Seguimento - Incêndios 2017

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por bigfire 17 Jan 2017 às 18:18.

  1. vitamos

    vitamos
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    11 Dez 2007
    Mensagens:
    5,169
    Local:
    Estarreja; Costa da Caparica
    Seria era importante, que quem tivesse a informação na mão, ou seja os familiares, fizesse no pleno uso da sua liberdade o que entendessem da informação que lhes é disponibilizada. De resto não opino... Basta ver as notícias das últimas horas.
     
    joselamego e luismeteo3 gostaram disto.
  2. SpiderVV

    SpiderVV
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2010
    Mensagens:
    7,222
    Local:
    Portalegre / Lisboa
    3 incêndios significativos, um deles com duas frentes ainda em Vila Pouca de Aguiar.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  3. Ricardo Carvalho

    Ricardo Carvalho
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Jul 2015
    Mensagens:
    1,861
    Local:
    Azeitão/Sesimbra
    Em pleno mês de Novembro!! não me lembro de um único mês deste ano que não tenhamos tido um incêndio de dimensões consideráveis! Ano horrivel e muito triste, com a maior área ardida de sempre , prejuízos financeiros ainda eles incalculáveis, com dezenas de casas, fábricas,carros,etc destruídos, e o pior de tudo! As mais de 100 vitimas mortais, e as dezenas de feridos! E tenho a minha forte convicção que se o dispositivo tivesse sido sempre igual a maior parte do ano, grande parte disto não tinha acontecido! Mas enfim, agora espero e que se aprenda com toda esta catástrofe ,
    e que nunca mais se volte a repetir!
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    luismeteo3, guisilva5000 e joselamego gostaram disto.
  4. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Imamat Ismaili doa 100 mil euros para a rearborização da Mata de Leiria
    O Imamat Ismaili, instituição liderada pelo príncipe Aga Khan, anunciou esta quinta-feira que vai oferecer 100 mil euros para a rearborização da Mata Nacional de Leiria, uma das zonas mais afectadas pelos incêndios do Verão em Portugal.

    Segundo o comunicado enviado hoje para a comunicação social, o donativo foi anunciado hoje durante as comemorações do Dia do Imamat, que juntou centenas de pessoas na sede mundial da comunidade, em Lisboa.

    "Este projecto de rearborização foi organizado em colaboração com o Ministério da Agricultura, que irá agora concretizá-lo através do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, entidade responsável por identificar a área que será abrangida pelo mesmo, devendo a totalidade do processo decorrer entre Janeiro e Março do próximo ano", pode ler-se na nota.

    Em Junho, o líder da comunidade ismaelita, Aga Khan, doou meio milhão de euros para apoiar as vítimas dos incêndios em Pedrógão Grande, verba que, segundo o comunicado, "já foi distribuída na sua quase totalidade".

    As centenas de incêndios que deflagraram no dia 15 de Outubro, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram 45 mortos e cerca de 70 feridos, perto de uma dezena dos quais graves.

    A Mata Nacional de Leiria foi a maior superfície ardida, com quase 9.476 hectares destruídos (86% do total).

    Os fogos obrigaram a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas, sobretudo nas regiões Norte e Centro.

    Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos em Portugal, depois de Pedrógão Grande, em Junho deste ano, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou, segundo a contabilização oficial, 64 mortos e mais de 250 feridos. Registou-se ainda a morte de uma mulher que foi atropelada quando fugia deste fogo.
    http://www.jornaldenegocios.pt/econ...a-de-leiria?ref=HP_DestaquesdebaixoNegociosTV
     
  5. Fogos2017

    Fogos2017
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    25 Nov 2017
    Mensagens:
    1
    Local:
    Coimbra
    Compilei num blogue, fogos2017.blogspot.com, imagens de satélite de alta-resolução (10m/pixel) dos fogos que ocorreram em Portugal em 2017. São centenas de imagens a cores, muito detalhadas, do "Antes e Depois" dos incêndios (mostram a mesma zona lado a lado, antes e depois do incêndio). Agradeço se puderem divulgar pelos vossos contactos: as imagens ajudam a perceber a verdadeira dimensão dos fogos e o seu impacto nas populações. É preciso ver o que se passou para perceber, decidir, ajudar.
     
  6. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,491
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Por estes lados a saga dos incendios, devido a queimadas descontroladas continua, quando vinha do trabalho ás 16 horas, andava o fogo, em mato, junto ao cruzamento de Bugalhos, Alcanena, mesmo junto a uma exploração agricola de framboesas em estufa, vi vários veiculos de bombeiros.
    E agora ás 17:30 em Torres Novas mais um incendio agricola, que conta com 7 operacionais e 3 veiculos.
    A vegetação continua muito seca, resta esperar pela chuva da próxima semana.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    luismeteo3 gostou disto.
  7. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Inquérito ao incêndio de Pedrógão Grande. Segundo comandante de Operações de Socorro de Leiria é o primeiro arguido na investigação
    12 dez 2017 10:29

    Este artigo é sobre Leiria. Veja mais na secção Local.
    O segundo comandante distrital de Operações de Socorro de Leiria, Mário Cerol, foi constituído arguido na sequência de um inquérito ao incêndio de Pedrógão Grande, que deflagrou no dia 17 de junho, confirmou o próprio à agência Lusa.

    Mário Cerol, que será o primeiro arguido deste inquérito, disse que foi ouvido na semana passada pelo Ministério Público.

    A notícia da constituição deste arguido foi hoje avançada pelo Diário de Leiria.

    “Fui ouvido na passada terça-feira [5 de Dezembro] no Ministério Público e fui constituído arguido. Não posso, nem devo falar mais sobre o assunto”, afirmou Mário Cerol à publicação.

    O incêndio que deflagrou em 17 de junho em Pedrógão Grande (distrito de Leiria), atingindo vários concelhos vizinhos, esteve ativo uma semana e causou, segundo o balanço oficial feito no verão, 64 mortos e mais de 200 feridos. Registou-se ainda o atropelamento de uma mulher que fugia das chamas e, já em novembro, morreu uma mulher que estava internada com ferimentos graves.

    O segundo comandante acrescentou que não está a ter apoio jurídico por parte da Autoridade Nacional de Proteção Civil.
    http://24.sapo.pt/atualidade/artigo...coes-de-socorro-de-leiria-constituido-arguido
     
    joselamego gostou disto.
  8. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Morreram mais de 500 mil animais nos incêndios de Outubro
    O Ministério da Agricultura calcula que morreram mais de 500 mil animais nos incêndios que fustigaram o país em Outubro. Para ajudar os agricultores, deverão ser entregues até 4.500 toneladas de rações e 600 toneladas de palha, que estão a ser distribuídas por militares.

    Os incêndios de 15 de Outubro, que lavraram sobretudo na região Centro e Norte do país, provocaram a morte a centenas de milhares de animais. Em resposta a perguntas colocadas pelo deputado André Silva, do PAN, o Ministério da Agricultura estima que, até 30 de Outubro, tenham morrido mais de 500 mil animais, sobretudo aves mas também bovinos, ovinos e suínos.

    De acordo com os registos do Sistema Nacional de Informação e Registo Animal (SNIRA) e dados de outras fontes recolhidos pela Direcção-Geral de Agricultura e Veterinária, foi registada a morte de 881 bovinos, 1.091 suínos e 5.398 ovinos e caprinos. Adicionalmente, e segundo "estimativas dos operadores económicos", calcula-se que tenham morrido "cerca de 500 mil aves". Somando estes números, morreram 507.370 animais.

    A DGAV, em conjunto com as direcções regionais de Agricultura e Pescas do Norte e Centro, começou a avaliar a situação logo a 16 de Outubro, prossegue a resposta do ministério, e deu "de imediato" instruções para se promover o "rápido enterramento dos animais mortos nos incêndios". Ao mesmo tempo, foram tomadas medidas pelos médicos veterinários das referidas zonas para apoiar os animais que sobreviveram, nomeadamente abatendo os "não recuperáveis" e tratando e alimentando os que ficaram vivos.

    O Governo garante ainda que fez logo um "levantamento das necessidades alimentares" dos animais que sobreviveram e desencadeou uma "operação de distribuição" de rações e palha em cinco "plataformas logísticas": Gouveia, Monção, Vila Nova de Poiares, Tondela e Vagos. Foi também nestas plataformas que se concentraram os alimentos de donativos "de entidades particulares" destinados às áreas afectadas.

    Agricultores podem receber 4.500 toneladas de ração

    O Ministério da Agricultura estima que a operação poderá atingir "as 4.500 toneladas de rações e 600 toneladas de palha" e vai continuar a ser "efectuada de forma faseada, em função das necessidades estimadas" para a alimentação dos animais nos próximos meses. O objectivo é garantir alimento para os animais nas áreas em que a "destruição de pastagens" e das "reservas alimentares dos agricultores" foi, "em muitas situações, total".

    Foram ainda distribuídas 120 toneladas de açúcar para a "alimentação de abelhas".

    Na operação participaram 100 militares das Forças Armadas, que foram colocados nos referidos centros logísticos. O Governo lembra que também criou uma linha de crédito de cinco milhões de euros" para "compensar os produtores pelo aumento dos custos de produção" provocados pela "seca extrema ou severa", que tem "agravado os efeitos dos incêndios".

    Os incêndios de Outubro provocaram a morte a pelo menos 45 pessoas nos distritos de Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu. Meses antes, os incêndios de Pedrógão Grande vitimaram 66 pessoas.
    http://www.jornaldenegocios.pt/empr...dios-de-outubro?ref=HP_Destaquesduasnotícias3
     
    guisilva5000, joselamego e Pedro1993 gostaram disto.
  9. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,491
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Câmara da Marinha Grande substitui sinalização destruída pelo fogo

    Intervenção tem como objectivo garantir segurança dos cidadãos.

    O Município da Marinha Grande está a proceder à substituição da sinalização vertical destruída no incêndio de 15 e 16 de Outubro, o que se traduz num investimento de cerca de 100 mil euros, anunciou hoje a autarquia.

    Segundo uma nota de imprensa, esta intervenção vai ocorrer na Estrada Nacional 242-1, que liga Marinha Grande à Vieira de Leiria e na Estrada Atlântica, entre Vieira de Leiria e São Pedro de Moel.


    https://www.jornaldeleiria.pt/notic...ande-substitui-sinalizacao-destruida-pel-7842
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  10. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    O comovente regresso a casa do bombeiro Rosinha
    há 1 hora


    CHRISTIANA MARTINS E ANA BAIÃO

    O bombeiro que derreteu voltou a casa: Rui Rosinha foi apanhado pelo fogo de Pedrógão Grande a 17 de junho de 2017, ficou desfigurado, esteve em coma dois meses e meio e acaba de sair do hospital. Seis meses depois. Este é um testemunho que faz parte de um documentário que o Expresso Diário vai publicar na íntegra esta sexta-feira e de uma grande reportagem multimédia que vai estar disponível no site do Expresso este sábado, num fim de semana em que se assinala meio ano desde a tragédia de Pedrógão
    http://leitor.expresso.pt/#library/...comovente-regresso-a-casa-do-bombeiro-rosinha
     
    joselamego, criz0r e Pedro1993 gostaram disto.
  11. AnDré

    AnDré
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    22 Nov 2007
    Mensagens:
    10,637
    Local:
    Arroja, Odivelas (140m); Várzea da Serra (900m)
    Os incêndios de Outubro fizeram uma baixa na rede do IPMA.
    A EMA de Pampilhosa da Serra (Fajão), ardeu por completo. :(

    Imagens de Jorge Neto.
    [​IMG]

    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    14,274
    Local:
    Fatima
    Autoridades podem ter encontrado a 112ª vítima dos incêndios do verão
    11/1/2018, 8:09
    Número oficial de mortes diretas dos incêndios pode subir para as 112 vítimas. A Polícia Judiciária acredita ter encontrado em Gouveia as ossadas de um homem de 40 anos desaparecido desde outubro.


    A Polícia Judiciária pode ter encontrado a 112ª vítima direta dos incêndios deste verão. De acordo com o Jornal de Notícias (JN), foram encontradas ossadas em Folgosinho, no Parque Natural da Serra da Estrela, que os inspetores acreditam poderem pertencer a Rui Costa, um homem de 40 anos que estava desaparecido desde outubro, quando as zonas centro e norte do país foram assoladas pelas chamas.

    O diário refere que as ossadas foram encontradas a 20 de dezembro, a cerca de 500 metros de onde o homem terá sido pela última vez por uma patrulha da GNR, durante o incêndio de 15 de outubro, e que já estão a ser feitos exames periciais no Instituto de Medicina Legal. Também já foram pedidas amostras de ADN à família para apurar se terá sido encontrada a 112ª vítimas direta dos fogos.

    A investigação à relação destes restos mortais com as chamas de outubro ainda está no início mas, escreve o JN, as autoridades estão fortemente convictas de que se trata de mais uma vítimas dos incêndios deste verão.

    A Provedora de Justiça, que vai definir as indemnizações a atribuir pelo Estado às famílias das vítimas, está a trabalhar com um universo estimado de 125 vítimas. Esse número inclui outras possíveis vítimas diretas — como um idoso de 70 anos, de Trovisco, Sertã, que continua desaparecido — e também vítimas indiretas, cujos casos ainda serão analisados para decidir se serão ou não abrangidos pelas indemnizações públicas. O Governo fixou em 70 mil euros o valor mínimo a atribuir aos familiares.
    http://observador.pt/2018/01/11/aut...ontrado-a-112a-vitima-dos-incendios-do-verao/
     

Partilhar esta Página