Seguimento - Incêndios 2017

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por bigfire 17 Jan 2017 às 18:18.

  1. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    17,112
    Local:
    Fatima (320m)
    Situação em Ouzenda mais controlada...
     
  2. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    17,112
    Local:
    Fatima (320m)
    Onze aldeias de Góis evacuadas
    Onze aldeias de Góis foram esta terça-feira evacuadas devido ao alastrar do incêndio que lavra desde sábado no concelho e, “para já, não há necessidade” de abranger outras localidades, informou a Câmara Municipal, estimando melhorias na situação.

    Já esta manhã, quando já tinham sido evacuadas quatro aldeias, o comandante da Proteção Civil já alertava que, nas horas seguintes, seriam evacuadas outras oito.

    Em declarações à agência Lusa, a presidente da Câmara de Góis, Lurdes Castanheira, precisou que as aldeias já evacuadas são as de Cadafaz, Sandinha, Candosa, Capelo, Corterredor, Cabreira, Aldeia Velha, Candosa, Carvalhal do Sapo, Tarrastal e de Folgosa.

    “Para já, não há outras, não há necessidade [de evacuar mais aldeias]”, acrescentou.

    A responsável adiantou que o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, está no local a acompanhar a situação.

    Lurdes Castanheira referiu que o governante esteve, juntamente com as autoridades, a “sobrevoar toda a zona que está a arder, e pareceu-lhe que a situação tendencialmente parece estar um pouco melhor”.

    Ainda assim, disse não ter mais informações.

    O município de Góis faz fronteira com Pedrógão Grande e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, e com o concelho da Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, para onde as chamas progrediram, após deflagrarem no sábado, em Fonte Limpa.

    Esta manhã, pelas 08h30, a presidente da Câmara de Góis afirmou à Lusa que o incêndio no concelho de Góis chegou à União de Freguesias de Cadafaz e Colmeal, depois de estar praticamente dominado na freguesia de Alvares.

    Lurdes Castanheira falou numa “situação grave” que “pode passar a ser gravíssima”, dadas as dificuldades no combate às chamas.

    Pela hora de almoço, a autarca indicou que as elevadas temperaturas e vento forte estão a provocar o alastramento do incêndio que lavra no concelho.

    A responsável disse ainda que 56 idosos tiveram de ser retirados do lar que frequentam em Cabreira.

    De acordo com a informação disponibilizada no site da Autoridade Nacional de Proteção Civil pelas 15h00, o incêndio em Góis mobilizava 829 operacionais, auxiliados por 283 viaturas e sete meios aéreos.

    Lusa
     
  3. kikofra

    kikofra
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    7 Abr 2008
    Mensagens:
    1,337
    Local:
    Leiria (115m)/Lourosa/Porto
    Vem um Canadair de marrocos
     
    luismeteo3 gostou disto.
  4. huguh

    huguh
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    1 Out 2015
    Mensagens:
    2,604
    Local:
    Godim - Peso da Régua (93m)
    Sec de Estado da Administração interna agora na RTP3
    "Existe o receio do incêndio entrar no concelho da Lousã, que como todos sabem é uma zona crítica de incêndios"
     
    luismeteo3 gostou disto.
  5. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    17,112
    Local:
    Fatima (320m)
    18 aldeias evacuadas em Góis, diz secretário de Estado da Administração Interna
    O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, avançou à RTP que foram evacuadas 18 aldeias do concelho de Góis. Uma medida tomada por precaução.

    “Temos pessoas concentradas numa igreja, onde estão a ser apoiado peloa Segurança Social e onde estão com uma segurança montada para que não haja problema”, afirmou o governante.
     
  6. Mr. Neves

    Mr. Neves
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    22 Jan 2013
    Mensagens:
    3,855
    Local:
    Tondela-290m
    A CMTV veio agora dizer que o Governo desmentiu esta notícia, e que sempre estão a caminho bombeiros espanhóis, esperemos que seja verdade:unsure:

    Parece que os nuestros hermanos gostam de vender jornais também...
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    huguh gostou disto.
  7. Pek

    Pek
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    24 Nov 2005
    Mensagens:
    3,693
    Local:
    Menorca
    Brutal el pirocúmulo fotografiado desde un vuelo comercial español pilotado por un antiguo miembro del Grupo 43 del Ejército del Aire, el que está en Portugal con los apagafuegos Bombardier.

    [​IMG]

    Dejo su comentario
     
  8. huguh

    huguh
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    1 Out 2015
    Mensagens:
    2,604
    Local:
    Godim - Peso da Régua (93m)
    IC13 cortado na zona de Avelar
    incêndio com alguma intensidade - Tvi24
     
    luismeteo3 gostou disto.
  9. jonas

    jonas
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    14 Jul 2015
    Mensagens:
    2,169
    Local:
    Paredes
    Esperemos que não passe a estrada, pois do outro lado a floresta e mais densa...
     
    luismeteo3 e huguh gostaram disto.
  10. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    19,350
    Local:
    Açores
    É como diz a gíria, factos são factos. Espanha é o 2ª país mais florestado da Europa (contribuindo para isto as inúmeras elevações que reduzem a aridez), e está ao lado do país europeu que mais perdeu floresta e que não consegue recuperar o que perde. É gravíssimo. Menos de 10% da Galiza é florestada e acima assim a quantidade de incêndios é abismal. Este problema da PI ocidental deve ser como os bancos, demasiado grande para resolver.

    Como é óbvio, estás à vontade para discordar mas essa ideia, a meu ver, tem grandes desafios práticos.

    Se o 'estado' nem tem conhecimento dos donos de inúmeros terrenos como é que terá capacidade para estruturar e garantir a relevância dos planos de evacuação? Por uns pagam os outros. Basta que um certo dono, por qualquer motivo, não faça a manutenção correta e determinadas estradas/pontos de acesso ficam cortados. Outro problema dos pontos de encontro (e respetivos pontos de acesso) é mesmo a sua localização. Em aldeias no meio de nenhures escondidas no meio de bosques não deve ser assim tão fácil fazer isso. E à medida que o número de aldeias intervencionadas for aumentando, pior deve ser o problema.

    Outro desafio é a demografia. Boa parte dessas aldeias são constituídas por velhotes que podem não ter o mesmo dinamismo/mobilidade que os jovens (e isso tem igualmente impacto na estruturação dos planos de evacuação). Continuarão a haver pessoas que ficarão para trás para tentar salvar o que puderem. A ideia do ponto de encontro é bastante relevante já que permitiria a concentração das pessoas e eventualmente facilitaria a sua evacuação. Contudo, o fogo é muito dinâmico. Por vezes, poderá estar-se a sair de uma situação má para ir para uma situação pior. Quem é que garante que a igreja no meio da aldeola é segura? Basta que hajam materiais inflamáveis no local errado para haver bronca.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #790 Orion, 20 Jun 2017 às 16:18
    Última edição: 20 Jun 2017 às 16:26
  11. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    17,112
    Local:
    Fatima (320m)
    27 aldeias evacuadas
    Sobe para 27 o número de aldeias evacuadas, no concelho de Góis, por uma questão de precaução, diz o secretário de Estado da Administração Interna.
     
    guisilva5000 gostou disto.
  12. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    17,112
    Local:
    Fatima (320m)
    80 bombeiros espanhóis chegam hoje a Portugal
    Oitenta bombeiros espanhóis chegam esta terça-feira a Portugal para ajudar no combate ao incêndio de Góis, disse à agência Lusa fonte oficial do Ministério da Administração Interna (MAI). A mesma fonte adiantou que 40 bombeiros da Galiza chegam a Portugal por via terrestre e outros 40 operacionais de várias regiões espanholas por helicóptero.

    Segundo o MAI, os bombeiros da Galiza chegam a Portugal com viaturas próprias e vão ser integrados numa coluna nacional.

    A chegada dos 80 bombeiros espanhóis para combater o incêndio de Góis insere-se no acordo bilateral existente entre Portugal e Espanha.

    Também ao abrigo deste acordo estão a combater os incêndios da região centro de Portugal, desde domingo, dois aviões ‘Canadair’ e bombeiros espanhóis.

    O incêndio em Góis, no distrito de Coimbra, deflagrou pelas 15:00 de sábado e mobiliza 661 bombeiros, 228 viaturas e cinco meios aéreos.

    O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 150 feridos.

    Lusa
     
  13. mecre90

    mecre90
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    26 Fev 2016
    Mensagens:
    52
    Local:
    Tomar

    O autor disse-me que o video foi feito no nó Oeste do IC8 para Proença a Nova, por volta das 18h de sábado, e os ventos soprariam NNW para SSE, ou seja, numa direcção muito diferente da que o incêndio seguiu desde Pedrogão até à N238-1...

    Já há informações da hora aproximada a que o incêndio chegou a Nogueirinho, Pobrais, e ao trágico troço da Estrada da Morte?...
     
  14. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    19,350
    Local:
    Açores
    Também faria sentido o governo português recusar ou pelo menos fazê-los aguardar. Adicionar meios sem qualquer tipo de coordenação não ajudaria em nada a situação. Já basta o caos atual.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    Mr. Neves gostou disto.
  15. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    17,112
    Local:
    Fatima (320m)
    Quarenta fogos mobilizam mais de 2.800 bombeiros e 24 meios aéreos
    O número de incêndios a lavrar em Portugal tem aumentado nas últimas horas, registando-se pelas 15:30 de hoje um total de 40 fogos florestais, mobilizando 2.816 operacionais, auxiliados por 928 viaturas e 24 meios aéreos, segundo a Proteção Civil.

    Às 09:30 de hoje lavravam 12 fogos em território nacional, número que duplicou no período de duas horas e meia para 24 focos de incêndio às 12:15, e que voltou a aumentar para 40 fogos às 15:30, de acordo com a informação divulgada na página na Internet da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC).

    Dos 40 incêndios a nível nacional, dez encontram-se em curso (incêndio em evolução sem limitação de área), cinco em resolução (incêndio sem perigo de propagação para além do perímetro já atingido) e 25 em conclusão (incêndio extinto, com pequenos focos de combustão dentro do perímetro do incêndio).

    A maioria dos operacionais (2.221 do total de 2.816), das viaturas (749 do total de 928) e dos meios aéreos (21 do total de 24) que estão a combate os fogos que lavram em Portugal, estão destacados para os três grandes fogos nacionais, localizados nos concelhos de Pedrógão Grande (Leiria), Góis e Penela (Coimbra).

    O incêndio que envolve mais meios no terreno continua a ser o de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, que deflagrou na tarde de sábado e que se mantém em curso, encontrando-se a ser combatido por 1.207 operacionais, apoiados por 405 veículos e 13 meios aéreos.

    O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 150 feridos, segundo um balanço divulgado hoje.

    O fogo começou em Escalos Fundeiros, e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

    Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

    Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

    Outro dos principais incêndios a lavrar em Portugal é o fogo em Góis, no distrito de Coimbra, que deflagrou pelas 15:00 de sábado e que se mantém em curso, mobilizando 852 bombeiros, 292 viaturas e seis meios aéreos.

    Ainda no distrito de Coimbra, encontra-se em fase de resolução o incêndio de Penela, segundo a informação da Proteção Civil, indicando que o combate às chamas que lavram desde as 21:15 de sábado envolve 162 bombeiros, 52 viaturas e dois meios aéreos.

    Além destes três grandes incêndios nos distritos de Leiria e de Coimbra, existem 35 fogos de menor dimensão a ser combatidos em Portugal, localizados no distrito de Beja (4), Braga (2), Castelo Branco (3), Évora (1) Faro (2), Leiria (4), Lisboa (3), Portalegre (2), Porto (5), Santarém (4), Viana do Castelo (1), Vila Real (4) e Viseu (2).

    Lusa
     
    guisilva5000 gostou disto.

Partilhar esta Página