à reposição da capacidade produtiva", indica a tutela.

    A medida é complementada com outras iniciativas governamentais aprovadas no final de Outubro, como uma linha de crédito com juros bonificados (100 milhões de euros), novos concursos no âmbito do Portugal 2020 (80 milhões de euros) e ainda um pacote de medidas de simplificação dos concursos do Portugal 2020 já em curso.

    Todas entram em vigor na segunda-feira, à excepção da linha crédito, que começará a funcionar dia 13 de Novembro.

    "Face à dimensão dos prejuízos poderão ainda ser desencadeadas outras medidas complementares que permitam reforçar a coesão económica e social dos territórios particularmente afectados pelos incêndios, como sejam ao nível da atracção de investimento qualificado, isenções fiscais ou a agilização de procedimentos de licenciamento e de reinstalação de unidades produtivas", ressalva o Executivo.

    As candidaturas devem ser feitas pelas empresas junto das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (norte e centro).

    Em conferência de imprensa após o conselho de ministros de dia 26 de Outubro, que deu luz verde aos apoios, o ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, explicou que "haverá condições especiais para as pequenas e médias empresas, com apoios até 70%".

    Para as "recuperações mais pequenas", até 235 mil euros, prevê-se uma comparticipação até 85%, segundo Pedro Marques.

    No caso das companhias que necessitem de maior apoio, o Governo irá fazer uma "peritagem autónoma e independente" para avaliar a comparticipação, adiantou.

    Pedro Marques sustentou que, segundo a experiência do Executivo, estas medidas são suficientes para as empresas recuperarem.

    "Beneficiamos, infelizmente, da experiência de recuperação do território de Pedrógão Grande, que preferíamos não ter tido", disse.

    As centenas de incêndios que deflagraram no dia 15, o pior dia de fogos do ano, segundo as autoridades, provocaram 45 mortos e cerca de 70 feridos, perto de uma dezena dos quais graves.

    Os fogos obrigaram a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas, sobretudo nas regiões Norte e Centro.

    Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos em Portugal, depois de Pedrógão Grande, em Junho deste ano, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou, segundo a contabilização oficial, 64 vítimas mortais e mais de 250 feridos. Registou-se ainda a morte de uma mulher que foi atropelada quando fugia deste fogo.
    http://www.jornaldenegocios.pt/econ...r-de-segunda-feira?ref=HP_DestaquesPrincipais
     
    joselamego gostou disto.
  14. Stinger

    Stinger
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    22 Mar 2008
    Mensagens:
    1,209
    Local:
    Gondomar (188m)
    Deixo aqui a foto do senatorio de monte alto [​IMG]
     
    ALBIMETEO, luismeteo3 e joselamego gostaram disto.
  15. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Crimes por fogo posto disparam 253%
    Joana Almeida
    10:11
    A nota explicativa do MAI, a que o 'Jornal de Notícias' teve acesso, mostra que no primeiro semestre do ano registaram-se mais 2.843 casos de fogo posto em áreas florestais em comparação com o período homólogo.


    O número de crimes de incêndio florestal aumentou nos primeiros seis meses do ano 253% em comparação com igual período do ano passado. Os dados são do Ministério da Administração Interna (MAI), tutelado por Eduardo Cabrita, que vai esta terça-feira levar o tema ao Parlamento, avança o ‘Jornal de Notícias’.

    A nota explicativa do MAI, a que o ‘Jornal de Notícias’ teve acesso, mostra que no primeiro semestre do ano registaram-se mais 2.843 casos de fogo posto em áreas florestais em comparação com o período homólogo. A tendência vem contrariar o ciclo de diminuição na ordem dos 12% verificado o ano passado.

    Também o número de detenções nos seis primeiros meses deste ano aumentar. Até meados de outubro tinham sido detidos pela Polícia Judiciária (PJ) e pela Guarda Nacional Republicana (GNR) cerca de 170 indivíduos, mais 50 do que em 2016. Dos quase 7 mil incêndios investigados pela GNR, 2.554 tiveram origem intencional (20%) e 4.372 resultaram de ações negligentes, como queimadas (34%).

    O Ministério da Administração Interna dá ainda conta de que o fogo posto terá sido um dos crimes que mais contribuiu para o aumento da criminalidade geral durante o primeiro semestre do ano. O número de participações aumentou 2,9% para os 163.110, mais 4.547 do que no ano anterior.
    http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/crimes-por-fogo-posto-disparam-253-229813
     
    joselamego gostou disto.

Partilhar esta Página